O esquema e o estilo da prova da Petrobras

Especialistas explicam o que é preciso fazer, além de estudar, para se preparar para o exame da petrolífera, que acontece no dia 28

Redação
Publicado em 12/08/2011, às 15h22

“Sem dúvida alguma, um dos grandes concursos do ano” – é assim que Leonardo Pereira, diretor do Instituto IOB, curso preparatório para concursos públicos, qualifica a seleção da Petrobras que teve seu edital publicado no primeiro dia de julho e encerrou o recebimento de inscrições no dia 31. 
Fatores como a distribuição de vagas por diversas cidades do país e o envolvimento de cargos com remunerações de até R$ 6,2 mil, além dos benefícios, colocam o concurso da Petrobras no topo da lista dos concursos mais aguardados do ano em todo o Brasil. A oportunidade de progredir profissionalmente é outro ponto bastante visado nas seleções da petrolífera, que tem planos promissores para quem pretende se estabelecer na carreira pública. “Todas as nossas carreiras têm os estágios de Junior, Pleno e Senior. A pessoa entra como Junior e, dependendo do desempenho, vai agregando um nível salarial até que tenha condições de ser promovido”, explica Lairton Correa, gerente de recursos humanos da Petrobras. “A remuneração tem uma variação de acordo com o nível do cargo. Para um Junior com ensino médio, o valor parte de R$ 1.600 e pode chegar a R$ 2.100. Se olharmos o nível superior, nos cargos de administração, ele começa com R$ 1.700 e vai até R$ 6.300”, diz Lairton.
Com um leque de atrativos como este, é natural que o concurso acabe sendo aguardado por um longo período e, consequentemente, atraia um número alto de candidatos, que enfrentarão uma concorrência acirrada na disputa por uma das 590 vagas oferecidas pelo órgão.
Para poder manter a esperança em conquistar um dos postos, no entanto, o candidato tem que estar ciente de que é preciso se preparar. E preparação não se resume apenas ao estudo do conteúdo programático. Os especialistas costumam insistir na importância de conhecer a composição e o estilo das provas formuladas pela organizadora do processo seletivo.
“Sempre defendi que o candidato de qualquer concurso deve conhecer a banca para que no dia da prova não se surpreenda com o perfil de cobrança de questões”, afirma Leonardo, acrescentando que a melhor forma de conhecer o estilo da banca é realizar provas anteriores, formuladas pela mesma banca. Segundo ele, é grande a chance de encontrar alguma questão repetida e garantir um ponto a mais.
“Estamos vivenciando tempos de concurseiros profissionais, que chegam para o exame com elevado grau de conhecimento do edital, banca, perfil. Minha dica é: leia o edital com atenção antes mesmo de iniciar o estudo direcionado. Pegue as provas passadas de nível similar e resolva, verificando os erros que cometeu. Procure entender as causas do erro”, diz Leonardo.
Conhecendo a provaO concurso aberto este ano pela Petrobras está sendo promovido pela Fundação Cesgranrio, empresa que organiza há mais de 10 anos exames como o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) e o ENADE (Exame Nacional de Avaliação do Desempenho dos Estudantes).
“A prova da Cesgranrio, historicamente, não é de grande complexidade”, conta Paulo Estrella, diretor da Academia do Concurso, “os enunciados não costumam ser muito longos, porém é uma banca que usa como artifício as pegadinhas, pequenas alterações no texto da resposta que põe o candidato em dúvida”, explica Estrella. “A banca faz uma prova pouco cansativa, mas que demanda uma grande atenção por parte do candidato. Nessa hora, o nervosismo pode ser seu pior inimigo”, conclui.
Além de colocar em risco o raciocínio do candidato, o nervosismo ainda faz com ele perca mais tempo na resolução de cada questão e corra o risco de ter que entregar o gabarito incompleto, o que pode ser fatídico para sua eliminação.
Para Estrella, é possível aproveitar bem as horas disponíveis para a realização da prova ganhando tempo com as questões mais curtas e de fácil interpretação. “O que também salva o candidato é o conhecimento de como as provas são escritas e isso é obtido realizando sempre uma grande quantidade de questões de provas anteriores”, afirma o especialista.
Leonardo também aconselha os candidatos a partirem, inicialmente, para as questões referentes às disciplinas onde eles encontram menos dificuldade, deixando sempre as mais complexas por último. O diretor do Instituto IOB exalta, ainda, a vantagem de ter o hábito da leitura na hora de resolver questões de interpretação de texto, para as quais ele deixa mais algumas dicas: “Faça uma leitura rápida do texto para extrair a mensagem. Releia o texto identificando as ideias de cada parágrafo e anotando ao lado. Volte para as questões, marcando imediatamente as que já tiveram suas ideias desvendadas pelas leituras. Por fim, retorne para as que ficaram sem resposta, buscando a solução nas indicações dos parágrafos”.
Segundo o edital divulgado pela Cesgranrio, a prova objetiva do concurso da Petrobras, que será aplicada no dia 28 de agosto, será dividida em duas partes: conhecimentos básicos, com questões de língua portuguesa para todos os candidatos, além de matemática para os de nível médio e inglês para os de nível superior, e conhecimentos específicos, com questões relativas ao cargo pretendido. As 20 questões que constituem a parte de conhecimentos básicos, no entanto, servirão apenas para eventuais desempates. “É uma forma muito interessante de avaliação, mesmo eu defendendo que o português deveria ser matéria inserida no bloco de entrada, pela necessidade que temos de valorização da língua”, afirma Leonardo. Já para Estrella, “esse modelo dá um peso justo às disciplinas e tende a selecionar o profissional mais técnico, nos moldes que a Petrobras necessita”.
O exemploApós passar meses se preparando na Academia do Concurso, Marcelo Pinto Ferreira foi aprovado como primeiro colocado para técnico de administração e controle Junior no concurso realizado pela Petrobras em 2010. Desde novembro do ano passado ele integra o quadro de servidores da petrolífera. “Estou muito satisfeito. Em termos de qualidade no trabalho, posso afirmar que minhas expectativas foram superadas nesses nove meses. Valeu cada gota de suor empregado”, conta.
Marcelo é prova de que apenas estudar não é o bastante, mesmo quando essa atividade é realizada com afinco. Ele acredita que a aprovação depende de uma combinação de fatores. 
Confira abaixo algumas dicas deixadas pelo aprovado:

- Estabeleça e cumpra horários predeterminados para estudo- Conheça bem a banca que realiza a prova. Faça muitos simulados através das provas anteriores do concurso ao qual você está direcionado- Através do conhecimento obtido acima, desenvolva sua técnica de prova, como, por exemplo, fazer matemática por último. Neste caso, não há regra, você terá de descobrir como poderá ter um melhor aproveitamento do tempo- Controle sua ansiedade, pois ela é uma das suas maiores inimigas. Se você dominar a dica anterior, ela já reduz significantemente- Deixe períodos livres para o lazer e, se possível, com atividades físicas- Não se prenda ao número de vagas, você só precisa de uma
Leandro Cesaroni
Veja também:
Petrobras: 173.686 inscritos no concurso para 590 oportunidades

Comentários

Mais Lidas