Quirinópolis GO lança edital de concurso para 238 vagas

Chances são destinadas a profissionais de níveis médio/técnico e superior de ensino. Inscrições abrem em 10 de setembro

Imediatas e cadastro

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro
Publicado: 20/08/2018 - 11:57 | Atualizado: 20/08/2018 - 12:02

A Prefeitura de Quirinópolis, em Goiás, divulgou edital de concurso público para preencher 238 vagas, sendo 82 imediatas e 156 para cadastro reserva (CR). Os salários variam de R$ 954 a R$ 1.556,25.

Há ofertas com exigência de ensino médio e, em alguns casos, formação técnica para agente arrecadador (5 + 10 CR), assistente administrativo (10 + 20 CR), assistente de educação infantil (10 + 20 CR), escriturário (5 + 10 CR), fiscal de tributos municipais (2 + 4 CR), fiscal geral (3 + 6 CR), guarda municipal (8 + 8 CR), monitor (20 + 40 CR), técnico agrícola (1 + 2 CR) e técnico de enfermagem (8 + 16 CR).

O cargo de profissionail do magistério de educação infantil e anos iniciais - pedagogia (10 + 20 CR) é destinado a candidatos com curso superior

As inscrições serão recebidas entre 10 de setembro e 5 de outubro, mediante a realização de cadastro no site www.itame.com.br. As taxas custam R$ 70 (nível médio) e R$ 120 (superior).

Fases do concurso da Prefeitura de Quirinópolis GO

Marcada para 11 de novembro, a prova objetiva cobrará a resolução de 60 questões de múltipla escolha sobre língua portuguesa, matemática, informática, legislação e conhecimentos específicos. 

As outras fases da seleção incluem: avaliação dissertativa (profissional do magistério), também em 11 de novembro; teste físico (fiscal geral, guarda municipal e monitor), em 8 de dezembro; exame prático (agente arrecadador, assistente administrativo, escriturário e fiscal de tributos municipais), em 8 de dezembro; e análise psicológica e curso de formação (guarda municipal), em datas a serem definidas. 

O concurso da Prefeitura de Quirinópolis terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do governo municipal, conforme estabelece o edital
 

Vídeos Prefeitura Quirinópolis

Mais Lidas

Mais Recentes

Notícias Recentes Prefeitura

Notícias Relacionadas Prefeitura

Atualizado: 20/08/2018 - 12:02

AGU: banca do concurso para 100 vagas nos próximos dias

A autorização determina que o edital do concurso da AGU seja publicado até dia 14 de dezembro de 2018

 Diversos cargos

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

A Advocacia-Geral da União (AGU)  deve confirmar, no decorrer dos próximos dias, o nome da banca organizadora do seu  novo concurso público 2018, autorizado pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPGD) em 14 de junho.  O órgão também trabalha no processo de distribuição, pelos diversos estados, das 100 vagas que serão oferecidas no concurso. De acordo com a autorização do MPDG, a publicação do edital de abertura de inscrições deve ocorrer,no mais tardar, até 14 de dezembro.

O concurso será para os cargos de administrador (48 vagas), analista técnico administrativo (10), arquivista (2), bibliotecário (1), contador (1), técnico em assuntos educacionais (2) e tecnico em comunicação social (5).

Para todos estes cargos é necessário possuir formação de nível superior, com remuneração inicial de R$ 6.200, considerando vencimentos básicos e gratificações.

“A realização deste concurso é um passo importante no processo de fortalecimento do quadro de servidores da AGU. Todos nós sabemos que as vitórias obtidas pela nossa instituição somente serão possíveis graças, também, à incansável dedicação diária de nossos servidores”, disse, quando do envio do pedido do concurso, a advogada-geral da União, ministra Grace Mendonça.

Novas vagas

  Vale ressaltar que tramita na Câmara dos Deputados o projeto de lei 6788/17, que cria mais 3.000 vagas no órgão, sendo 2.000 para o cargo de analista técnico de apoio à atividade jurídica e 1.000 para técnico de apoio à atividade jurídica.   Para técnico, para concorrer será exigido apenas ensino médio, com inicial de R$ 4.669,35, com gratificações. Para analistas, nível superior, com inicial de R$ 6.985,34.  

Mais informações sobre este projeto podem ser obtidas aqui

 

Concurso Anterior

O último concurso da AGU para cargos da área de apoio operacional ocorreu em 2014, quando foram oferecidas 100 oportunidades, para preenchimento para a sede, em Brasília, bem como para a Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP/PR), pelo regime jurídico únicos dos servidores civis da união, autarquias e fundações públicas federais.

Para o quadro de nível superior da AGU foram oferecidas oportunidades para os cargos de analista de sistemas (10 postos), analista técnico administrativo (34), bibliotecário com registro profissional (3) e técnico em comunicação social (3). Para quem possui formação técnica, a oferta foi de dez vagas para a carreira de técnico em contabilidade.

Já na Secretaria dos Portos, para nível médio foram dez vagas para agente administrativo e sete para técnico em contabilidade. Para nível superior, a oferta foi para os cargos de administrador (4), analista técnico administrativo (15), contador (2) e economista (2).

A banca organizadora do concurso, na ocasião, foi o Idecan.

Antes disso, a seleção anterior para a área técnica ocorreu em 2006, quando foram registrados 25 mil inscritos para a oferta de 336 vagas, somente para candidatos de nível superior, para os cargos de administrador, contador, economista e engenheiro. Neste caso, a banca organizadora foi o Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade do Rio de Janeiro (NCE/UFRJ).

 

Sobre a AGU

Cabe à Advocacia Geral da União representar a União, judicial e extrajudicialmente, cabendo-lhe, nos termos da lei complementar que dispuser sobre sua organização e funcionamento, as atividades de consultoria e assessoramento jurídico do Poder Executivo. Em termos de representação judicial, sua atividade é exercida em defesa dos interesses dos referidos entes nas ações judiciais em que a União figura como autora, ré ou, ainda, terceira interessada. A representação extrajudicial é exercida perante entidades não vinculadas à justiça, como órgãos administrativos da própria união, estados ou municípios.


Ads

Quartas das Carreiras. Inscreva-se!

Toda quarta-feira, às 18 horas, serão entrevistados servidores públicos das mais diversas carreiras de órgãos municipais, estaduais e federais. É a oportunidade que você tem de conhecer melhor sua futura profissão!


 

 

Continuar lendo

Atualizado: 20/08/2018 - 11:57

Quirinópolis GO lança edital de concurso para 238 vagas

Chances são destinadas a profissionais de níveis médio/técnico e superior de ensino. Inscrições abrem em 10 de setembro

Imediatas e cadastro

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

A Prefeitura de Quirinópolis, em Goiás, divulgou edital de concurso público para preencher 238 vagas, sendo 82 imediatas e 156 para cadastro reserva (CR). Os salários variam de R$ 954 a R$ 1.556,25.

 

Há ofertas com exigência de ensino médio e, em alguns casos, formação técnica para agente arrecadador (5 + 10 CR), assistente administrativo (10 + 20 CR), assistente de educação infantil (10 + 20 CR), escriturário (5 + 10 CR), fiscal de tributos municipais (2 + 4 CR), fiscal geral (3 + 6 CR), guarda municipal (8 + 8 CR), monitor (20 + 40 CR), técnico agrícola (1 + 2 CR) e técnico de enfermagem (8 + 16 CR).

 

O cargo de profissionail do magistério de educação infantil e anos iniciais - pedagogia (10 + 20 CR) é destinado a candidatos com curso superior

 

As inscrições serão recebidas entre 10 de setembro e 5 de outubro, mediante a realização de cadastro no site www.itame.com.br. As taxas custam R$ 70 (nível médio) e R$ 120 (superior).

 

 

Fases do concurso da Prefeitura de Quirinópolis GO

 

 

Marcada para 11 de novembro, a prova objetiva cobrará a resolução de 60 questões de múltipla escolha sobre língua portuguesa, matemática, informática, legislação e conhecimentos específicos. 

 

As outras fases da seleção incluem: avaliação dissertativa (profissional do magistério), também em 11 de novembro; teste físico (fiscal geral, guarda municipal e monitor), em 8 de dezembro; exame prático (agente arrecadador, assistente administrativo, escriturário e fiscal de tributos municipais), em 8 de dezembro; e análise psicológica e curso de formação (guarda municipal), em datas a serem definidas. 

 

O concurso da Prefeitura de Quirinópolis terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do governo municipal, conforme estabelece o edital
 

Continuar lendo

Atualizado: 20/08/2018 - 09:14

Concurso Iphan: locais de provas são divulgados

Com ofertas distribuídas entre todo o Brasil, seleção preencherá postos em cargos auxiliar, técnico e analista. Salários chegam a R$ 5,4 mil

Níveis médio e superior

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Os inscritos para o concurso do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) já podem consultar aqui os locais de aplicação das provas objetiva e discursiva, que ocorrem no próximo domingo (26). A seleção preencherá 411 vagas distribuídas em todo o Brasil, além de formar cadastro reserva.


O processo seletivo oferece 131 postos para auxiliar institucional (R$ 3.877,97), 176 para técnico (R$ 5.493,29) e 104 para analista (R$ 5.493,29). A primeira posição requer ensino médio completo, enquanto as demais cobram formação superior. Os valores já incluem o auxílio-alimentação de R$ 458.

• APOSTILAS CONCURSO IPHAN 2018 - CARGOS DE NÍVEIS MÉDIO E SUPERIOR
• CURSO ONLINE CONCURSO IPHAN 2018 - TÉCNICO E ANALISTA

As oportunidades estão distribuídas entre a sede do órgão, em Brasília, e superintendências/escritórios técnicos em todos os Estados brasileiros. Para São Paulo, foram disponibilizados 18 postos.  

As inscrições para o concurso do Iphan foram recebidas até 16 de julho, por meio do site http://www.cespe.unb.br/concursos. As taxas custaram R$ 84 (nível médio) e R$ 117 (superior). 

 

Concurso Iphan: distribuição das vagas por área de formação


Parte das chances para auxiliar institucional é destinada a candidatos que possuem, além de segundo grau, formação técnica em conservação e restauração de bens culturais móveis; edificações; e agronomia ou jardinagem.  

 

As oportunidades para técnico no concurso do Iphan atendem profissionais formados em ciências sociais ou antropologia; arqueologia; arquitetura e urbanismo; arquivologia; biblioteconomia; ciências biológicas; engenharia agronômica; engenharia civil; história; e educação, pedagogia ou ciências humanas. 

 


Ads

Curso Intensivo Gratuito para Concurso IPHAN

Para ajudar na preparação dos que realmente desejam passar nesse concurso, transmitiremos ao vivo e gratuitamente a partir de 18 de junho, o Curso Intensivo IPHAN. O conteúdo engloba desde português a história. São várias matérias de relevância com conteúdo de qualidade. Confira.

 

Já para analista, as opções são voltadas a participantes com graduação em qualquer área; comunicação social, jornalismo ou relações públicas; engenharia cartográfica, geografia ou geociências; e relações internacionais.

Sobre as provas do concurso do Iphan 2018


O processo seletivo envolverá provas objetiva e discursiva para todos os cargos, com aplicação nas capitais dos 26 Estados, além do Distrito Federal.

 

A primeira avaliação trará 120 questões de múltipla escolha, enquanto a segunda cobrará a elaboração de um texto dissertativo com até 30 linhas abordando tema da atualidade. 

 

O conteúdo programático inclui conhecimentos básicos (língua portuguesa, fundamentos da preservação do patrimônio cultura, noções de gestão/administração pública e atualidades) e específicos.

 

Haverá também análise de títulos para funções de nível superior, em período a ser definido. Os candidatos convocados poderão apresentar diplomas de especialização, mestrado e doutorado, bem como documentos que comprovem experiência profissional nos setores público e privado. 


De acordo com o edital, o concurso do Iphan terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da instituição. 

 

Atribuições do auxiliar institucional no concurso do Iphan

 

Desenvolver atividades de nível intermediário de suporte às áreas administrativa e finalística, que compreendam a execução de atividades rotineiras de cunho administrativo e logístico; dar suporte às atividades que compõem o ciclo de gestão documental; dar suporte à análise, diagnóstico e intervenção em bens culturais móveis; dar apoio às atividades técnicas relativas à elaboração e análise de projetos e orçamentos e fiscalização de obras; dar suporte às atividades de fiscalização; realizar atividades de conservação e manutenção dos jardins históricos sob a gestão do Iphan; e outras atividades compatíveis com as atribuições profissionais e competências institucionais.

 

Concurso Iphan 2018: atribuições do técnico

 

Desenvolver atividades de nível superior, de complexidade e responsabilidade elevadas, que compreendam elaborar estudos, análises, pareceres, laudos, notas, relatórios e avaliações técnicas para instrução e acompanhamento de processos relativos à salvaguarda e à preservação do patrimônio cultural; avaliar o impacto ao patrimônio cultural em projetos e empreendimentos, inclusive no âmbito do licenciamento ambiental; realizar vistorias, levantamentos e avaliações de campo; acompanhar e se manifestar em processos relacionados a políticas intersetoriais e temáticas transversais ao patrimônio cultural; desenvolver e participar das atividades de articulação e mobilização social necessárias às ações institucionais; integrar conselhos representativos, comissões, grupos e equipes de trabalho de interesse da administração; elaborar e analisar orçamentos; acompanhar e fiscalizar intervenções e(ou) serviços; realizar intervenções conservativas e(ou) restaurativas de bens culturais e acervos sob a gestão do Iphan; elaborar termos de referência, projetos e editais; fiscalizar contratos, convênios e instrumentos congêneres e outras atividades compatíveis com as atribuições profissionais e competências institucionais.

 

Atribuições do analista no concurso do Iphan


Desenvolver atividades de nível superior, de complexidade e responsabilidade elevadas que compreendam o assessoramento especializado voltado para a gestão dos processos relativos à salvaguarda e à preservação do patrimônio cultural; acompanhar e se manifestar em processos relacionados a políticas intersetoriais e temáticas transversais ao patrimônio cultural; desenvolver e participar das atividades de articulação e mobilização social necessárias às ações institucionais; participar em conselhos representativos, comissões, grupos e equipes de trabalho de interesse da administração; elaborar e analisar orçamentos; executar atividades de gestão administrativa, orçamentária e financeira; acompanhar e fiscalizar projetos e(ou) serviços; elaborar termos de referência, projetos e editais; fiscalizar contratos, convênios e instrumentos congêneres; e outras atividades compatíveis com as atribuições profissionais e competências institucionais.

 

Conteúdo programático parcial para o concurso do Iphan

 

Língua portuguesa - 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. 4 Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1 Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e de outros elementos de sequenciação textual. 4.2 Emprego de tempos e modos verbais. 5 Domínio da estrutura morfossintática do período. 5.1 Emprego das classes de palavras. 5.2 Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.3 Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.4 Emprego dos sinais de pontuação. 5.5 Concordância verbal e nominal. 5.6 Regência verbal e nominal. 5.7 Emprego do sinal indicativo de crase. 5.8 Colocação dos pronomes átonos. 6 Reescrita de frases e parágrafos do texto. 6.1 Significação das palavras. 6.2 Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.3 Reorganização da estrutura de orações e de períodos do texto. 6.4 Reescrita de textos de diferentes gêneros e níveis de formalidade.

 

Fundamentos da preservação do patrimônio cultura - Noções sobre história política, econômica e social do Brasil. 1.1 Noções sobre história e institucionalização do patrimônio cultural no Brasil e no mundo, com ênfase na trajetória do IPHAN. 2 Marcos internacionais da preservação: Convenção relativa à Proteção do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural (1972); Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial (2003). 3 Legislação brasileira sobre preservação de bens culturais. 3.1 Constituição Federal (artigos 20, 23, 24, 30, 215 e 216). 3.2 Decreto-Lei nº 25/1937, e suas alterações. 3.3 Lei nº 3.924/1961. 3.4 Lei nº 11.483/2007, e suas alterações (art. 9º). 3.5 Decreto nº 3.551/2000. 3.6 Decreto nº 9.238/2017. 4 Legislação aplicada ao patrimônio cultural. 4.1 Portaria IPHAN nº 187/2010; Portaria IPHAN nº 420/2010; Portaria IPHAN nº 127/2009; Portaria IPHAN nº 137/2016.

 

Noções de gestão e administração pública - 2.1 Princípios e normas referentes à administração direta e indireta. 2.2 Lei nº 8.666/1993, e suas alterações (Licitações e contratos administrativos). 3 Legislação administrativa. 3.1 Lei nº 8.112/1990, e suas alterações. 3.2 Lei nº 9.784/1999, e suas alterações (Processo Administrativo). 3.3 Lei nº 12.527/2011 (Lei de acesso à informação). 3.4 Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal, instituído pelo Decreto nº 1.171/1994, e suas alterações. 4 Gestão de pessoas no setor público. 4 Gestão de processos. 4.1 Conceitos da abordagem por processos. 4.2 Técnicas de mapeamento, análise e melhoria de processos.

 

Atualidades - (somente para a prova discursiva): 1 Tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como: política, economia, sociedade, educação, cultura, desenvolvimento sustentável e meio ambiente, relacionados ao patrimônio cultural.

 

Confira o conteúdo programático completo para o concurso do Iphan 2018

Continuar lendo

Atualizado: 20/08/2018 - 07:47

MPU assina contrato com banca do novo concurso

Oportunidades do concurso MPU 2018 serão destinadas a candidatos de níveis médio e superior. Cargos de técnico e analista apresentam salários iniciais de até R$ 10,1 mil

Edital iminente

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Mais um passo para a realização do aguardado concurso MPU (concurso público do Ministério Público da União) para técnico e analista. Após anunciar a escolha do Cebraspe (Cespe/UnB), como organizadora do certame, o órgão divulgou, nesta segunda-feira, 20 de agosto, por meio de publicação em diário oficial, a assinatura do contrato com a empresa. Com isto, o próximo passo é a publicação do edital do concurso MPU 2018, o que deve ocorrer nas próximas semanas. Resta apenas ao órgão concluir o concurso interno de remoção, para que possam ser pontuadas as vagas que permanecerão em aberto para o concurso. O próprio secretário-geral do MPU, Alexandre Camanho, havia anunciado a intenção de publicar o edital em outubro, mas com a assinatura do contrato, a tendência é de que a liberação seja antecipada e ocorra nas próximas semanas, provavelmente até meados de setembro. .

O concurso público MPU terá oportunidades para as carreiras de analistas e técnicos administrativos. A tendência é de que sejam oferecidas oportunidades de analistas em direito e, no caso de técnicos, além da área administrativa, possivelmente também para a especialidade de segurança. 

No dia 15 de agosto foi publicado o edital do concurso interno de remoção do MPU. Normalmente, este processo ocorre antes de algum novo concurso público, pois possibilita que servidores já em atividade possam efetuar eventuais transferências de locais de trabalho, permitindo, assim, pontuar as vagas que serão oferecidas na seleção de ingresso. De acordo com informações divulgadas pelo próprio MPU, em geral, o concurso deverá ser basicamente para formar cadastro reserva de pessoal, no sentido de suprir eventuais necessidades que forem surgindo durante o prazo de validade

• CURSO ONLINE TÉCNICO E ANALISTA DO MPU 2018
• APOSTILAS CONCURSO MPU 2018 - TÉCNICO E ANALISTA

A contratação da empresa reforça a recente decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de liberar a utilização do valor recolhido pelas taxas, no sentido de custear o concurso. Inicialmente, em decisão divulgada em 18 de julho, o Tribunal havia advertido que  o concurso deveria contar com previsão orçamentárias para ocorrer. No entanto, novo parecer divulgado pelo TCU atesta que o MPU pode solicitar crédito especial, tendo como justificativa a utilização do valor da taxa. A decisão foi publicada no diário oficial de 27 de julho.

O item 9.2.5 do documento publicado em diário oficial diz o seguinte: " é possível editar créditos suplementares ou especiais para fazer frente às despesas com a realização de concursos para o provimento de cargos públicos decorrentes de vagas não onerosas, lastreados na arrecadãção das taxas de inscrição, que somente poderão ser executados na medida da efetiva arrecadação da receita que lhe confere lastro"

Com isto, o MPU agora deve recorrer à Secretaria de Orçamento Federal, ligada ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), no sentido de solicitar o crédito especial, com base no parecer do TCU.  

Além disso, o órgão possui outras opções que ainda permitem agilizar a contratação de pessoal. A primeira é incluir os custos no orçamento de 2019, que ainda não foi votado. O MPU também pode requerer crédito suplementar ao governo. Outra opção é requerer  orçamento junto aos quatro ramos do órgão, que são o Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público Militar (MPM) e Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). 

O MPU divulgou, em agosto de 2017, a portaria 84, que fixa as atribuições e requisitos das carreiras de analistas e técnicos, que serão oferecidas no certame. 

Para concorrer ao cargo de técnico basta possuir ensino médio, com remuneração inicial de R$ 6.862,73. No caso de analista, com necessidade de nível superior, o salário corresponde a R$ 11.259,81.

 

Concurso MPU 2018: Melhorias salariais


É importante ressaltar que as carreiras contarão com mais dois reajustes salariais nos próximos meses. No caso de técnico, os valores básicos passarão a ser de  R$ 7.080,21 em novembro e R$ 7.591,37 em janeiro de 2019.

Para o analista, R$ 11.616,61 em novembro  e R$ 12.455,30 em janeiro de 2019.

A comissão do concurso do MPU, instituída dede março de 2017, é presidida pelo servidor Blal Yassine Dalloul e conta, ainda, com os seguintes participantes: Eloá Todarelli Junqueira, Denise Costa Recedive, Sandra Roberta de Souza Oliveira, Tatiane Diniz da Silva e Rayza Madlum de Paula.

 

Concurso MPU: Atribuições dos cargos

   De acordo com a portaria, as atribuições do técnico são as seguintes: Auxiliar, dentro ou fora do ambiente da sede de trabalho, os membros e as chefias em processos judiciais e administrativos e em procedimentos extrajudiciais; atuar em processos judiciais e administrativos e em procedimentos extrajudiciais; auxiliar os membros e as chefias em eventos oficiais, audiências e diligências; elaborar e analisar informações, certidões, declarações, relatórios e documentos congêneres; elaborar minutas de atos administrativos e normativos; atuar em planos, programas, projetos e convênios; atuar na gestão de contratos quando formalmente designado; realizar estudos, pesquisas e levantamentos de dados; participar de reuniões, comissões, grupos e equipes de trabalho; participar do planejamento estratégico institucional e dos planos da sua unidade de atuação; observar e zelar pela segurança institucional no âmbito de sua área de atuação; atender o público interno e externo por telefone, correio eletrônico ou presencialmente; prestar informações sobre a localização e tramitação de processos e documentos; orientar quanto à aplicação das normas internas ou de sua área de atuação; contribuir para a melhoria contínua dos processos e rotinas de trabalho; orientar e supervisionar estagiários e aprendizes; inserir dados e utilizar os sistemas de informação corporativos; observar e zelar pelo cumprimento dos prazos; realizar tarefas de expediente; realizar atividades relativas à instrução, tramitação e movimentação de processos, procedimentos e documentos; manter e controlar o arquivo setorial; e executar demais atividades necessárias ao desempenho do cargo ou outras que eventualmente venham a ser determinadas pela autoridade competente, sempre respeitando, quando for o caso, os limites impostos pelos órgãos de classe    

Para os técnicos em administração: Auxiliar na prática de atos em processos judiciais e na instrução e acompanhamento de processos administrativos e procedimentos extrajudiciais; desempenhar atividades de apoio técnico-administrativo; atuar na elaboração, execução e avaliação de planos, programas e projetos; realizar atividades, estudos, pesquisas e levantamentos de dados inerentes às atividades de suporte administrativo do órgão, dentre elas, as relacionadas a orçamento, finanças e controle interno; atuar na fiscalização, instrução e acompanhamento de contratos e convênios; atuar nas atividades de compras e de contratação de bens e serviços; registrar e controlar dados e informações cadastrais; emitir certidões, declarações e atestados; expedir e/ou anexar documentos e correspondências oficiais; elaborar atas, estatísticas setoriais e minutas de expedientes e de atos; organizar eventos, ações e atividades institucionais; preparar malotes; publicar documentos oficiais; realizar atividades de gestão de bens materiais e patrimoniais; realizar diligências; realizar serviços técnicos e especializados; manter atualizado o conteúdo de páginas virtuais na internet e na intranet; e analisar a conformidade documental.   Para analista: Assessorar, dentro ou fora do ambiente da sede de trabalho, os membros e as chefias em processos judiciais e administrativos e em procedimentos extrajudiciais; atuar em processos judiciais e administrativos e em procedimentos extrajudiciais; assessorar os membros e as chefias em eventos oficiais, audiências e diligências; realizar avaliações e vistorias; realizar perícias quando formalmente designado pelo órgão competente; acompanhar o desenvolvimento de trabalhos periciais; realizar estudos, pesquisas e levantamentos de dados; elaborar e analisar informações, certidões, declarações, laudos, pareceres, relatórios e documentos congêneres; elaborar minutas de atos administrativos e normativos; propor planos, projetos, programas, diretrizes e políticas de atuação; atuar em planos, programas, projetos e convênios; atuar na gestão de contratos quando formalmente designado; participar de reuniões, comissões, grupos e equipes de trabalho; participar do planejamento estratégico institucional e dos planos da sua unidade de atuação; observar e zelar pela segurança institucional no âmbito de sua área de atuação; atender o público interno e externo por telefone, correio eletrônico ou presencialmente; prestar informações sobre a localização e tramitação de processos e documentos; orientar quanto à aplicação das normas internas ou da sua área de atuação; contribuir para a melhoria contínua dos processos e rotinas de trabalho; orientar e supervisionar estagiários e aprendizes; inserir dados e utilizar os sistemas de informação corporativos; observar e zelar pelo cumprimento dos prazos; realizar tarefas de expediente; realizar atividades relativas à instrução, tramitação e movimentação de processos, procedimentos e documentos; manter e controlar o arquivo setorial; e executar demais atividades necessárias ao desempenho do cargo ou outras que eventualmente venham a ser determinadas pela autoridade competente, sempre respeitando, quando for o caso, os limites impostos pelos órgãos de classe.   Para analistas em direito: Assessorar os membros e chefias na coordenação e supervisão das atividades de processos judiciais e administrativos e de procedimentos extrajudiciais; planejar e executar tarefas relativas à análise jurídica de atos, documentos, processos judiciais e administrativos e de procedimentos extrajudiciais, produzindo os atos e documentos pertinentes; elaborar minutas de petições, denúncias, recursos, acordos judiciais ou extrajudiciais, termos de ajustamento de conduta, decisões, despachos, pareceres, notas técnicas, notificações, votos e atos congêneres, bem como manifestações jurídicas para subsidiar decisão administrativa; receber, analisar, acompanhar e dar andamento a processos e a outros documentos; auxiliar na instrução de processos, procedimentos e inquéritos civis e analisar inquéritos policiais; controlar prazos prescricionais; proceder à oitiva de vítimas, testemunhas e quaisquer outras pessoas que possam, direta ou indiretamente, colaborar com a instrução processual, reduzindo a termo suas declarações; realizar análise prévia e triagem de representações, denúncias, processos e procedimentos; realizar pesquisa, seleção, indexação e estudo de legislação, doutrina e jurisprudência; acompanhar a atualização legislativa; observar os prazos processuais e de conclusão de investigações; conferir atos e andamentos processuais; providenciar o cumprimento de decisões e despachos; atuar na manualização de processos e na elaboração de instrumentos normativos; e acompanhar a tramitação de processos judiciais e administrativos e de procedimentos extrajudiciais Último concurso do MPU.  

MPU: concurso anterior de técnico e analista


No concurso MPU de 2013, o edital contou com 263 vagas para níveis médio e superior. As oportunidades foram para os cargos de técnico do MPU, técnico administrativo com especialidade em tecnologia da informação e comunicação, técnico em saúde – enfermagem e técnico na área de saúde – saúde bucal.

No caso de analista, as opções foram para analista do MPU, analista técnico-administrativo – especialidade arquivologia, analista técnico administrativo – biblioteconomia, analista na área técnico administrativa – comunicação social, analista na área técnico administrativa – educação, analista técnico administrativo – estatística, analista na área técnico especializado – finanças e controle, analista técnico especializado – gestão pública, analista técnico especializado - planejamento e orçamento, analista na área de clínica médica, analista área de medicina – psiquiatria, analista de perícia – (antropologia, arquitetura, contabilidade, perícia, economia, engenharia agronômica, engenharia ambiental, engenharia civil, engenharia segurança do trabalho, engenharia elétrica, engenharia florestal, engenharia mecânica, engenharia sanitária, geografia, medicina, medicina do trabalho, oceanografia) analista de saúde – enfermagem, analista de saúde – odontologia, analista de saúde – psicologia, analista de saúde – serviço social, analista de tecnologia da informação e comunicação – desenvolvimento de sistemas e analista na área de tecnologia da informação e comunicação – suporte e infraestrutura.

Na ocasião, o edital concurso MPU contou com oportunidades para o Distrito Federal e Eestados de Pernambuco, São Paulo, Amazonas, Rondônia, Maranhão, Pará, Rio Grande do Sul, Acre, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais,Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Alagoas, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba e Tocantins.

A banca que publicou o edital na ocasião foi o Cespe/UnB.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 


Ads

Quer agarrar uma vaga no MPU?

Para alcançar a aprovação em um dos concursos mais disputados do país, você precisa ser Imparável! Confira os cursos completos com PDFs, videoaulas e orientação de estudos para você! 


 

 

Continuar lendo

Atualizado: 16/08/2018 - 13:35

IGH GO publica edital de concurso com 438 vagas

Presenciais e gratuitas, inscrições serão recebidas nos dias 20 e 21 de agosto. Salários chegam a R$ 8,2 mil

Todos os níveis

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O Instituto de Gestão e Humanização (IGH) recebe nos dias 20 e 21 de agosto as inscrições para o processo seletivo destinado a preencher 438 vagas, entre efetivas e cadastro reserva, em unidades de saúde na Grande Goiânia. 

 

Com salários que variam de R$ 1.013 a R$ 8.211,82, as chances estão distribuídas entre a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), o Hospital Materno Infantil (HMI) e o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (HUAPA). 

 

Ensino fundamental habilita para as carreiras de auxiliar de cozinha, auxiliar de serviços gerais, auxiliar operacional, confeiteiro, copeiro, cozinheiro e lactarista. 

 

Os cargos de nível médio são para assistente de faturamento, auxiliar administrativo, auxiliar de farmácia, auxiliar de lavanderia, auxiliar de patrimônio, maqueiro e recepcionista.

 

Além de segundo grau, o concurso requer formação técnica para técnico instrumentador cirúrgico, técnico de enfermagem, técnico de laboratório, técnico de nutrição, técnico de enfermagem do trabalho e técnico de segurança do trabalho.

 

Ensino superior é requisito para analista administrativo, analista de departamento pessoa, analista de infraestrutura, analista de qualidade, analista de recursos humanos, analista de software, analista fiscal, biomédico, enfermeiro, enfermeiro do trabalho, farmacêutico, faturista, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, médico do trabalho, médico ginecologista, médico intensivista, médico obstetra, médico pediatra e ouvidor. 

 

Já as funções de assistente administrativo, assistente de departamento pessoa e assistente de recursos humanos podem ser disputadas por profissionais com graduação em andamento. 

 

 

Inscrição e etapas

 

 

Para se inscrever, os interessados deverão preencher formulário de cadastro (disponível para impressão em www.igh.or.br) e entregá-lo presencialmente no Escritório Regional de Goiás (avenida Perimetral, quadra 37, nº 1.650, em Goiânia), das 8h às 15h. Não haverá cobrança de taxa.  

 

A seleção envolverá quatro etapas: análise documental e curricular, de 22 a 24 de agosto; entrevista, entre 30 de agosto e 5 de setembro; teste psicológico, em 10 de setembro; e avaliação técnica (apenas para técnico de enfermagem, enfermeiro e maqueiro), em 12, 13 e 14 de setembro. A divulgação do resultado final está prevista para 18 de setembro, de acordo com o edital.   
 

Continuar lendo

Atualizado: 14/08/2018 - 11:01

Cachoeira Dourada GO realiza concurso para quatro cargos

Edital tem vagas para carreiras que exigem níveis fundamental e médio de ensino. Os salários iniciais chegam ao valor de R$ 2,1 mil

Câmara Municipal

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

A Câmara Municipal de Cachoeira Dourada, no Estado de Goiás, promove concurso público que visa a preencher cinco vagas imediatas em seu quadro de pessoal. Tais oportunidades estão distribuídas entre quatro carreiras.

Quem possui ensino fundamental pode concorrer às duas chances abertas para o cargo de agente de apoio básico. O órgão oferece uma remuneração inicial de R$ 1.100 para o servidor que ocupar a posição.

Profissionais que concluíram o nível médio estão aptos para as colocações de secretária geral (1 vaga), técnico legislativo - administração funcional e recursos humanos (1) e técnico legislativo - protocolo, arquivo e pesquisa legislativa (1). O salário corresponde a R$ 2.100 para secretária e R$ 1.800 para técnico.

Consta no edital do concurso que os candidatos serão contratados pelo regime estatutário, conforme a lei municipal 763/2017, e que deverão cumprir jornadas de trabalho de 40 horas por semana.

Outras informações

As inscrições ficarão abertas no período de 20 de agosto a 20 de setembro no endereço eletrônico da Fesg Concursos (concursos.fesg.org.br), a banca organizadora do certame. O cadastro será efetivado após o pagamento de uma taxa que custa entre R$ 33 e R$ 63.

Todos os participantes passarão por um teste objetivo com 50 questões de múltipla escolha sobre conhecimentos gerais, língua portuguesa, matemática e conhecimentos específicos. A prova está agendada para 11 de novembro, em locais e horários a serem revelados oportunamente no site da organizadora.

Atribuições dos cargos

Agente de apoio básico - Executar a limpeza das dependências da câmara, inclusive dos gabinetes, das secretarias e do Plenário; preparar e servir cafés e lanches aos vereadores e servidores; servir café e água aos visitantes quando solicitado; manter a cantina higiênica e em boas condições de uso; assessorar e assistir o (a) presidente, demais vereadores (as) e aos demais servidores, inclusive nas reuniões da câmara; entre outras atividades.

Secretária geral - Elaborar ata resumida das sessões, na forma regimental, e transcrever pronunciamentos quando solicitado; elaborar ata resumida, ou na íntegra quando solicitado, das reuniões das comissões permanentes e temporárias e das audiências públicas; redigir e digitar ofícios oriundos de requerimentos e de pedidos de informações, e controlar o prazo de envio de respostas a estes; elaborar a pauta de requerimento e de pedidos de informações a serem apreciados nas sessões; registrar no sistema informatizado da câmara os despachos dados aos requerimentos, pedidos de informações, votos de pesar e justificativas de ausência; entre outras atividades.

Técnico legislativo/administração funcional e recursos humanos - Manter atualizado cadastro de informações funcionais e outros dados relativos a servidores, vereadores e funcionários terceirizados; elaborar relatórios de frequência de servidores e funcionários terceirizados e proceder ao controle dos períodos de férias; elaborar a folha de pagamentos dos vereadores e dos servidores, a ficha financeira e os relatórios mensais e anuais, de acordo coma legislação vigente; entre outras atividades.

Técnico legislativo/protocolo, arquivo e pesquisa legislativa - Receber, conferir e protocolar expedientes internos e externos que deem entrada na câmara municipal, dando-lhes o devido destino; protocolar e expedir a correspondência oficial da câmara; classificar documentos, arquivá-los e prepará-los para a microfilmagem; controlar os arquivos corrente, intermediários e permanente, determinando prazos de guarda e destino dos documentos, com base em avaliação dos valores legal e histórico; entre outras atividades.
 

Continuar lendo

Atualizado: 14/08/2018 - 10:53

PRF: portaria pode agilizar concurso para 500 vagas

Ministro Jungmann não chegou a dizer que o edital da PRF "já pode ser divulgado", como publicado em outros veículos de comunicação

Edital ainda este mês

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, divulgou, por meio de publicação em diário oficial, nesta terça-feira, 14 de agosto, a portaria 122, de 13 de agosto, que delega ao diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Renato Dias, a competência sobre os procedimentos para a realização do aguardado concurso público para o preenchimento de 500 vagas para o cargo de policial rodoviário. O documento pode agilizar a publicação do edital, uma vez que dá maior autonomia ao órgão, no sentido de tomar as medidas necessárias para dar início ao certame. A intenção da PRF é publicar o documento já nos próximos dias, ainda em agosto. Mas para isto ainda precisa definir o nome da banca organizadora, o que pode ocorrer a qualquer momento.

Ao contrário do que foi divulgado em outros órgãos de comunicação, Jungmann não fez qualquer tipo de declaração, dizendo que o edital já pode ser publicado, apenas liberou a portaria que delega poderes ao órgão para que tome as providências necessárias para agilizar o certame.

É preciso lembrar que a PRF já conta com uma minuta de edital pronta, que vem sendo elaborada desde o final de 2016, com o objetivo de permitir que o concurso fosse iniciado imediatamente após autorizado. A autorização, publicada em 27 de julho, determina um prazo de até seis meses para a publicação do edital, ou seja, até 27 de janeiro.Porém, o órgão não deve aguardar este limite para iniciar o certame, tendo em vista que a intenção inicial do ministro da segurança era publicar o documento em junho, o que somente não foi possível em decorrência do impasse pelo aumento da oferta, que acabou atrasando a autorização do MPDG. 


De qualquer forma, o quantitativo não deve suprir as necessidades do órgão. De cordo com o diretor-geral da PRF, Renato Dias, a PRF precisa de 3.000 novos servidores, que podem ser convocados pelo aproveitamento de remanescentes do novo certame, independente da oferta imediata de 500 vagas. O motivo é que, somente em 2018, aproximadamente 2.000 servidores deverão se aposentar.

 

APOSTILA CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL

CURSO CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL 

APOSTILA CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO

A liberação para o novo concurso da PRF está relacionada ao principal objetivo do novo ministério, criado por Medida Provisória em 27 de fevereiro. No entendimento do governo, a pasta será responsável por coordenar e promover o combate à criminalidade em parceria com os Estados.

Jungmann responde pelo comando da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal (que também teve concurso autorizado para 500 vagas), Força Nacional e pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), antes vinculados ao Ministério da Justiça.

 

Avanços do concurso no Planejamento e falta de pessoal na PRF

 

O próprio diretor-geral da PRF, em declaração à imprensa, em dezembro, confirmou que a corporação pode entrar em colapso caso o concurso não seja realizado no decorrer de 2018. Segundo ele, a carência de pessoal, que atualmente é de 2.800 policiais, deve chegar a 4.800 até o final de 2018, e decorrência de aposentadorias, o que reforça a necessidade de nova seleção para recompor o efetivo, o quanto antes. Ele ressalta que estão previstas 2.053 aposentadorias no decorrer do ano.

Além de prejudicar as atividades operacionais, a falta de pessoal deve acarretar o fechamento de 124 postos no país, caso o concurso não seja realizado, prejudicando aproximadamente 400 municípios, com a suspensão de policiamento em 18 mil quilômetros de rodovias.

De acordo com a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais ( FenaPRF) o órgão tem pretensão de formar quatro novas turmas ainda em 2018. A PRF argumentou em seu pedido que nos últimos quatro anos uma grande quantidade de servidores se aposentou o que deixou uma lacuna de quase 3.000 postos e que isso tem prejudicado a segurança nas rodovias.

No mesmo memorando encaminhado ao Planejamento, foi sugerido que seja autorizado um concurso público sempre que o número de postos vagos exceder a 5% dos respectivos cargos ou com menor número, de acordo com a necessidade e critério do Ministério da Justiça.

 

Concurso PRF: sobre o cargo de policial rodoviário

Para concorrer ao cargo de policial rodoviário é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A jornada de trabalho dos servidores é de 40 horas semanais.

A remuneração inicial da é de R$ 9.931,57, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

Além disso, de acordo com a lei 13.371, sancionada pelo presidente Michel Temer em 2016, os servidores contarão com mais um reajuste, em janeiro de 2019, quando o salário passará a ser de R$ 10.357,88, também com o benefício.

 

Concurso PRF:  atribuições do policial rodoviário

 

Cabe ao servidor da área desenvolver atividades de natureza policial, envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

 

Último concurso da PRF

 

O último concurso da PRF para o cargo de policial rodoviário ocorreu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB. Ao todo foram registrados 109.769 inscritos para a oferta de 1.000 vagas. A seleção contou com prova objetiva, exame discursivo, teste de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.

A parte objetiva contou com 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Conhecimentos básicos contou com temas sobre língua portuguesa, matemática, noções de direito constitucional, ética no serviço público e noções de informática. Já em conhecimentos específicos, noções de direito administrativo, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação especial, direitos humanos e cidadania, legislação relativa ao DPRF e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.

 


Ads

Vagas na Polícia Rodoviária Federal

A PRF solicitou 2.778 vagas. Agora só falta a autorização do concurso. Antecipe seus estudos e garanta sua vaga com quem é especialista em aprovação. Passa aqui e aumente suas chances.


 

Continuar lendo

Atualizado: 13/08/2018 - 09:18

Concurso PF: provas foram remarcadas para 16 de setembro

O edital de convocação, contendo os locais e horários das avaliações, será divulgado na data provável de 6 de setembro no site da banca.

Salário até R$ 23,1 mil

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

A reabertura das inscrições para cotistas ao cargo de perito - o prazo foi encerrado na última segunda (13) - obrigou a Polícia Federal (PF) a remarcar a aplicação das provas objetiva e discursiva para todas as carreiras, que inicialmente estava prevista para 19 de agosto. O exame foi adiado para 16 de setembro. 

O edital de convocação, contendo os locais e horários das avaliações, será divulgado na data provável de 6 de setembro no site da banca. 

A avaliação objetiva será constituída de 120 itens para julgamento, cada um deles sendo certo ou errado. Já a discursiva contará com a elaboração de texto dissertativo, de até 30 linhas, exceto para o cargo de delegado, cuja prova será a elaboração de peça profissional.

O concurso da PF ainda contará com as seguintes etapas sob responsabilidade do Cebraspe: exame de aptidão física para todos os cargos, de caráter eliminatório; prova oral para delegado, eliminatória e classificatória; prova prática de digitação para escrivão, eliminatória; avaliações médica e psicológica para todos os cargos, eliminatória; análise de títulos para delegado e perito, unicamente classificatória. 

O curso de formação profissional, de caráter eliminatório, será de responsabilidade da Academia Nacional de Polícia, a ser realizado no Distrito Federal, podendo ser desenvolvidas atividades, a critério da administração, em qualquer unidade da Federação. A ordem de classificação obtida no curso será rigorosamente obedecida para efeitos de escolha de lotação para todos os candidatos.

A aplicação das provas do concurso da PF costuma ser feita em todas as capitais, exceto o exame oral, que ocorre somente em Brasília/DF.

Ao todo, a seleção disponibiliza 500 vagas, sendo 150 para delegado, 60 para perito criminal, 80 para escrivão, 30 para papiloscopista e 180 para agente.

APOSTILAS CONCURSO PF 2018 - AGENTE / ESCRIVÃO / PAPILOSCOPISTA / PERITO 
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - PERITO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - ESCRIVÃO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - AGENTE 
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - DELEGADO

Cargos do concurso da PF 2018

Para concorrer aos cargos de agente, papiloscopista e escrivão basta possuir curso de nível superior em qualquer área de formação. Para delegado, a exigência do concurso da PF é de diploma, devidamente registrado, de bacharel em direito e, no mínimo, três anos de atividade jurídica ou policial comprovados na data da posse.Por fim, o posto de perito requer nível superior nas áreas de ciências contábeis, ciências econômicas, engenharia elétrica, engenharia eletrônica, engenharia de telecomunicações, engenharia de redes de comunicação, análise de sistemas, ciências da computação, engenharia da computação, informática, engenharia agronômica, geologia, engenharia química, química industrial, química, engenharia civil, engenharia florestal, medicina ou farmácia.

Para todos os empregos, os aprovados também deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse. 

Para os cargos de agente, papiloscopista e escrivão, a remuneração atual é de R$ 12.441, 26, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. Além disso, as duas categorias contarão com reajuste em janeiro de 2019, subindo para R$ 12.980,50.

Para perito e delegado, o inicial atualmente é de R$ 23.130,48, mas contará com reajuste em janeiro de 2019, quando passará para R$ 24.150,74.

Para todos os cargos, a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Normalmente, a lotação do concurso da PF é feita preferencialmente nos postos de fronteira e nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de pessoal nestas localidades. Obedecidas estas condições, o preenchimento pode ser feito em todos os estados, de acordo com as necessidades. 

Progressão na PF

Para os agentes, papiloscopistas e escrivães, na segunda classe, as remunerações, com o benefício, são de R$ 12.940,69 em 2018, indo para R$ 13.502,41 em janeiro de 2019. Para a primeira classe, R$ 15.067,83 em 2018, indo para R$ 15.725,27 em 2019. Na classe especial, R$ 18.306,60 em 2018, mudando para R$ 19.109,79 em 2019.

Para perito e delegado, na segunda categoria, R$ 23.710,07 em 2018, indo para R$ 24.756,42 em 2019. Na primeira, R$ 27.105,60 em 2018, indo para  R$ 28.304,74 em 2019. Finalmente, na classe especial, R$ 30.062,70 em 2018, indo para  R$ 31.394,91 em 2019.

APOSTILAS CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - AGENTE

Mudanças na carreira

Além da possibilidade de reestruturação na carreira, já  tramita, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal, a proposta de emenda à constituição 73/2013, que prevê a união das atividades dos cargos de perito, escrivão, papiloscopista e delegado dentro de uma nova carreira, chamada de servidor policial federal. De acordo com a proposta, caso aprovada, os candidatos passarão a prestar concurso público unificado e seriam lotados nas unidades da PF de acordo com suas habilidades e áreas de formação. 

O texto prevê a possibilidade de crescimento dentro da carreira unificada, por meio de promoção e progressão funcional, a serem estabelecidas por lei.

De acordo com o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), relator da matéria, a carreira única é a forma em que estão estruturadas as instituições policiais de referência no mundo, como o Federal Bureau of Investigation (FBI) e a própria Polícia Rodoviária Federal (PRF). Caso aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça, a proposta já poderá ser encaminhada para votação em plenário, em dois turnos.

 

Carência de servidores na PF


Mesmo com a perspectiva de novos concursos, a carência de pessoal da PF é considerada muito grande que a perspectiva de vagas. De acordo com dados apontados pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Antônio de Araújo Boudens, durante o Fórum Nacional dos Concursos Públicos, realizado em 2017, a corporação conta com uma necessidade de nada menos do que 13.300 servidores. Além disso, segundo ele, caso o concurso para delegados não seja realizado o quanto antes, a carência de pessoal para o cargo pode chegar a 800 servidores nos próximos anos em decorrência de 400 aposentadorias previstas.  

Prepare-se para o concurso da Polícia Federal

O presidente do Fenapref reforça que a maior necessidade na PF é para o cargo de agente que, conta com nada menos do que 6.400 postos em aberto, seguido da área administrativa, com necessidade de 5.300 servidores. Além disso, para escrivães são necessárias 1.200 contratações, além de 400 para papiloscopistas.

De acordo com o sindicalista, o governo cobra a proteção das fronteiras, o que se torna impossível sem que haja um quantitativo de pessoal adequado, bem como investimentos em tecnologia, o que considera impossível com um orçamento decrescente. Além disso, ressalta que o órgão não tem como abrir outras unidades de policiamento pela falta de pessoal para ocupar os respectivos postos. Explica que a PF não abre novas unidades há cinco anos, período no qual apenas foram reformados prédios. “Nenhum gestor tem coragem de abrir novas unidades da Polícia Federal em nenhum local do país, pois não temos efetivos, policiais e servidores administrativos para trabalhar nestas unidades”, diz. "As consequências disso são a não proteção da fronteira e o impedimento do órgão de oferecer um serviço com qualidade".             

Além disso, diz que muitas vezes tem sido divulgado que a Polícia Federal tem feito mais do que fazia antes, o que considera uma mentira. “Nós fazemos menos operações do que fazíamos, mas começamos a chamar de operação aquilo que realmente não é”, diz. “Antes havia um conjunto de ações contra o crime organizado que costumávamos chamar de ações, sempre com uma média de 150 a 200. Hoje qualquer intimação já é chamada de operação. Qualquer ação ordinária é chamada de operação para mascarar a realidade e mostrar que fazemos mais operações do que antes”, diz.

Delegado da Polícia Federal

Boudens aponta que, somente para o cargo de delegado existem, atualmente, 491 vagas em aberto, que a PF tem tentado suprir com a realização do novo concurso. “Isto representa 28% do nosso efetivo, ou seja, um terço do nosso efetivo vago e a consequência é evidente. Como cada delegado poderia fazer umas duas operações por ano, esta realidade representa, no mínimo, 800 operações a menos a cada ano”. Além disso, de acordo com ele, com a reforma da previdência e a possibilidade da extinção do abono de permanência, todo mundo que está com abono de permanência irá se aposentar, bem como aqueles que já possuem condições de pedir aposentadoria. Com isto, de acordo com ele, a perspectiva é de que, em um período de dois ou três anos, mais 400 delegados se aposentem.

A Polícia Federal, de acordo com ele, possui atualmente 180 mil investigações em andamento. “Nem todas as investigações viram ações. Precisamos delimitar as prioridades, mas dentro desta realidade de defasagem de pessoal, nem isto é possível. Por isto, a PF acaba mascarando números e de um total de duas mil por ano, acabamos fazendo aproximadamente 300”.

Dentro de um contexto histórico, diz que em 1978, a PF contava com 500 delegados. Já em 1995, os mesmos 500 delegados. Em 2000, eram 700 delegados no país. “Até então, as principais atividades eram o combate às drogas e garimpo. Mas era uma atividade bastante limitada e uma atuação muito aquém do que poderia ser feito. Em 2001 foi realizado um concurso para 500 delegados, quase dobrando o efetivo. Do concurso até aposse são quase três anos. Isso preocupa, pois como temos quase 400 que podem se aposentar nos próximos anos, se abrir um concurso hoje,ficaríamos com 800 vagas em aberto. Hoje temos 1.717 delegados em atividade. Tivemos concurso em 2001 e 2004 para mais 500 cada, dobrando o efetivo. Mas em 2009, o quadro foi congelado, quando estava com 1.852. Agora estamos em um processo de desmonte”, diz. “Em 2018 devemos voltar ater o efetivo que possuíamos em 2003”, reforça.

Administrativos

Já no quadro administrativo, diz que em 2004 o efetivo foi aumentado. “No FBI, por exemplo, para cada policial existem de seis a sete administrativos. No Brasil é o contrário. Em 2004 o efetivo cresceu, mas depois não foram feitos novos concursos e a PF passou a terceirizar as ações em aeroportos, o que não deu certo. Acabaram as terceirizações,mas não foram repostos os administrativos. Hoje, nosso quadro de administrativos é menor do que o de 2004, ao passo que as atribuições da PF aumentaram”. De acordo com ele, em 2014 aumentou um pouco pela substituição de alguns terceirizados.

Autonomia

O sindicalista ressalta, ainda, que a Polícia Federal conta com decreto de 2014 que permite a realização de concurso sem autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) sempre que a carência de pessoal chegar a 5% do quadro. Porém, diz que, na prática, o decreto não está funcionando, uma vez que para isto é preciso ter orçamento, atestado pelo MPOG. “Não adianta ter autorização para fazer o concurso se não há orçamento para isto”. A solução, segundo ele, seria conquistar a autonomia do órgão. Para isto, já existe, segundo ele, uma campanha neste sentido, desde dezembro de 2015. “Sem a autonomia, não conseguimos avançar. Nós sabemos que, muitas vezes, a Polícia Federal tem por ação investigar atos de desvios praticados por membros do governo. Por isto existe, sim, resistência por parte de grupos no poder, no sentido de controlar as atividades da Polícia Federal e não existe, em nenhum lugar no mundo, uma instituição que tenha por finalidade investigar os atos do governo que não possua autonomia".

Ressalta, ainda, que um avanço foi a lei 13.047, que determina que a direção da Polícia Federal compete aos delegados. “Com isto, conseguimos evitar que alguém de fora da instituição fosse nomeado para a direção geral e das atividades da PF. Até 2014, qualquer pessoa poderia ser nomeada como diretor da corporação. Mas ainda não conseguimos avançar com o fim dos cargos comissionados, que buscamos trocar por funções comissionadas, ou seja,exclusivas para preenchimentos por funcionários concursados de carreira”.

Últimos concursos da Polícia Federal

Com relação aos novos concursos previstos, para agente o último concurso ocorreu em 2014, quando foram registrados 98.101 inscritos para a oferta de 600 vagas. Para escrivão, a última seleção ocorreu em 2012, com 83.619 inscritos para 350 vagas. Para perito e delegado, os últimos certames ocorreram em 2012, com 35.800 inscritos para a oferta de 100 vagas de perito e 46.633 participantes para 150 postos de delegado.Para todos os cargos, a organizadora foi o Cespe/UnB.

 

Para perito, o concurso da Polícia Federal contou com provas objetivas e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. A parte objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Os aprovados em todas as fases foram submetidos a um curso de formação profissional.
No caso de delegado, o Cespe/UnB formulou provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico,avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso deformação. A parte objetiva contou com 120 questões e a discursiva, com três questões dissertativas e elaboração de peça profissional.
Para perito, as opções foram para áreas de ciências contábeis ou econômicas, engenharia em diversas especialidades, ciências da computação, geologia, química, biomedicina, medicina, odontologia e farmácia.  

5 dicas de processo penal para delegado da PF

1. Estude,desde já, para a prova oral. O concurso conta com prova objetiva, prova discursiva e prova oral. É certo que a prova oral é a última delas,porém, para que você esteja bem preparado para uma prova oral, é necessário controle total da matéria. Logo, foque no controle total, lá na prova oral mesmo. Prepare o material, fale sozinho pela casa, ensine tudo sobre tentativa para seu cachorro. Vá por mim: além de estar mirando acima da maçã, você ainda estará fazendo uso de um dos melhores métodos de estudo.    2. A prova da PF provavelmente será feita pelo Cespe, que merece muitos elogios, pois monta as questões com base nas atribuições do cargo a ser provido – quem dera todas as bancas fizessem assim! Considerando que estamos falando de prova para delegado da Polícia Federal, é óbvio que vão despencar questões sobre inquérito policial, visto que a vida do delegado é tocar inquérito para frente. Para você ter uma ideia, no último concurso para delegado da PF, das 26 questões de processo penal, 15 eram sobre inquérito policial. Essas você não pode errar!   3. Ainda com relação às atribuições do cargo, cuidado com o tema “provas”, principalmente a interceptação telefônica, um meio de prova que é recorrente em concursos públicos.    4. A Operação Lava Jato está na mídia há um bom tempo e uma de suas características mais marcantes é a presença de acordos de delação premiada. Estude este tema!   5. Existem duas “polícias” essencialmente judiciárias no Brasil: Polícia Federal e Polícia Civil. Você sabe que as atribuições da Polícia Civil (estadual)são residuais, mas gigantescas, enquanto as atribuições da Polícia Federal são especiais e bem menores. Isto segue o padrão de todos os órgãos que têm paralelos na seara estadual e federal. Tal padrão se reflete no concurso de um modo muito simples: nas provas de órgãos federais, sempre caem questões sobre suas atribuições/competências. No último concurso, foram quatro questões que tangenciaram este tema.   Rodrigo Sengik, professor de processo penal no AlfaCon Concursos Públicos

 


Ads

Polícia Federal - Acreditamos no seu sonho!

Temos as ferramentas para você mudar de vida. O material certo, feito por um time de profissionais especializados.

 

PREPARE-SE PARA O CONCURSO DA POLICIA FEDERAL 2018

Atualizado: 09/08/2018 - 09:12

Concurso MRE: prova para diplomata será aplicada dia 26

Carreira paga R$ 18 mil e é destinada profissionais com curso superior em qualquer área de conhecimento

26 vagas

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O concurso do Ministério das Relações Exteriores (MRE) para a carreira de diplomata no Instituto Rio Branco tem a prova da primeira fase prevista para 26 de agosto. Estão em disputa 26 vagas, sendo cinco reservadas a negros e duas a pessoas com deficiência.

 

Podem participar da seleção profissionais com diploma de curso superior (em qualquer área) emitido por instituição de ensino credenciada pelo Ministério da Educação (MEC).

 

Com salário inicial de R$ 18.059,83, o cargo de diplomata tem como principais atribuições atividades de representação, negociação, informação e proteção de interesses brasileiros no campo internacional.

 

• CURSO PARA O CONCURSO MRE 2018 - DIPLOMATA

 

As inscrições foram recebidas até 16 de julho, por meio do site www.cespe.unb.br. A taxa de participação custou R$ 230.

 

 

Etapas do concurso do MRE para diplomata 2018

 

 

O concurso para diplomata será iniciado com a aplicação de prova objetiva contendo 73 questões de múltipla escolha, marcada para 26 de agosto. 

 

O conteúdo programático inclui língua portuguesa, língua inglesa, história mundial, história do Brasil, política internacional, geografia, noções de economia e noções de direito e direito internacional público. 

 

A segunda etapa compreenderá exames escritos de língua portuguesa e língua inglesa, previstos para ocorrer em 22 e 23 de setembro, respectivamente. 

 

Na sequência, entre 28 e 30 de setembro, os inscritos no concurso de diplomata serão submetidos a provas escritas sobre história do Brasil, política internacional, geografia, noções de economia, noções de direito e direito internacional público e línguas espanhola e francesa. 

 

A avaliação da primeira etapa ocorrerá nas capitais dos 26 Estados brasileiros e em Brasília. Nas demais fases, haverá aplicação nas cidades onde houver candidatos convocados.

 

O resultado está previsto para ser divulgado em 21 de dezembro. Os aprovados no concurso para diplomata do MRE ingressarão na classe inicial de terceiro secretário e deverão se matricular no curso de formação do Instituto Rio Branco, na capital federal, de acordo com o edital
 

 

Conteúdo programático parcial para o concurso de diplomata 2018

 

 

Língua portuguesa (primeira e segunda fases) - 1 Língua portuguesa: modalidade culta usada contemporaneamente no Brasil. 1.1 Sistema gráfico: ortografia, acentuação e pontuação; legibilidade. 1.2 Morfossintaxe. 1.3 Semântica. 1.4 Vocabulário. 2 Leitura e produção de textos. 2.1 Compreensão, interpretação e análise crítica de textos escritos em língua portuguesa. 2.2 Conhecimentos de linguística, literatura e estilística: funções da linguagem; níveis de linguagem; variação linguística; gêneros e estilos textuais; textos literários e não literários; denotação e conotação; figuras de linguagem; estrutura textual. 2.3 Redação de textos dissertativos dotados de fundamentação conceitual e factual, consistência argumentativa, progressão temática e referencial, coerência, objetividade, precisão, clareza, concisão, coesão textual e correção gramatical. 2.3.1 Defeitos de conteúdo: descontextualização, generalização, simplismo, obviedade, paráfrase, cópia, tautologia, contradição. 2.3.2 Vícios de linguagem e estilo: ruptura de registro linguístico, coloquialismo, barbarismo, anacronismo, rebuscamento, redundância e linguagem estereotipada.


Língua inglesa (primeira e segunda fases) - Primeira Fase: 1 Compreensão de textos escritos em língua inglesa. 2 Itens gramaticais relevantes para compreensão dos conteúdos semânticos. Segunda Fase: 1 Redação em língua inglesa: expressão em nível avançado; domínio da gramática; qualidade e propriedade no emprego da linguagem; organização e desenvolvimento de ideias. 2 Tradução do Inglês para o Português: fidelidade ao texto-fonte; respeito à qualidade e ao registro do texto-fonte; correção morfossintática e lexical. 3 Versão do Português para o Inglês: fidelidade ao texto-fonte; respeito à qualidade e ao registro do texto-fonte; correção morfossintática e lexical. 4 Resumo: capacidade de síntese e de reelaboração em Inglês correto.

 

Política internacional (primeira e terceira fases) - 1 Relações internacionais: conceitos básicos, atores, processos, instituições e principais paradigmas teóricos. 2 A política externa brasileira: evolução desde 1945, principais vertentes e linhas de ação. 3 O Brasil e a América do Sul. 3.1 Integração na América do Sul. 3.2 O MERCOSUL: origens do processo de integração no Cone Sul. 3.3 Objetivos, características e estágio atual de integração. 3.4 A Iniciativa de Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana (IIRSA). 3.5 A União Sul-Americana de Nações: objetivos e estrutura. 3.6 O Conselho de Defesa da América do Sul. 4 A política externa argentina; a Argentina e o Brasil. 5 A política externa norte-americana e relações com o Brasil. 6 Relações do Brasil com os demais países do hemisfério. 7 A Política externa francesa e relações com o Brasil. 8 Política externa inglesa e relações com o Brasil. 9 Política externa alemã e relações com o Brasil. 10 A União Europeia e o Brasil. 11 Política externa russa e relações com o Brasil. 12 A África e o Brasil. 13 A política externa da China, da Índia e do Japão; relações com o Brasil. 14 Oriente Médio: a questão palestina; Síria, Iraque, Irã e outras situações nacionais relevantes. 15 A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. 16 A agenda internacional e o Brasil: 16.1 O multilateralismo de dimensão universal: a ONU; as Conferências Internacionais; os órgãos multilaterais. 16.2 Desenvolvimento. 16.3 Pobreza e ações de combate à fome. 16.4 Meio ambiente. 16.5 Direitos Humanos. 16.6 Comércio internacional e Organização Mundial do Comércio (OMC). 16.7 Sistema financeiro internacional. 16.8 Desarmamento e não-proliferação. 16.9 Conflito étnico, sectário e nacionalismo: os casos do Bálcãs e do Oriente Médio (por exemplo: Síria, Líbano, Iraque). 16.10 Crimes de guerra e crimes contra a humanidade: genocídio, holocausto e a Corte Penal Internacional. 16.11 Políticas de identidade: gênero, raça e religião como vetores da política mundial. 16.12 Terrorismo. 16.13 Narcotráfico. 16.14 A reforma das Nações Unidas. 17 O Brasil e o sistema interamericano. 18 O Brasil e a formação dos blocos econômicos. 19 A dimensão da segurança na política exterior do Brasil. 20 O Brasil e as coalizões internacionais: o G-20, o IBAS e o BRICS. 21 O Brasil e a cooperação sul-sul.

 

Geografia (primeira e terceira fases) -1 História da Geografia. 1.1 Expansão colonial e pensamento geográfico. 1.2 A Geografia moderna e a questão nacional na Europa. 1.3 As principais correntes metodológicas da Geografia. 2 A Geografia da População. 2.1 Distribuição espacial da população no Brasil e no mundo. 2.2 Os grandes movimentos migratórios internacionais e intranacionais. 2.3 Dinâmica populacional e indicadores da qualidade de vida das populações. 3 Geografia Econômica. 3.1 Globalização e divisão internacional do trabalho. 3.2 Formação e estrutura dos blocos econômicos internacionais. 3.3 Energia, logística e reordenamento territorial pós-fordista. 3.4 Disparidades regionais e planejamento no Brasil. 4 Geografia Agrária. 4.1 Distribuição geográfica da agricultura e pecuária mundiais. 4.2 Estruturação e funcionamento do agronegócio no Brasil e no mundo. 4.3 Estrutura fundiária, uso da terra e relações de produção no campo brasileiro. 5 Geografia Urbana. 5.1 Processo de urbanização e formação de redes de cidades. 5.2 Conurbação, metropolização e cidades-mundiais. 5.3 Dinâmica intraurbana das metrópoles brasileiras. 5.4 O papel das cidades médias na modernização do Brasil. 6 Geografia Política. 6.1 Teorias geopolíticas e poder mundial. 6.2 Temas clássicos da Geografia Política: as fronteiras e as formas de apropriação política do espaço. 6.3 Relações Estado e território. 6.4 Formação territorial do Brasil. 7 Geografia e gestão ambiental. 7.1 O meio ambiente nas relações internacionais: avanços conceituais e institucionais. 7.2 Macro divisão natural do espaço brasileiro: biomas, domínios e ecossistemas. 7.3 Política e gestão ambiental no Brasil.
 

Atualizado: 07/08/2018 - 15:46

Concurso IBGE: cresce expectativa para 1.800 vagas

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística encaminhou solicitação para oportunidades nos níveis médio e superior de ensino. Salários de até R$ 8,2 mil

Técnico e analista

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Ainda está em avaliação no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Getão (MPDG) o pedido do novo concurso do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O órgão solicitou autorização para o preenchimento de 1.800 vagas efetivas em seu quadro de pessoal

 O presidente do instituto, Roberto Olinto, já reconheceu diversas vezes a necessidade urgente para a realização deste certame. Ele chegou a ressaltar que "é prioridade absoluta dessa direção concurso e plano de carreira. Sem concurso e sem carreira a história do IBGE pode se encerrar de forma melancólica. A nossa preocupação é comunicar ao Ministério do Planejamento essa situação de forma incisiva. O impacto disso vai trazer sérios danos ao IBGE”.

Em dezembro do ano passado, o instituto solicitou o aval para 1.200 chances de técnico em informações geográficas e estatísticas e outras 600 para a carreira de analista de planejamento, gestão e infraestrutura em informações geográficas e estatísticas.

Atualmente, a solicitação está em trâmite na Divisão de Concursos Públicos do Ministério do Planejamento. Desde que foi encaminhada, ela sofreu várias movimentações dentro da Pasta.

Sobre as carreiras do concurso IBGE 2018

A função de técnico destina-se aos candidatos com certificado de ensino médio emitido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). O salário vigente corresponde a R$ 3.890,87 contando com o vale-alimentação.

Já o posto de analista exige formação superior completa, sendo que diversos cursos são aceitos. Consta na tabela de remuneração dos servidores federais que o vencimento atual é de R$ 8.213,07.

Último concurso IBGE para efetivos

No final de 2015, o órgão lançou dois editais que, juntos, apresentaram um total de 600 oportunidades. A banca organizadora do certame, na ocasião, foi a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Um edital ofereceu 460 chances para a carreira de técnico distribuídas entre diversos Estados. A validade dele encerra no dia 30 de maio de 2018, já contando com a prorrogação.

O outro teve 90 chances para analista e 50 para tecnologista, também com lotação em vários Estados. O prazo dele vai terminar em 14 de junho de 2016, com o acréscimo da prorrogação.

Atualizado: 07/08/2018 - 10:56

Concurso Ibama: aguardada AUTORIZAÇÃO para 1.888 vagas

O Ibama tem o intuito de abrir concurso com oportunidades para técnico e analista, com exigência de níveis médio e superior. Os salários iniciais oferecidos pelo órgão chegam a R$ 7,7 mil

Três cargos

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) ainda analisa o pedido para a realização de novo concurso do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). A solicitação foi enviada recentemente e há uma grande expectativa para que a autorização seja liberada ainda este ano
 
O requerimento encaminhado solicita um total de 1.888 vagas, e não mais 1.529 como anteriormente. De tais oportunidades, 759  são para técnico administrativo, 832 para analista ambiental e 297 para analista administrativo.
 
As carreiras de analista ambiental e analista administrativo do concurso do Ibama exigem nível superior, enquanto a colocação de técnico administrativo aceita profissionais com ensino médio.
 
As remunerações iniciais correspondem a R$ 3.712,72 para técnico e a R$ 7.760,45 para analista. Nesses valores já está incluso o auxílio-alimentação de R$ 458. 
 

Últimos concursos do Ibama para analista


 
A seleção anterior para analista ambiental do Ibama foi aberto em 2012, anunciando uma oferta de 108 vagas, sendo 45 para a área de licenciamento ambiental no Distrito Federal, 15 para licenciamento ambiental no Rio de Janeiro, 27 para monitoramento, regulação, controle, fiscalização e auditoria ambiental no Distrito Federal e 21 para gestão, proteção e controle da qualidade ambiental no Distrito Federal. Ao todo, 16.290 pessoas se inscreveram para o processo seletivo.
 
Já para analista administrativo, o último certame foi realizado em 2013, para preenchimento de 61 postos, distribuídos da seguinte forma: Acre (2 vagas), Amapá (2), Amazonas (3), Bahia (1), Distrito Federal (27), Espírito Santo (1), Maranhão (1), Mato Grosso (3), Mato Grosso do Sul (2), Minas Gerais (2), Pará (2), Paraná (2), Piauí (1), Rio Grande do Sul (1), Rondônia (2), Roraima (2), Santa Catarina (2), São Paulo (1), Sergipe (2) e Tocantins (2). O processo seletivo registrou 43.533 candidatos.
 
Os dois processos seletivos foram organizados pelo Cespe/UnB.

Atualizado: 06/08/2018 - 12:27

PM GO: edital para 2 mil vagas em ajustes finais

Para concorrer ao cargo de soldado da PM de Goiás 2018 é necessário possuir formação superior em qualquer área de formação, com inicial de R$ 1,5 mil

Soldados e cadetes

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PM/GO) 2018 está está em fase de ajustes finais no edital do seu novo concurso público.A liberação do documento depende apenas de alguns acertos que estão sendo feitos em conjunto com a  banca organizadora, que será a Assessoria de Organização em Concursos Públicos (AOCP),  confirmada por meio da programação de desembolso financeiro, desde 2017.  Ao todo serão oferecidas 2 mil vagas, sendo 1.920 para  soldados  e 80 para a carreira de cadete PM. 

A seleção vem sendo aguardada desde 10 de maio de 2017, quando anunciada pelo governador Marconi Perillo, após uma reunião com os secretários da Fazenda, Fernando Navarett, Planejamento, Joaquim Mesquita; Segurança Pública e Administração Penitenciária, Ricardo Balestreri; e da Casa Civil, João Furtado. 

A comissão do certame, constituída em 4 de julho, é formada pelo coronel Silvio Vasconcelos Nunes e tenentes coronéis Walter Caetano Pereira e  Clives Pereira Sanches.

Para concorrer ao cargo de soldado é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, com remuneração inicial de R$ 1.500.

O objetivo do governo é reforçar o quadro de segurança, uma vez que, somados com mais 2.500 soldados de outro concurso em andamento, o quadro contará com um reforço de 4.500 policiais. “Isso vai ser muito importante para garantir segurança pública na capital e em todas as cidades do interior”, disse o governador.


De acordo com o comandante da PM/GO, coronel Divino Alves, a decisão de realizar mais um concurso público “significa que o governo está com a atenção voltada para a Segurança Pública”. Segundo ele “o aporte de 4.500 novos homens na Polícia Militar vai permitir prestar um melhor serviço à população”. Na ocasião, ressaltou que “cuidaremos para que a formação desses novos policiais seja feita de forma descentralizada, nas cidades menores, onde a população anseia pela presença dos policiais”.

Seleção

Quem pretende participar do concurso já pode dar início aos estudos, tendo como base o conteúdo programático da última seleção, iniciada no final de 2016.

O concurso de soldado é composto de provas objetivas e discursivas, testes de aptidão física, avaliações médica e psicológica, análise de vida pregressa e investigação social.
No concurso anterior, a prova objetiva contou com 50 questões, sendo 15 de conhecimentos gerais, com peso um, e 35 de conhecimentos específicos, com peso dois. Em conhecimentos gerais foram abordados temas sobre língua portuguesa e realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica do estado de Goiás.
Já em conhecimentos específicos, sobre noções de direito penal, constitucional, processual penal, administrativo, direito penal militar e legislação extravagante. 

Atualizado: 06/08/2018 - 11:38

Concurso INSS: pedido tem novos avanços no Planejamento

Solicitação encaminhada recentemente ao Ministério do Planejamento é para os cargos de técnico, analista e perito

Níveis médio e superior

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Avançou novamente o pedido do concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), encaminhado este ano ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG). Ao todo, foram solicitadas 10.468 vagas para o seu quadro de pessoal.

As chances requeridas são para os cargos de técnico do seguro social (6.034 vagas), analista do seguro social (2.222) e perito médico previdenciário (2.212). Tais ofertas são para novo certame e a convocação de remanescentes.

Vale lembrar que, no dia 5 de agosto, encerrou o prazo de validade do último certame do órgão. O sindicato da categoria cobrou várias vezes a necessidade da convocação de pessoal, como isso não aconteceu, a expectativa é de que ao menos uma nova seleção seja autorizada o mais rápido possível.

A Fenasps (Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social) informou que o instituto precisa urgentemente repor 16 mil vagas, já que há uma situação calamitosa de defasagem de pessoal. A entidade ainda revelou que, se nada for feito, o atendimento prestado pelo INSS entrará em colapso.

• APOSTILAS CONCURSO INSS 2018 - TÉCNICO E ANALISTA DO SEGURO SOCIAL
• CURSO ONLINE CONCURSO INSS 2018 - TÉCNICO DO SEGURO SOCIAL

Das vagas solicitadas inicialmente no pedido, pelo menos 7.580 são para a abertura de novo concurso público a partir de 2018. Destas chances, 3.941 são para técnico (área meio), 1.493 para analista (diversas formações) e 2.146 para perito.

Consta na nota técnica enviada pelo INSS ao Planejamento que as demais ofertas são para as seguintes situações: 2.644 vagas para os excedentes da seleção vigente (2.114 para técnico e 530 para analista) e 6.324 que podem ser tanto para o atual processo seletivo quanto para o novo certame (6.160 para técnico e 164 para analista).

Sobre os cargos 

A carreira de técnico do seguro social é uma das mais visadas pelos concurseiros, ainda mais que exige apenas ensino médio completo e apresenta salário inicial de R$ 5.344,87, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

O emprego de analista exige formação superior em diversas áreas de atuação (incluindo serviço social, administração, engenharia, direito, pedagogia, psicologia, comunicação, ciências sociais, arquitetura e letras, entre outras), sendo que a remuneração corresponde a R$ 7.954,09 por mês, contado com o benefício alimentação.

Já a posição de perito destina-se aos profissionais com graduação em medicina e registro no respectivo conselho regional. O inicial é de R$ 8.988,41, também com o auxílio.

Defasagem de pessoal 

Atualmente, o órgão conta com uma defasagem de quase 20 mil servidores em todo o país, sendo que o maior déficit é para a função de técnico. Com esse quadro, o INSS não consegue atender com eficiência à população.

A situação ainda está mais crítica porque o governo federal diminuiu os recursos para o instituto. Consta no site da Fenasps que um técnico do seguro social, não identificado, comentou que o cenário está caótico: "Falta dinheiro para tudo. Estamos operando no limite da irresponsabilidade. Não por acaso, as pessoas têm reclamado demais do atendimento. O estresse é total".

Veja também:

Artigo: Sim, existe vida após o INSS

Como estudar para analista do INSS

Dicas de aprovada no concurso do INSS

Dicas de professores para o concurso do INSS

Justiça proíbe papanicolau em concurso do INSS

Último concurso do INSS

No final de 2015, foi lançado o edital para o preenchimento de 950 vagas. Um total de 800 oportunidades foi para o emprego de técnico e as outras 150 para analista - serviço social.

A banca organizadora foi o Cespe/UnB e os participantes passaram por uma prova com questões no estilo certo ou errado.

O último certame (Instituto Nacional do Seguro Social), cujo resultado foi publicado no dia 4 de agosto, foi um dos mais concorridos da história. Ao todo, a seleção registrou nada menos que 1.087.789 inscrições, sendo 1.043.807 somente para técnico do seguro social - em número de inscritos, o concurso INSS 2016 perde apenas para duas outras seleções: a da Caixa Econômica Federal (CEF) realizada 2014, com 1.156.744 candidatos; e a da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) promovida em 2011, com 1.120.393 participantes.

Considerando que o concurso do INSS ofereceu 800 oportunidades para técnico, é possível concluir que a concorrência para o cargo foi de aproximadamente 1.304 candidatos por vaga.

Confira o depoimento da 1ª colocada no último concurso do INSS

Atribuições do técnico e analista do seguro social

Quanto às atribuições dos cargos, de acordo com o edital do último concurso INSS, o técnico do seguro social é responsável por proceder ao reconhecimento inicial, manutenção, recurso e revisão de direitos aos benefícios administrados pelo INSS; exercer atividades internas e externas ligadas ao suporte e apoio técnico especializado; executar as atividades de orientação e informação, de acordo com as diretrizes estabelecidas nos atos específicos e outras relacionadas aos fins institucionais do INSS, que venham ser determinadas pela autoridade superior.

Já o analista do seguro social é responsável por prestar atendimento e acompanhamento aos usuários dos serviços prestados pelo INSS e aos seus servidores, aposentados e pensionistas; elaborar, executar, avaliar planos, programas e projetos na área de serviço social e reabilitação profissional; realizar avaliação social quanto ao acesso aos direitos previdenciários e assistenciais; promover estudos socioeconômicos visando a emissão de parecer social para subsidiar o reconhecimento e a manutenção de direitos previdenciários, bem como a decisão médico-pericial; e executar de conformidade com a sua área de formação as demais atividades de competência do INSS.


Ads

Curso Online p/ INSS 2018

Compre agora e receba atualização gratuita quando sair o edital!


 

 

   

 

Atualizado: 02/08/2018 - 11:35

Concurso Ibram: MPDG avalia solicitação para 313 vagas

Pedido de concurso do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) encaminhado ao Ministério do Planejamento é para carreiras com exigência de níveis médio e superior de ensino

Órgão federal

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) ainda avalia o novo pedido para a abertura do concurso público do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Em maio, o órgão solicitou aurorização para o preenchimento de 313 vagas em cargos com exigência de níveis médio e superior.

Das oportunidades requeridas, 73 destinam-se à carreira de assistente técnico, 19 para técnico em assuntos educacionais, 121 para técnico em assuntos culturais e 100 para analista.

O posto de assistente técnico exige nível médio completo, enquanto as demais colocações se destinam aos profissionais com formação superior em diversas áreas de atuação. Os salários iniciais vigentes não foram divulgados.

É grande a expectativa para que o novo concurso do Ibram seja autorizado em breve, para que o mesmo aconteça até o início de 2019.

Último concurso do Ibram

Organizado pela Funcab e lançado em 2010, o edital anterior apresentou 294 ofertas distribuídas nos empregos de assistente técnico I, técnico em assuntos educacionais, técnico em assuntos culturais e analista. A remuneração oferecida chegou a R$ 3.012,82.

Na época, a lotação das vagas ocorreu nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além do Distrito Federal.

A seleção constou de prova objetiva para todos os concorrentes. Em seguida, houve avaliação discursiva e análise de títulos para os postos de nível superior.

O teste objetivo aplicado no processo seletivo foi composto de perguntas sobre língua portuguesa, noções de informática, conhecimentos gerais e conhecimentos específicos. Os exames para técnico e analista também tiveram perguntas de língua estrangeira (inglês ou espanhol).

Para os empregos de nível médio, a validade do certame expirou em abril de 2014. Já para as colocações que necessitam de ensino superior, o prazo terminou em 16 de junho do mesmo ano.

Sobre o órgão

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) foi criado pelo ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em janeiro de 2009, com a assinatura da lei nº 11.906. A nova autarquia sucedeu o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no que se refere aos direitos, deveres e obrigações dos museus federais.

O órgão é responsável pela Política Nacional de Museus (PNM) e pela melhoria dos serviços do setor – aumento de visitação e arrecadação dos museus, fomento de políticas de aquisição e preservação de acervos e criação de ações integradas entre os museus brasileiros. Atualmente, cuida da administração direta de 30 museus.

Atualizado: 23/07/2018 - 16:04

Assembleia/GO: novo concurso público terá 80 vagas

Concurso Alego abrirá 59 oportunidades imediatas distribuídas em carreiras com exigência de de diversos níveis de escolaridade

Para vários cargos

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Boa notícia para quem aguarda o novo concurso da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Acontece que o certame agora abrirá 80 vagas e não mais 59, como anunciado anteriormente.

Segue confirmado que o edital será publicado no segundo semestre deste ano. O próximo passo é a escolha da banca organizadora.

A realização do concurso da Alego tem o intuito de reduzir o quantitativo de comissionados, além de profissionalizar mais o quadro de servidores. “Precisamos, cada vez mais, qualificar o quadro de servidores da Casa, trazendo pessoas que irão se identificar com o Poder. Nós, deputados, somos passageiros, mas os servidores permanecerão aqui”, afirmou Vitti.

Cargos do concurso Alego 2018

Candidatos com formação superior poderão concorrer aos cargos de engenheiro eletricista (1 vaga), engenheiro civil (1), arquiteto (2), arquivologista (2), psicólogo organizacional (2), segurança da informação (2), médico cardiologista (1), médico clínico (1), médico ginecologista (1), médico ortopedista (1), médico psiquiatra (1), fisioterapeuta (2), contador (25), médico do trabalho (2), engenheiro do trabalho (1), enfermeiro do trabalho (2), assistente social (2), revisor ortográfico (6), cirurgião dentista (2), comunicador social  (5), procurador (2).

As carreiras com exigência de ensino médio e/ou curso técnico serão as de tradutor intérprete de libras (2), policial legislativo (30), técnico de segurança do trabalho (2) e técnico em enfermagem do trabalho (2).

 

Último concurso da Assembleia Legislativa de Goiás

 

Em 2015, o órgão lançou seleção com 76 vagas distribuídas entre diversas carreiras com exigência de níveis médio e superior. A banca organizadora foi o Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Candidatos com ensino médio estavam aptos para assistente administrativo (31), assistente de suporte em TI (4), operador técnico (1), programador de computador (5), técnico em gravação e som (1) e técnico em processamento de dados e telecomunicações (5).

Diploma de formação superior foi requisito para analistas de dados (4), redes e comunicação de dados (4) e de sistema (4); comunicador social (2), contador (1), pesquisador legislativo (6), programador visual (2), revisor taquígrafo (2) e taquígrafo (4).

A seleção aconteceu por meio de provas objetivas, redação, testes práticos e análise de títulos, de acordo com a função pretendida.

Atualizado: 23/07/2018 - 12:59

BACEN pretende abrir CONCURSO com 220 oportunidades

A solicitação de concurso do Banco Central conta com 220 vagas para as carreiras de analista e procurador

Até R$ 17,7 mil

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) ainda analisa o novo pedido de concurso do Bacen (Central do Brasil, também conhecido BC ou BCB), encaminhado no dia 30 de maio. No total, o órgão solicitou 220 oportunidades para o seu quadro de pessoal - número bem inferior ao requerimento anterior, que era de 990 vagas.

Das oportunidades pleiteadas pelo Bacen, 200 são para a carreira de analista e 20 para procurador; desta vez não foi contemplado o cargo de técnico. A solicitação anterior era de 800 postos para analista, 150 para técnico e 40 para procurador.

Aumenta cada vez mais a expectativa para que seja realizado em breve o novo concurso do Banco Central devido à sua grande defasagem de pessoal. Atualmente, existem mais de 2.000 postos vagos, sem contar com as futuras aposentadorias, ou seja, cerca de 36% do quadro de pessoal do Bacen não está preenchido. O déficit total é de 2.356 servidores, sendo 1.944 analistas, 289 técnicos e 123 procuradores - vale ressaltar que o número pode sofrer alterações a qualquer momento.

Em entrevista anterior ao JC, o presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), Dario Piffer, chegou a comentar que o BC não consegue atender a toda demanda e que “essa situação traz problemas de toda a ordem, sendo uma das áreas mais prejudicadas a da fiscalização; por conta disso, o Banco Central prioriza somente as demandas consideradas mais importantes".

 

Sobre os cargos do concurso do Bacen

 

A função de técnico, não contemplada mais no pedido, se destina aos profissionais que concluíram o ensino médio em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e oferece salário inicial de R$ 6.463,44.

Já os postos de analista de procurador aceitam candidatos com formação superior em diversas áreas de atuação - neste caso, os vencimentos correspondem a R$ 16.286,90 e a R$ 17.788,33, respectivamente.

Vale ressaltar que as remunerações já incluem o valor do benefício-alimentação, que equivale a R$ 458 mensais.

APOSTILAS BANCO CENTRAL - TÉCNICO DE SUPORTE ADMINISTRATIVO

CURSO ONLINE BANCO CENTRAL - PROCURADOR

 

Último concurso para técnico e analista do Bacen

 

Em 2013, o Banco Central promoveu seleção com 500 vagas destinadas aos cargos de técnico e analista. Na ocasião, a banca organizadora foi o Cespe/UnB e a remuneração inicial oscilou entre R$ 5.158,23 e R$ 14.289,24.

A carreira de técnico apresentou 100 oportunidades e estava dividida entre as áreas de suporte técnico-administrativo e segurança institucional. Para concorrer a este emprego o candidato precisou ter ensino médio completo.

Destinado a profissionais de nível superior, o cargo de analista (400) estava distribuído em seis áreas de conhecimentos: análise e desenvolvimento de sistemas, suporte à infraestrutura de tecnologia da informação, política econômica e monetária, contabilidade e finanças, infraestrutura e logística, e gestão e análise processual.

O processo seletivo constou de prova objetiva, teste discursivo e análise de títulos – este último apenas para analista. Depois, houve um programa de capacitação para os candidatos aprovados.

Para este concurso, os profissionais foram lotados em Brasília (DF), Belém (PA), São Paulo (SP), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS).

 

Seleção anterior para procurador do Bacen

 

O Banco Central publicou em agosto de 2013 um edital com 15 oportunidades para a função de procurador. Do total de ofertas, 14 foram para Brasília e uma para Belém.

Também sob a organização do Cespe/UnB, o processo seletivo avaliou os concursandos por meio de teste objetivo, inscrição definitiva, provas discursivas, exame oral e análise de títulos.

Atualizado: 19/07/2018 - 11:34

TJ SP: avança projeto de lei que muda escolaridade

Projeto de lei complementar, que tramita na Assembleia Legislativa, tem por finalidade enquadrar a carreira dentro da escala de vencimento de nível superior

Para cargo de escrevente

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Continua avançando, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), o  projeto de lei complementar 3/2018, que tem  por objetivo alterar o nível de escolaridade para os próximos concursos públicos para o cargo de escrevente técnico judiciário do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ/SP). A proposta, aprovada em 26 de junho pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação, já começa a tramitar na Comissão de  Finanças, Orçamento e Planejamento, desde o último dia 3 de julho. De acordo com o PLC, do deputado Carlos Giannazi (Psol), a escolaridade necessária de ingresso na carreira pode passar a ser de nível superior.  Caso aprovada na comissão de Finanças, o texto já poderá seguir para votação no plenário.
Caso aprovada a proposta, a remuneração do cargo passará a ser enquadrada nas carreiras de nível superior do órgão, acarretando em melhorias salariais. O projeto também determina que aos servidores já em atividade fica assegurado o direito à comprovação de preenchimento de nível superior para reenquadramento salarial.
De acordo com a justificativa do parlamentar, “há anos os escreventes técnico judiciários do Tribunal de Justiça do Estado buscam, através das entidades representativas da categoria, a implantação de exigência de nível universitário para ingresso no cargo, a exemplo do que já foi assegurado aos oficiais de justiça. Apesar das reuniões, dos pedidos e das indicações encaminhadas, a situação dos servidores ainda se mantém, sem que o TJ envie propositura assegurando esse direito. Desta feita, eis o que objetiva esta propositura: assegurar o direito aos servidores e autorizar legislativamente, a presidência do Tribunal de Justiça a implementar o nível superior aos escreventes técnicos judiciários, por ser medida de verdadeira justiça com a categoria”.

Atualizado: 13/07/2018 - 15:51

Concurso em Aruanã GO reúne 153 oportunidades

As chances do concurso do município de Aruanã são para cargos na prefeitura e câmara. As inscrições serão recebidas em agosto

Todos os níveis

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O município de Aruanã, situado no Estado de Goiás, divulgou um novo edital de concurso público destinado ao preenchimento de 153 vagas do quadro de pessoal da prefeitura e câmara. Do total de oportunidades, 55 são para contratação imediata e 98 para formação de cadastro reserva (CR). 

O Instituto de Consultoria e Concursos- ITAME é o responsável pela organização e execução do processo de seleção. As inscrições deverão ser realizadas exclusivamente pela internet, através do endereço eletrônico www.itame.com.br, entre os dias 6 e 30 de agosto. Os valores da taxa de participação variam de R$ 50 a R$ 90 conforme o cargo pleiteado. 

Todos os candidatos serão avaliados por meio de prova objetiva, a ser aplicada nos dias 20 e 21 de outubro. Ela contemplará questões de múltipla escolha sobre as disciplinas de língua portuguesa, matemática, conhecimentos gerais, atualidades, noções básicas de informática, história e geografia e/ou conhecimentos específicos. 

O concurso em Aruanã ainda contará com as seguintes etapas: prova de redação dissertativa para os postos de professores; e prova prática para operador de máquinas pesadas.

 

Vagas na Prefeitura de Aruanã GO

 

Aqueles que têm o ensino fundamental incompleto podem concorrer para as funções de auxiliar de serviços gerais da educação (8 vagas + 16 CR), auxiliar de serviços urbanos (10 + 20 CR), motorista de veículos pesados (4 + 8 CR) e operador de máquinas pesadas (1 + 4 CR). Os salários iniciais oscilam entre R$ 964,67 e R$ 1.195,88.

Os cargos de agente de combate as endemias (1 + 4 CR) e auxiliar de ensino (18 + 18 CR) exigem o ensino médio completo e pagam, respectivamente, R$ 1.182,43 e R$ 1.030,51.

Nível superior é requisito para os postos de professor pedagogo (8 + 8 CR) e professor de educação física (1 + 4 CR). A remuneração é de R$ 1.841,51.

 

Chances na Câmara de Aruanã GO

 

Para ensino fundamental, as ofertas são para os empregos de auxiliar de serviços gerais (1 + 4 CR) e zelador (1 + 4 CR), cujos respectivos vencimentos são de R$ 1.186,81 e R$ 1.265,29.

Quem tem o ensino médio está apto às carreiras de controle interno (1 + 4 CR) e recepcionista (1 + 4 CR). Os iniciais são de R$ 2.169,78 e R$ 1.379,50, respectivamente. 

Atualizado: 12/07/2018 - 09:09

Concurso DGAP GO: último dia do prazo para 1.373 vagas

Concurso da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária de Goiás (DGAP/GO) preencherá postos em oito regiões do Estado. Cargo cobra ensino médio e paga R$ 2,4 mil

Vigilante

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) de Goiás encerrará nesta quinta-feira (12) o prazo de inscrição do processo seletivo que oferece 1.373 vagas temporárias de vigilante penitenciário

 

No total, são 1.237 chances destinadas a homens e a 136 mulheres. O cargo cobra ensino médio e tem como principais atribuições atividades de apoio à segurança, vigilância, custódia, disciplina, fiscalização, triagem e escolta dos presos.

 

A remuneração é de R$ 2.450,46, já considerando os valores do salário-base (R$ 1.950,46) e do auxílio-alimentação (R$ 500). A jornada de trabalho corresponde a 40 horas semanais. 

APOSTILAS CONCURSO DGAP - VIGILANTE PENITENCIÁRIO

Os contratados atuarão em unidades prisionais da DGAP espalhadas pelas oito regionais do Estado (Metropolitana de Goiânia, Noroeste, Entorno de Brasília, Sudeste, Centro-oeste, Sudoeste, Norte e Nordeste).

 

 

Inscrições e prova do concurso da DGAP 2018

 

 

Os interessados devem registrar a inscrição mediante o preenchimento de formulário disponível na página www.portaldoservidor.go.gov.br. O valor da taxa é de R$ 40.

 

Os candidatos serão avaliados em etapa única, por meio de prova objetiva de conhecimentos gerais e específicos, com aplicação em 19 de agosto, em Goiânia, Cidade de Goiás, Luziânia, Caldas Novas, Palmeira de Goiás, Rio Verde, Uruaçu e Formosa.  

 

De acordo com o edital, o concurso da DGAP terá validade de um ano, prorrogável por mais um, a critério do órgão. 

 

 

Concurso DGAP: tarefas típicas do vigilante penitenciário

 

 

A) zelar pela disciplina e segurança dos presos, evitando fugas e conflitos; b) fiscalizar o comportamento da população carcerária, observando os regulamentos e normas em vigor; c) providenciar a necessária assistência aos presos, em casos de emergências; d) fiscalizar a entrada e saída de pessoas e veículos nas unidades prisionais; e) verificar as condições de segurança da unidade em que trabalha; f) elaborar relatório das condições da unidade em que trabalha; g) fazer triagem de presos de acordo com a Lei de Execução Penal; h) conduzir e acompanhar, em custódia, os presos entre as unidades prisionais integradas do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e durante os deslocamentos para fora do referido Complexo Penitenciário; i) realizar trabalhos em grupo e individuais com o objetivo de instruir os presidiários, neles incluindo hábitos de higiene e boas maneiras; j) encaminhar solicitações de assistência médica, jurídica, social e material ao preso; k) exercer com maior grau de complexidade e responsabilidade as atribuições dirigidas à disciplina; l) primar pela segurança, fiscalização, assistência social, educação e coordenação de atividades laborativas dos presos, bem como a fiscalização da segurança da unidade; m) articular-se com a autoridade competente, objetivando melhor cumprimento das normas e rotinas de segurança; n) elaborar relatórios de acompanhamento das atividades laborativas dos internos; o) desenvolver atividades que visem à ressocialização do preso, programar atividades de formação cívica, ética, social, cultural, e profissional do preso; p) desenvolver ações com vistas a despertar no preso o senso de responsabilidade, dedicação no cumprimento dos deveres sociais, profissionais e familiares; q) executar outras atividades correlatas e as que lhe forem delegadas pela autoridade superior.
 

Atualizado: 11/07/2018 - 09:14

Concurso PC GO: último dia de inscrição para delegado

Carreira na Polícia Civil do Estado de Goiás é destinada a bacharéis em direito. A remuneração é de R$ 19,2 mil

100 vagas

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Encerra-se nesta quarta-feira (11) o prazo de inscrição do concurso para delegado da Polícia Civil de Goiás (PC/GO). Serão preenchidas 100 vagas, sendo cinco reservadas a pessoas com deficiência.

 

A carreira apresenta remuneração inicial de 19.242,52 e pode ser disputada por profissionais com curso superior em direito. Os contratados atuarão em delegacias no interior do Estado e terão jornada semanal de 40 horas.

 

Organizado pelo Núcleo de Seleção da Universidade Estadual de Goiás (UEG), o processo seletivo recebe inscrições através de cadastro no site www.nucleodeselecao.ueg.br. O valor da taxa é de R$ 200.

 

Etapas do concurso da PC/GO 2018

 

A seleção envolverá oito fases. Na primeira delas, em 12 de agosto, os candidatos realizarão prova objetiva. Depois, entre 25 e 27 de setembro, serão aplicadas as avaliações discursivas.

APOSTILAS CONCURSO PC/GO 2018 - DELEGADO
CURSO CONCURSO PC/GO 2018 - DELEGADO

O conteúdo programático para as avaliações objetiva e escrita do concurso da Polícia Civil/GO inclui: criminologia; medicina legal; legislação estadual; realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica de Goiás e do Brasil; legislação penal e processual penal extravagante; e conhecimentos em direito penal, processual penal, constitucional, administrativo, civil e empresarial, eleitoral, tributário e ambiental.

 

As outras etapas do certame são: teste físico, avaliação médica, exame psicotécnico, investigação social, curso de formação profissional e análise de títulos, em datas a serem definidas. Todas as fases estão previstas para ocorrer em Goiânia e/ou Aparecida de Goiânia.

 

De acordo com o edital, o concurso da Polícia Civil de Goiás terá validade de seis meses, prorrogável por mais seis, a critério da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Administração Penitenciária. 

 

Atribuições do delegado no concurso da Polícia Civil/GO 2018

 

Instaurar e presidir, com exclusividade, inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência e outros procedimentos policiais legais para a apuração de infração penal ou ato infracional; exercer atribuições previstas na legislação processual penal de competência da autoridade policial; dirigir, coordenar, supervisionar e fiscalizar as atividades logísticas e finalísticas da unidade sob sua direção; determinar intimações e, em caso de não comparecimento injustificado, condução coercitiva; requisitar a realização de exames periciais e complementares, destinados a colher e resguardar indícios ou provas da ocorrência de infrações penais ou de quaisquer outros exames que julgar imprescindíveis à elucidação do fato investigado; representar à autoridade judiciária competente pela decretação de prisões e medidas cautelares e pela concessão de mandados de busca e apreensão domiciliar; fazer realizar as diligências requisitadas pelo Juízo Penal ou pelo representante do Ministério Público; fazer cumprir mandados de prisão expedidos pela autoridade judiciária; conceder liberdade provisória mediante fiança, arbitrando-a nos termos da lei processual penal; adotar medidas necessárias ao controle da criminalidade; atender o público, encaminhando providências e determinando o registro de ocorrências policiais; orientar equipes subordinadas, visando à coordenação, ao controle e ao desenvolvimento técnico do trabalho policial; dirigir-se, quando possível, aos locais de crime, ou determinar quem o faça, providenciando para que não se alterem, enquanto necessário, o estado e a conservação das coisas, supervisionando todos os atos; cumprir e fazer cumprir as ordens, normas e instruções emanadas de superior hierárquico; fornecer a seus subordinados ordem de serviço, por escrito, das ações que a eles determinar.

 

Conteúdo programático parcial para o concurso da Polícia Civil de Goiás

 

Criminologia – 1 Criminologia. 1.1 Conceito. 1.2 Métodos: empirismo e interdisciplinaridade. 1.3 Objetos da criminologia: delito, delinquente, vítima, controle social. 2 Funções da criminologia. 2.1 Criminologia e política criminal. 2.2 Direito penal. 3 Modelos teóricos da criminologia. 3.1 Teorias sociológicas. 3.2 Prevenção da infração penal no Estado democrático de direito. 3.3 Prevenção primária. 3.4 Prevenção secundária. 3.5 Prevenção terciária. 3.6 Modelos de reação ao crime.

 

Legislação penal e processual penal extravagante – Decreto-Lei n. 3.688/1941 - Lei das Contravenções Penais Lei n. 1.521/1951 - Lei dos Crimes contra a Economia Popular Lei n. 2.889/1956 - Lei do Crime de Genocídio Lei n. 4.898/1965 - Lei do Abuso de Autoridade Lei n. 7.492/1986 - Lei dos Crimes contra o Sistema Financeiro Nacional Lei n. 7.716/1989 - Lei dos Crimes resultantes de Preconceito de Raça ou de Cor Lei n. 7.960/1989 - Lei de Prisão Temporária Lei n. 8.069/1990 - Da prática de ato infracional. Da apuração de ato infracional atribuído a adolescente. Da infiltração de agentes de polícia para a investigação de crimes contra a dignidade sexual de criança e de adolescente. Dos Crimes contra a criança e o adolescente. Lei n. 8.072/1990 - Lei dos Crimes Hediondos. Lei n. 8.078/1990 - Crimes contra o Consumidor. Lei n. 8.137/1990 - Lei dos Crimes contra a Ordem Tributária, Econômica e contra as Relações de Consumo. Lei n. 8.666/1993 - Crimes tipificados na Lei das Licitações. Lei n. 9.099/1995 - Lei dos Juizados Especiais Criminais. Lei n. 9.296/1996 - Lei da Interceptação de Comunicações Telefônicas. Lei n. 9.434/1997 - Crimes tipificados na Lei de Transplantes. Lei n. 9.455/1997 - Lei de Tortura. Lei n. 9.503/1997 - Crimes de Trânsito. Lei n. 9.605/1998 - Lei dos Crimes Ambientais. Lei n. 9.613/1998 - Lei da Lavagem de Dinheiro. Lei n. 10.671/2003 - Crimes tipificados no Estatuto de Defesa do Torcedor. Lei n. 10.741/2003 - Crimes tipificados no Estatuto do Idoso. Lei n. 10.826/2003 - Estatuto do Desarmamento. Lei n. 11.101/2005 - Disposições penais da Lei de Falências. Lei n. 11.340/2006 - Lei Maria da Penha. Lei n. 11.343/2006 - Lei de Drogas. Lei n. 12.403/2011 - Lei de Medidas Cautelares. Lei n. 12.830/2013 - Lei de Investigação Criminal. Lei n. 12.850/2013 - Lei das Organizações Criminosas. Lei n. 13.146/2015 - Crimes tipificados no Estatuto da Pessoa com Deficiência. Lei n. 13.260/2016 - Lei do Terrorismo.

 

Direito eleitoral – 1 Lei Federal nº 4.737/1965 e suas alterações (Código Eleitoral). 1.1 Introdução. 1.2 Órgãos da justiça eleitoral. 1.2.1 Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 1.2.2 Tribunais Regionais Eleitorais. 1.2.3 Juízes eleitorais e juntas eleitorais: composição, competências e atribuições. 1.3 Alistamento eleitoral: qualificação e inscrição, cancelamento e exclusão. 2 Lei Federal nº 9.504/1997. 2.1 Disposições gerais. 2.2 Coligações. 2.3 Convenções para escolha de candidatos. 2.4 Registro de candidatos. 2.5 Sistema eletrônico de votação e totalização dos votos. 3 Lei Federal nº 9.096/1995. 3.1 Disposições preliminares. 3.2 Filiação partidária. 4 Resolução do TSE nº 21.538/2003. 4.1 Alistamento eleitoral. 4.2 Transferência de domicílio eleitoral. 4.3 Segunda via da inscrição. 4.4 Restabelecimento de inscrição cancelada por equívoco. 4.5 Formulário de atualização da situação do eleitor. 4.6 Título eleitoral. 4.7 Acesso às informações constantes do cadastro. 4.8 Restrição de direitos políticos. 4.9 Revisão do eleitorado. 4.10 Justificação do não comparecimento à eleição (com a alteração do Acórdão do TSE nº 649/2005).

 

Confira o conteúdo programático completo para o concurso de delegado da Polícia Civil de Goiás

APOSTILAS CONCURSO PC/GO 2018 - DELEGADO

Shopping