Publicado: 26/09/2017 - 09:10 | Atualizado: 26/09/2017 - 09:11

Concurso TRF5: último dia de inscrição para juiz

Com salário de R$ 27,5 mil, oportunidades no concurso do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) são destinadas a bacharéis em direito com experiência mínima de três anos em atividade jurídica

20 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Chegam ao fim às 18h desta terça-feira (26) as inscrições do concurso do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) com oferta de 20 vagas para a função de juiz federal substituto. O órgão tem jurisdição nos Estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Do total de postos, quatro são reservados a candidatos negros e um a pessoas com deficiência. Os candidatos devem possuir ensino superior em direito e experiência mínima de três anos em atividade jurídica. O salário inicial corresponde a R$ 27.500,17.

Os interessados devem se inscrever no concurso do TRF5 por meio do site http://www.cespe.unb.br/concursos. O valor da taxa de participação é de R$ 239.

Concurso TRF5: sobre as provas


O concurso para juiz do TRF5 envolverá as seguintes fases: prova objetiva, provas escritas discursivas, inscrição definitiva, sindicância da vida pregressa e investigação social, exame de sanidade física e mental, exame psicotécnico, prova oral e análise de títulos.

Como primeira etapa, a avaliação objetiva, marcada para 19 de novembro, trará 100 questões de múltipla escolha abordando conhecimentos em direito nas seguintes áreas: constitucional; previdenciário; penal; processual penal; econômico e de proteção ao consumidor; civil; processual civil; empresarial; financeiro e tributário; administrativo; ambiental; e internacional público e privado.

As duas primeiras fases ocorrerão em Aracaju/SE, Fortaleza/CE, João Pessoa/PB, Maceió/AL, Natal/RN e Recife/PE. Já as demais etapas serão realizadas apenas na capital pernambucana.

A validade do concurso do TRF5 será de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão, conforme estabelece o edital, disponível para consulta aqui.

Vídeos TRF

Como estudar para o concurso do TRF5


Mais Lidas

Comissão de Finanças e Tributação

Comissão de Finanças e Tributação

MPU e CNMP: PL que aumenta salários aguarda parecer

Mais Recentes

Atualizado: 29/01/2018 - 11:58

Concurso TJ/CE tem 223 vagas para cartórios

Ofertas no concurso do TJ/CE (Tribunal de Justiça do Estado do Ceará) são para candidatos que possuem nível superior em direito ou experiência de 10 anos em atividades notariais

A partir de 26 de fevereiro

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

Foi publicado o edital de abertura das inscrições do concurso do TJ/CE (Tribunal de Justiça do Estado do Ceará), para outorga de delegação de serviços notariais e registrais. A seleção visa o preenchimento de 223 serventias, sendo 149 por provimento e 74 por remoção (para quem já possui uma outorga de delegação e pretende ser removido para outra). 
Para concorrer às vagas com ingresso por provimento, poderão se inscrever candidatos que tenham concluído o curso superior de graduação em direito, em instituição de ensino oficial ou devidamente reconhecida pelo MEC até a data da outorga ou quem tenha exercido por 10 anos, até a data da primeira publicação do edital, a função em serviço notarial ou de registro.
Já para o ingresso por remoção, somente poderão concorrer os titulares de serventias extrajudiciais do Estado do Ceará, independentemente de entrância, que já detenham a delegação por mais de dois anos, contados da data do efetivo exercício na atividade até a data da primeira publicação do edital. 
A remuneração do servidor corresponde aos lucros da unidade, descontando taxas devidas ao governo.

Etapas do concurso do TJ/CE 2018 


As inscrições preliminares deverão ser realizadas no período de 26 de fevereiro a 6 de abril. A ficha de cadastro estará disponível nos endereços eletrônico www.cartorio2018.tjce.ieses.org ou www.tjce.jus.br. O custo da taxa de participação é de R$ 200. 
O concurso do TJ/CE 2018, para os dois critérios de ingresso, será efetuado mediante aplicação de provas objetiva de seleção, escrita e prática, oral e de títulos, em que serão avaliados os conhecimentos e/ou habilidades técnicas dos candidatos sobre as matérias relacionadas ao cargo de notário e oficial de registro. 
A prova objetiva será aplicada na cidade de Fortaleza/CE no dia 20 de maio. Ela terá duração de quatro horas e será realizada no local que constar do documento de confirmação de inscrição, a ser publicado a partir do dia 17 desse mesmo mês. 
A avaliação será composta por 100 questões de múltipla escolha, sendo 30 de direito notarial e registral, 25 de direito civil, direito empresarial/comercial e direito processual civil, 20 de direito constitucional, direito administrativo e direito tributário, 15 de direito penal e direito processual penal, cinco de direito judiciário e cinco de conhecimentos gerais.
Continuar lendo

Atualizado: 23/01/2018 - 11:51

Concurso Receita Federal: pedido para 2.083 vagas

Oportunidades solicitadas ao Ministério do Planejamento são para as carreiras de auditor-fiscal e analista tributário. Iniciais do concurso da Receita serão de até R$ 16,2 mil

Alta defasagem de pessoal

Por JCConcursos - Camila Diodato

Um dos concursos públicos aguardados para 2018 é o da Receita Federal do Brasil (RFB), que solicitou ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) uma autorização para 2.083 oportunidades.
O órgão e os sindicatos da categoria aguardam com expectativa o aval, ainda mais que o quadro de pessoal apresenta uma grande defasagem de pessoal. A cada novo levantamento cresce o número de postos vagos na RFB e a tendência é que o quadro de pessoal fique cada vez mais escasso, caso uma nova seleção não ocorra.
Em abril do ano passado, a Receita Federal tinha 20.321 postos em aberto, mas os dados recentes apontam que há um déficit de 20.639 servidores, sendo 10.789 auditores e 9.850 analistas. A situação pode ficar mais crítica, ainda mais que cerca de 20% do pessoal já está apto a se aposentar.

Pedido do concurso da Receita Federal 2018


Em maio de 2017, o Ministério da Fazenda encaminhou ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) pedido para que sejam liberadas à Receita Federal 2.083 oportunidades para auditor-fiscal e analista tributário.
Do total de ofertas requeridas para o concurso da Receita Federal, 630 são para auditor e 1.453 para analista. Ambas as carreiras aceitam profissionais com formação superior completa em diversas áreas de atuação. A remuneração inicial corresponde a R$ 16.201,64 e a R$ 9.714,42, respectivamente, já incluindo o vale-alimentação de R$ 458.
Veja também: simulado completo para o concurso da Receita 2018

Concurso para a área administrativa


Outra seleção aguardada é a que contempla 400 vagas para os cargos de assistente-técnico administrativo e analista administrativo, com lotação no quadro de pessoal da Receita Federal. Vale ressaltar que o lançamento do edital, assim que autorizado pelo MPDG, é feito pelo Ministério da Fazenda, que depois distribui as oportunidades para o seu quadro e o da RFB.
APOSTILAS RECEITA FEDERAL - AUDITORCURSO ONLINE RECEITA FEDERAL - AUDITOR FISCAL
Para concorrer a assistente é necessário possuir ensino médio, sendo que o salário inicial, atualizado, é de R$ 4.137,97, considerando o vale-alimentação de R$ 458. Já a função de analista administrativo pede nível superior e oferece vencimento de R$ 5.490,09, incluindo o benefício.

Ads

Receita Federal solicita 2.083 vagas

Essa é sua chance. São mais de 2 mil oportunidades com remuneração de até R$ 20.123. A Central de Concursos vai ajudar você a garantir sua vaga e reescrever sua carreira. Confira.

Uma vez autorizado, o concurso contará com uma grande parte das vagas destinada para o Estado de São Paulo, por não ter sido contemplado na última seleção para os cargos administrativos.

Preparação para o concurso da Receita Federal 2018


Por ser considerado um dos concursos mais concorridos do Brasil, já que soma milhares de concorrentes, quem deseja conquistar um posto na RFB deve iniciar os estudos com antecedência. Em entrevista anterior ao JC, o auditor-fiscal da Receita Federal e ex-presidente do Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil), Pedro Delarue, comentou que “as provas são disputadíssimas e as pessoas que estão estudando estão super preparadas, então, é necessário estudar bastante, já que há uma grande variedade de temas”.
Uma opção para se preparar para a seleção é analisar o conteúdo programático e as avaliações dos processos seletivos anteriores. 

Último concurso da Receita Federal


No caso de assistente técnico-administrativo, o concurso anterior ocorreu em 2014, sendo organizado pela Escola de Administração Fazendária (Esaf). A prova contou com 70 questões, sendo 50 de conhecimentos básicos e 20 de conhecimentos específicos. Em conhecimentos básicos foram 20 de língua portuguesa, dez de matemática e raciocínio lógico, dez de conhecimentos de informática e dez de atualidades. Em conhecimentos específicos, cinco de gestão de pessoas e atendimento ao público, cinco de ética do servidor na administração pública, cinco de administração pública brasileira e cinco do regime jurídico dos agentes públicos. Informática e atualidades contaram com peso um e as demais disciplinas, com peso dois.  

Prepare-se para o concurso Receita Federal

PROVA ANTERIOR RFB

Para analista técnico administrativo, a última seleção foi em 2013, também organizada pela Esaf. O cargo contou com duas provas, sendo a primeira com 65 questões de conhecimentos básicos e a segunda com 50 de conhecimentos específicos. Em conhecimentos gerais foram 15 de língua portuguesa, dez de atualidades, dez de raciocínio lógico quantitativo, dez de direito constitucional dez de direito administrativo e dez de informática básica. Língua portuguesa e conhecimentos específicos tiveram peso dois, enquanto as demais disciplinas contaram com peso um. Além disso, os candidatos foram submetidos a uma prova discursiva.

Saiba mais sobre o concurso da Receita Federal 2018


Continuar lendo

Atualizado: 22/01/2018 - 13:35

Concurso STM 2018: prova ocorre em 4 de março

Concurso do STM 2018 reúne postos para técnico e analista, destinados a profissionais de níveis médio e superior. Salários iniciais chegam a R$ 11 mil por mês

Em oito Estados e no DF

Por JCConcursos - Da Redação/SP

Depois de encerrar, em 15 de janeiro, o período de inscrições para o concurso que preencherá 42 vagas, além de formar cadastro reserva (CR), o Superior Tribunal Militar (STM) trabalha agora para a aplicação da prova objetiva, prevista para 4 de março. 
Serão selecionados profissionais com ensino médio para a função de técnico judiciário nas áreas administrativa (27 postos) e apoio especializado - programação (3). A remuneração inicial é de R$ 6.708,53.
As ofertas para analista no concurso do STM 2018 pagam R$ 11.006,83 e estão sendo disputadas por candidatos com nível superior. Há oportunidades nas seguintes áreas: administrativa (1), judiciária (5) e apoio especializado nas especialidades de análise de sistemas (1), contabilidade (1), engenharia civil (1), estatística (1), revisão de texto (1) e serviço social (1).   
As oportunidades têm lotação distribuída entre Brasília/DF, Rio de Janeiro/RJ, São Paulo/SP, Campo Grande/MS, Bagé/RS, Juiz de Fora/MG, Curitiba/PR, Recife/PE e Manaus/AM.

APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA STM - TÉCNICO JUDICIÁRIO
CURSOS ONLINE STM - TÉCNICO E ANALISTA

Sobre a prova do concurso do STM 2018


O concurso do STM é organizado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe/UnB), que aplicará prova com 120 perguntas de múltipla escolha sobre conhecimentos básicos e específicos para todas as vagas, além de cobrar a elaboração de uma redação com até 30 linhas apenas para analista.  
O exame ocorrerá em todas as capitais do país, bem como nos municípios de Juiz de Fora/MG, Santa Maria/RS e Bagé/RS. 

Ads

Estude para o Concurso STM

Cursos online 100% focados no edital em pdf + videoaulas. Prepare-se e seja um dos nossos milhares de aprovados.  Inscreva-se! 


A convocação para a avaliação, contendo informações sobre locais e horários de aplicação, será divulgada a partir de 23 de fevereiro, na página da banca na internet. 
De acordo com o edital, o concurso do STM terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da Corte.

Concurso Superior Tribunal Militar 2018: atribuições do técnico judiciário - área administrativa


Atividades de nível intermediário, relacionadas ao planejamento, à organização e à execução de tarefas de apoio às atividades administrativa e judiciária, envolvendo: organização, guarda, arquivamento e andamento de processos e documentos; atendimento ao público interno e externo, prestando informações sobre a tramitação de processos e outras questões relacionadas à unidade de trabalho; elaboração e conferência de documentos; trabalhos que exijam conhecimentos básicos de informática, inclusive de digitação; controle e guarda do material de expediente, observando o consumo e a reposição em tempo hábil; autuação, registro, classificação, recuperação, requisição e seleção de feitos com base na legislação pertinente e nas normas técnicas; controle de bens patrimoniais sob a responsabilidade da unidade, solicitando, quando necessário, a manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos; quaisquer outras atividades inerentes à área de atuação.

O que vai cair na prova do concurso do STM (conhecimentos básicos)


Língua portuguesa – 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. 4 Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1 Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e de outros elementos de sequenciação textual. 4.2 Emprego de tempos e modos verbais. 5 Domínio da estrutura morfossintática do período. 5.1 Emprego das classes de palavras. 5.2 Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.3 Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.4 Emprego dos sinais de pontuação. 5.5 Concordância verbal e nominal. 5.6 Regência verbal e nominal. 5.7 Emprego do sinal indicativo de crase. 5.8 Colocação dos pronomes átonos. 6 Reescrita de frases e parágrafos do texto. 6.1 Significação das palavras. 6.2 Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.3 Reorganização da estrutura de orações e de períodos do texto. 6.4 Reescrita de textos de diferentes gêneros e níveis de formalidade. 7 Aspectos gerais da redação oficial. 7.1 Finalidade dos expedientes oficiais. 7.2 Adequação da linguagem ao tipo de documento. 7.3 Adequação do formato do texto ao gênero. 7.4 Pronomes de tratamento.
Organização da justiça militar da União – 1 Lei nº 8.457/1992 e suas alterações. 2 Regimento Interno do STM
Ética no serviço público – 1 Ética e moral. 2 Ética, princípios e valores. 3 Ética e democracia: exercício da cidadania. 4 Ética e função pública. 5 Ética no setor público. 5.1 Lei nº 8.429/1992 e suas alterações: disposições gerais; atos de improbidade administrativa. 5.2 Código de Ética dos Servidores da Justiça Militar da União aprovado pela Resolução STM nº 159/2009 e suas alterações.
Acessibilidade – 1 Lei nº 13.146/2015 e suas alterações (Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência - Estatuto da Pessoa com Deficiência). 2 Resolução CNJ nº 230/2016.
Noções de direito constitucional (exceto para o cargo de Analista Judiciário - área: Judiciária) – 1 Constituição. 1.1 Conceito, classificações, princípios fundamentais. 2 Direitos e garantias fundamentais. 2.1 Direitos e deveres individuais e coletivos, direitos sociais, nacionalidade, cidadania, direitos políticos, partidos políticos. 3 Organização político-administrativa. 4 Poder Judiciário: disposições gerais; tribunais e juízes militares. 5 Meio ambiente.
Noções de direito administrativo (exceto para os cargos de Analista Judiciário - área: Judiciária, de Analista Judiciário - área: Administrativa e de Técnico Judiciário - área: Administrativa) – 1 Organização administrativa: administração direta e indireta; centralizada e descentralizada; autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista. 2 Regime jurídico dos servidores públicos civis da União (Lei nº 8.112/1990 e suas alterações): disposições preliminares; provimento; vacância; remoção; redistribuição; direitos e vantagens; regime disciplinar. 3 Lei nº 9.784/1999. 4 Lei nº 11.416/2006 e suas alterações. 5 Licitação (Lei nº 8.666/1993 e suas alterações): princípios, modalidades, dispensa e inexigibilidade. 6 Lei Complementar nº 101/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal). 6.1 Conceitos e objetivos. 6.2 Planejamento. 6.3 Receita Pública. 6.4 Despesa Pública. 6.5 Transparência, controle e fiscalização. 7 Serviços Públicos: conceito e princípios; delegação: concessão, permissão e autorização. 8 Responsabilidade civil do Estado: evolução doutrinária; direito positivo brasileiro; causas excludentes e atenuantes; reparação do dano. 9 Lei nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).
Qualidade no atendimento ao público e trabalho em equipe –  1 Comunicabilidade; apresentação; atenção; cortesia; interesse; presteza; urbanidade; eficiência; tolerância; discrição; conduta; objetividade. 2 Personalidade e relacionamento. 3 Eficácia no comportamento interpessoal. 4 Órgão, servidor e opinião pública. 5 Fatores positivos do relacionamento. 6 Comportamento receptivo e defensivo; empatia; compreensão mútua.
Noções de informática (exceto para os cargos de Analista Judiciário - área: Apoio Especializado - especialidade: Análise de Sistemas e de Técnico Judiciário - área: Apoio Especializado - especialidade: Programação) – 1 Noções de sistema operacional (ambiente Windows 7). 2 Edição de textos, planilhas e apresentações (ambiente Microsoft Office 2010). 3 Redes de computadores. 3.1 Conceitos básicos, ferramentas, aplicativos e procedimentos de Internet e intranet. 3.2 Programas de navegação (Microsoft Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome). 3.3 Programa de correio eletrônico (Microsoft Outlook). 3.4 Sítios de busca e pesquisa na Internet. 3.5 Grupos de discussão. 3.6 Redes sociais. 4 Conceitos de organização e de gerenciamento de informações, arquivos, pastas e programas. 5 Noções básicas de segurança da informação.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA STM - TÉCNICO JUDICIÁRIO - ÁREA ADMNISTRATIVA
Língua inglesa (somente para os cargos de Analista Judiciário - área: Apoio Especializado - especialidade: Análise de Sistemas e de Técnico Judiciário - área: Apoio Especializado - especialidade: Programação) – 1 Compreensão de textos escritos em língua inglesa e itens gramaticais relevantes para o entendimento dos sentidos dos textos.
Confira o conteúdo programático de conhecimentos específicos para o concurso do STM 

Atualizado: 21/12/2017 - 10:22

TJ/AL lança edital de concurso com 131 vagas

Concurso do Tribunal de Justiça do Alagoas (TJ/AL) tem oportunidades para os níveis médio e superior de ensino. Salários iniciais são de até R$ 5,1 mil

Técnico e analista

Por JCConcursos - Camila Diodato

Saiu o edital do concurso público do Tribunal de Justiça do Alagoas (TJ/AL) que oferece um total de 131 oportunidades para os cargos de técnico e analista judiciários.
Candidatos com ensino médio completo podem concorrer ao posto de técnico judiciário - área judiciária. O certame apresenta 100 vagas para esta carreira, que tem salário inicial de R$ 2.550,96.
Os profissionais que possuem formação superior estão aptos para o emprego de analista nas seguintes especialidades: oficial de justiça avaliador (15), área judiciária (15) e apoio especializado (1). O órgão paga R$ 5.101,92 para quem exerce a função.
As inscrições do concurso do TJ/AL serão aceitas no período de 8 de janeiro a 15 de fevereiro no site da Fundação Getúlio Vargas (www.fgv.br/fgvprojetos/concursos). É cobrada uma taxa de participação no valor de R$ 80 para técnico e de R$ 100 para analista.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA CONCURSO TJ/AL - TÉCNICO JUDICIÁRIO /ANALISTA JUDICIÁRIO / AUXILIAR JUDICIÁRIOCURSO ONLINE TJ/AL - TÉCNICO E ANALISTA JUDICIÁRIO
Vale ressaltar que o edital deste processo seletivo reserva, do total de vagas, 20% para portadores de necessidades especiais e outros 20% para negros ou pardos.

Seleção do concurso do TJ/AL


A triagem dos participantes ocorrerá por meio de provas objetivas para todos os cargos e testes discursivos para analista. As avaliações serão aplicadas na cidade de Maceió em 25 de março de 2018, durante os períodos da manhã e da tarde, em endereços a serem disponibilizados com antecedência na página eletrônica da banca organizadora.
Os exames objetivos para técnico apresentarão 100 perguntas de múltipla escolha, sendo 30 de língua portuguesa e 70 de conhecimentos específicos. Já as provas do analista terão 80 questões e, destas, 20 serão de língua portuguesa, dez de legislação específica e 50 de conhecimentos específicos.

Atribuições do técnico judiciário do TJ/AL


Atividades supervisionadas, de nível intermediário, concernentes ao apoio às unidades no tocante ao cumprimento e formalização dos atos processuais e respectivas certificações, elaboração de minutas, documentos, relatórios, planos e projetos, atendimento ao público, prestação de informações, juntada de documentos, baixa e arquivamento de processos; auxílio na aplicação e execução dos métodos consensuais de solução de conflitos estabelecidos pelo poder judiciário; revisão; digitação; criação, manutenção e consultaria de bancos de dados; conferência, impressão, transmissão e arquivamento de trabalhos escritos, inclusive por meio de processos informatizados; digitalização de documentos com o correspondente armazenamento ou remessa por meio eletrônico; distribuição e controle de materiais; execução de atividades de apoio à mediação, conciliação e outras tarefas de grau médio de complexidade. 
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA TJ/AL

Atualizado: 26/09/2017 - 09:10

Concurso TRF5: último dia de inscrição para juiz

Com salário de R$ 27,5 mil, oportunidades no concurso do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) são destinadas a bacharéis em direito com experiência mínima de três anos em atividade jurídica

20 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Chegam ao fim às 18h desta terça-feira (26) as inscrições do concurso do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) com oferta de 20 vagas para a função de juiz federal substituto. O órgão tem jurisdição nos Estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Do total de postos, quatro são reservados a candidatos negros e um a pessoas com deficiência. Os candidatos devem possuir ensino superior em direito e experiência mínima de três anos em atividade jurídica. O salário inicial corresponde a R$ 27.500,17.

Os interessados devem se inscrever no concurso do TRF5 por meio do site http://www.cespe.unb.br/concursos. O valor da taxa de participação é de R$ 239.

Concurso TRF5: sobre as provas


O concurso para juiz do TRF5 envolverá as seguintes fases: prova objetiva, provas escritas discursivas, inscrição definitiva, sindicância da vida pregressa e investigação social, exame de sanidade física e mental, exame psicotécnico, prova oral e análise de títulos.

Como primeira etapa, a avaliação objetiva, marcada para 19 de novembro, trará 100 questões de múltipla escolha abordando conhecimentos em direito nas seguintes áreas: constitucional; previdenciário; penal; processual penal; econômico e de proteção ao consumidor; civil; processual civil; empresarial; financeiro e tributário; administrativo; ambiental; e internacional público e privado.

As duas primeiras fases ocorrerão em Aracaju/SE, Fortaleza/CE, João Pessoa/PB, Maceió/AL, Natal/RN e Recife/PE. Já as demais etapas serão realizadas apenas na capital pernambucana.

A validade do concurso do TRF5 será de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão, conforme estabelece o edital, disponível para consulta aqui.

Atualizado: 14/08/2017 - 09:27

Será que vale a pena prestar esse concurso?

A dúvida é bastante comum entre os concurseiros, já que são muitos os fatores em jogo, como atribuições, perfil da vaga, localidade, entre outras questões abordadas nesta matéria especial. Confira!

Especial

Por JCConcursos - Douglas Terenciano

Prestar um concurso sempre foi uma ótima alternativa para ingressar no mercado de trabalho, já que a carreira em órgãos públicos é mais estável comparada com a iniciativa privada e geralmente oferece boa remuneração. Mesmo assim, é grande a quantidade de concurseiros que ficam receosos na hora de efetuar a inscrição e se questionam: vale a pena prestar esse concurso? Afinal, o candidato precisa avaliar se tem o perfil da vaga, facilidade com as atribuições do cargo e ou se demandará mudança de cidade ou Estado. Pensando nisso, o JC Concursos conversou sobre o tema com professor especialista na área e também um concurseiro para ajudar você a esclarecer esses eternos dilemas na vida dos candidatos. Confira!

Antes de fazer a inscrição, Thállius Moraes, professor e coordenador no AlfaCon Concursos Públicos e Oficial de Justiça Federal, explica que o candidato deve avaliar vários fatores. “Primeiramente, deve ser escolhida uma área que se enquadre nos objetivos traçados, lembrando que se trata de um trabalho e que boa parte da vida será no desempenho do mesmo. Outros pontos como a remuneração e o local de trabalho (se é perto ou longe da família), por exemplo, também são bastante importantes na hora de se fazer o planejamento”.

Ás vezes um concurso é bem remunerado e com boas condições de trabalho, mas a localidade é muito distante. Talvez não seja tão atrativo a longo prazo quanto outro certame que possua um salário menor, porém, fica no local onde o candidato pretende morar. Vale lembrar que esta questão varia muito de cada pessoa. “A dica é manter a mente aberta, pois muitas vezes queremos apenas ficar próximos de casa, mas temos muitos lugares maravilhosos para conhecer e talvez a ‘cidade da vida’ da pessoa ainda esteja para ser descoberta”, incentiva Moraes.

Perfil

Quando perguntado sobre um candidato que pretende concorrer a uma vaga fora do seu perfil profissional, Thállius, responde que em alguns casos, o concurso servirá como um mero treinamento para outra seleção que é realmente almejada. Já em outras situações, se o certame for de um setor que foge muito da área pretendida, essa finalidade fica perdida e a tentativa poderá frustrar o candidato. Um exemplo seria o concurseiro que tem por objetivo uma carreira policial, que é bem específica, ser aprovado em outra área. Nesse caso, a ocupação de um cargo administrativo poderia gerar um servidor insatisfeito e infeliz. “Muitos que buscam apenas um trabalho bem remunerado e estável, sem querer um envolvimento muito grande com o cargo, terminam por se frustrar em algumas atividades de caráter mais intenso, com um contato direto com o público (muitas vezes de maneira não agradável) como nas funções de policial, fiscais em geral ou oficiais de justiça”, explica.

Muitas pessoas se inscrevem em seletivas fora do perfil, mas pensando em passos maiores, conhecidos como “concurso trampolim” ou “concurso escada”. Desta forma, podem complementar os estudos e treinar para outro certame. Este é o caso de Sidnei de Oliveira, morador de Indaiatuba, no interior paulista, que prestou o concurso para o cargo de escrevente do Tribunal de Justiça de São Paulo no último mês de julho. “Fiz a prova por causa das questões sobre direito. Sou estudante da área jurídica e queria testar meus conhecimentos, pois acredito que poderá ajudar para outras vagas”, comenta.

Thállius explica que “os concursos usados como escada fazem parte da vida de pessoas que almejam um cargo cuja preparação demanda um prazo maior, mas enquanto isso precisam de algo para se manter. O ponto positivo é que ao ter uma renda, a pressão no estudo fica um pouco mais aliviada. O ponto negativo é justamente o perigo de se acomodar com essa renda e deixar de batalhar por um cargo mais atrativo, além, é claro, da diminuição do tempo disponível para estudar”. Outra orientação é ficar atento aos postos públicos que pagam pouco e exigem muito no trabalho, a chance de ficar preso em uma situação assim poderá colocar em risco o objetivo final.

Ter familiaridade com a função deve ser levada em consideração? Não necessariamente, explica Moraes. “Varia muito de acordo com a área pretendida. Caso a busca seja por uma atribuição mais tranquila e com boa remuneração, os cargos de natureza administrativa são os mais procurados. Mesmo que sejam em órgãos distintos, as atribuições são semelhantes. Contudo, em algumas áreas que possuem atribuições especiais, são também muito buscadas pelos candidatos, que objetivam a remuneração como algo secundário, pois o real desejo é por determinado cargo em particular”.

Pouco tempo

Candidatos com pouco tempo para estudar devem direcionar a preparação de maneira produtiva. “Fazer questões anteriores, simulados e resumos são algumas das ferramentas que irão auxiliar nessa preparação. Com o tempo mais escasso, deve-se priorizar sempre as matérias mais cobradas e os pontos mais importantes, mas essa estratégia também varia um pouco de acordo com a banca e o cargo desejado”, afirma Thállius.

Sidnei acrescenta que sua conduta é sempre a mesma, independente do concurso. “Preciso focar minha atenção na prova e estudar o que for preciso. Posso não ter interesse no cargo, mas se relaxar, não será proveitoso. Se não levar a sério, corro o risco de apenas perder tempo e dinheiro”, diz.

Outro ponto a ser observado é sobre dificuldade com uma ou mais disciplinas do conteúdo programático, fato que geralmente desanima o candidato. Um bom planejamento pode ajudar a encarar esse desafio, contudo, vale ressaltar que raramente alguém tem sintonia com todas as matérias do edital, afinal, é comum uns sentirem mais dificuldades em língua portuguesa, outros em matemática, alguns em determinadas matérias de direito e assim por diante. “A dica é pensar na disciplina como um simples meio para se alcançar um fim. Não precisa gostar, basta apenas aprender a responder a questão”, orienta Moraes. Muitas vezes o bloqueio com determinado tema é criado pelo próprio candidato. “Pensar de forma positiva, esforçar-se mais e manter-se sempre estudando, mesmo que em alguns momentos o resultado pareça não chegar, é fundamental”, complementa o professor do AlfaCon Concursos.

Vale a pena?

Para o indaiatubano Sidnei, de 27 anos, conhecer o cargo e suas atribuições pode incentivar, mas independentemente dessa identificação, o que muitas vezes faz a diferença é o aprendizado. “Acredito que vale muito a pena tentar! Sinto que saio mais fortalecido a cada concurso que tento a sorte. Na dúvida, sempre opto por fazer a prova. Como meu objetivo é maior, acho que é interessante pela preparação. Isso é muito válido”, conta.  

Ainda sobre motivação, Thállius dá a dica. “O estudo é na maior parte do tempo frustrante, cansativo e solitário, por isso tantos desistem no meio do caminho. O importante é aprender com os erros, ter em mente que desistir não é uma opção e manter sempre uma postura positiva. Pode demorar um pouco, pode ser difícil e exaustivo, mas aqueles que não desistem conseguem chegar lá”, finaliza.

Atualizado: 29/06/2017 - 11:56

Concurso TST: prorrogada inscrição para 132 vagas

Ofertas no concurso do Tribunal Superior do Trabalho (TST) são para o cargo de juiz do trabalho substituto, que exige nível superior em direito e experiência de três anos de atividade jurídica

Inicial de R$ 27,5 mil

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

Foram prorrogadas até as 14h do dia 4 de agosto as inscrições do primeiro concurso público nacional unificado do Tribunal Superior do Trabalho (TST).  A seleção é destinada ao provimento de 132 postos de juiz do trabalho substituto, sendo sete reservados a pessoas com deficiência e 26 para os negros.
As ofertas estão distribuídas entre os tribunais dos Estados de São Paulo (100 vagas), Minas Gerais (8), Pará e Amapá (4), Amazonas e Roraima (12), Acre e Rondônia (5), Mato Grosso (2) e Mato Grosso do Sul (1). Haverá, ainda, formação de cadastro reserva para os tribunais dos Estados de Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco, Ceará, Paraná, Distrito Federal, Tocantins, Santa Catarina, Paraíba, São Paulo (Campinas), Maranhão, Espírito Santo, Goiás, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte e Piauí.
Para ingressar na carreira é necessário possuir formação em curso de nível superior em direito e experiência de, no mínimo, três anos de atividade jurídica exercida após a obtenção do grau de bacharel. A remuneração inicial é de R$ 27.500,17.

Inscrição no concurso TST


Interessados em concorrer a uma das vagas devem realizar a inscrição preliminar na página eletrônica da banca organizadora do certame, a Fundação Carlos Chagas (www.concursosfcc.com.br). O candidato deverá preencher a ficha de cadastro e anexar os seguintes documentos, digitalizados em formato JPEG, JPG, TIF, BMP, PNG ou PDF: foto colorida 3x4 recente e carteira de identidade.
Será cobrada uma taxa de participação do concurso TST, no valor de R$ 275, que deverá ser efetuado até a data limite de encerramento do prazo, observado o horário de funcionamento da rede bancária. 

Avaliações do concurso TST 2017


A primeira etapa a ser disputada pelos candidatos será a prova objetiva seletiva. Ela será composta por 100 questões de múltipla escolha agrupadas por disciplinas e em blocos, especificados a seguir: bloco I com 30 questões de direito individual do trabalho, direito coletivo do trabalho, direito administrativo e direito penal; bloco II com 40 questões de direito processual do trabalho, direito constitucional, direito constitucional do trabalho, direito civil e direito da criança e do adolescente e do jovem; bloco III com 30 questões de direito processual civil, direito internacional e comunitário, direito previdenciário, direito empresarial, direitos humanos e direitos humanos sociais.
A prova objetiva seletiva será realizada no dia 8 de outubro nas 24 cidades-sede dos Tribunais Regionais do Trabalho, de acordo com a opção do candidato no ato da inscrição preliminar: Rio de Janeiro/RJ, São Paulo/SP, Belo Horizonte/MG, Porto Alegre/RS, Salvador/BA, Recife/PE, Fortaleza/CE, Belém/PA, Curitiba/PR, Brasília/DF, Manaus/AM, Florianópolis/SC, João Pessoa/PB, Porto Velho/RO, Campinas/SP, São Luis/MA, Vitória/ES, Goiânia/GO, Maceio/AL, Aracaju/SE, Natal/RN, Teresina/PI, Cuiabá/MT e Campo Grande/MS.
Os candidatos habilitados e classificados na objetiva serão submetidos à segunda fase, que contará com duas provas escritas, sendo uma discursiva com 10 questões e uma prática para elaboração de uma sentença trabalhista. 
O concurso do TST ainda será constituído das seguintes etapas: inscrição definitiva; exame de sanidade física e mental; sindicância da vida pregressa e investigação social; prova oral; e avaliação de títulos.

Mais informações sobre o concurso TST


Com a publicação deste edital, foi oficializado que não haverá mais concursos regionais para a carreira de juiz. Até hoje, era normal sair anualmente vários editais dos Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) com oportunidades para a função; agora será um único edital para todo o país, sendo que a expectativa é de que a publicação não ocorra todos os anos.
Os aprovados neste processo seletivo deverão participar do curso de formação inicial, a realizar-se em Brasília, consoante calendário e orientações emanados da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho (ENAMAT).
O concurso TST será válido pelo prazo de dois anos, contados da data da publicação da homologação do resultado final, prorrogável uma única vez por igual período.

Atualizado: 05/04/2017 - 15:35

Confira os principais concursos previstos para 2017

Vários órgãos devem lançar, este ano, editais de concursos públicos para cargos de todos os níveis escolares. Salários iniciais chegam a R$ 22,1 mil. Veja a lista

Diversas áreas de atuação

Por JCConcursos - Camila Diodato

Cresce a expectativa para que saiam do papel os concursos que estão previstos para este ano de 2017. São diversos órgãos federais e estaduais que se programam para selecionar milhares de servidores para os seus quadros de pessoal.
Apesar de ainda haver incertezas econômicas para o país, os economistas esperam que em 2017 a economia fique melhor do que a apresentada no ano passado. E, com isso, aumenta a probabilidade para que as novas seleções sejam liberadas.
Como a defasagem de pessoal é grande em diversos órgãos, as vagas aguardadas para este ano são para todos os níveis de escolaridade e com salários entre R$ 1.072 e R$ 22.102,37. 
Confira abaixo mais detalhes.

Concurso Correios


Status: depende de estudo internoCargos: carteiro e operador de triagem e transbordoInformações: Os servidores dos Correios pressionam o órgão pela realização de concurso. Já é confirmado que a estatal tem uma defasagem de pelo menos 20 mil servidores. As oportunidades do novo certame em análise deve ser para as funções de carteiro e operador de triagem e transbordo (OTT), ambas de nível médio e com remuneração de R$ 2.712,98 e R$ 2.376,48, respectivamente. Sindicatos da categoria querem que a empresa retome em breve os preparativos do certame. Leia mais detalhes aqui

Concurso Receita Federal e Ministério da Fazenda 


Status: aguarda autorizaçãoCargos: assistente, analista e auditorInformações: Está previsto no Orçamento Federal um concurso para Receita Federal para os cargos de analista tributária, auditor fiscal, analista administrativo e assistente-técnico administrativo. Os postos administrativos pertencem ao quadro de pessoal do Ministério da Fazenda. Ensino médio é exigência para assistente e formação superior para os demais postos. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Federal


Status: depende de liberação de verbasCargos: delegado, perito, agente e escrivãoInformações: Quem pretende participar do concurso da Polícia Federal cujo pedido de liberação de verbas tramita no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), pode contar com mais uma boa notícia. O órgão divulgou que também pretender abrir certame para agente e escrivão, e não apenas para delegado e perito. Ao todo, deve ser abertas 1.758 vagas, sendo 600 para escrivão, 600 para agente, 491 para delegado e 67 para perito. Todas as carreiras exigem ensino superior completo e apresentam salários de até R$ 22.102,37. Leia mais detalhes aqui

Concurso Polícia Rodoviária Federal


Status: aguarda autorização e comissão prontaCargo: policial rodoviárioInformações: Embora o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão tenha devolvido para o órgão o pedido de autorização do concurso para o preenchimento de 1.500 vagas no cargo de policial rodoviário, a corporação constituiu, recentemente, um grupo de trabalho para elaboração de um novo edital de concurso, ainda sem data definida para publicação. Para concorrer é necessário possuir nível superior em qualquer área de formação e carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A remuneração é de R$ 9.491,98, com jornada de 40 horas semanais. Leia mais detalhes aqui
Veja também: Concursos que devem sair ainda este ano

Concurso ANTT


Status: aguardando autorizaçãoCargos: diversosInformações: A Agência Nacional de Transportes Terrestres já solicitou ao Ministério do Planejamento 710 vagas para os cargos de analista administrativo, especialista em regulação, técnico em regulação e técnico administrativo. Os postos são de níveis médio, técnico e superior, sendo que os vencimentos ficam entre R$ 5.503,25 e R$ 11.488,90. A categoria pleiteia a realização deste certame devido à alta defasagem de pessoal na agência, já que hoje ela apresenta 40% do seu quadro em aberto. Leia mais detalhes aqui

Concurso Ibama


Status: aguardando autorizaçãoCargos: analista ambiental e analista administrativoInformações: O Ibama deve reencaminhar novo pedido de concurso ao Ministério do Planejamento para cargos de níveis médio e superior. Os salários iniciais correspondem a R$ 3.712,72 para técnico e a R$ 7.760,45 para analista. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Ministério do Trabalho


Status: aguardando autorizaçãoCargo: auditor-fiscal do trabalhoInformações: O Ministério do Trabalho reencaminhou ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) o pedido de realização de concurso para 847 vagas de auditor-fiscal do trabalho. Em 2014, o MPOG encaminhou ao Ministério do Trabalho uma nota, na qual informava que concederia o provimento de 847 vagas para o cargo no decorrer dos próximos três anos, ou seja, até 2017. Apesar dos cortes orçamentários anunciado pelo Governo, é grande a expectativa para que o aval seja liberado em breve, pois o órgão sofre com uma grande defasagem de auditores. A carreira exige formação superior e o salário atual é de R$ 16.201,64. Leia mais detalhes aqui

Concurso Centro Paula Souza


Status: aguardando autorizaçãoCargos: diversosInformações: Com a realização de diversos concursos na área docente, iniciados em 2015, cresce a expectativa pela realização do processo seletivo público para a área administrativa. O órgão conta com pedido de autorização para o preenchimento de 2.596 vagas, sendo 428 para cargos de ensino fundamental, 978 para médio e 1.190 para superior. As remunerações partem de R$ 1.072 e chegam a R$ 3.889,60. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Jucesp


Status: aguardando autorizaçãoCargo: técnico em processamento de registros públicosInformações: A Jucesp aguarda autorização do governador Geraldo Alckmin para realizar concurso com 110 vagas para técnico em processamento de registros públicos. Para concorrer é necessário apenas possuir ensino médio, com inicial de R$ 2.500. O órgão também conta com 141 vagas de nível superior em pauta, sem previsão de edital, uma vez que não estão no pedido, sendo 101 para analista e 40 para especialista, respectivamente, com iniciais de R$ 5.000 e R$ 6.500. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/SP


Status: aguardando autorizaçãoCargos: diversosInformações: A Polícia Civil de São Paulo encaminhou novo pedido para a Secretaria de Gestão Pública (SGP/SP) para que seja autorizada a contratação de servidores. Embora o pedido anterior fosse de 3.176 oportunidades, a nova solicitação é maior, para 4.438. Destas, 2.074 são para realização de novos concursos e 2.364 para convocação de remanescentes. Das oportunidades para novas seleções, 253 são para cargos de nível médio e 1.821 para carreiras de nível superior, com iniciais que vão de R$ 3.365 a R$ 10.079,28. Porém, independente do pedido, tramita na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) o projeto de lei complementar 37/2016, que visa a reestruturar as carreiras policiais, englobando diversos cargos de ensino médio em uma nova carreira, que poderá se chamar agente de polícia. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Câmara dos Deputados


Status: defasagem de pessoalCargos: diversosInformações: Cresce a expectativa para que a Câmara dos Deputados realize em 2017 um novo concurso. Está no Orçamento Federal sancionado a realização de certame para as funções de técnico (nível médio) e analista (superior), com vencimentos respectivos de R$ 13.578,58 e R$ 20.384,43. Leia mais detalhes aqui

Concurso Procon/DF


Status: está no OrçamentoCargos: técnico, analista e fiscalInformações: Consta na lei das diretrizes orçamentárias a realização de novo concurso para o Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon/DF). O documento prevê 39 vagas, sendo seis para técnico de atividade de defesa do consumidor (ensino médio), 15 para analista de atividade de defesa do consumidor (superior) e 18 para fiscal de defesa do consumidor (superior). Os iniciais são de R$ 3.919,13 para técnico e R$ 5.293,30 para analista e fiscal. Leia mais detalhes aqui

Concurso Ministério Público/AL


Status: comissão formadaCargos: diversosInformações: Já foi constituído o grupo que ficará responsável pela concretização do concurso do Ministério Público de Alagoas (MP/AL). Não foram revelados os cargos, mas ao que tudo indica boa parte das oportunidades será para as mesmas funções do certame de 2011. Leia mais detalhes aqui.

Concurso PM/BA


Status: banca definidaCargo: soldadoInformações: A Polícia Militar da Bahia (PM/BA) já definiu a banca organizadora do seu próximo concurso com 2.750 vagas para soldado; a escolhida é a IBFC. A carreira exige ensino médio, idade de 18 a 30 anos até a data da matrícula para o curso de formação, carteira de habilitação categoria “B” e altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres. Os vencimentos atuais correspondem ao valor de R$ 2.197,78. O número de vagas ainda não foi revelado. Leia mais detalhes aqui

Concurso TRE/BA


Status: criada comissãoCargos: técnico e analistaInformações: O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE/BA) definiu a comissão que ficará responsável pelo seu próximo certame para técnico e analista judiciário. A carreira de técnico necessita de nível médio e apresenta inicial de R$ 6.774,52, enquanto o emprego de analista requer formação superior e tem remuneração de R$ 10.548,52. Leia mais detalhes aqui

Concurso PM/AM


Status: depende de verbas orçamentáriasCargos: soldado e oficialInformações: Segue em pauta a abertura do concurso para o quadro de pessoal da Polícia Militar do Amazonas. A expectativa é de que sejam abertas 5.000 vagas para as funções de soldado e oficial, que necessitam de níveis médio e superior, respectivamente. Leia mais detalhes aqui

Concurso TST


Status: em avaliação internaCargos: técnico e analistaInformações: O Tribunal Superior do Trabalho (TST), no Distrito Federal, se programa para realizar concurso público para as funções de técnico e analista, cujos iniciais correspondem a R$ 8.535,24 e a R$ 13.399,17, respectivamente. O próximo passo será a escolha da banca organizadora. Leia mais detalhes aqui.

Concurso ANS


Status: depende de autorizaçãoCargos: analista e especialistaInformações: A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) deve abrir concurso com 231 vagas distribuídas entre os cargos de analista administrativo e especialista em regulação, ambos com exigência de formação superior. Iniciais correspondem a R$ 11.529,29 para analista e a R$ 12.432,49 para especialista, contando com o vale-alimentação de R$ 458. Leia mais detalhes aqui.
Todos os concursos previstos podem ser conferidos aqui.

Atualizado: 02/01/2017 - 08:56

Orçamento 2017: previsão de 83 mil vagas neste ano

Entre os órgãos que devem abrir concurso estão Receita Federal, IBGE, Câmara dos Deputados, ANS, EPE, MPT, MPF, tribunais e institutos federais de ensino

Já está sancionado

Por JCConcursos - Camila Diodato

Para o ano de 2017 há uma previsão de nada menos do que 83.061 vagas distribuídas dezenas de órgãos federais  a serem preenchidas por meio de concursos públicos.
Acontece que no último dia 27 de dezembro o presidente Michel Temer sancionou o documento que prevê tais oportunidades, que é o Projeto de Lei Orçamentária Federal de 2017
Grande parte dos concursos previstos no Orçamento são para órgãos que não dependem de autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), como no caso dos Institutos Federais, mas tem alguns que assim que sancionado o documento poderão ter o aval liberado pelo ministro do Planejamento. Confira mais detalhes!

Concurso Receita Federal


A previsão é de que sejam abertas 400 vagas para o concurso da Receita Federal do Brasil. As oportunidades estarão distribuídas entre os cargos de assistente administrativo, analista administrativo, auditor-fiscal e analista tributário, com salários que chegam a R$ 16.201,64 por mês. O posto de assistente requer ensino médio, enquanto os demais necessitam de formação superior. Leia mais detalhes aqui

Concurso IBGE


O Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) está em pauta no Orçamento e, com isso, a liberação do concurso para 82.050 chances temporárias que havia sido suspenso este ano. As oportunidades serão para os cargos de analista censitário (250 vagas), analista censitário regional (486), agente censitário administrativo (700), agente censitário municipal (5.500), agente censitário supervisor (12.540), agente censitário de informática (174) e recenseador (62.400). Leia mais detalhes aqui.

Concurso ANS


A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é um dos órgãos que podem realizar novo concurso público em 2017. Acontece que o Orçamento apresenta 231 vagas de nível superior para os cargos de analista administrativo e especialista em regulação. Tais oportunidades deverão ter aval do Ministério do Planejamento para que possam sair do papel. Inclusive, há uma projeção de que o certame tenha aproximadamente 57.750 inscritos. Leia mais detalhes aqui.

Concurso EPE


Outro órgão que aguarda pela aprovação do Orçamento e autorização do Planejamento é a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). A instituição pretende abrir concurso para cargos de níveis médio e superior que ainda não foram revelados. 

Concurso Câmara dos Deputados


Um dos concursos em pauta para o ano que vem e que está inserido no Orçamento para 2017 é o da Câmara dos Deputados. O certame contemplará oportunidades para os cargos de técnico legislativo e analista legislativo. A projeção do órgão é de que o processo seletivo receba cerca de 70.200 inscrições. Leia mais detalhes aqui.

Outros concursos previstos para 2017


Os adendos do Orçamento também preveem a abertura de concursos para o Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT), Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), Instituto Federal Goiano (IFGoiano), Instituto Federal do Maranhão (IFMA), Instituto Federal do Mato Grosso (IFMT), Fundação Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), Colégio Pedro II, Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE/BA), Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE/CE), Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso do Sul (TRE/MS), Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE/PR), Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE/RJ), Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE/RN), Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE/SC), Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE/TO), Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF 1), Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF 2), Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF 3), Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF 4) e Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF 5).

Atualizado: 14/10/2016 - 12:15

TRFs: PL que cria 1.230 vagas ainda aguarda parecer

Com remunerações iniciais de até R$ 23,9 mil, as oportunidades serão destinadas aos cargos de técnico, analista e juiz, para candidatos com níveis médio e superior

Em todo o país

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

O projeto de lei 8132/2014, que tramita na Câmara dos Deputados e trata de criação de 1.230 vagas para os cargos de juiz, técnico e analista em  Tribunais Regionais Federais (TRFs) de todo o país, está em análise, desde o dia 9 de maio, por parte do deputado Esperidião Amin (PP/SC), relator, na Comissão de Finanças e Tributação, com o objetivo de atualizar a legislação orçamentária. 

A proposta conta, desde 10 de novembro de 2015, com pedido de requerimento para que seja votado em regime de urgência, apresentado pelo deputado Eduardo da Fonte, líder do bloco parlamentar PP, PTB, PSC e PHS e outros líderes partidários.   

Em 21 de outubro de 2015, o relator já havia atestado a compatibilidade e adequação financeira e orçamentária e pela não implicação em aumento ou diminuição da receita ou despesas públicas. Porém, o texto retornou ao parlamentar para nova avaliação.

Após parecer da Comissão de Finanças, o projeto ainda deverá passar pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) antes de ser votado em plenário.

Do total de oportunidades, 410 são para a carreira de técnico judiciário, com exigência de ensino médio, 738 para analista judiciário, de nível superior, e 82 para juiz. As remunerações iniciais são de R$ 4.947,95 para técnicos, R$ 8.118,19 para analistas e R$ 23.997,19 para juízes.

Regiões Concurso TRF

Para a Primeira Região, com sede em Brasília, e que engloba também os Estados do Acre, Amapá, Amazonas,Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí,Rondônia, Roraima e Tocantins, são 165 vagas efetivas para analista, 297para técnico e 33 para juiz.

Na Segunda, que inclui o Rio de Janeiro e Espírito Santo, são 60 efetivas para técnico, 108 efetivas para analista e 12 para juiz.

Prepare-se para o concurso dos Tribunais Regionais Federais (TRF)

Provas Anteriores dos Tribunais Regionais Federais (TRF)Edição Digital do Jornal dos ConcursosAPOSTILAS CONCURSO TRIBUNAIS REGIONAIS FEDERAIS (TRF)

Na Terceira, com São Paulo e Mato Grosso do Sul, 85 efetivas para técnico, 153 efetivas para analista e 17 para juiz.

Na Quarta, que inclui Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, são 60 para técnico, 108 para analista e 12 para juiz.

Finalmente,para a Quinta, que inclui Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe, são 40 para técnico, 72 para analista e oito para juiz.

Cargo de juiz


As vagas de juiz deverão ser preenchidas até 2019, com as respectivas oportunidades efetivas e comissionadas sendo criadas no sentido de permitir a instalação dos novos gabinetes, turmas e seções e das áreas administrativas.

Atualizado: 10/10/2016 - 12:08

Mercadocon: novo site e benefícios aos concurseiros

Mercadocon.com.br integra fornecedores de material preparatório para concursos públicos e possibilita ao candidato pesquisar as melhores ofertas para preparação disponíveis no mercado

Descontos e brindes Se já era fácil encontrar produtos no Mercadocon, agora você não precisa nem mais procurar. A novidade anunciada esta semana pela primeira megastore dos concursos públicos são as páginas por órgão, onde são relacionados todo o tipo de material preparatório (cursos, apostilas, e-books etc.) vinculado ao órgão em questão. Tudo reunido em um só lugar, para facilitar a busca do usuário e possibilitar que ele encontre, dentre os mais de 4 mil produtos cadastrados na plataforma, aquele que melhor vai atender a suas necessidades.
Um das principais vantagens do Mercadocon é o fato de oferecer descontos especiais e exclusivos - muitas vezes, usuários vão encontrar produtos e serviços com preços mais baixos que aqueles apontados nos próprios sites dos fornecedores! O comparador de preços ainda ajuda o usuário a chegar ao melhor custo-benefício dentre os diversos itens disponibilizados no site. Além disso, todo usuário que efetuar uma compra ganha na hora: 5% de desconto, um e-book grátis e uma Assinatura VIP JC Concursos (nas compras acima de R$ 100).
O sistema de integração automática com os fornecedores permite, ainda, que os usuários adquiram o que há de mais atualizado no mercado, considerando os conteúdos programáticos dos últimos editais publicados. A qualidade também é garantida, uma vez que, antes de serem cadastrados no site, todos os produtos são avaliados pelas equipes Mercadocon, E-Bit e ReclameAqui, tudo para garantir a satisfação e o melhor preço aos usuários.
Diante de seu fortalecimento no mercado de preparação para concursos públicos, vestibulares e exame da OAB, o Mercadocon vem trabalhando em novas ações promocionais e ofertas para impulsionar as suas vendas através de redes sociais, Google e sites parceiros.

Mais vantagens de comprar pelo Mercadocon


- Layout moderno, com novos conceitos market place, que facilitam a pesquisa pelos melhores produtos para os concursos de seu interesse;- Nova ferramenta de avaliação dos produtos, que facilita a interação entre usuários que se preparam para o mesmo concurso, além de simplificar a busca pelos melhores materiais para a preparação;- Ambiente 100% seguro em todo o site. Agora o usuário que navega no site www.mercadocon.com.br está protegido durante toda a navegação;- Integração com sites como Reclame Aqui, E-bit, que ajudam o candidato a ter mais confiança antes de investir na preparação para concursos.
Conheça o site e encontre conteúdos de primeira linha para turbinar a sua preparação em busca da tão sonhada vaga!
O Mercadocon segue cadastrando novos fornecedores. O contato pode ser realizado pelo e-mail contato@mercadocon.com.br.

Atualizado: 06/09/2016 - 12:11

Concurso Receita Federal: avança PL que prevê reajuste

Assim que sancionada a proposta, os salários iniciais passarão a R$ 10,6 mil para analista e a R$ 18,7 mil para auditor. Cargos são de nível superior e o concurso Receita Federal depende de aval

Analista e auditor

Por JCConcursos - Camila Diodato e Cintia Amaro

Receita Federal do Brasil (RFB) é um dos órgãos com maior defasagem de pessoal no país e, consequentemente, um dos que mais precisa realizar novo concurso público.
Enquanto a autorização do processo seletivo não sai, há uma boa notícia para todos aqueles que aguardam com expectativa a abertura de vagas para o órgão. Avançou na Câmara dos Deputados o projeto de lei (PL) que prevê reajuste salarial para auditor-fiscal e analista-tributário de maneira escalonada até 2019.
No último dia 22 de agosto, foi constituída a Comissão Especial que ficará com a responsabilidade de analisar o PL 5.864/2016. Agora, a partir de setembro, serão feitas cinco sessões para receber e avaliar possíveis emendas ao projeto, antes de ser votado em plenário.Depois de aprovado e sancionado pelo presidente da República é que ocorrerão efetivamente os reajustes salariais.
Atualmente, as remunerações iniciais correspondem a R$ 9.714,42 para analista e a R$ 16.201,64 para auditor. Nestes valores já está incluso o auxílio-alimentação de R$ 458. Logo que o projeto for sancionado, os valores já irão de imediato para R$ 10.623,92 e R$ 18.754,20, respectivamente. 
No caso do analista, com os próximos aumentos, os iniciais irão para: R$ 11.132,21 em 2017; R$ 11.639,24 em 2018; e R$ 12.142,39 em 2019. Para auditor, os reajustes ocorrerão na seguinte se-quência entre 2017 e 2019: R$ 19.669,01; R$ 20.581,53; e R$ 21.487,09.

Defasagem de pessoal e pedido do concurso Receita Federal


Receita Federal do Brasil encaminhou ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) pedido para a abertura de 1.000 vagas, sendo 600 para analista-tributário e 400 para auditor-fiscal.
No final de junho, o Planejamento devolveu a solicitação com a justificativa de que o certame deverá ser adiado devido à crise orçamentária. O problema é que a RFB sofre com a defasagem de pessoal.
Levantamento de abril do Ministério do Planejamento aponta que a Receita Federal tem mais postos em aberto do que preenchidos. O quadro do órgão constitui-se de 37.128 vagas, entretanto, somente 17.339 estão ocupados.
A situação pior é com relação ao cargo de analista-tributário, já que dos 16.679 postos, apenas 7.104 estão preenchidos. No caso da posição de auditor-fiscal há 10.214 chances vagas de um total de 20.449 oportunidades.
O vice-presidente do Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita), Geraldo Seixas, disse que é importante a recomposição dos quadros RFB, principalmente para a função de analista. Seixas comentou que "há uma defesa feita pela administração pela realização de concurso para analista".
Ainda de acordo com o vice-presidente, a carência de servidores poderá ser verificada com mais precisão depois que a RFB terminar um processo de modernização, em que será definido um estudo de lotação.
O número de aposentadorias do órgão é grande e, por isso, o Sindireceita não acredita que a falta de concursos poderá durar muito tempo. Fora isso, a defasagem de pessoal traz diversos prejuízos, como a falta de servidores nas fronteiras, o que compromete a fiscalização.

Sobre os cargos do concurso Receita Federal


Tanto a função de analista quanto a de auditor se destinam aos candidatos com certificado de ensino superior emitido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Ambos os postos admitem cursos de nível superior em qualquer área de atuação.
Entre os deveres do analista-tributário estão: exercer atividades de natureza técnica, acessórias ou preparatórias ao exercício das atribuições privativas dos auditores-fiscais; atuar no exame de matérias e processos administrativos; exercer, em caráter geral e concorrente, as demais atividades inerentes às competências da Secretaria da Receita Federal do Brasil.
O auditor é o profissional que deve constituir, mediante lançamento, o crédito tributário e de contribuições; elaborar e proferir decisões ou delas participar em processo administrativo-fiscal, bem como em processos de consulta, restituição ou compensação de tributos e contribuições e de reconhecimento de benefícios fiscais;  executar procedimentos de fiscalização, praticando os atos definidos na legislação específica, inclusive os relacionados com o controle aduaneiro, apreensão de mercadorias, livros, documentos, materiais, equipamentos e assemelhados; entre outras tarefas.

Prepare-se para o concurso Receita Federal

O JC Concursos selecionou materiais preparatórios atualizados e de qualidade, através dos links abaixo, de fornecedores experientes e com índices de aprovação, para garantir o seu melhor investimento para o concurso público da Receita Federal.
SIMULADO ONLINE CONCURSO RECEITA FEDERALPROVA ANTERIOR CONCURSO RECEITA FEDERALVIDEOAULA PARA RECEITA FEDERALCURSO ONLINE RECEITA FEDERAL - AUDITOR FISCAL

Pedido anterior do concurso Receita Federal


Anteriormente, em 2015, a RFB pediu ao Ministério Planejamento um total de 5.000 oportunidades, sendo 2.000 são para auditor-fiscal e 3.000 para analista tributário.
Em resposta ao JC Concursos, a coordenadoria de gestão de pessoas (Cogep) da Receita Federal havia informado que as oportunidades solicitadas ao MPOG refletem a necessidade do órgão, porém não se sabe quantas postos podem de fato serem autorizadas pelo Planejamento.

Pedro Delarue, auditor-fiscal da Receita e ex-presidente do Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil), já tinha declarado que o ministério deveria liberar um número bem menor de vagas, pois o costume é autorizar uma quantidade inferior à solicitada. Prova disso é o que aconteceu no ano de 2014, pois o Planejamento aprovou apenas 278 chances para a função de auditor, sendo que a Receita havia pedido, em 2013, a liberação de 3.000 oportunidades para analista e auditor.
Como o Planejamento não liberou o aval, a RFB chegou a encaminhar outro pedido em maio. A princípio cogitava-se solicitar 4.000 vagas, mas no final foram requeridas apenas 1.000 e pelo próprio ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Preparação para o concurso RFB


Por ser um dos concursos mais concorridos do Brasil, quem deseja conquistar um posto na RFB deve iniciar os estudos com antecedência. Segundo Delarue, “as provas são disputadíssimas e as pessoas que estão estudando estão super preparadas, então, é necessário estudar bastante, já que há uma grande variedade de temas”. Uma opção para se preparar para a seleção é analisar o conteúdo programático e as avaliações dos processos seletivos anteriores.

APOSTILA CONCURSO RECEITA FEDERAL - ANALISTA TRIBUTÁRIO

Pesquise material preparatório para o concurso Receita Federal


- 19 PRODUTOS [CURSOS, APOSTILAS E E-BOOKS]

Atualizado: 20/01/2016 - 14:57

TRFs: PL para 1.230 vagas pode tramitar com urgência

Com remunerações iniciais de até R$ 23,9 mil, as oportunidades serão destinadas a candidatos com níveis médio e superior. Após aprovação, concursos ainda vão dependem de aprovação

Técnico, analista e juiz

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Com o término do recesso parlamentar, em 2 de fevereiro, pode ser votado com maior celeridade na Câmara dos Deputados o projeto de lei 8.132/2014que cria 1.230 vagas para os cargos de juiz, técnico e analista em todosos Tribunais Regionais Federais (TRFs) do país. Acontece que, desde 10 de novembro, a proposta conta com requerimento para que passe a ser avaliada em regime de urgência.

Aprovadono dia 9 de setembro pela Comissão de Trabalho, de Administração eServiço Público (CTASP), o projeto agora depende de aprovação na Comissão deFinanças e Tributação (CFT).

Depois de passar pela CFT, o PLserá encaminhado à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania(CCJC), para então ir para votação no Plenário.

Concurso TRF 3a Região: Saiu edital com 33 vagas para técnico e analista.

Deacordo com o relator, deputado Benjamin Maranhão (SD/PB), há uma grandedefasagem da capacidade de juízes em relação à demanda, lembrando que acriação de 230 varas da Justiça Federal de primeiro grau forçou anecessidade de recompor a Justiça de segundo grau.

Do total de oportunidades, 410 são para a carreira de técnico judiciário, com exigência de ensino médio, 738 para analista judiciário, de nível superior, e 82 para juiz. As remunerações iniciais são de R$ 4.947,95 para técnico, R$ 8.118,19 para analista e R$ 23.997,19 para juiz. 

Regiões Concurso TRF

Paraa Primeira Região, com sede em Brasília, e que engloba também osEstados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso,Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins, são 165 vagasefetivas para analista, 297 para técnico e 33 para juiz.

NaSegunda, que inclui o Rio de Janeiro e Espírito Santo, são 60 efetivaspara técnico, 108 efetivas para analista e 12 para juiz.

Prepare-se para o concurso dos Tribunais Regionais Federais (TRF)

Provas Anteriores dos Tribunais Regionais Federais (TRF)Edição Digital do Jornal dos ConcursosAPOSTILAS CONCURSO TRIBUNAIS REGIONAIS FEDERAIS (TRF)

Na Terceira, com São Paulo e Mato Grosso do Sul, 85 efetivas para técnico, 153 efetivas para analista e 17 para juiz.

Na Quarta, que inclui Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, são 60 para técnico, 108 para analista e 12 para juiz.

Finalmente,para a Quinta, que inclui Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, RioGrande do Norte e Sergipe, são 40 para técnico, 72 para analista e oitopara juiz.

Cargo de juiz


As vagas de juiz deverão serpreenchidas até 2019, com as respectivas oportunidades efetivas ecomissionadas sendo criadas no sentido de permitir a instalação dosnovos gabinetes, turmas e seções e das áreas administrativas.

Atualizado: 29/12/2015 - 10:45

TRFs: projeto que cria 1.230 vagas segue em análise

Com remunerações iniciais de até R$ 23,9 mil, as oportunidades serão destinadas a candidatos com níveis médio e superior. Após aprovação, concursos ainda vão dependem de aprovação

Técnico, analista e juiz

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Continua em análise na Câmara dos Deputados o projeto de lei 8.132/2014 que cria 1.230 vagas para os cargos de juiz, técnico e analista em todos os Tribunais Regionais Federais (TRFs) do país.

Aprovada no dia 9 de setembro pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), a proposta está em pauta na Comissão de Finanças e Tributação (CFT).

Depois de passar pela CFT, o PL será encaminhado à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), para então ir para votação no Plenário.

Concurso TRF 3a Região: Saiu edital com 33 vagas para técnico e analista.

De acordo com o relator, deputado Benjamin Maranhão (SD/PB), há uma grande defasagem da capacidade de juízes em relação à demanda, lembrando que a criação de 230 varas da Justiça Federal de primeiro grau forçou a necessidade de recompor a Justiça de segundo grau.

Do total de oportunidades, 410 são para a carreira de técnico judiciário, com exigência de ensino médio, 738 para analista judiciário, de nível superior, e 82 para juiz. As remunerações iniciais são de R$ 4.947,95 para técnico, R$ 8.118,19 para analista e R$ 23.997,19 para juiz. 

Regiões Concurso TRF

Para a Primeira Região, com sede em Brasília, e que engloba também os Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins, são 165 vagas efetivas para analista, 297 para técnico e 33 para juiz.

Na Segunda, que inclui o Rio de Janeiro e Espírito Santo, são 60 efetivas para técnico, 108 efetivas para analista e 12 para juiz.

Prepare-se para o concurso dos Tribunais Regionais Federais (TRF)

Provas Anteriores dos Tribunais Regionais Federais (TRF) Edição Digital do Jornal dos Concursos APOSTILAS CONCURSO TRIBUNAIS REGIONAIS FEDERAIS (TRF)

Na Terceira, com São Paulo e Mato Grosso do Sul, 85 efetivas para técnico, 153 efetivas para analista e 17 para juiz.

Na Quarta, que inclui Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, são 60 para técnico, 108 para analista e 12 para juiz.

Finalmente, para a Quinta, que inclui Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe, são 40 para técnico, 72 para analista e oito para juiz.

Cargo de juiz


As vagas de juiz deverão ser preenchidas até 2019, com as respectivas oportunidades efetivas e comissionadas sendo criadas no sentido de permitir a instalação dos novos gabinetes, turmas e seções e das áreas administrativas.

Atualizado: 05/11/2015 - 10:50

Mercadocon: preços atrativos em mais de 1.600 produtos

O primeiro comparador de preços do segmento de concursos públicos está lançando descontos especiais e exclusivos, além da integração automática com as lojas virtuais de seus fornecedores

Megastore dos concursos Primeiro comparador de preços do segmento de concursos públicos no país, o Mercadocon tem se mostrado uma plataforma que favorece, em diversos sentidos, concurseiros de todo o país. Há pouco mais de seis meses no ar, a megastore dos concursos públicos já possui mais de 1.600 itens cadastrados, entre produtos e serviços físicos e on-line. São conteúdos preparatórios de empresas especializadas com comparador de preços para garantir o melhor custo-benefício aos usuários.
Entre as novidades que já foram implantadas e que vão trazer ainda mais benefícios para quem almeja uma vaga na carreira pública, estão: descontos especiais e exclusivos para o Mercadocon, ou seja, muitas vezes, usuários vão encontrar produtos e serviços com preços mais baixos que aqueles apontados nos próprios sites dos fornecedores; além da integração automática com os fornecedores, o que permite que os usuários encontrem sempre o material mais atualizado e conveniente para sua preparação.
Confira outras vantagens de comprar através do Mercadocon:
- Layout moderno, com novos conceitos market place, que facilitam a pesquisa pelos melhores produtos para os concursos de seu interesse;- Nova ferramenta de avaliação dos produtos, que facilita a interação entre usuários que se preparam para o mesmo concurso, além de simplificar a busca pelos melhores materiais para a preparação;- Ambiente 100% seguro em todo o site. Agora o usuário que navega no site www.mercadocon.com.br está protegido durante toda a navegação;- Integração com sites como Reclame Aqui, E-bit, que ajudam o candidato a ter mais confiança antes de investir na preparação para concursos.
Vale ressaltar que todos os produtos disponíveis em www.mercadocon.com.br passam por uma análise para garantir a satisfação e o melhor preço aos candidatos. Além disso, toda ação promocional realizada pelos fornecedores e afiliados é automaticamente atualizada na megastore.
Conheça o site e encontre conteúdos de primeira linha para turbinar a sua preparação em busca da tão sonhada vaga.
O Mercadocon segue cadastrando novos fornecedores. O contato pode ser realizado pelo e-mail contato@mercadocon.com.br.

Atualizado: 03/11/2015 - 15:37

Receita Federal: falta de concurso afetará os serviços

A Receita Federal do Brasil (RFB) solicitou ao Ministério do Planejamento a abertura de um concurso com 3.000 vagas para analista-tributário e 2.000 para auditor-fiscal. Ambos exigem nível superior

Defasagem de pessoal

Por JCConcursos - Camila Diodato, Camila de Lira e Yahell Luci Lima

O pedido para 5.000 vagas da Receita Federal do Brasil (RFB) deve ser afetado com medida da suspensão de concursos no âmbito federal, que foi anunciada em setembro. O problema é que, com isso, o déficit de pessoal será maior ainda.

De acordo com a assessoria de comunicação do Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil), o sindicato quer que o concurso seja realizado. E um dos motivos é a quantidade insuficiente de servidores, pois com a não realização do processo seletivo haverá um acúmulo no trabalho e, consequentemente, queda na produtividade.

Somente no cargo de auditor-fiscal, no momento, a RFB tem um quadro de 10.500 funcionários. Tal número é insuficiente para atender a demanda de trabalho e, fora isso, há ainda os profissionais que estão em fase de aposentadoria.

Prepare-se para o concurso da Receita Federal

Provas Anteriores da Receita FederalVideoaulas para Receita FederalCURSOS ONLINE PARA RECEITA FEDERALAPOSTILA CONCURSO RECEITA FEDERAL - ANALISTA TRIBUTÁRIO

Déficit de profissionais 


Segundo informações do site da Associação Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), o coordenador-geral do Cogep da RFB, Francisco Lessa Ribeiro, havia informado que a instituição possui 24.000 servidores, entre auditores, analistas e profissionais administrativos. "O órgão opera com 49% do limite de sua ocupação, sendo que tem um quadro autorizado de 20.000 auditores-fiscais e de 16.000 analistas-tributários", enfatizou o coordenador.
Sílvia de Alencar, presidente do Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita), apresentou mais números para mostrar a importância da realização do concurso. De acordo com Sílvia, a Receita Federal conta apenas com 40% dos analistas-tributários que necessita, o que gera graves problemas em todas as unidades do órgão. 
Desde 2002, a Receita registra uma média de 600 aposentadorias por ano na carreira de auditor. Entre 2009 e 2014, 3.246 servidores deixaram de trabalhar no órgão e, por meio de concurso, entraram somente 1.204, ou seja, um déficit de 2.042 auditores no período.
Veja também: confira o depoimento do 1º colocado no concurso da Receita

Pedido de concurso da Receita Federal


A RFB solicitou ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) um total de 5.000 vagas para a abertura de um novo concurso. Destas oportunidades, 2.000 são para auditor e 3.000 para analista.

Os postos de auditor-fiscal e analista-tributário exigem diploma de graduação.Consta na tabela de remuneração dos servidores federais de 2015 que ossalários oferecidos correspondem a R$ 16.116, 64 e R$ R$ 9.629,42,respectivamente, já incluindo o auxílio-alimentação no valor de R$ 373.
Anteriomente, em resposta ao JC Concursos, a coordenadoria de gestão de pessoas (Cogep) da RFB havia informado que asoportunidades solicitadas ao MPOG refletem a necessidade do órgão,porém não se sabe quantas vagas serão de fato autorizadas peloPlanejamento.
Pedro Delarue, auditor-fiscal da Receita Federal eex-presidente do Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos AuditoresFiscais da Receita Federal do Brasil), já tinha declarado que oministério deveria liberar um número bem menor de vagas, pois o costume éautorizar uma quantidade inferior à solicitada. Prova disso é o queaconteceu no ano de 2014, pois o Planejamento aprovou apenas 278 postospara a função de auditor, sendo que a Receita havia pedido, em 2013, aliberação de 3.000 oportunidades para analista e auditor.

Divulgação do edital


No início de 2015, em reunião com o Sindireceita, o secretário da RFB, Jorge Rachid, disse que acreditava que o MPOG concedesse a autorização ainda este ano. O objetivo era abrir este ano concurso para auditor, analista e cargos da área administrativa.

A expectativa do órgão era de que os aprovados fossem convocados durante 2015. Mas com a suspensão dos concursos, a realização deste certame será adiada e, por isso, os interessados devem esperar mais um pouco e aproveitar o tempo para estudar.

Postos de nível médio


Pedro Delarue afirmou que a grande carência de pessoal da Receita Federal, atualmente, também está relacionada às carreiras de apoio, que requerem ensino médio completo. Os servidores que exercem tais funções pertencem diretamente ao quadro do Ministério da Fazenda, que depois os redistribui para as unidades da RFB.
No pedido enviado em junho de 2014 ao MPOG, foram solicitadas vagas para as carreiras de analista-tributário e auditor-fiscal, além das voltadas para a área administrativa (assistente e analista).

Certificado de ensino médio é o requisito para disputar a ocupação de assistente administrativo da Receita Federal. O profissional que atua neste emprego recebe R$ 3.050,82 por mês.
Para concorrer às colocações de analista administrativo é necessário curso superior e o salário vigente para a função corresponde a R$ 4.244,62.

Preparação para o concurso


Por ser um dos concursos mais concorridos do Brasil, quem deseja conquistar um posto na RFB deve iniciar os estudos com antecedência. Segundo Delarue, “as provas são disputadíssimas e as pessoas que estão estudando estão superpreparadas, então, é necessário estudar bastante, já que há uma grande variedade de temas”. Uma opção para se preparar para a seleção é analisar o conteúdo programático e as avaliações dos processos seletivos anteriores. 

5 dicas para o concurso da Receita Federal


1.
As provas para auditor-fiscal e analista tributário da Receita Federal são elaboradas pela Esaf. Resolver provas anteriores aumenta sua compreensão de como os assuntos são cobrados em prova, bem como quais tópicos aparecem com mais frequência.
2. Fique atento para as disciplinas com maior peso. Dependendo do cargo, português, direito administrativo e constitucional, contabilidade, direito tributário, auditoria e legislação tributária e aduaneira pontuam em dobro.
3. Não despreze nenhuma disciplina. Por mais que você deteste estudar raciocínio lógico, por exemplo, é necessário ter um aproveitamento mínimo de 40% em cada disciplina, e de 60% na pontuação global.
4. Não se esqueça da prova dissertativa, que usualmente cobra assuntos de direito tributário, legislação tributária e aduaneira, entre outros possíveis. Faça no mínimo uma redação por semana, começando pelos assuntos que você mais domina.
5. Não deixe para estudar depois de publicado o edital. Por se tratar de provas com concorrência qualificada e como algumas disciplinas são bastante específicas, tais como legislação aduaneira e tributária, é necessário um período maior de preparação.
Rodrigo Cozer, analista da Receita Federal aprovado pelo AlfaCon Concursos Públicos

Atualizado: 08/05/2015 - 14:22

Área de formação influencia no concurso da Receita?

Advogados, contadores e engenheiros possuem mais chances de serem aprovados no concurso da Receita Federal do Brasil (RFB) ou a formação universitária não é determinante para a seleção? Saiba o que pensa o 1º colocado na última seleção.

Nível superior

Por JCConcursos - Yahell Luci Lima

A Receita Federal do Brasil (RFB) planeja abrir em breve um novo concurso público para analista-tributário e auditor-fiscal. O edital deve sair assim que o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) aprovar a solicitação feita pelo órgão em 2014. 

Sendo assim, os interessados em participar do processo seletivo da Receita Federal já devem começar a se preparar para este concurso que é um dos mais disputados do país. Fatores como a estabilidade no emprego e os altos salários oferecidos pelo órgão (nos valores de R$ 9.256 e R$ 15.743 para as funções de analista e auditor, respectivamente) atraem muitos candidatos. É neste momento que surgem diversas dúvidas, entre elas o questionamento com relação ao peso que a área de formação universitária terá na hora da seleção, já que a concorrência deve ser acirrada (o último certame, realizado em 2012, teve 129 candidatos inscritos por vaga).

Pensando nisso, Kaique Knothe, primeiro colocado para o posto de auditor-fiscal no último concurso da RFB, compartilha sua experiência pessoal e alguns fatos sobre o assunto com a gente. Confira abaixo.

1º colocado no concurso da Receita fala sobre o peso da formação acadêmica para a seleção


É um prazer imenso poder conversar sobre concursos com vocês, um tema tão importante e que causa muitas dúvidas, principalmente para quem está começando seus estudos ou ainda está decidindo se vale a pena começar. Meu nome é Kaique Knothe de Andrade, tenho 26 anos, sou engenheiro mecânico e fui o primeiro colocado no último concurso de auditor-fiscal da Receita Federal do Brasil

Nesse texto vamos conversar sobre um tema bastante importante: a formação universitária do candidato. O concurso da Receita exige formação de nível superior em qualquer área, o que o diferencia bastante dos certames da área jurídica e também de outros que exigem uma formação específica, como ocorre com algumas agências reguladoras, órgãos anuentes, áreas de TI... Esta característica o torna muito atrativo para uma pessoa que, independentemente da formação, venha a se interessar pelos benefícios da carreira pública e pela atividade de fiscalização. Mesmo assim, muitas pessoas decidem não prestar a prova da Receita argumentando que, ainda que estejam interessadas, acreditam que sua formação é muito diferente do conteúdo exigido pelo edital. Em outras palavras, que cansei de ouvir de candidatos, argumentam que “só passam engenheiros, contadores e bacharéis em direito”.

Essa impressão, bastante equivocada, cai por terra quando conhecemos mais a fundo o concurso. Para reforçar esse argumento, podemos analisar o perfil dos aprovados na última seleção – obtido através de uma pesquisa extra-oficial realizada em uma rede social pelos aprovados, que foi posteriormente divulgada em fóruns e da qual eu reproduzo uma pequena parte aqui. Dos 278 candidatos aprovados para Auditor-Fiscal em 2014, 173 responderam a várias perguntas, dentre as quais “Qual é o seu curso de formação?”. Foram obtidas nada menos que 28 carreiras diferentes como resposta, sem contar a opção “Outros” (e lembrando que há 105 pessoas fora das estatísticas por não terem respondido). O curso que mais aprovou realmente foi o de Engenharia, com 29 representantes, seguido de Administração com 26, Contabilidade com 22 e Direito com 17. Porém ainda restam quase metade das vagas, divididas entre estudantes das mais diversas áreas, tais como biologia, farmácia, economia, filosofia, ciências militares, fisioterapia, geografia, jornalismo, medicina veterinária, nutrição, odontologia, relações internacionais, cursos de tecnólogo, entre outras. São tantas que não dá nem pra listar todas neste texto!

Uma estatística parecida foi feita entre os aprovados do último concurso de Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo (chamado comumente de "ICMS-SP" ou "SEFAZ-SP", nomes que aludem ao principal imposto estadual ou ao órgão ao qual esses servidores estarão lotados). Houve um grau de participação menor, já que apenas 308 pessoas responderam e o edital previa 885 vagas, divididas em Gestão Tributária e TI. Analisando os dados de formação universitária, encontramos aprovados de 22 carreiras diferentes, número que tende a ser maior se considerarmos a abstenção. O grupo formado por engenharia, contabilidade, administração e direito foi responsável por 57% das aprovações, algo muito semelhante aos dados da RFB (54%). E novamente eu ressalto: quase metade das vagas do concurso foi preenchida por carreiras que estudam uma parte muito pequena do conteúdo durante o período universitário. Pessoas que usaram sua habilidade, seu tempo e seu método em prol de um estudo voltado ao edital, pensando especificamente no concurso.

Essa vasta lista de formações dos aprovados, que é bastante interessante para a Receita Federal e para as Secretarias da Fazenda por provê-las de um quadro bastante diversificado de servidores, pode ser explicada quando analisamos o edital do concurso: ele é bastante volumoso e, mais do que isso, amplo. O candidato deve ter o conhecimento de disciplinas de diversas áreas (sendo que algumas delas não constam de nenhum currículo acadêmico) e, no caso da Receita Federal, se o candidato for excepcional em uma delas mas não conhecer bem alguma outra, correrá o risco de ser eliminado ao não obter o mínimo de 40% de acertos em cada matéria.

Tudo isso nos leva à seguinte conclusão: a formação do candidato pode constituir uma vantagem inicial, mas tal vantagem não é decisiva quando comparada ao desempenho do concursando nos estudos voltados ao edital. É natural se pensar que um contador terá uma vantagem inicial em Contabilidade, que um bacharel em Direito começará na frente nas matérias jurídicas, que uma pessoa formada em exatas largará com certa vantagem em raciocínio lógico, porém grande parte do conteúdo será estudada “do zero” por todos eles. É a sua preparação específica para o concurso, com um bom material, um bom método e muitas horas de dedicação que será o diferencial para a sua aprovação.

Se você for um candidato da área de exatas, inicie uma preparação fortemente baseada nas matérias de Direito. O tempo ganho por não precisar aprender raciocínio lógico a partir das bases iniciais será considerável, e seu modo de raciocinar deve levá-lo a um bom desempenho no aprendizado de contabilidade também. Se você veio das humanas, há uma tendência que você tenha mais facilidade na compreensão de textos, nas línguas e no estudo do Direito. Nesse caso, sem negligenciar nenhuma dessas matérias, esforce-se para ter uma base boa em Raciocínio Lógico (ao menos para ultrapassar a barreira dos 40% de desempanho exigida pela ESAF) e compreender bem a Contabilidade. Um candidato que venha da área de biológicas é, provavelmente, o que pegará mais matérias a partir do zero, sem uma trajetória acadêmica. Nesse caso, foque seus estudos em duas frentes: uma jurídica, com as várias matérias de direito, e uma “dos números”, com contabilidade e raciocínio lógico. Obviamente ainda existem as matérias de administração, auditoria, legislações etc. Mas essas são "neutras", com um estudo mais semelhante para todos os candidatos.

Em resumo: não tenha receio de prestar o concurso devido à sua formação. Todos os anos temos uma composição de aprovados bastante heterogênea para os concursos da área fiscal. Analise as matérias do edital e veja em quais sua formação pode te dar uma vantagem. Ainda assim revise tais matérias, para se certificar que elas te darão um bom número de pontos. Nas matérias que você desconhece, dedique-se muito mais, com uma preparação sólida e que te leve a entender o conteúdo, não apenas decorá-lo. Com um estudo regrado e bem desenvolvido as chances de aprovação serão grandes, não sendo decisiva sua área de formação universitária.

*Depoimento concedido à Central de Concursos

Atualizado: 14/04/2015 - 16:24

MERCADOCON já tem mais de mil produtos cadastrados

Loja virtual reúne os materiais das melhores empresas do setor de concursos. Comparador de preços é um dos diferenciais

Megastore Em menos de um mês, o MERCADOCON, primeiro comparador de preços do segmento de concursos públicos no país, já ultrapassa mais de mil itens cadastrados, entre produtos e serviços físicos e on-line.
Criada para auxiliar a preparação de candidatos a concursos e também a vestibulares, exames da OAB e Enem, a primeira megastore do segmento no país reúne os melhores materiais do mercado. São conteúdos preparatórios de empresas especializadas com comparador de preços para garantir o melhor custo-benefício aos usuários.
“O intuito é reunir mais de dez mil produtos das melhores empresas preparatórias no segmento de concursos públicos, entre cursos on-line, presenciais, livros, apostilas, e-books, CDs e DVDs, facilitar a pesquisa e possibilitar a comparação de preços de acordo com o perfil do candidato. Queremos garantir a melhor experiência de navegação e os melhores produtos”, afirma o diretor de projeto do MERCADOCON.
Vale ressaltar que todos os produtos disponíveis em www.mercadocon.com.br passam por uma análise para garantir a satisfação e o melhor preço aos candidatos. Além disso, toda ação promocional realizada pelos fornecedores e afiliados é automaticamente atualizada na megastore.
Conheça o site e encontre conteúdos de primeira linha para turbinar a sua preparação em busca da tão sonhada vaga.
O MERCADOCON já está on-line e cadastrando novos fornecedores. O contato pode ser realizado pelo e-mail contato@mercadocon.com.br.O profissional responsável pela administração do site e fornecedores é Bruno Manhani.

Atualizado: 31/03/2015 - 12:04

TSE: avança projeto que cria 673 vagas para os TREs

Oportunidades são para a área de tecnologia da informação, para quem possui níveis médio e superior. Iniciais até R$ 8.803

Técnico e analista

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves


A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou, no último dia 25 de março,
o projeto de lei 7990/2014, que visa criar nada menos do que 673 vagas para preenchimento  por meio de concursos públicos nos diversos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) do país, para a área de tecnologia da informação. Do total de oportunidades, 255 são para técnicos, com exigência de ensino médio, e 418 para analistas, para quem possui curso de nível superior. As remunerações iniciais são de R$ 5.365,92 para os técnicos e R$ 8.803,97 para analistas.

Prepare-se para o concurso do TSE

Simulado para TSE Vídeoaulas para TSE

De acordo com o parecer do relator, o deputado Paulo Pereira da Silva (SD/SP), a área de tecnologia da informação dos tribunais tem apresentado uma grande carência de servidores, devido às novas atividades, surgidas em 2005 e que ainda estão em andamento, tais como o processo judicial eletrônico, a implementação da identificação biométrica do eleitor, sistemas para garantir o voto em trânsito, acessibilidade a portadores de necessidades especiais, plebiscito e consultas populares simultâneos às eleições e alterações no banco de dados e nos sistemas para possibilitar o cadastramento biométrico.

Agora, o projeto deve passar pelas comissões de finanças e tributação, e de constituição e justiça e de cidadania para que possa ser votada em plenário.

A proposta, do Tribunal Superior Eleitoral (TST), contempla as determinações da resolução 90/09 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que estabelece as diretrizes sobre a constituição do quadro de pessoal da área de tecnologia da informação.

Distribuição

A distribuição de vagas por cargos, em cada estado, é a seguinte: São Paulo  ( 37 analistas e 59 técnicos), Acre (seis analistas e 11 técnicos), Alagoas (dez analistas e oito técnicos), Amazonas (quatro analistas e 14 técnicos), Amapá (três analistas e dois técnicos), Bahia (19 analistas e 13 técnicos), Ceará (15 analistas e três técnicos), Distrito Federal (13 analistas e 11 técnicos), Espírito Santo (12 analistas), Goiás (14 analistas), Minas Gerais (oito analistas e 15 técnicos), Mato Grosso do Sul (nove analistas e oito técnicos), Mato Grosso (seis analistas e 11 técnicos), Pará (16 analistas), Paraíba (sete analistas e quatro técnicos), Pernambuco (sete analistas e dez técnicos), Piauí (16 analistas e 11 técnicos), Paraná (12 analistas e três técnicos), Rio de Janeiro (27 analistas e 14 técnicos), Rio Grande do Norte (seis analistas e oito técnicos), Rondônia (seis analistas e seis técnicos), Roraima (seis analistas e cinco técnicos), Rio Grande do Sul (13 analistas e cinco técnicos), Santa Catarina (dez analistas e cinco técnicos), Sergipe (seis analistas e quatro técnicos), Tocantins (12 analistas e oito técnicos) e para o TSE (110 analistas e 255 técnicos).

Atualmente, o TSE cuida de 90 sistemas, mas existem mais 150 em produção, diversos em âmbito nacional. Além disso, o TSE está desenvolvendo o Processo Judicial Eletrônico (PJe),  o que demanda a necessidade da criação do quadro de pessoal da área de tecnologia de informação.

Matéria atualizada em 31/03 às 12h04

Atualizado: 04/03/2015 - 11:07

Concurso Receita: confira depoimento do 1º colocado

Receita Federal do Brasil planeja abrir novo concurso para auditor e analista este ano. Kaique Knothe, que foi classificado em primeiro lugar, fala sobre o que o levou a participar do último concurso do órgão, além de suas vantagens

Auditor-fiscal

Por JCConcursos - Camila Diodato

Um dos concursos federais mais disputados em todo o país é o da Receita Federal do Brasil (RFB). Os motivos são a estabilidade empregatícia e a alta remuneração oferecida pelo órgão; para o cargo de analista-tributário o salário corresponde a R$ 9.256,42 e para auditor-fiscal a R$ 15.743,64, sem incluir o auxílio-alimentação de R$ 373.

No entanto, apesar da grande concorrência, Kaique Knothe foi classificado em primeiro lugar na última seleção realizada pelo órgão e você confere abaixo o depoimento dele falando sobre as vantagens e desvantagens de se tornar um concurseiro, bem como alguns conselhos para ajudar nos seus estudos.
A RFB aguarda autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para abrir um novo concurso ainda neste ano de 2015. Confira aqui mais informações sobre o certame que deve ser divulgado em breve.
Veja mais: Votação do Orçamento 2015

Confira depoimento do 1º colocado no concurso da Receita

Meu nome é Kaique Knothe de Andrade, tenho 26 anos, sou engenheiro mecânico e fui o primeiro colocado no último concurso de auditor-fiscal da Receita Federal. Vou falar um pouco sobre as vantagens e as desvantagens da escolha pela vida de concurseiro, além dos prós e os contras de entrar nesse mundo de estudos, provas e cargos que à primeira vista parecem complicados.

No meu caso, eu havia me formado há poucos meses e trabalhava na iniciativa privada, em uma empresa de consultoria estratégica em São Paulo, onde aprendi muito, porém encontrei um estilo de vida bastante estressante e uma forma de pensar diferente da minha. Em maio de 2013 eu me demiti e, após um breve período refletindo sobre as escolhas que eu poderia tomar, decidi que tentaria seguir uma carreira na administração pública. Voltei à minha cidade, Rio Claro, no interior de São Paulo, e comecei a desvendar esse mundo dos concursos. Demorou um pouco para eu me encontrar no ramo, mas em julho daquele ano comecei a estudar em período integral e o resultado veio de forma relativamente rápida: dez meses depois.

Mas quais são essas razões que me fizeram e fazem tantas pessoas optar pela área pública? A primeira delas é a estabilidade. Não são raras as vezes em que ouvimos relatos de pessoas que, mesmo extremamente competentes, acabaram perdendo o emprego devido a algum fator (desde crises econômicas até desentendimentos pessoais) e tiveram dificuldade para se recolocar. No setor público, após três anos de efetivo exercício, você só deixará o seu cargo em casos muito específicos – e a grande maioria desses casos envolve atitudes falhas do próprio servidor.

A segunda vantagem é o salário inicial, muitas vezes mais elevado do que o pago pela grande maioria das empresas. No âmbito federal, por exemplo, temos cargos de nível médio que ultrapassam os R$ 5.000, e diversas opções de cargos de nível superior com salários superiores a R$ 10.000.

A terceira vantagem é o concurso em si. Vou explicar por que eu o coloquei como vantagem: por mais que a discussão sobre meritocracia seja muito complexa e transpasse o tema deste texto, na seleção para os cargos da área pública via concurso você não vai se deparar com situações de “quem indica”, dinâmicas de grupo que utilizem técnicas aparentemente inadequadas ou qualquer outro tipo de subjetividade. A situação é simples: você, os outros candidatos e a prova. Claro que eu não conheço a situação em todos os locais do país, mas nos mais de dez concursos que prestei a seleção correu de forma bastante profissional. Não se deixe levar por opiniões de quem não conhece o ramo e ainda acha que as seleções são “arranjadas”. Se você souber de um concurso assim, denuncie! Mas o padrão, principalmente nos concursos maiores, é haver bastante profissionalismo.

A quarta vantagem diz respeito às portas que podem se abrir ao prestar um concurso. Como os limites de horário de trabalho são respeitados, você poderá, caso queira, melhorar seus conhecimentos com um curso noturno, estudar para um cargo mais importante ou mais bem remunerado, trabalhar em cursos preparatório. As oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional nesse sentido são grandes.

A quinta vantagem é ideológica: você estará trabalhando para o Estado. Os frutos do seu trabalho são coletivos, não envolverão a demissão de outras pessoas nem a ideia de geração de lucro acima de todas as outras coisas. O sentimento de ter um cargo público pode ser muito gratificante, dependendo da forma como a pessoa vê o mundo.

Existem, ainda, outros pontos que eu vejo como vantajosos: o ambiente de trabalho, que na minha experiência tem sido excelente, a vantagem de poder cumprir benefícios legais como férias e dispensas diárias de forma tranquila, sem sofrer pressões ou o medo de perder o emprego, a boa sensação quando você auxilia um cidadão.

Como era de se esperar, existem também desvantagens nessa escolha, que devem ser igualmente consideradas no momento da decisão de começar a preparação para um concurso público.

A primeira desvantagem consiste na necessidade um bom volume de horas de estudo até ser aprovado. Isso é muito variável de acordo com o perfil da pessoa, sua trajetória de vida e o fato de estar acostumada ou não a essa atividade. Mas, encontrando um bom método e um bom material, as chances de ser aprovado são muito maiores do que nós normalmente julgamos à primeira vista.

A segunda desvantagem, de certa forma ligada à primeira, consiste no risco de dedicar várias horas a esse projeto e não obter a aprovação. Quanto a isso, o que posso dizer é que ele realmente existe, mas existem diversas atitudes que a pessoa pode tomar para mitigá-lo.

A primeira atitude, evidentemente, é se dedicar ao máximo para aumentar suas chances na prova – mas existem outras. Se você tem muito receio e tem algumas horas livres no dia, comece a preparação sem deixar o emprego, pois dessa forma a pressão sobre você será menor. Se você deixar o emprego, tente prestar concursos de menor dificuldade ao longo da sua trajetória de estudos (concursos que tenham algo a ver com o edital do concurso que você realmente quer, para não desfocar demais). Isso irá ajudá-lo a treinar e também te possibilitar uma entrada amais rápida na administração pública, reduzindo a pressão financeira e dando mais confiança. E lembre-se: não desista tão cedo. Todos os anos as vagas são muitas, e no fundo estudar é um ativo que você constrói, mantém, e que um dia gera seus frutos. O tempo de estudo nunca será perdido, seja para outros concursos, seja até para a iniciativa privada.

Cabe à pessoa avaliar esses e outros fatores e concluir sobre o que vale mais a pena. Caso você decida pela vida de concurseiro, enfrente-a com bastante confiança e seriedade. Quando eu tomei minha decisão ainda tinha muitas dúvidas, mas tinha certeza de que queria mudar o estilo da vida que eu tinha, independentemente das consequências que isto traria a curto prazo. Fiquei quase um ano só estudando, gastando pouco dinheiro em outras coisas e prestando vários concursos. Tive, sim, momentos de lazer, porém muitas vezes sacrifiquei algumas atividades que gostava de fazer para ter tempo de estudar. Hoje ocupo o cargo de auditor-fiscal e sou muito mais realizado do que era em meu antigo emprego. O ambiente de trabalho é agradável, o nível dos servidores e dos trabalhos que estes desenvolvem na Receita Federal é muito bom, e eu também dou muito valor à sensação de segurança e respeito por estar em um lugar em que seus horários são respeitados e seu desenvolvimento profissional não é motivado por competitividade ou medo, mas pelo interesse público.

Embora seja necessário muito estudo, este tempo pode ser otimizado com o uso de bons materiais, completos e atualizados, e com o uso de táticas de estudo que se adaptem às condições e ao gosto do candidato, melhorando a absorção de conteúdo. Não se assuste com pessoas que dizem que levará anos, pois não são tão raros assim os casos de pessoas que passam em pouco tempo. A decisão de começar a estudar, a escolha do material e do método, o respeito às horas de estudo – todas essas decisões podem dar medo à primeira vista, mas são todas situações que se tornam mais claras quando há informação e motivação. O que eu posso dizer é que, depois de ter pesado os prós e contras, entrei de cabeça no mundo dos concursos – e não me arrependi em nenhum momento.
* Entrevista concedida à Central de Concursos

Shopping