Sem medo da concorrência

Dicas de quem conquistou uma vaga na Caixa Econômica Federal

Redação
Publicado em 31/01/2014, às 10h37

Dimas Bentim Jr.

Participei do último concurso para o cargo de técnico bancário da Caixa Econômica Federal  na expectativa de obter a estabilidade típica do funcionalismo público.  Além de adquirir um emprego no qual  pudesse contar com mais estabilidade que meu trabalho na ocasião e uma renda superior a que eu tinha, sempre quis trabalhar em banco e escolhi a Caixa pela sua atual posição no mercado e pela ética com a qual atua na sociedade.

Após decidir concorrer ao cargo, procurei  obter informações sobre o concurso, através da leitura de jornais  específicos, no início de 2012. Até então,  eu não tinha muito conhecimento de como funcionava um concurso e os jornais me ajudaram bastante nesse sentido.

Eu fiquei sabendo do concurso em dezembro de 2011 e na semana seguinte comecei a me dedicar aos estudos. Participei de aulas presenciais em uma escola preparatória para concursos e também reforcei o aprendizado com aulas virtuais na internet. Comprei muitos cadernos de exercícios para praticar e isso me ajudou bastante. Também exercitei em cadernos de provas anteriores e apostilas de concurso.

Com relação aos estudos, quando comecei a me preparar, senti alguma dificuldade nas disciplinas de matemática financeira e conhecimentos bancários, porque até então eu não fazia ideia de como funcionava o sistema financeiro do nosso país. Conforme fui estudando,  acabei pegando gosto por esta matéria, que foi na qual me saí melhor na prova. Português e direito administrativo e do consumidor foram as matérias que tive maior facilidade.

Atualmente estudo direito e posso dizer que minha preparação para o concurso não foi útil apenas para conseguir uma vaga no funcionalismo público, mas também para a faculdade, bem como para a vida cotidiana. É sempre bom entender como as coisas funcionam. Estudar os direitos do consumidor, por exemplo, tornou-me mais ciente dos meus próprios direitos, pois sou consumidor também.

O trabalho na Caixa é muito interessante e satisfatório. É ótimo trabalhar com colegas animados e que possuem disposição para auxiliar os novatos. Nunca trabalhei em bancos privados, mas, até onde sei, isto é algo que não se vê no ramo, exceto na Caixa.

Hoje posso dizer que minha vida pessoal não é muito agitada, mas possuo uma tranquilidade que dificilmente conseguiria se estivesse trabalhando em outro lugar. Tenho uma profissão da qual me orgulho,  uma namorada , bons amigos e uma boa família. E posso dizer que o  incentivo foi muito positivo tanto por parte de meus amigos,  como por parte de minha família e namorada. Acho que sem o apoio deles eu não teria conseguido passar.

Para quem pretende participar do próximo concurso, posso dizer apenas como foi minha experiência pessoal, em termos de preparação.  O início é basicamente a elaboração do plano de estudos,  traçar uma meta a ser seguida. O mais importante é ter disposição para continuar e não desistir. Quando participei do concurso, teve mais de um milhão de inscritos e isso chocou muitos candidatos, inclusive eu, mas consegui superar o medo de tentar e fracassar;   tentei e passei. A preparação é unicamente estudar, dedicar seu tempo, finais de semana, horas após o trabalho, somente para o estudo do concurso. Os cursos ajudam bastante, qualquer curso que disponibilize um professor para tirar suas dúvidas serve.

Uma dica importante que gostaria de dar é que quem for participar não deve somente tentar por tentar. Ninguém vai conseguir ser aprovado  chutando as questões. Além disso,  gostaria de reforçar que quem não se dedicar de verdade, não tentar superar os outros candidatos, não der o melhor de si terá muitas dificuldades em passar. Para finalizar, posso dizer que os interessados em ingressar não apenas no concurso da Caixa, mas em qualquer outro, em qualquer situação na vida, não parar de estudar. Devem sempre almejar um degrau mais alto e manter o cérebro fresco para outros desafios.

Comentários

Mais Lidas