Tudo Sobre

Concurso Banco Central

Estude para ser técnico do Banco Central

Confira a segunda parte com dicas de nível médio para o próximo concurso do Bacen. Pedido para novas vagas está no Planejamento



Redação
Publicado em 30/10/2012, às 09h51

Quem quer se tornar um técnico do Banco Central terá de investir em muito estudo para conseguir a aprovação.
Além de ter um vasto conhecimento de língua portuguesa, até para compreender o que se pede nas questões de outras disciplinas, o candidato precisará aprofundar os saberes nas áreas específicas, que possuem peso 2.
Com base no edital de 2009, para “teoria e normas de segurança” costuma-se pedir desde análise e gerenciamento de riscos até prevenção e combate a incêndios.
Para gestão de pessoas e materiais, a especificidade está concentrada em tópicos de administração pública, recursos humanos, nível de serviço, armazenagem, entre outros. 
Confira as orientações de especialistas para incrementar a sua preparação!
Teoria e Normas de Segurança
Claudinei Xavier Souza de Santana: advogado especialista em direito civil e direito do consumidor
O concursando deve ler a matéria e fazer um resumo como se fosse uma redação, se utilizando de frases objetivas e curtas. Em uma primeira leitura do texto, o candidato deve ter como sua companheira uma caneta marca-texto, pois com o decorrer da leitura ele irá marcando os pontos de mais interesse e outros nos quais deverá retornar para uma pesquisa e leitura mais aprofundada. 
Outra dica é a presença constante de um dicionário. Muitos concursandos leem uma palavra e não sabem o que ela significa, e muitas vezes é essa palavra que dá o sentido do texto. Portanto, é importante e fundamental fazer uma leitura, principalmente de textos técnicos, com um BOM dicionário ao lado.
O concursando pode buscar subsídios para se preparar em toda a bibliografia recomendada pelo edital, em livros, doutrina, jurisprudência e internet. Ao estudar um determinado assunto pela internet, tome cuidado com o site que está consultando. Por exemplo, para consultar leis deve-se acessar os sites oficiais do Governo Federal. Para jurisprudência, os sites do Tribunal de Justiça, do Superior Tribunal de Justiça e do Supremo Tribunal Federal. 
Tive um amigo que prestou vários concursos e não passava em nenhum, apesar de ser bem inteligente. Ele estudava, em média, de quatro a seis horas diárias, inclusive nos fins de semana. Em uma conversa, percebi que o estudo diário ao qual ele se dedicava era sem foco, com música alta e muitas vezes também com a televisão ligada. Sugeri que ele fizesse três horas de estudos diários de segunda a sexta. Foi o suficiente para ele passar em um concurso e exercer a atividade até hoje. Em contrapartida, tem pessoas que chegam a estudar até doze, quatorze horas por dia. Acho isso um exagero, pois a pessoa deixa de ter uma vida social e se, por acaso, não passar no concurso, isso vai gerar uma frustração que pode se transformar até em depressão.
O candidato deve sempre ter em mente que deter “um certo conhecimento” sobre uma determinada matéria e/ou área é muito pouco perante um concurso que teve aproximadamente duzentos e quarenta mil candidatos para trezentas vagas. Ou seja, ele deve ter um excelente conhecimento, pois estará concorrendo com pessoas altamente qualificadas e preparadas.
Nas questões em que se abordam os tópicos de “teorias e normas de segurança” é que estão os diferenciais competitivos que vão determinar se um candidato passa ou não. Explico: muitos candidatos irão passar superficialmente no estudo, pois é uma área técnica e de difícil compreensão. Se o candidato quer passar em um concurso com tamanho grau de competitividade, ele deve se dedicar aos detalhes, deve descer às minúcias do estudo.

Gestão de Pessoas (RH)
Ricardo Oliveira: professor da Rede de Ensino LFG
Apesar da prova não detalhar muito, a grande abrangência de temas é um fator que pode dificultar. Raras questões são repetidas e isso acaba gerando dificuldade na prova. Das 12 questões da avaliação anterior, tivemos praticamente cada pergunta envolvendo um tema diferente do conteúdo programático.
Deve-se estudar todo o assunto, fazer uma leitura grande, aproveitando o tempo que o candidato tem. São questões bem conceituais e que não envolvem números. É recomendado ao candidato estudar por meio de áudio todos os tópicos do edital e revisar a aula sobre o tema duas horas por dia. Uma boa dica são os livros de exercícios comentados de provas anteriores da mesma organizadora.
O estilo da prova é um ponto positivo para quem estudou de verdade, já que tudo o que consta no edital é aproveitado, nenhum item é esquecido.  Por serem questões bastante conceituais, o candidato deve ficar atento com leituras e ouvir atentamente o conteúdo das aulas. É praticamente doutrina, não tem leis, é compreender a matéria.
Deve-se atentar também às teorias motivacionais que não constam no conteúdo, mas acabam sendo exigidas.

Gestão de Materiais
Ricardo Oliveira: professor da Rede de Ensino LFG
As questões já são mais teóricas. É importante conhecer com mais profundidade. Vale destacar métodos de estoque, gestão de estoque, inventário, bens patrimoniais e métodos de armazenamento. 
Nesse caso, o candidato deve fazer muitos exercícios, repetidamente. Começar a estudar imediatamente, no mínimo quatro horas por dia, isso já levando em conta que muitos trabalham e nem sempre possuem muitas horas livres. Tentar estudar um pouco no final de semana também. Depois da saída do edital é só consolidar o que foi estudado.
André Amado Longo: graduado em administração de empresas com ênfase em comércio exterior, MBA em logística empresarial e professor do Instituto IOB e do Instituto de Educação Tecnológica (IETEC)
O candidato deve se atentar aos seguintes pontos: a importância das atividades logísticas na administração de materiais; quando as compras centralizadas são mais eficientes e quando as compras descentralizadas possuem eficiência; como a sustentabilidade pode ser empregada na gestão de materiais, já que o mercado atual exige cada vez mais que as organizações se voltem para o conceito de sustentabilidade; as principais diferenças entre evolução de consumo constante (ECC), evolução de consumo sazonal (ECS) e evolução de consumo de tendência (ECT); sincronização na gestão de materiais, além dos quatro métodos que são utilizados para melhor organizar as mercadorias nos almoxarifados, dentro do sistema básico de localização dos estoques.

Noções de direito: saiba como se preparar
Se for adotado o mesmo modelo de 2009, a prova do próximo concurso para a carreira de técnico terá dez questões de direito, com peso 1.
Com um conteúdo programático relativamente pequeno, frente aos demais tópicos abordados no último edital para técnico do Banco Central, as matérias de direito constitucional e administrativo, listadas entre os conhecimentos gerais, não podem ser menosprezadas pelos concursandos.
As questões das disciplinas costumam ser gabaritadas pelos candidatos bem preparados, aproximando-os da aprovação no concurso. 
Acompanhe as dicas de professores do IPA, Retorno Jurídico e OABTube e saiba de que forma estudar as matérias para enfrentar a cobrança de noções de direito com tranquilidade e segurança.
Direito Constitucional
Thiago Cirino de Moura Chinellato: delegado de polícia pós-graduado em direito constitucional e direito do Estado e professor do curso preparatório para concursos IPA
O mais importante é estudar os parágrafos 1 e 2 da Constituição, desde o artigo 1º até o 11º. Na última prova, do concurso para técnico de 2009, duas das dez questões abordaram estes artigos.
O candidato pode iniciar os estudos por essa parte, mas não deve deixar de ler do artigo 37 ao 41 e do 44 ao 135. Não adianta decorar, até porque são muitos artigos. É preciso conhecer profundamente a letra da Lei.Para se preparar bem, a leitura da Constituição é basicamente suficiente. O concursando pode ler o texto da Lei por 45 minutos, uma hora por dia, até a data da prova, lendo e reiterando a leitura.
A dica é não deixar de lado o conteúdo programático menos extenso, como é o caso de direito constitucional, porque a nota de corte é muito alta e os candidatos acabam gabaritando as questões. Tomem muito cuidado, também, com os quatro primeiros artigos da Constituição, que vão desde os princípios fundamentais até os objetivos da República Federativa do Brasil. Os examinadores costumam misturar os incisos, induzindo a erros.
Outra dica é estudar e entender como funcionam os Poderes da União quanto à Teoria de Freios e Contrapesos, porque embora os Poderes da União sejam independentes e harmônicos, exercem fiscalização e controle uns sobre os outros. 
Nas provas de direito constitucional, o que eu vejo é uma delimitação idêntica à divisão constitucional. O examinador costuma ter como foco principal o que está contido nos artigos, na letra da Lei. 
Na última prova, da Cesgranrio, caiu basicamente o texto da Constituição. Se o concursando tivesse conhecimento do texto da Lei, dava para responder as questões tranquilamente.
No teste do Cespe/UnB, as questões são mais de certo ou errado. Geralmente é dado um texto com questionamentos a respeito do artigo.

Direito Administrativo
Luiz Gustavo Oliveira de Souza: procurador federal, especialista em direito público e professor nos cursos preparatórios “Retorno Jurídico” e “OABTube”
As provas objetivas aplicadas para os concursos envolvendo os cargos do Bacen normalmente requerem o conhecimento literal da legislação, bem como de algumas súmulas de jurisprudência do STJ e do STF. Vale lembrar que uma forma eficaz de preparação para essa fase do concurso é a resolução de provas anteriores, acompanhado de uma doutrina específica. Hoje em dia já estão disponíveis no mercado muitos livros voltados para concursos, os quais englobam tanto a parte teórica quanto as questões.
Sobre a matéria de direito administrativo, especificamente, a dica é reforçar o estudo sobre a responsabilidade civil objetiva do Estado, conforme parágrafo 6º do artigo 37 da Constituição Federal. Também é importante estudar as pessoas jurídicas integrantes da administração indireta, tais como autarquias, sociedades de economia mista, empresas públicas e fundações públicas, atentando para suas principais diferenças, quais sejam: tipo de personalidade jurídica e forma de criação. Finalizando, é interessante que o candidato também domine o tópico de atos administrativos, dando destaque para formas de extinção dos atos administrativos, especialmente revogação e anulação.
Mariano Borges: advogado pós-graduado em direito do trabalho, tributário, administrativo e processual e professor de direito administrativo no Gran Cursos
O conteúdo programático conquanto tenda a ser extenso, pelo próprio padrão do certame, não deve se distanciar daquilo que foi cobrado no exame anterior. Vale ressaltar um cuidado especial na parte de organização administrativa e controle da administração. 
Uma matéria que tem sido fortemente cobrada é a Lei 9.784/99 (lei que regula o processo administrativo federal). Cuidado com ela!
Pâmela Lee Hamer e Renan Abbade/SP

+ Resumo do Concurso Banco Central

Bacen - Banco Central
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Bancária
Escolaridade: Não definido
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão
Estados com Vagas: AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SC, SE, SP, TO

+ Agenda do Concurso

30/10/2013 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas