Cursos investem em novos modelos de preparação

Escolas e instituições têm usado a internet para levar cursos preparatórios para concursos a todas as cidades e regiões do país

Leandro Cesaroni
Publicado em 27/06/2013, às 12h19

A tecnologia ajuda e atrapalha. Às vezes ela é bem-vinda, às vezes não. Depende do ponto de vista, ou de quando e como ela é usada. Independente dos casos em que ela fracassou, uma importante revolução no mundo dos concursos públicos vem sendo protagonizada justamente por ela, a sempre moderna tecnologia.

Com a crescente e importante participação dos cursos preparatórios na aprovação de candidatos em processos seletivos de grande porte, as escolas e instituições enxergaram na tecnologia uma valiosa aliada para levar o sucesso dos cursinhos a concurseiros de todo o país, inclusive de cidades mais distantes das metrópoles, onde a oportunidade de participar de um curso como este se torna, literalmente, uma viagem. Para a alegria de quem vive nessas regiões, o advento dos cursos online e telepresenciais tem levado conteúdos preparatórios, com auxílio de professores, a todo e qualquer cidadão que disponha de um computador com rede ou tenha condições de arcar com as despesas de um curso telepresencial, o que, devido ao grande número de provedores, tem se tornado cada vez mais acessível.

Na última semana, a Microlins, rede de cursos profissionalizantes, anunciou, em um congresso nacional intitulado Gente Que Faz, que também vai passar a oferecer a preparação para concursos e para o Enem dentro de seu leque de cursos, em suas mais de 500 franquias espalhadas por todo o país. A novidade vem para democratizar ainda mais a concorrência nessas seleções. Em parceria com a Federal Concursos, o objetivo da Microlins, segundo o diretor-geral, Ivan Ferreira, é acompanhar as tendências do mercado e atender a uma demanda da população. “Esse ano mais de 7 milhões de pessoas se inscreveram no Enem; os concursos públicos estão cada vez mais concorridos. As pessoas estão em busca de uma boa preparação para ter o melhor desempenho nessas provas”, afirma Ivan.

Com mais de 30 mil alunos aprovados em concursos por todo o país, Cido Ramires, gerente de novos projetos da Federal Concursos, vê a parceria com a rede como uma oportunidade de expandir a presença da empresa em outras regiões. “A capilaridade que tem a rede Microlins é muito importante nessa parceria e possibilita alunos de todo o país a terem contato com professores especializados, numa preparação de qualidade”, conta.

Como funciona
O aluno que se matricular no curso preparatório para concursos da Microlins terá à disposição 140 vídeo-aulas, de 45 minutos cada, abordando conteúdos de língua portuguesa, matemática, raciocínio lógico, informática, direito administrativo, direito constitucional e atualidades – disciplinas básicas e constantes nos conteúdos programáticos de quase todas as maiores seleções do país. No final de cada aula serão cobrados cinco exercícios de fixação referentes ao que foi estudado. Para assistir às aulas bastará o aluno se dirigir a qualquer unidade da Microlins. Além disso, ele contará com um material de apoio em PDF e a oportunidade de tirar suas dúvidas em um plantão eletrônico com 14 professores especializados no assunto, que responderão aos questionamentos em até 48 horas. Com material digital e horário flexível, o aluno é quem define quantas aulas tem por semana e, consequentemente, qual será a duração do curso.

A empresária Andréia Garcez Barros tem uma das maiores franquias da Microlins em se tratando de número de alunos e faturamento. Sua unidade, em Ponta Grossa (PR), conta com cerca de 2 mil alunos. Para ela, a expectativa com a implantação dos cursos preparatórios telepresenciais é de sucesso. "A questão é que o sonho da maioria dos brasileiros é aprovação em concurso, a visão da estabilidade financeira, isso em qualquer lugar do Brasil", afirma a franqueada. "Posso falar com propriedade, porque sou filha e esposa de militares, morei praticamente em todos os Estados do Brasil e por onde passei vivenciei isso com colegas de escola, faculdade, trabalho". Insistindo nesse ponto de que todos os brasileiros sonham com a estabilidade profissional e financeira, Andréia conta que o público-alvo já está dentro de todas as unidades da Microlins, “concurseiros ou, simplesmente, sonhadores”, define ela. “Agora é correr atrás para conquistá-los também com o novo produto”.

Comentários

Mais Lidas