Preparação

Aprenda a estudar para concursos do Cespe/UnB

Em video-aula, professor dá dicas de estudo para candidatos que almejam uma aprovação em uma seleção do Cespe/UnB, banca organizadora de concursos. Confira!

5,00(100.0%)1 voto(s)

Redação
Publicado em 18/06/2015, às 15h47

O Cespe/UnB(Centro de Seleção e de Promoção de Eventos) é uma banca organizadora fundada na década de 70, originalmente com a finalidade de elaborar apenas o vestibular da Universidade de Brasília (UnB), e que, depois, acabou migrando para a preparação de concursos públicos
Hoje, bastante presente em concursos de todo o país, o Cespe/UnB é uma banca muitas vezes temida pelos concurseiros. Primeiro, porque possui um estilo quase exclusivo de questão, que é o de “Certo ou Errado” – embora a organizadora utilize-se também de questões de múltipla escolha, principalmente em concursos para tribunais eleitorais. O estilo de prova “Certo ou Errado” do Cespe/UnB exige muito cuidado, porque cada resposta errada anula uma correta. “Por isso, o candidato que vai prestar uma prova do Cespe/UnB tem que pensar duas, três, quatro vezes antes de chutar uma alternativa”, afirma Rodrigo Bezerra, professor de língua portuguesa e gerente do CERS, cursos on-line.
Segundo informações da própria organizadora, o procedimento de avaliação é justificável em um processo seletivo que visa selecionar o candidato com melhor capacidade de analisar, interpretar e responder a partir do que aprendeu, descartando o “chute” ou a possibilidade de aprovação ao acaso.

Prepare-se para os concursos do Cespe / UnB

Provas Anteriores do Cespe / UnBVideoaulas para Cespe / UnB
Para o advogado da União e professor de métodos de estudo para concursos, Waldir Santos, mesmo com tantas barreiras, ainda assim é possível driblar as dificuldades impostas por esse tipo de prova, utilizando principalmente uma metodologia adequada para acertar um número maior de questões em termos de pontos líquidos.
De acordo com Santos, a regra básica é ter cautela e não arriscar sem ter certeza absoluta. “A melhor forma de definir quantas perguntas deixar sem resposta é fazer vários simulados com questões de cargos iguais ou similares, variando a quantidade de questões deixadas em branco. Após isso, o candidato deve verificar qual o percentual ideal, de acordo com o seu nível de preparação.”
O bibliotecário Gustavo Henn, autor do livro Métodos de Preparação para Concursos, compartilha dessas mesmas ideias. Para ele, é preciso ter uma maturidade e experiência para resistir à tentação de chutar uma questão em que se tem 50% de chances de acertar. “Uma dica importante na hora de preencher o gabarito é verificar se há grande diferença entre o total de certos e de errados que o candidato marcou. Não que obrigatoriamente precise ser meio a meio, mas sim porque o Cespe gosta de questões com enunciados longos e complexos, que confundem o candidato mal preparado, e que na verdade estão corretas.”
Veja também:
Artigo: Método Cespe x Método Vunesp
Por esse motivo, Henn recomenda que o concurseiro leia cada enunciado com bastante atenção, já que as questões aparecem em blocos dentro do mesmo assunto e, muitas vezes, a resposta de uma pergunta está no enunciado de outra. “Geralmente as questões se correlacionam e uma pergunta pode ter relação com a resposta de outra lá na frente. Na dúvida, é melhor deixar em branco e evitar o ‘chute’, especialmente se for de um assunto que não foi bem estudado. Antes de marcar o gabarito definitivo, faça o levantamento de quantas questões acha que acertou, quantas está em dúvida, quantas acha que errou e quantas deixou em branco. Se tiver marcado alguma questão que acha que errou, é melhor deixar essas em branco.”
Outra característica do Cespe/UnB é a qualidade técnica da prova, que exige muito mais análise e raciocínio do candidato. “São provas muito bem elaboradas, geralmente bem contextualizadas quando se trata, por exemplo, de língua portuguesa – questões sempre muito bem ancoradas no texto”, explica o professor Bezerra.

Área jurídica

As questões do Cespe/UnB ligadas à área jurídica partem, em muitas situações, de problemas, para que o candidato faça seu julgamento. “É preciso ter muito cuidado porque a banca cria, muitas vezes, uma argumentação lógica para fundamentar um item que está errado”, alerta Bezerra. 
A prova do Cespe/UnB tende a fugir um pouco mais da letra da lei na parte jurídica - diferente da Fundação Carlos Chagas (FCC). A organizadora utiliza-se mais em sua prova questões doutrinárias, de entendimento, jurisprudência. Portanto, o professor Bezerra explica que quem vai fazer uma prova do Cespe/UnB precisa estar preparado não só com a leitura da lei, mas também com a análise e o conhecimento doutrinário. 
“O Cespe/UnB é uma banca que exige muita preparação e, numa preparação, o fundamental é que você treine. Só esse treino vai te capacitar para perceber como você vai efetivamente responder a prova”, completa Bezerra.

10 dicas para se dar bem em provas do Cespe/UnB

1) O cartão de respostas do Cespe tem como opções: "C" e "E". Se você assinalar uma das opções e depois perceber que deveria ter marcado a outra, preencha as duas. Isso significa que você não pontuará e nem perderá ponto, pois a questão estará sendo anulada. Da mesma forma, se você não preencher nenhuma das duas opções, a questão também será anulada. Portanto, se você acertar 60 questões e deixar as outras 60 em branco, ganhará 60 pontos. Sem perder pontos. 2) Resolva primeiro as questões que você considera que sabe. Deixe as questões que tiver dúvidas, ou que você não sabe, para o final, mas já faça uma marcação na sua prova. Escreva ao lado da questão “dúvida”, e a provável resposta, ou “não sei”. 3) Deixe questões que envolvam contas por último. Elas demandam muito tempo e é perigoso fazê-las antes das questões que exigem apenas leitura. Se não, você pode acabar não conseguindo fazer várias questões simples, porque perdeu tempo em questões complicadas. 4) Ao se deparar com alguma questão que gere dúvida, pense se você não sabe a resposta ou apenas está em dúvida. No caso de apenas estar em dúvida, vale a pena arriscar, considerando que você se preparou bem para a prova e, portanto, há uma probabilidade grande de acertar a maioria das questões que gerem dúvida. Marque! Já no caso de realmente não saber a resposta, vale a pena deixar a questão em branco para não perder ponto. 5) Numa prova de 120 questões, tente não deixar mais do que 10 em branco. Duas são as razões para um candidato deixar muitas questões em branco: ou ele não está suficientemente preparado, ou está com muito medo de marcar. O primeiro caso não tem jeito. Você terá que estudar mais para o próximo concurso, mas o segundo caso é que preocupa. Porque ele sabe a matéria, mas “amarela” na hora da prova. Não faça isso! O único jeito de ser aprovado é fazendo muitos pontos e perdendo poucos. Você precisa fazer pontos e, se deixar muitas questões em branco, não terá pontos suficientes para passar. 6) Aceite um fato: haverá questões que você “terá certeza” de que acertou, mas errará, bem como acertará questões que estava em dúvida. Por isso, não esqueça das dicas 4 e 5. 7) Por mais que você estude, nunca conseguirá gabaritar uma prova do Cespe. Normalmente o primeiro colocado nos concursos organizados por essa banca fazem 80% dos pontos. Sendo assim, mesmo que você esteja sabendo muito bem a matéria, não se desespere ao se deparar com questões que você não sabe. Isso é normal. 8) Reserve uma hora para fazer a redação e quarenta minutos para marcar a folha de respostas. Marque na folha de respostas todas que você tiver certeza. Se der tempo, revise as questões que você teve dúvida e marque-as também. 9) Essa dica é o grande diferencial. Após preencher a folha de respostas (por exemplo: 100 itens respondidos e 20 em branco), conte a quantidade de itens que você marcou “C” e os que assinalou “E”. Por exemplo: 60 “E” e 40 “C”. Observe que há um número bem maior de alternativas "E" em relação às "C". Se a prova tem 120 itens, a tendência é que no gabarito da banca haja 60 “E” e 60 “C”. Sendo assim, você vai assinalar “C” em todas as alternativas em branco. A probabilidade é de que você acerte a maioria dessas 20. Se você acertar 11 e errar 9, já terá valido a pena, pois ganhará 2 pontos. A tendência é que você acerte bem mais do isso e ganhe muitos pontos só com essa técnica! Resumindo: após contar quantos “C” e “E” você marcou, não deixe nenhum item “em branco”. Marque todos eles com a opção que você menos marcou na sua Folha de Respostas. Essa dica vale, inclusive, para a parte de Conhecimentos Básicos e Conhecimentos Específicos. Se forem 50 itens de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos, o gabarito será meio a meio, ou seja 25 itens “C” e 25 “E” na primeira parte e 35 “C” e 35 “E” na segunda. 10) Treine bastante as dicas anteriores fazendo de provas de concursos já organizados pelo Cespe. Faça provas inteiras para aplicar as técnicas de forma completa. Lembre-se: poucos pontos podem fazer a diferença entre você conseguir ou não a sua vaga.
(Dicas enviadas por professores do Concurso Virtual)
Confira todos os concursos abertos e previstos do Cespe/UnB

Comentários

Mais Lidas