Dicas de estudo do professor Vivaldo Pereira

Segundo o professor, saber as matérias específicas na hora da prova é sim um diferencial.

Redação
Publicado em 20/01/2009, às 10h49

De acordo com o professor, saber as matérias específicas na hora da prova é sim um diferencial. Ele diz que, além das questões com esse conteúdo terem um peso diferenciado em alguns casos, elas geralmente representam um percentual bastante significativo no total de questões da prova.

Por isso, o professor explica que, para obter sucesso é importante que o primeiro passo seja que o candidato escolha uma área e estude de forma focada, definindo o objetivo e traçando as metas necessárias para alcançá-lo. “O candidato tem que saber onde está e aonde quer chegar. Se ele não definir aonde que chegar, ele não consegue traçar metas a partir de um objetivo. Agora, tam aqueles que falam: ‘estou aqui para procurar um emprego’. Esses aí tendem a prestar vários concursos e não passar em nenhum. Quando você adota uma área, você já sabe exatamente o que vai cair naquela área”, ressalta.

Conhecer a organizadora dos concursos da área pretendida também é essencial, já que cada uma tem um estilo próprio de elaboração de provas. “É importante que os candidatos conheçam a organizadora da área. Porque uma coisa é você ter a definição do que é uma crase, por exemplo, outra coisa é uma Vunesp perguntar sobre crase, um Cespe, uma Fundação Carlos Chagas, fazendo a mesma pergunta, mas de formas diferentes”.

Antes da publicação do edital, o professor ensina que o concursando deve procurar estudar primeiro as matérias básicas, como Português, Matemática, Raciocínio Lógico, ou seja, aquelas cujos conteúdos são sempre os mesmos. Já com as matérias específicas, a idéia é estudá-las após a publicação do edital, mas sem muito aprofundamento. “Quando você se aprofunda muito, as coisas mudam, principalmente as Instruções Normativas, os Regimentos Internos. Então espere o edital sair, porque ele dá os parâmetros que você precisa estudar”.

O candidato deve, ainda, acompanhar os editais de concursos anteriores, diz Pereira. “A tendência de mudança de editais não está sendo tão significativa. As instituições já estão meio que definidas. Então se os candidatos adotam uma área, é importante que eles acompanhem os editais anteriores, o último, o penúltimo, vejam as mudanças de um para o outro, o conteúdo programático e a tendência do conteúdo programático”.

A última dica do professor é em relação ao tempo de preparação para conseguir uma boa classificação em um concurso. “É importante o candidato não deixar para estudar na última hora. Ele deve estudar sempre com antecedência. Para concurso de nível médio, sugiro começar com, no mínimo, seis meses de antecedência e, para concurso de nível superior, um ano e meio para que o aluno se torne competitivo. E, para concursos específicos, como Delegados, Procuradores, Peritos, dois anos, no mínimo, de preparação”.

Comentários

Mais Lidas