Dicas para os próximos concursos da Polícia Civil

A professora Sandra Ceraldi Carrasco, nesta edição, aborda dois tópicos muito requisitados em concursos públicos: estrutura e formação de palavras e também a flexão dos substantivos.

Redação
Publicado em 21/12/2011, às 17h10

Sandra Ceraldi Carrasco
A professora Sandra Ceraldi Carrasco, nesta edição, aborda dois tópicos muito requisitados em concursos públicos: estrutura e formação de palavras e também a flexão dos substantivos. Para os candidatos que pretendem concorrer às vagas dos quadros da Polícia Civil, estude as orientações da especialista e sucesso em sua prova!
Um vocábulo pode ser constituído por: Radical, Afixos (prefixos e sufixos), Desinências e Vogal Temática. Ex.: radical: ferro (ferr-); prefixo: infeliz (in-); sufixo: felizmente (mente); desinências nominais: meninas (as=gênero e número); desinências verbais: amássemos (-sse=tempo e modo/ -mos=pessoa e número). As vogais temáticas podem ser nominais e verbais, quando nominais “a”, “e” e “o”, serão átonas (casa, dente, livro). Já as vogais “i” e “u” nunca serão vogais temáticas nominais. As vogais temáticas verbais, “a”, “e” e “i” são facilmente localizadas no tema verbal: cant-(radical) + -a- (v. temát.) = canta- (tema); vend-(radical) + -e- (v. temát.) = vende (tema); part-(radical) +-i- (v. temát.) = parti (tema). 
Composição, derivação, hibridismos, onomatopéia, abreviação e abreviatura são processos de formação de palavras da Língua. 
A COMPOSIÇÃO é a formação de palavras novas, combinando dois ou mais vocábulos, ou semantemas. Se não houver perda fonética, teremos JUSTAPOSIÇÃO: pombo-correio, porco-espinho, guarda-roupa, Pernalonga, guarda-chuva, malmequer, passatempo, vaivém. Caso a integridade fônica seja alterada e ocorra perda de fonema ou de tonicidade (uma sílaba tônica passa à átona), teremos AGLUTINAÇÃO: perna + longo – pernilongo; plano + alto – planalto; água + ardente – aguardente; vinho + acre – vinagre; ponta + agudo – pontiagudo.
A DERIVAÇÃO ocorre quando houver agregação de afixos a um radical, podendo ser prefixal, sufixal, parassintética, regressiva e imprópria. Ex.: superbacana (prefixal); amoroso (sufixal); deslealdade (prefixal e sufixal); alaranjado (parassintética); resgate, oriunda do verbo resgatar (regressiva) e o rir (imprópria), alteração de categoria gramatical, de verbo passou a ser substantivo.
O HIBRIDISMO forma vocábulos com a união de elementos de línguas diferentes: tele (grego) + visão (latim); momo (grego) + cultura (latim); sócio (latim) +logia (grego); bana (africano) + nal (latim).
A ONOMATOPEIA reproduz certos sons e ruídos, bem como vozes e rumores. Daí a formação de algumas palavras: pingue-pongue, bangue-bangue, zinzinir, zumbir, zumzum, cacarejar.
A ABREVIAÇÃO é uma tendência no cotidiano, pois economizamos tempo e palavras. Assim: foto (fotografia); pornô (pornográfico); quilo (quilograma); pólio (poliomielite).
A ABREVIATURA/SIGLA são reduções na escrita de certas palavras, limitando-as à letra inicial ou às letras iniciais. Ex.: pe. (padre); p./pág. (página); av. (avenida); h (horas), PT (Partido dos Trabalhadores).
Quanto aos substantivos, são morfologicamente classificados como classe de palavra variável que nomeia seres. O plural dos substantivos simples, aqueles formados por uma única palavra, é grafado apenas por alterações finais do vocábulo. Substantivos terminados em A, E, I, O, U seguidos da consoante “L”, perderão tal consoante, que será substituída por “IS”. Exemplos: tal (tais); papel (papéis). Já os substantivos terminados em “R”, “S” e “Z” terão o acréscimo de “ES”: repórter (repórteres); gravidez (gravidezes). Os terminados em vogal acrescentaremos “S”: casa (casas); café(cafés); táxi(táxis), entre outros. Mas, atenção para as seguintes palavras: caráter tem seu plural “caracteres”, como também: abdômen (abdomens ou abdômenes); hífen (hifens ou hífenes); júnior (juniores); sênior (seniores). O plural dos substantivos compostos, aqueles formados por mais de uma palavra, segue a regra padrão.
Memorize! Substantivo mais substantivo: teremos os dois vocábulos no plural ou somente o primeiro: “decreto-lei” poderemos grafar ou falar “decretos-leis” ou “decretos-lei”, a segunda opção segue o padrão culto, como também “livro-caixa”, “livros-caixas” ou “livros-caixa”. Substantivo mais adjetivo: os dois vocábulos serão flexionados no plural: “cachorro-quente”, teremos: “cachorros-quentes”; “batata-doce”, “batatas-doces”. Numeral mais substantivo: os dois vocábulos no plural: “primeiro-ministro”, “primeiros-ministros”; “Terça-feira”, “terças-feiras”. Advérbio mais Adjetivo, somente o adjetivo irá para o plural: “bem-amado”, “bem-amados”; “Sempre-viva”, “sempre-vivas”. Verbo mais substantivo, somente o substantivo irá para o plural: “guarda-chuva”, “guarda-chuvas”; “bate-boca”, “bate-bocas”. Prefixo mais substantivo, somente o substantivo irá para o plural: “vice-diretor”, ”vice-diretores”. Composições preposicionadas: o primeiro elemento se flexionará no plural: “pôr-do-sol”, “pores-do-sol”; “pão-de-ló”, “pães-de-ló”. Palavras repetidas, só o último elemento irá para o plural: “teco-teco”, “teco-tecos”; “pisca-pisca”, “pisca-piscas”.Até a próxima aula e bons estudos!
Professora Sandra Ceraldi Carrasco, consultora e especialista em Língua Portuguesa, autora de livros e periódicos na área. Há mais de 20 anos ministra cursos e palestras, com índice recorde de aprovação. Seu mais recente trabalho aborda de forma prática o Acordo Ortográfico. Atualmente é coordenadora do curso preparatório IPA. Contato: professora.sandracarrasco@uol.com.br.

Comentários

Mais Lidas