Enquanto Roma queima

De todo o ciclo da dor vejo mais gente presa é no primeiro estágio: negação! Se você nega o problema, não consegue prosseguir no ciclo e sair dele. Está preso ali para todo o sempre!

Gabriela Knoblauch
Publicado em 02/05/2017, às 12h22

No ano de 64, Roma sofreu com um grande incêndio que destruiu boa parte da cidade. Reza a lenda que o imperador Nero tocava lira enquanto Roma queimava. Há várias teorias do motivo da atitude de Nero (e várias que dizem que não foi isso que aconteceu). Bom, fato é que – segundo a história que se conta – ele ignorou o caos quando deveria ter agido.Maluco? Adivinha quem faz coisas loucas assim o tempo todo? Nós!
Já viu aquela pessoa que está com a saúde muito comprometida em razão da péssima alimentação somada ao sedentarismo e quando sai para jantar escolhe a comida mais bizarra e carregada do cardápio? Passo longe de ser fiscal da comida alheia (afinal, tenho meus próprios “vícios”), mas fica óbvio que a pessoa está tocando lira enquanto Roma queima! Identificou-se? Alerta vermelho, hein! 
E quem está negativo no banco mas não perde uma liquidação? Barato não é de graça, Brasil! A pessoa sabe que não pode, que não deve de forma nenhuma gastar com supérfluos, mas parece que essa circunstância dá um “ativar” na vontade de gastar mais e mais.
Sabe quem está em um relacionamento doentio, é maltratado e ainda defende o parceiro (a)? Super talento da lira!
Afinal, porque a gente ignora um megaproblema que está bem na nossa cara e que temos toda a condição de resolver?
Negação. Esse é o primeiro estágio da dor segundo a psicóloga Elisabeth Klüber-Ross. Negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. É essa a sequência completa.
A simples existência do problema nos causa dor. Essa dor pode ser medo de não conseguir resolver, culpa por ter permitido que a situação chegasse a um extremo, vergonha por ter o problema ou simplesmente a pueril esperança de que o obstáculo desapareça como mágica se você ignorá-lo com muita força.
De todo o ciclo da dor vejo mais gente presa é no primeiro estágio: negação! Se você nega o problema, não consegue prosseguir no ciclo e sair dele. Está preso ali para todo o sempre!
E o concurseiro? O que tem a ver com isso? Negação de concurseiro
Não vou nem me estender aqui. Só vou listar alguns exemplos e você tem a tarefa de ver se suas falas são mais ou menos essas: - Para que PDF se eu posso ver videoaula de tudo? Bem mais legal! (E bem mais ineficiente)- Eu só aprendo com videoaula! (Todo mundo é capaz de aprender lendo. Creia em mim!)- Revisar atrasa (Atrasa mais é esquecer tudo o que você lê! Cúmulo do retrabalho!)- Depois eu leio a lei seca! (Nunca lê)- Perto da prova eu decoro! (Nunca dá tempo)- Não vou começar essa semana porque a prova está longe (Nunca está se levarmos em conta o tanto de matéria que tem que ver)- Vou fazer um presencial (Isso não é problema. Problema é não estudar em casa por considerar que assistir às aulas é suficiente).- Não preciso fazer questão. Se eu souber tudo que está no PDF, eu arraso na prova! (Vai descobrir do pior jeito que não é bem assim)- Não preciso fazer concurso de teste! O que interessa é fazer o MEU concurso (Eu falava isso! Inocente!)- Só hoje eu não vou estudar essa matéria que odeio (Hoje dura meses)- Vou fazer um curso de memorização/culinária/datilografia/faculdade de sei lá o quê porque isso vai ajudar no concurso (Sabe o que ajuda pacas no concurso? Ler os PDFs, fazer questões da sua banca, revisar com regularidade e cumprir seu plano de estudos!)- Vou adiantar essa matéria (que eu amo) por que ela é muito importante (mas não mais do que outras). Essa aqui (que eu odeio) vejo mais adiante (o “adiante” nunca chega).- Vou fazer várias questões da Esaf, apesar da minha prova ser Cespe (a pessoa tem medo do Cespe) porque a Esaf é uma banca conceituada!- Quero sair da iniciativa privada, estudar para concurso, mas… (e a pessoa – além do emprego – faz quatro faculdades, cinco pós, é voluntária no abrigo de animais… tudo para não ter tempo de estudar)- Meu resumo tem que ser bom/lindo (Daí a pessoa fica horas pintando o resumo, passando a limpo, colando adesivo da Hello Kitty… estudar que é bom, já sabem, nada!)- Atualidades sempre cai (nem sempre!). Então, tenho que ler muito jornal (PDF fica para o depois que não chega. A pessoa emenda Jornal Nacional com novela e pronto… já era o estudo)!- Vou furar o cronograma hoje. Amanhã eu compenso (lenda. O tempo não volta. Perdeu, está perdido!)                                                               Acho que alguns de vocês já podem estar bravos comigo depois dessa lista. Don´t kill the messenger (não matem o mensageiro). Não fiquem. Não quero atacar. Quero que você tire a venda dos olhos e entenda o motivo por trás de sua autossabotagem. Isso vai te tirar mais rápido da vida de concurseiro. O plano é esse, certo?
Pare com humildade e analise sua vida. Todos os aspectos dela. Saúde, família, demais relacionamentos, estudos, carreira… tudo! Onde há um incêndio? O que você tem feito para apagá-lo? O que você está fazendo “enquanto Roma queima”? Está tocando lira, em total negação, recolocando desesperadamente a venda que insiste em cair dos seus olhos?
Roma é sua vida! Vai deixar arder em chamas?
Evite a lástima de chorar sobre os escombros no futuro! Faça algo enquanto há tempo!
Gabriela Knoblauch é auditora de controle externo do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo e professora do Estratégia Concursos

Comentários

Mais Lidas