Entidades do magistério se reúnem para cobrar reajuste

A meta de direção do CPP em consonância com as demais entidades é manter encontros periódicos com o Secretário da Educação e com o Governo do Estado

Duarte Moreira
Publicado em 27/02/2019, às 13h04

A diretoria do Centro do Professorado Paulista se reuniu com os representantes de entidades e sindicatos (Apase, Apampesp, Apeoesp e Udemo) para delinear os primeiros movimentos para unificação das reivindicações dos integrantes do Quadro do Magistério Paulista junto ao governador.

Ficou estabelecida a necessidade de debater as propostas por todas as classes dos profissionais da educação como: reajuste da data-base que está assegurada para 1° de março; cumprimento do Piso Nacional; contratação de professores; política de concurso público; apresentar o programa de governo às entidades para melhoria de qualidade social da educação.

Segundo a professora Loretana Paolieri Pancera – 1ª Vice-Presidente do CPP o governo precisa em caráter de urgência dar um percentual de pelo menos 15% para que a categoria tão importante como a dos professores, que há 4 anos estão com grandes perdas salariais acumuladas. “Precisamos reverter a situação. A falta de interesse do profissional em atuar na área, devido à falta de valorização, tanto financeira quanto em condições de trabalho”, afirma Pancera.

A meta de direção do CPP em consonância com as demais entidades é manter encontros periódicos com o Secretário da Educação e com o Governo do Estado.

Os representantes da entidade acreditam que os diálogos é o caminho para mudanças.

O professor José Maria Cancelliero – Presidente do CPP, sinalizou que os professores ficaram quatro anos sem reajuste, o que gerou déficit de 25% na folha de pagamento de ativos e aposentados. O índice considera perdas do período inflacionário. Ele reforçou que no ano passado o ex-governador Geraldo Alckmin concedeu 7%, mas que ainda faltam 18%.

As cinco entidades representativas do magistério optaram por encaminhar ofício ao Secretário da Educação do Estado de São Paulo e estão  na expectativa de encontrar o Governador e resolver este impasse no 1° semestre.

Fontes: CPP e Duarte Moreira

Comentários

Mais Lidas