Estude menos, renda mais

Enquanto o relógio anda em sua inexorável marcha, nós, humanos, podemos ter diferentes percepções dessa progressão fatídica e constante.

Redação
Publicado em 17/04/2015, às 17h33

William Douglas

Albert Einstein, autor da Teoria da Relatividade, propôs que o tempo é relativo, indicando que uma astronave viajando na velocidade da luz terá um tempo interno diferente do que é percebido na Terra. Por essa razão, um astronauta poderia passar alguns segundos viajando e, ao retornar, ter perdido décadas ou até mesmo séculos de história terrestre. Se você já assistiu a algum filme de ficção científica com viagem espacial você já se deparou com esse conceito. Se você já teve de passar horas fazendo algo que não queria estar fazendo, também.

O tempo, para nós, dentro da Terra e na velocidade do nosso cotidiano também é relativo, como alertei. Enquanto o relógio anda em sua inexorável marcha, nós, humanos, podemos ter diferentes percepções dessa progressão fatídica e constante. A percepção do tempo só é a mesma para os ponteiros, não para nós. Quem nunca passou pela situação anteriormente descrita, de estar em um lugar que não agrada e sentir como se o tempo não passasse, ou ainda seu inverso, estar se divertindo ou aproveitando muito um momento que passa como um instante (suas férias, por exemplo).

Se você deseja aproveitar melhor o tempo (para qualquer atividade), deve entender que quando a pessoa gosta do que está fazendo, o tempo “passa mais rápido” e ela, em geral, retém memórias e sensações do que está acontecendo. Se não gosta, o tempo “não anda” e tudo se perde. É o que acontece, por exemplo, em uma festa de aniversário divertidíssima e que passa “muito rápido” ou na lentidão aparente de uma enfadonha fila de espera.

Portanto, para que o tempo de estudo renda mais, comece a gostar de estudar. Note que enquanto você não gosta de estudar, as horas de estudo irão martirizá-lo e jogar seu rendimento dentro de um poço. Você vai estudar muito, e entender, compreender, memorizar, muito pouco. Mude sua atitude! Encare o tempo como um aliado e a matéria como uma velha companheira de diversão. Quanto maior o apreço pela matéria e mais tranquilo for o estudo, maior a capacidade de aprendizado através da relativização do tempo.

Mas como realizar essa, aparentemente, difícil tarefa? Para começar, nunca estude controlando o tempo. Não fique olhando para o relógio. Se você vai estudar até as 17h, o ideal é que peça para alguém lhe chamar às 17h ou colocar um despertador para este horário. Não fique esperando ansiosamente pelas 17h. Entre nas páginas do que estiver lendo de cabeça, completamente. Não deixe seu cérebro devanear. Afaste qualquer coisa ou pensamento que o ligue ao tempo e a outros assuntos; nada de pensar no que fez antes ou no que fará após o estudo. Procure manter sempre um relógio por perto do seu local de estudo, mas não muito evidente, que o faça encará-lo a todo instante. O relógio ajuda a lembrar da disciplina do tempo e ajuda as visitas a lembrarem-se dela também.

Quanto mais você testar e colocar em prática essa técnica, melhor em administrar o tempo e relativizá-lo, a seu favor, você ficará. Em breve você estará estudando menos (percebendo menos horas) e rendendo mais.

William Douglas é juiz federal,professor universitário, palestrante e autor de mais de 40 obras, dentre elas Como Passar em Provas e Concursos e As 25 Leis Bíblicas do Sucesso. Site: www.williamdouglas.com.br. Acompanhe-o nas redes sociais (@site_wd, @site_wd2 e William Douglas - Facebook).

Comentários

Mais Lidas