Fluência em terceiro idioma reforça a carreira

O que antes foi considerado um requisito diferencial na busca por uma vaga no mercado de trabalho, hoje é exigência em muitas empresas

Douglas Terenciano
Publicado em 08/06/2017, às 11h58

Além do português, falar outro idioma fluente já não é mais considerado um diferencial nos processos seletivos para vagas de emprego, estágio ou trainee, mas sim um requisito obrigatório em muitas empresas, especialmente aquelas que têm origem estrangeira. A questão é: com o Brasil passando por uma crise econômica e os crescentes indicativos na taxa de desemprego, quanto pesa ter um terceiro idioma no currículo na busca por uma vaga no mercado de trabalho? Conversamos com um especialista em educação sobre o tema. Confira!

Prepare-se para competir!

Antes de tudo, quando pensamos em mercado de trabalho, é imprescindível estar preparado para competir. Afinal, muitos candidatos querem a mesma vaga que você. Para o coordenador pedagógico da escola de idiomas Skill, Lucas Fischer Fabozzi, 28, essa preparação deve ser de imediato. “É necessário ter em mente que o mundo corporativo exige cada vez mais de seus colaboradores, não importa a categoria, cargo ou relevância da profissão. É aqui que entra o investimento em educação e, em nosso caso, com o ensino de uma segunda ou terceira língua”, explica.

Com tantos profissionais disponíveis, quem possui conhecimento em outro idioma, normalmente se destaca no mercado. Contudo, a nacionalidade da empresa deve ser levada em consideração. Atualmente, o inglês segue como a preferência de muitos interessados em aprender um novo idioma, mas vale ressaltar que algumas companhias adotam outras línguas como pré-requisito para admissão, como por exemplo espanhol, francês ou alemão. “Isso se deve não apenas ao fato de vivermos em um mundo cada vez mais globalizado, como também a uma necessidade básica por comunicação”, reforça Fabozzi, que há dez anos trabalha como professor de idiomas.

Nível intermediário basta?

Outra dica do especialista é para que o trabalhador ou estudante não acredite que o nível básico ou intermediário já lhe conceda garantia de uma boa colocação. “É importante manter-se atualizado e, caso já seja fluente num segundo idioma, buscar um terceiro. Quanto mais conteúdo for apreendido e aplicado, mais o colaborador avança em sua carreira e demonstra seu interesse por uma vaga ou posição”, comenta.

Além disso, Lucas Fabozzi opina que aprender uma nova língua deve ser encarado como investimento, especialmente neste momento da economia brasileira. “Se você se encontra numa situação de desemprego ou possível demissão, aproveite para investir em seu conhecimento, pois é isto que poderá garantir sua permanência em um emprego ou consequente aquisição de uma nova vaga”, diz.

De uns anos pra cá, é comum ver anúncios de cursos rápidos focados em vocabulário corporativo ou na preparação específica para testes de proficiência. Antes de se aventurar nos estudos, Lucas ressalta sobre a importância de entender a necessidade dos alunos para, então, direcioná-los à melhor opção. “Cursos rápidos podem ser eficazes, no entanto, é indispensável que o aluno esteja ciente da questão custo-benefício, uma vez que importa e muito sua fluência e conhecimento específico. Há casos em que se busca um curso preparatório para um certificado de proficiência, ou então aulas mais práticas focadas em vocabulário técnico de determinada área”, orienta.

Intercâmbios

Por fim, Fabozzi explica que fazer intercâmbios é importante, pois estudar outro idioma é um processo que conta com a disposição e interesse do aluno. “Uma viagem ao exterior, seja ela de cunho acadêmico, profissional ou turismo, contribui com o aprendizado, no entanto, há dois lados nesta questão: viajar sem conteúdo algum e voltar com uma vivência versus aprender em sala e tornar-se fluente, porém sem conhecimento real. Ambas se complementam e eu, como coordenador, incentivo ao máximo programas de intercâmbio, por mais curtos que sejam, pois sei o quanto eles apoiam a aprendizagem do aluno”, finaliza o especialista.

Comentários

Mais Lidas