Aval para concurso do INSS pode sair ainda este mês

A previsão é de que, inicialmente, o Ministério do Planejamento autorize 1.500 vagas para o cargo de técnico do seguro social, que exige nível médio e apresenta remuneração inicial de R$ 4.400

Camila Diodato
Publicado em 17/06/2014, às 13h17

Os concurseiros de plantão aguardam com ansiedade a autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) possa preparar uma nova seleção pública para técnico do seguro social e perito médico. Segundo alguns parlamentares, o aval para 1.500 vagas de técnico pode ser dado ainda em junho.


Veja mais: MPOG autoriza concurso de 950 vagas no INSS

Em 1° de abril, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, realizou uma reunião com os deputados federais Amauri Teixeira (PT/BA), André Figueiredo (PDT/CE) e Roberto Santiago (PSD/SP), onde foram discutidas as nomeações dos candidatos do último processo seletivo e a abertura de um novo concurso. No dia seguinte, perante a Comissão do Trabalho, o parlamentar Roberto Santiago afirmou que a ministra deverá autorizar 1.500 oportunidades para a carreira de nível médio.
CONFIRA A EDIÇÃO DIGITAL DO JC&E - CLIQUE AQUI

Após o encontro com a ministra, o deputado Amauri Teixeira, juntamente com outros parlamentares, continuou cobrando do MPOG a liberação para que a seleção aconteça. Teixeira pediu que fossem abertas 2.000 ofertas para técnico e 1.200 para perito.

No dia 28 de maio, houve mais uma audiência para tratar sobre as nomeações e a abertura de um concurso, só que desta vez com a secretária de Gestão, Ana Lúcia Amorim de Brito. E no último dia 10 (terça-feira), aconteceu uma reunião com o secretário do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, onde também seriam tratadas desde convocações até a liberação de um concurso para o INSS, porém, nessa data só foram discutidas as nomeações dos candidatos dos processos seletivos do Banco Central do Brasil (Bacen) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). De acordo com informações obtidas junto ao gabinete do deputado Teixeira, outros encontros serão marcados nos próximos dias para debater o assunto.

Defasagem – O diretor de gestão de pessoas do INSS, José Nunes Filho, apontou que o órgão tem, em média, uma carência de 1.800 servidores. Já o diretor de organização da CNTSS (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social), Raimundo Cintra, e o diretor da Condsef (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal), Rogério Expedito, dizem que o número pode chegar a 18.000, se acrescentados os funcionários que estão prestes a ser aposentar.

Por conta da defasagem de empregados, o vice-presidente executivo da Anasps (Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social), Paulo César Regis de Souza, falou das consequências dessa situação. “Muitas agências novas funcionam precariamente com um ou dois servidores, comprometendo o projeto de criação de 720 agências nos municípios com mais de 20.000 habitantes, prometido há quase seis anos. Destas, apenas 50% foram inauguradas, pois o Governo nega recursos para a implantação das agências e servidores”, explicou.

O vice-presidente ainda comentou que seria importante o lançamento de um novo concurso e que há alguns anos foi pedido ao Planejamento um processo seletivo para a contratação de 10.000 pessoas, mas a autorização não foi concedida. “Antes de deixar o Ministério da Previdência, ainda do Governo Lula, o ex-ministro e atual líder do Governo no Senado, o senador José Pimentel, pediu concurso para 10.000 servidores, entretanto, o Ministério do Planejamento não autorizou”. Depois, o atual ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, também solicitou uma seleção com 10.000 vagas, sendo 8.000 para técnico e 2.000 para analista do seguro social – novamente sem êxito.

Carreiras – O posto de técnico exige curso de nível médio. Já o emprego de perito necessita de graduação em medicina e registro no Conselho Regional de Medicina (CRM).

Na atual tabela das remunerações dos servidores federais consta que os salários são de R$ 4.027,87 para técnico e de R$ 9.683,80 para perito, já inclusas as gratificações. O instituto também oferece R$ 373 de vale-alimentação.

APOSTILA CONCURSO INSS - TÉCNICOAPOSTILA CONCURSO INSS - ANALISTA

Comentários

Mais Lidas