INSS divulga resultado prévio para 900 vagas

O concurso oferece oportunidades para analista de seguro social.

Redação
Publicado em 28/01/2009, às 11h13

Apesar do pedido do Ministério Público Federal no Amazonas de suspender a publicação do resultado, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) divulgou nesta quarta-feira (28) o resultado preliminar das provas objetivas realizadas no dia 11 janeiro para o concurso que vai preencher 900 vagas de analista do seguro social em cidades de todo o País, com remuneração de R$ 3.586,26.

Consulte a sua classificação no site www.funrio.org.br.

A prova objetiva foi composta por 60 questões divididas entre Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Noções de Informática, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Legislação Previdenciária, Legislação da Assistência Social e Conhecimento Específicos.


De acordo com a assessoria de imprensa da Funrio, o concurso recebeu um total de 43.361 inscrições.

Pedido de anulação das provas

A pedido do Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM), a Justiça Federal determinou a suspensão da divulgação do resultado do concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), até que seja analisada a solicitação do MPF/AM de anulação da prova objetiva do concurso, realizada no dia 11 deste mês. Apesar disso, o resultado foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira (28).

No último dia 22, o MPF/AM entrou com uma ação civil pública na Justiça Federal, com pedido de liminar, visando à anulação da prova do concurso. O pedido está sob análise da juíza da 4ª Vara Federal Marília Gurgel Rocha de Paiva e Sales, que concedeu, no dia 26, prazo de 72 horas para a manifestação da Funrio.

Com início marcado para 13h (horário de Brasília) em todo o País, a aplicação da prova em Manaus teve início somente duas horas depois porque uma das escolas onde o concurso estava sendo realizado, o Colégio Brasileiro Pedro Silvestre, também era local de realização do vestibular 2009 da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Segundo relato de candidatos que estiveram na sede do MPF/AM no dia 12 de janeiro, cerca de 500 pessoas que fariam a prova no Colégio Brasileiro foram obrigadas a aguardar aproximadamente três horas – os candidatos foram orientados a chegar com uma hora de antecedência do início da prova, às 10h, e a aplicação só começou por volta de 13h - na quadra de esporte da escola, enquanto o vestibular era finalizado.

A Funrio informou que, no estado do Amazonas, a prova também foi aplicada no município de Tefé.

O atraso de cerca de duas horas na aplicação da prova objetiva em Manaus pode ter comprometido o sigilo da prova, já que os candidatos que aguardavam na quadra de esportes tinham acesso à telefonia móvel.

Para o MPF/AM, a possibilidade de ter ocorrido comunicação entre os candidatos de Tefé e Manaus sobre o teor das questões da prova é grande, suficiente para solicitar a anulação da prova. Além disso, candidatos relataram ao MPF/AM que a organização do concurso permitiu que inscritos entrassem no local da prova em Manaus até as 15h (horário de Brasília), enquanto que, em outros estados, o horário limite para entrada foi de 13h (horário de Brasília).

Em ofícios encaminhados ao MPF/AM, a direção do Colégio Brasileiro e representantes da Funrio afirmaram que a coincidência do local da prova do INSS e do vestibular da Ufam foi comunicada cerca de uma semana antes da data da prova, sem que a organização do concurso tomasse nenhuma providência.


Com informações da Procuradoria da República no Amazonas

Confira aqui os editais do concurso.

Comentários

Mais Lidas