ANPAC tenta liberar caderno de questões para candidato

Presidente da associação envia carta à Fundação Carlos Chagas para que organizadora reveja posição estabelecida no edital de abertura. Provas objetivas estão confirmadas para este domingo (12)

Redação
Publicado em 10/02/2012, às 12h18

Mesmo com a proximidade da prova objetiva, marcada para este domingo (12) e cujos locais de realização podem ser conferidos aqui, o concurso para o provimento de 1.875 vagas no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) continua a despertar polêmicas. 
Um dos pontos mais controversos do edital publicado em dezembro do ano passado é sobre a impossibilidade dos candidatos saírem das provas com posse de seus cadernos de questões. A Associação Nacional de Proteção e Apoio aos concursos (ANPAC) que vem atuando diligentemente na defesa de maior transparência e credibilidade nos concursos públicos, divulgou carta, assinada pelo presidente da associação Ernani Pimentel, em que pleiteia que a Fundação Carlos Chagas reconsidere a posição estabelecida no edital.
Para a ANPAC, permitir que os candidatos mantenham posse de seus cadernos de questões contribui para a lisura do processo seletivo e para o aperfeiçoamento do aprendizado do candidato.  “Essa permissão não afeta a segurança da competição, quando se define que os candidatos só sairão com seus cadernos de questão, após o término do tempo destinado à solução da prova, ou faltando 30 a 15 minutos para esse término”, argumenta o professor Ernani Pimentel na carta também enviada ao JC&E.  
Entre outras justificativas para sua solicitação, o presidente da Anpac argumenta que a medida evitará o prolongamento da seleção: “Tal atitude contribui também para diminuir o risco de grupos de candidatos acionarem a Justiça, na defesa do direito a terem um concurso transparente, seguro e isonômico em relação a todos os candidatos”.
A Fundação Carlos Chagas ainda não se pronunciou efetivamente em relação à questão, mas emitiu um comunicado direcionado aos candidatos em seu site alertando que “ os gabaritos estão totalmente protegidos por procedimentos operacionais que preservam seu sigilo; inverídicos, pois, quaisquer outros, porventura, divulgados.”
Outras informações As provas serão realizadas das 14h às 18h em todo o país. Segundo a Fundação Carlos Chagas, são esperados 11.799 candidatos para 375 vagas no cargo de Perito Médico Previdenciário e 909.337 para as 1.500 vagas no caro de Técnico do Seguro Social. Os portões serão fechados às 13h30. Os aprovados receberão salários de R$ 4.496,89 (médio) e R$ 9.070,93 (superior). Além outros benefícios como auxílio-alimentação.  

Reinaldo Matheus Glioche/SP    

Comentários

Mais Lidas