Publicado: 11/09/2018 - 09:48 | Atualizado: 11/09/2018 - 09:50
Publicado: 11/09/2018 - 09:48 | Atualizado: 11/09/2018 - 09:50

Concurso MP PB: saiu gabarito da prova para promotor

Ofertas são destinadas a bacharéis em direito com experiência mínima de três anos em atividade jurídica. Cargo paga R$ 24,8 mil

10 vagas

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Foi aplicada no último domingo (9) a prova objetiva do concurso do Ministério Público do Estado da Paraíba (MP PB) destinado a selecionar dez novos promotores de justiça substitutos, com salário de R$ 24.818,90. O gabarito já pode ser consultado na página http://www.concursosfcc.com.br/concursos/mppbp215. 

 

O edital reserva duas vagas a negros e uma a pessoas com deficiência. Os candidatos devem possuir curso superior em direito e experiência mínima de três anos em atividade jurídica. 

 

As inscrições foram recebidas até 25 de julho, por meio do site da Fundação Carlos Chagas (www.concursosfcc.com.br). A taxa de participação custou R$ 285.

 

 

Fases do concurso do MP PB para promotor

 

 

Válida pela primeira etapa, a prova objetiva teve 100 questões de múltipla escolha e duração de cinco horas. O conteúdo programático previa língua portuguesa; Lei de Organização Judiciária do Estado (LOJE); lei orgânica do Ministério Público; medicina legal; e conhecimentos em direito constitucional; penal; processual penal; civil; processual civil; difusos, coletivos e individuais homogêneos; administrativo; empresarial; tributário; e eleitoral.  

 

As outras fases da seleção envolvem avaliações escrita (discursiva), previstas para 24 e 25 de novembro; oral e de tribuna, além de análise de títulos, investigação social e curso de formação, em datas a serem definidas. 

 

De acordo com o edital, o concurso do MP PB terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão. 

 

 

Concurso MP PB 2018: conteúdo programático parcial para a prova de promotor

 

 

Direito tributário – Ponto 01: Tributos: Conceito e Classificação. Tributos do Sistema Tributário Nacional. Princípios do Direito Tributário. Limitações constitucionais ao Poder de Tributar. Dos impostos da União. Dos Impostos dos Estados e do Distrito Federal. Dos Impostos dos Municípios. Da repartição das receitas tributárias. Ponto 02: Fontes do Direito Tributário. Obrigação tributária: sujeito ativo e passivo e fato gerador. Ponto 03: Crédito tributário: constituição, suspensão de exigibilidade, exclusão e modalidades de extinção. Decadência e prescrição. Ponto 04: Processo tributário: administrativo e judicial. Ponto 05: Ilícito tributário. Bibliografia adotada: MACHADO, Hugo de Brito. Curso de Direito Tributário, 38ª ed., São Paulo: Malheiros, 2017. AMARO, Luciano. Direito Tributário Brasileiro, 22ª ed., São Paulo: Saraiva, 2017. PAULSEN, Leandro. Direito Tributário – Constituição e Código Tributário à Luz da Doutrina e da Jurisprudência, 18ª ed., São Paulo: Saraiva, 2017.

 

Medicina legal – Ponto 01: Traumatologia médico-legal: energias de ordem mecânica, energias de ordem física, energias de ordem química, energias de ordem físico-química, energias de ordem biodinâmica, energias de ordem mista, lesões corporais e suas espécies. Ponto 02: Periclitação da vida e da saúde. Ponto 03: Tanatologia médico-legal: conceito, causa jurídica da morte, diagnose da morte, fenômenos abióticos, fenômenos transformativos, estimativa do tempo de morte, lesões in vitam e post mortem, comoriência e premoriência. Ponto 04: Gravidez, parto e puerpério. Aborto legal e aborto criminoso. Infanticídio. Ponto 05: Embriaguez alcoólica. Bibliografia adotada: FRANÇA, Genival Veloso de. Medicina Legal. 11ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017. HÉRCULES, Hygino de Carvalho. Medicina Legal: texto e atlas. 2. ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2014.

 

Lei orgânica do MP – Ponto 01: Lei Orgânica Nacional do Ministério Público. Disposições Gerais. Da Organização do Ministério Público. Dos Órgãos de Administração. Das Funções dos Órgãos de Execução. Dos Órgãos Auxiliares. Das Garantias e Prerrogativas dos Membros do Ministério Público. Demais aspectos da Lei 8.625/93 e suas alterações posteriores. Ponto 02: Lei Orgânica do Ministério Público do Estado da Paraíba. Disposições Gerais. Da organização do Ministério Público. Dos Órgãos da Administração Superior. Dos Órgãos de Administração. Dos Órgãos de Execução. Dos Órgãos Auxiliares. Das Funções dos Órgãos de Execução. Dos Deveres e Vedações dos Membros do Ministério Público. Demais Aspectos da Lei Complementar nº 97/2010 e suas alterações posteriores.

 

Língua portuguesa – Ponto 01: Interpretação de texto. Ponto 02: Ortografia. Ponto 03: Acentuação, Crase e Pontuação. Ponto 04: Sintaxe de Concordância Verbal e Nominal. Ponto 05: Vícios e Figuras de Linguagem. Bibliografia adotada: BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa - Atualizada Pelo Novo Acordo Ortográfico, 38ª ed., Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015. CUNHA, Celso & CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 6ª Ed. rev. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2013.
 

Vídeos MP

Mais Lidas

Mais Recentes

Atualizado: 11/09/2018 - 09:48

Concurso MP PB: saiu gabarito da prova para promotor

Ofertas são destinadas a bacharéis em direito com experiência mínima de três anos em atividade jurídica. Cargo paga R$ 24,8 mil

10 vagas

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Foi aplicada no último domingo (9) a prova objetiva do concurso do Ministério Público do Estado da Paraíba (MP PB) destinado a selecionar dez novos promotores de justiça substitutos, com salário de R$ 24.818,90. O gabarito já pode ser consultado na página http://www.concursosfcc.com.br/concursos/mppbp215. 

 

O edital reserva duas vagas a negros e uma a pessoas com deficiência. Os candidatos devem possuir curso superior em direito e experiência mínima de três anos em atividade jurídica. 

 

As inscrições foram recebidas até 25 de julho, por meio do site da Fundação Carlos Chagas (www.concursosfcc.com.br). A taxa de participação custou R$ 285.

 

 

Fases do concurso do MP PB para promotor

 

 

Válida pela primeira etapa, a prova objetiva teve 100 questões de múltipla escolha e duração de cinco horas. O conteúdo programático previa língua portuguesa; Lei de Organização Judiciária do Estado (LOJE); lei orgânica do Ministério Público; medicina legal; e conhecimentos em direito constitucional; penal; processual penal; civil; processual civil; difusos, coletivos e individuais homogêneos; administrativo; empresarial; tributário; e eleitoral.  

 

As outras fases da seleção envolvem avaliações escrita (discursiva), previstas para 24 e 25 de novembro; oral e de tribuna, além de análise de títulos, investigação social e curso de formação, em datas a serem definidas. 

 

De acordo com o edital, o concurso do MP PB terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão. 

 

 

Concurso MP PB 2018: conteúdo programático parcial para a prova de promotor

 

 

Direito tributário – Ponto 01: Tributos: Conceito e Classificação. Tributos do Sistema Tributário Nacional. Princípios do Direito Tributário. Limitações constitucionais ao Poder de Tributar. Dos impostos da União. Dos Impostos dos Estados e do Distrito Federal. Dos Impostos dos Municípios. Da repartição das receitas tributárias. Ponto 02: Fontes do Direito Tributário. Obrigação tributária: sujeito ativo e passivo e fato gerador. Ponto 03: Crédito tributário: constituição, suspensão de exigibilidade, exclusão e modalidades de extinção. Decadência e prescrição. Ponto 04: Processo tributário: administrativo e judicial. Ponto 05: Ilícito tributário. Bibliografia adotada: MACHADO, Hugo de Brito. Curso de Direito Tributário, 38ª ed., São Paulo: Malheiros, 2017. AMARO, Luciano. Direito Tributário Brasileiro, 22ª ed., São Paulo: Saraiva, 2017. PAULSEN, Leandro. Direito Tributário – Constituição e Código Tributário à Luz da Doutrina e da Jurisprudência, 18ª ed., São Paulo: Saraiva, 2017.

 

Medicina legal – Ponto 01: Traumatologia médico-legal: energias de ordem mecânica, energias de ordem física, energias de ordem química, energias de ordem físico-química, energias de ordem biodinâmica, energias de ordem mista, lesões corporais e suas espécies. Ponto 02: Periclitação da vida e da saúde. Ponto 03: Tanatologia médico-legal: conceito, causa jurídica da morte, diagnose da morte, fenômenos abióticos, fenômenos transformativos, estimativa do tempo de morte, lesões in vitam e post mortem, comoriência e premoriência. Ponto 04: Gravidez, parto e puerpério. Aborto legal e aborto criminoso. Infanticídio. Ponto 05: Embriaguez alcoólica. Bibliografia adotada: FRANÇA, Genival Veloso de. Medicina Legal. 11ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017. HÉRCULES, Hygino de Carvalho. Medicina Legal: texto e atlas. 2. ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2014.

 

Lei orgânica do MP – Ponto 01: Lei Orgânica Nacional do Ministério Público. Disposições Gerais. Da Organização do Ministério Público. Dos Órgãos de Administração. Das Funções dos Órgãos de Execução. Dos Órgãos Auxiliares. Das Garantias e Prerrogativas dos Membros do Ministério Público. Demais aspectos da Lei 8.625/93 e suas alterações posteriores. Ponto 02: Lei Orgânica do Ministério Público do Estado da Paraíba. Disposições Gerais. Da organização do Ministério Público. Dos Órgãos da Administração Superior. Dos Órgãos de Administração. Dos Órgãos de Execução. Dos Órgãos Auxiliares. Das Funções dos Órgãos de Execução. Dos Deveres e Vedações dos Membros do Ministério Público. Demais Aspectos da Lei Complementar nº 97/2010 e suas alterações posteriores.

 

Língua portuguesa – Ponto 01: Interpretação de texto. Ponto 02: Ortografia. Ponto 03: Acentuação, Crase e Pontuação. Ponto 04: Sintaxe de Concordância Verbal e Nominal. Ponto 05: Vícios e Figuras de Linguagem. Bibliografia adotada: BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa - Atualizada Pelo Novo Acordo Ortográfico, 38ª ed., Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015. CUNHA, Celso & CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 6ª Ed. rev. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2013.
 

Continuar lendo

Atualizado: 06/09/2018 - 09:10

Concurso PGM João Pessoa: prazo de inscrição acaba hoje

Destinado a bacharéis em direito, cargo de procurador oferece remuneração inicial de R$ 12 mil. Prova da primeira fase está marcada para 18 de novembro

Capital paraibana

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Terminam às 18h desta quinta-feira (6) as inscrições para o concurso da Procuradoria-Geral do Município (PGM) de João Pessoa, capital da Paraíba, destinado a preencher quatro vagas de procurador, além de formar cadastro reserva. 

 

Os candidatos devem possuir diploma de curso superior em direito, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), e registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). 

 

O cargo conta remuneração inicial de R$ 12.000, acrescida de honorários advocatícios de sucumbência. Além disso, estão previstos reajustes salariais para 2019 (R$ 13.200) e 2020 (R$ 14.520).

 

As inscrições devem ser efetuadas pelo endereço www.cespe.unb.br/concursos/pgm_jp_18_procurador. O valor da taxa é de R$ 250.

 

 

Etapas do concurso da PMG João Pessoa

 

 

A seleção envolverá três provas: objetiva, marcada para 18 de novembro, subjetiva, com aplicação prevista para 16 de dezembro, e de títulos, em período a ser definido.  

 

O conteúdo programático engloba conhecimentos em direito nas seguintes áreas: administrativo, ambiental, civil, empresarial, processual civil, constitucional, do trabalho, processual do trabalho, financeiro, previdenciário, tributário e urbanístico.

 

De acordo com o edital, o concurso da PGM de João Pessoa terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão. 

 

 

Concurso PGM João Pessoa: atribuições do procurador

 

 

Defender, judicial ou extrajudicialmente, os interesses do município de João Pessoa; realizar os trabalhos de assessoramento jurídico e de consultoria do interesse do município que lhes sejam submetidos; participar de comissões, grupos de trabalho e órgãos colegiados; zelar pelos princípios e funções institucionais; sugerir a declaração de nulidade de qualquer ato administrativo ou sua revogação; representar o município nas sociedades de economia mista, empresas públicas, agências de fomento ou reguladoras dos serviços públicos, quando designado pelo Procurador-Geral do município; requisitar às repartições e às autoridades administrativas do município os esclarecimentos indispensáveis ao desempenho de suas atribuições e, quando se fizer necessário, propor ou solicitar a requisição de processos e de outros papéis ou documentos; denunciar agentes públicos ao Prefeito e ao Ministério Público, propondo, inclusive, a abertura de processo administrativo e instauração de ação penal, nos casos de malversação de verbas do erário municipal ou quando da ocorrência de ato administrativo praticado com excesso de poder ou desvio de finalidade; exercer outras atividades inerentes à advocacia pública do município; exercer suas funções institucionais nos diversos órgãos e entidades do Poder Público municipal, conforme designação.

 

 

Conteúdo programático parcial para o concurso da PMG de João Pessoa

 

 

Direito processual civil - 1 Lei nº 13.105/2015 e suas alterações (Código de Processo Civil). 2 Normas processuais civis. 3 Jurisdição. 4 Ação. 4.1 Conceito, natureza, elementos e características. 4.2 Condições da ação. 4.3 Classificação. 5 Pressupostos processuais. 6 Preclusão. 7 Sujeitos do processo. 7.1 Capacidade processual e postulatória. 7.2 Deveres das partes e procuradores. 7.3 Procuradores. 7.4 Sucessão das partes e dos procuradores. 8 Litisconsórcio. 9 Intervenção de terceiros. 10 Poderes, deveres e responsabilidade do juiz. 11 Ministério Público. 12 Advocacia Pública. 13 Defensoria pública. 14 Atos processuais. 14.1 Forma dos atos. 14.2 Tempo e lugar. 14.3 Prazos. 14.4 Comunicação dos atos processuais. 14.5 Nulidades. 14.6 Distribuição e registro. 14.7 Valor da causa. 15 Tutela provisória. 16 Formação, suspensão e extinção do processo. 17 Processo de conhecimento e do cumprimento de sentença. 17.1 Procedimento comum. 17.2 Disposições Gerais. 17.3 Petição inicial. 17.4 Improcedência liminar do pedido. 17.5 Audiência de conciliação ou de mediação. 17.6 Contestação, reconvenção e revelia. 17.7 Audiência de instrução e julgamento. 17.8 Providências preliminares e de saneamento. 17.9 Julgamento conforme o estado do processo. 17.10 Provas. 17.11 Sentença e coisa julgada. 17.12 Cumprimento da sentença. 18 Procedimentos Especiais. 19 Procedimentos de jurisdição voluntária. 20 Processos de execução. 21 Processos nos tribunais e meios de impugnação das decisões judiciais. 22 Livro Complementar. 23 Disposições finais e transitórias. 24 Mandado de segurança. 25 Ação popular. 26 Ação civil pública. 27 Ação de improbidade administrativa. 28 Reclamação constitucional. 29 Lei nº 9.099/1995 e suas alterações (Lei dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais). 30 Lei nº 12.153/2009 (Lei dos Juizados Especiais da Fazenda Pública). 31 Jurisprudência dos tribunais superiores.

 

Direito constitucional - 1 Constituição. 1.1 Conceito, objeto, elementos e classificações. 1.2 Supremacia da Constituição. 1.3 Aplicabilidade das normas constitucionais. 1.4 Interpretação das normas constitucionais. 2 Poder constituinte. 2.1 Características. 2.2 Poder constituinte originário. 2.3 Poder constituinte derivado. 3 Princípios fundamentais. 4 Direitos e garantias fundamentais. 4.1 Direitos e deveres individuais e coletivos. 4.2 Habeas corpus, mandado de segurança, mandado de injunção e habeas data. 4.3 Direitos sociais. 4.4 Direitos políticos. 4.5 Partidos políticos. 5 Organização do Estado. 5.1 Organização político-administrativa. 5.2 Estado federal brasileiro. 5.3 A União. 5.4 Estados federados. 5.5 Municípios. 5.6 O Distrito Federal. 5.7 Territórios. 5.8 Intervenção federal. 5.9 Intervenção dos estados nos municípios. 6 Administração Pública. 6.1 Disposições gerais. 6.2 Servidores públicos. 7 Organização dos poderes no Estado. 7.1 Mecanismos de freios e contrapesos. 7.2 Poder Legislativo. 7.3 Poder Executivo. 7.4 Poder Judiciário. 7.4.1 Regime de Precatórios. 8 Funções essenciais à Justiça. 8.1 Ministério Público. 8.2 Advocacia Pública. 8.3 Advocacia e Defensoria Pública. 9 Controle da constitucionalidade. 9.1 Sistemas gerais e sistema brasileiro. 9.2 Controle incidental ou concreto. 9.3 Controle abstrato de constitucionalidade. 9.4 Exame in abstractu da constitucionalidade de proposições legislativas. 9.5 Ação declaratória de constitucionalidade. 9.6 Ação direta de inconstitucionalidade. 9.7 Arguição de descumprimento de preceito fundamental. 9.8 Ação direta de inconstitucionalidade por omissão. 9.9 Ação direta de inconstitucionalidade interventiva. 9.10 Controle concreto e abstrato de constitucionalidade do direito municipal. 10 Defesa do Estado e das instituições democráticas. 11 Sistema Tributário Nacional. 11.1 Princípios gerais. 11.2 Limitações do poder de tributar. 11.3 Impostos da União, dos Estados e dos municípios. 11.4 Repartição das receitas tributárias. 12 Finanças públicas. 12.1 Normas gerais. 12.2 Orçamentos. 13 Ordem econômica e financeira. 13.1 Princípios gerais da atividade econômica. 13.2 Política urbana, agrícola e fundiária e reforma agrária. 14 Sistema Financeiro Nacional. 15 Ordem social 16 Lei Orgânica do Município de João Pessoa. 17 Lei Complementar Municipal nº 61/2010 e suas alterações (Lei Orgânica da Procuradoria-Geral do Município de João Pessoa). 17 Jurisprudência dos tribunais superiores.

 

Direito financeiro - 1 Direito financeiro. 1.1 Conceito e objeto. 1.2 Direito financeiro na Constituição Federal de 1988. 2 Orçamento público. 2.1 Conceito, espécies e natureza jurídica. 2.2 Princípios orçamentários. 2.3 Leis orçamentárias. 2.3.1 Espécies e tramitação legislativa. 2.4 Lei nº 4.320/1964 e suas alterações. 2.5 Fiscalização financeira e orçamentária. 3 Despesa pública. 3.1 Conceito e classificação de despesa pública. 3.2 Disciplina constitucional dos precatórios. 4 Receita pública. 4.1 Conceito, ingresso e receitas. 4.2 Classificação das receitas públicas. 5 Lei de responsabilidade fiscal. 5.1 Planejamento. 5.2 Transferências voluntárias. 5.3 Destinação de recursos públicos para o setor privado. 5.4 Dívida e endividamento. 5.5 Gestão patrimonial. 5.6 Transparência, controle e fiscalização. 5.7 Disposições preliminares, finais e transitórias. 6 Crédito público. 6.1 Conceito e classificação de crédito público. 6.2 Natureza jurídica. 6.3 Controle, fiscalização e prestação de contas. 6.4 Empréstimos públicos: classificação, fases, condições, garantias, amortização e conversão. 7 Dívida pública. 8 Jurisprudência dos tribunais superiores.

 

Direito previdenciário - 1 Seguridade social. 1.1 Organização e princípios. 2 Custeio da seguridade social. 2.1 Receitas, contribuições sociais, salário-de-contribuição. 3 Regime geral de previdência social. 3.1 Segurados e dependentes. 3.2 Filiação e inscrição. 3.3 Carência. 3.4 Espécies de benefícios e prestações, disposições gerais e específicas. 3.5 Salário-de-benefício. 3.6 Renda mensal inicial. 3.7 Reajustamento e revisão. 3.8 Prescrição e decadência. 3.9 Acumulação de benefícios. 3.10 Justificação. 3.11 Ações judiciais em matéria previdenciária. 3.12 Acidente de trabalho. 4 Regime próprio de previdência dos servidores públicos. 5 Contagem recíproca de tempo de contribuição e compensação financeira. 6 Previdência complementar. 7 Jurisprudência dos tribunais superiores.

 

Confira o conteúdo programático completo para o concurso da PGM de João Pessoa
 

Continuar lendo

Atualizado: 04/09/2018 - 15:34

Concurso Receita Federal: cresce expectativa por aval

Oportunidades solicitadas ao Ministério do Planejamento são para as carreiras de auditor-fiscal e analista tributário. Iniciais do concurso da Receita serão de até R$ 16,2 mil

2.083 vagas solicitadas

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Cresce a expectativa de que o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) autorize a realização do concurso da Receita Federal do Brasil (RFB). O órgão solicitou autorização para preencher 2.083 vagas em seu quadro de pessoal.

Dados indicam que a falta de servidores na RFB está cada vez mais crítica, ainda mais que a cada novo levantamento cresce o número de postos vagos. A tendência é que a quantidade de servidores fique cada vez mais escassa, caso uma nova seleção não ocorra.

APOSTILAS CONCURSO RECEITA FEDERAL 2018 - AUDITOR

CURSO ONLINE PARA CONCURSO RECEITA FEDERAL 2018 - AUDITOR FISCAL

Último levantamento, de dezembro de 2017, aponta que a Receita Federal tem 20.830 postos em aberto, número em constante crescimento. Do déficit de servidores, 10.922 são de auditores e 9.908 de analista. A situação pode ficar mais crítica, ainda mais que cerca de 20% do pessoal já está apto a se aposentar.

Pedido do concurso da Receita Federal 2018

Em maio de 2017, o Ministério da Fazenda encaminhou ao Ministério do Planejamento pedido para que sejam liberadas à Receita Federal 2.083 oportunidades para auditor-fiscal e analista tributário.

Do total de ofertas requeridas para o concurso da Receita Federal, 630 são para auditor e 1.453 para analista. Ambas as carreiras aceitam profissionais com formação superior completa em diversas áreas de atuação. A remuneração inicial corresponde a R$ 16.201,64 e a R$ 9.714,42, respectivamente, já incluindo o vale-alimentação de R$ 458.

Veja também: simulado completo para o concurso da Receita 2018

Concurso da Receitra Federal para a área administrativa

Outra seleção aguardada é a que contempla 400 vagas para os cargos de assistente-técnico administrativo e analista administrativo, com lotação no quadro de pessoal da Receita Federal. Vale ressaltar que o lançamento do edital, assim que autorizado pelo MPDG, é feito pelo Ministério da Fazenda, que depois distribui as oportunidades para o seu quadro e o da RFB.

Para concorrer a assistente é necessário possuir ensino médio, sendo que o salário inicial, atualizado, é de R$ 4.137,97, considerando o vale-alimentação de R$ 458. Já a função de analista administrativo pede nível superior e oferece vencimento de R$ 5.490,09, incluindo o benefício.

Uma vez autorizado, o concurso contará com uma grande parte das vagas destinada para o Estado de São Paulo, por não ter sido contemplado na última seleção para os cargos administrativos.

Preparação para o concurso da Receita Federal 2018

Por ser considerado um dos concursos mais concorridos do Brasil, já que soma milhares de concorrentes, quem deseja conquistar um posto na RFB deve iniciar os estudos com antecedência. Em entrevista anterior ao JC, o auditor-fiscal da Receita Federal e ex-presidente do Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil), Pedro Delarue, comentou que “as provas são disputadíssimas e as pessoas que estão estudando estão super preparadas, então, é necessário estudar bastante, já que há uma grande variedade de temas”.

Uma opção para se preparar para a seleção é analisar o conteúdo programático e as avaliações dos processos seletivos anteriores. 

Último concurso da Receita Federal

No caso de assistente técnico-administrativo, o concurso anterior ocorreu em 2014, sendo organizado pela Escola de Administração Fazendária (Esaf). A prova contou com 70 questões, sendo 50 de conhecimentos básicos e 20 de conhecimentos específicos. Em conhecimentos básicos foram 20 de língua portuguesa, dez de matemática e raciocínio lógico, dez de conhecimentos de informática e dez de atualidades. Em conhecimentos específicos, cinco de gestão de pessoas e atendimento ao público, cinco de ética do servidor na administração pública, cinco de administração pública brasileira e cinco do regime jurídico dos agentes públicos. Informática e atualidades contaram com peso um e as demais disciplinas, com peso dois.  

Prepare-se para o concurso Receita Federal

PROVA ANTERIOR CONCURSO RFB

Para analista técnico administrativo, a última seleção foi em 2013, também organizada pela Esaf. O cargo contou com duas provas, sendo a primeira com 65 questões de conhecimentos básicos e a segunda com 50 de conhecimentos específicos. Em conhecimentos gerais foram 15 de língua portuguesa, dez de atualidades, dez de raciocínio lógico quantitativo, dez de direito constitucional dez de direito administrativo e dez de informática básica. Língua portuguesa e conhecimentos específicos tiveram peso dois, enquanto as demais disciplinas contaram com peso um. Além disso, os candidatos foram submetidos a uma prova discursiva.

Saiba mais sobre o concurso da Receita Federal 2018

 


Ads

Uma das vagas na Receita Federal será sua!

Essa é sua chance. São mais de 2 mil oportunidades com remuneração de até R$ 20.123. Garanta sua vaga e construa uma carreira de sucesso!

 

 

 


Continuar lendo

Atualizado: 23/08/2018 - 15:49

Min. do Trabalho: pedido de concurso é para 2.873 vagas

Solicitação para abertura de concurso para o Ministério do Trabalho é para cargos com exigência de níveis médio e superior de ensino. Iniciais de até R$ 16,2 mil

Agente e auditor

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O pedido de concurso do Ministério do Trabalho, encaminhado este ano ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPOG), é para o preenchimento de 2.873 vagas em seu quadro de pessoal.

Das oportunidades requeridas, 1.309 são para o cargo de auditor fiscal do trabalho e 1.307 para agente administrativo. As demais chances estão distribuídas da seguinte maneira: administrador (93), arquivista (32), bibliotecário (2), contador (58), engenheiro (5), estatístico (5), sociólogo (4), psicólogo (26), técnico em assuntos educacionais (10), técnico em comunicação social (10) e economista (12).

Em julho, o Sinait (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho) teve uma reunião como novo ministro do Trabalho, Caio Luiz. Um dos assuntos discutidos é a autorização urgente de novo concurso para o Ministério do Trabalho.

Com relação ao posto de fiscal, os dados do Sinait apontam que o órgão tem mais de 1.300 cargos vagos e cerca de 500 auditores em condições de se aposentar. O presidente do sindicato, Carlos Silva, ressaltou que “não há fiscalização sem fiscais”.

A expectativa é de que ainda em 2018 seja concedida a autorização para o novo concurso do Ministério do Trabalho.

Concurso Ministério do Trabalho: solicitação anterior

O último pedido enviado ao Ministério do Planejamento solicitou a abertura de 2.595 vagas distribuídas em diversos cargos com exigência de níveis médio e superior. Do total de oportunidades requeridas, 1.163 era para a função de agente administrativo, que pede apenas ensino médio e apresenta inicial de R$ 3.881,97, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

CURSO ONLINE MTE - AUDITOR FISCAL DO TRABALHO

As outras 1.432 oportunidades foram para para candidatos com formação superior, sendo 1.190 para a função de auditor-fiscal do trabalho, 85 para administrador, 34 para arquivista, 54 para contador, cinco para engenheiro, cinco para estatístico, três para sociólogo, 26 para psicólogo, dez para técnico em assuntos educacionais, dez para técnico em comunicação social e 12 para economista. Os salários oferecidos chegam a  R$ 16.201,64, contando com o benefício de alimentação.

Principais atribuições do agente e do auditor

Cabe ao agente administrativo exercer atividades que envolvam o suporte administrativo ás unidades organizacionais do órgão, com atuação nas áreas finalísticas, de gestão de pessoas, material, patrimônio, orçamento e finanças, compreendendo tarefas de natureza repetitivas ou não, como operar os sistemas corporativos e governamentais, atender ao público interno e externo por telefone, correio eletrônico ou presencial, elaborar documentos e correspondências, elaborar e analisar informações, certidões, declarações, relatórios e documentos, elaborar e conferir cálculo, realizar atividades relativas à instrução, tramitação e movimentação de processos e documentos, manter e controlar arquivos, orientar a aplicação de noras internas ou de sua área de atuação, participar de reuniões, comissões, grupos e equipes de trabalho, participar do plano de trabalho institucional de sua unidade, realizar levantamento de dados de natureza técnica e atuar na gestão e fiscalização de contratos e convênios. 

No caso de auditor fiscal, entre as atividades estão o cumprimento das disposições legais e regulamentares, inclusive as relacionadas à segurança e medicina do trabalho, no âmbito das relações de trabalho e emprego, verificação dos registros em Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), visando à redução dos índices de informalidade, verificação do recolhimento do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS), com o objetivo de maximizar os índices de arrecadação, e cumprimento de acordos, convênios e contratos coletivos de trabalho celebrados entre empregadores e empregados.

Últimos concursos do Ministério do Trabalho

Para agente, o processo seletivo anterior do Ministério do Trabalho ocorreu em 2014 e foi organizada pelo Cespe/UnB. O exame contou com 120 tópicos, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos, além de prova discursiva de conhecimentos específicos.

Em conhecimentos básicos foram cobrados temas de língua portuguesa, noções de informática, noções de direito administrativo, atualidades, ética no serviço público e noções de administração financeira e orçamentária. Em conhecimentos específicos, legislação específica, noções de gestão de pessoas nas organizações, noções de administração de recursos materiais, noções de arquivologia e noções de gestão e fiscalização de contratos e convênios.

Para auditor, o último certame ocorreu em 2013 e também organizado pelo Cespe/UnB. A seleção constou de provas objetivas, exames discursivos e sindicância de vida pregressa. As provas objetivas tiveram 220 perguntas, sendo 100 de conhecimentos básicos e 120 de conhecimentos específicos.   

Continuar lendo

Atualizado: 29/05/2018 - 14:44

Concurso MPF: segue em análise PL que cria 842 vagas

Proposta tem o objetivo de criar oportunidades para as carreiras de técnico, analista e procurador. Ofertas são para concurso do MPF, além do MPU

Níveis médio e superior

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Ainda está em avaliação na Câmara dos Deputados o projeto de lei (PL) n° 6006/2016, que visa a criar 842 vagas efetivas para o quadro de pessoal do Ministério Público Federal (MPF). As chances são para todo o país e estão distribuídas entre três cargos.

O próximo passo para o avanço da proposta é eleger um novo relator, já que o anterior devolveu o PL sem nenhuma manifestação. O documento se encontra na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP).

Consta no PL que, das oportunidades, 501 são para técnico, 207 para analista e 134 para procurador. Vale ressaltar que os cargos de técnico e analista são preenchidos por meio de concurso do MPU, que depois fica com a responsabilidade de lotar as chances no quadro do MPF.

Para concorrer à carreira de técnico é preciso ter certificado de ensino médio emitido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação, enquanto a colocação de analista aceita profissionais com formação superior em diversas áreas de atuação. As remunerações correspondem a R$ 6.167,99 para técnico e a R$ 10.119,93 para analista, sem incluir os seguintes benefícios: R$ 884 de vale-alimentação, R$ 699 de assistência pré-escolar, R$ 181,77 de auxílio-transporte, além de assistências médica e odontológica.

Já o posto de procurador regional da República exige bacharelado em direito e, no mínimo, três anos de atividade jurídica, exercida após a obtenção da graduação. O salário inicial oferecido é de R$ 28.947,55

O projeto de lei que prevê, consequentemente, a realização de um novo concurso do MPF ainda será avaliado pelas comissões de Finanças e Tributação (CFT) e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC). Após ser aprovado em todas as comissões, o documento irá ser avaliado pelo Plenário e, em seguida, irá para o Senado Federal. Por isso, haverá a sanção por parte do presidente da República.

 

Último concurso do MPF

 

No final de 2016, o MPF lançou edital com 82 vagas para procurador espalhadas pelas seguintes cidades: Maceió/AL (1), Arapiraca/AL (1), Laranjal do Jari/AP (1), Oiapoque/AP (1), Manaus/AM (3), Bom Jesus da Lapa/BA (1), Jequié/BA (1), Paulo Afonso/BA (1), Fortaleza/CE (1), Crateús/CE (1), Maracanaú/CE (1), Brasília/DF (1), Goiânia/GO (1), Anápolis/GO (1), Itumbiara/GO (1), São Luís/MA (1), Imperatriz/MA (1), Juína/MT (1), Campo Grande/MS (1), Belo Horizonte/MG (1), Ituiutaba/MG (1), Janaúba/MG (1), Manhuaçu/MG (1), Poços de Caldas/MG (1), Teófilo Otoni/MG (1), Belém/PA (1), Itaituba/PA (1), Marabá/PA (1), Tucuruí/PA (1), João Pessoa/PB (1), Guarabira/PB (1), Curitiba/PR (2), Campo Mourão/PR (1), Cascavel/PR (1), Guarapuava/PR (1), Recife/PE (1), Cabo de Santo Agostinho/PE (1), Goiana/PE (1), Jaboatão/PE (1), Salgueiro/PE (1), Teresina/PI (1), Corrente/PI (1), São Raimundo Nonato/PI (1), Rio de Janeiro/RJ (4), Macaé/RJ (1), Volta Redonda/RJ (1), Natal/RN (1), Ceará-Mirim/RN (1), Porto Alegre/RS (3), Erechim/RS (1), Novo Hamburgo/RS (1), Palmeiras das Missões/RS (1), Porto Velho/RO (2), Vilhena/RO (1), Boa Vista/RR (1), Florianópolis/SC (1), Blumenau/SC (1), Chapecó/SC (1), Itajaí/SC (1), São Paulo/SP (2), Andradina/SP (1), Bauru/SP (1), Campinas/SP (1), Catanduva/SP (1), Limeira/SP (1), Lins/SP (1), Osasco/SP (1), Registro/SP (1), São José do Rio Preto/SP (1), Lagarto/SE (1), Propriá/SE (1) e Gurupi/TO (1).

Em março deste ano serão aplicadas as provas objetivas com questões de múltipla escolha em todas as capitais do Estado, mais o Distrito Federal. Ainda haverá provas subjetivas, inscrição definitiva, análise de títulos e testes orais.

 

Último concurso do MPU

 

MPU realizou concurso, em 2013, com 263 oportunidades, além de cadastro reserva, para técnico e analista. Sob a organização do Cespe/UnB, o processo seletivo constou de duas provas objetivas (uma com 50 questões de conhecimentos básicos e outra com 70 questões de conhecimentos específicos) para todos os participantes e teste discursivo para analista.

As 35 ofertas de técnico estavam distribuídas entre as especialidades de tecnologia da informação e comunicação, enfermagem e saúde bucal. No caso de analista, as 228 chances envolveram as áreas de arquivologia, biblioteconomia, comunicação social, educação, estatística, finanças e controle, gestão pública, planejamento e orçamento, clínica médica, psiquiatria, antropologia, arquitetura, contabilidade, economia, engenharia agronômica, engenharia ambiental, engenharia civil, engenharia de segurança do trabalho, engenharia elétrica, engenharia florestal, engenharia mecânica, engenharia sanitária, geografia, medicina, medicina do trabalho, oceanografia, enfermagem, odontologia, psicologia, serviço social, tecnologia da informação e comunicação (desenvolvimento de sistemas ou suporte e infraestrutura. 

O edital do concurso do MPU teve ofertas no Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo e Tocantins.

Continuar lendo

Atualizado: 28/05/2018 - 11:52

Ministério da Fazenda: pedido com 1.301 vagas em ANÁLISE

Solicitação para a abertura de concurso do Ministério da Fazenda 2018/2019 refere-se a vários cargos com exigência de níveis médio e superior de ensino

Em avaliação

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Continua em análise no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) o pedido para a abertura do concurso do Ministério da Fazenda (MF), que solicitou autorização de 1.301 vagas para o seu quadro de pessoal.

A expectativa é de que a autorização do concurso do MF seja concedida ainda em 2018, já que apresenta um déficit de 3.999 servidores, sendo 3.062 para nível médio e 937 para superior.

As oportunidades requeridas ao Planejamento estão distribuídas da seguinte maneira: assistente técnico administrativo (904), analista técnico administrativo (257), arquiteto (12), arquivista (9), bibliotecário (12), contador (53), engenheiro (15), enfermeiro (5), pedagogo (6), psicólogo (6) e técnico em comunicação social (22).

Para concorrer ao posto de assistente é necessário possuir ensino médio completo, enquanto as demais funções aceitam candidatos com formação superior em diversas áreas de atuação. Os salários iniciais atuais oscilam entre R$ 3.953,68 e R$ 6.388,27, já incluindo o vale-alimentação de R$ 458.

A solicitação do concurso do Ministério da Fazenda 2018/2019 encaminhada ao MPDG não apresentou as regiões de lotação das oportunidades, mas é bem provável que São Paulo e Distrito Federal sejam os locais com a maior quantidade de oportunidade, e o motivo é que no último certame eles não foram abrangidos.

O detalhe do processo seletivo que pode ser dado como certo é a escolha da empresa organizadora, que será a Esaf (Escola de Administração Fazendária), como de costume nos concursos do órgão. Assim, os candidatos podem ir se preparando com as provas e os editais de seleções anteriores, uma vez que a banca se repete.

Outras oportunidades na solicitação de concurso

Junto com as vagas para o seu próprio quadro de pessoal, o MF pediu mais 3.040 chances distribuídas entre os seus órgãos vinculados. Os postos são para os níveis médio e superior.

Para a Receita Federal são as 630 vagas para auditor-fiscal e as 1.453 para analista tributário. O quadro do Tesouro Nacional é composto pelas colocações de auditor federal de finanças e controle (30) e técnico de finanças e controle (70), enquanto a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) fica com a função de procurador da Fazenda (240). 

Para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o pedido contempla 16 oportunidades para a carreira de inspetor, 30 para analista e 82 para agente executivo.

Na Superintendência de Seguros Privados (Susep), são 55 chances para analista técnico. Por fim, as demais profissões se destinam ao quadro da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), sendo elas as de especialista em previdência social (48), analista administrativo (23), técnico administrativo (39), administrador (11) e atuário (7).

Esses detalhes foram divulgados pelo Sistema Eletrônico do Serviço de Informação ao Cidadão (e-SIC). 

Último concurso do Ministério da Fazenda

No início de 2014, o MF abriu processo seletivo visando a contratar 1.026 profissionais na carreira de assistente. As chances disponibilizadas pelo certame foram distribuídas entre os Estados do Acre (18 vagas), Alagoas (14), Amazonas (28), Amapá (6), Bahia (80), Ceará (53), Espírito Santo (14), Goiás (31), Maranhão (30), Minas Gerais (101), Mato Grosso do Sul (34), Mato Grosso (27), Pará (55), Paraíba (20), Pernambuco (52), Piauí (17), Paraná (97), Rio de Janeiro (61), Rio Grande do Norte (17), Rondônia (13), Roraima (8), Rio Grande do Sul (155), Santa Catarina (74), Sergipe (9) e Tocantins (12).

Todos os candidatos passaram por provas objetivas de conhecimentos básicos e específicos com 70 perguntas de múltipla escolha. Os assuntos abordados nos testes foram língua portuguesa; matemática e raciocínio lógico; conhecimentos de informática; atualidades; gestão de pessoas e do atendimento ao público; ética do servidor na administração pública; administração pública brasileira; e regime jurídico dos agentes públicos.

Continuar lendo

Atualizado: 21/02/2018 - 12:14

PEC para concurso de procurador pronto para votação

Proposta, que vem tramitando no Congresso Nacional desde 2003, agora depende apenas de um parecer final

Cria o cargo em todos os municípios

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Foi novamente encaminhada para deliberação no plenário do  Senado Federal, no último dia 8 de fevereiro, para inclusão na ordem do dia, a Proposta de Emenda à Constituição 17/2012, que determina a obrigatoriedade de existência da carreira de procurador em todos os municípios, para preenchimento por meio de concurso público. O projeto já está pronto para votação desde o final do ano passado, mas acabou não sendo avaliado em decorrência do recesso parlamentar.

Caso aprovado, o artigo 132 da Constituição Federal passará a ter a seguinte redação:  “Os procuradores dos estados, municípios e Distrito Federal, organizados em carreira, no qual o ingresso dependerá de concurso público de provas e títulos, com a participação da Ordem dos Advogados do Brasil em todas as suas fases, exercerão a representação judicial e a consultoria jurídica das respectivas unidades federadas”.

De acordo com a proposta original, apresentada na Câmara dos Deputados, em 2003, “nada justifica excluir os municípios da exigência constitucional de organizarem suas carreiras de procurador. Nada mais justifica a possibilidade de ausência de controle de legalidade ou um controle deficiente, decorrente da falta de mão de obra especializada ou de entrega de tal controle a pessoas estranhas ao quadro efetivo da administração municipal”.

Ainda de acordo com a justificativa do projeto, a ausência de pareceres proferidos por procuradores concursados leva à descredibilidade da administração pública frente aos órgãos externos de controle, tribunais de contas e Ministério Público.

O projeto também determina que em casos de municípios com menor potencial econômico deverão instituir a carreira, porém, de forma proporcional às suas possibilidades.     

Continuar lendo

Atualizado: 04/01/2018 - 11:08

João Pessoa/PB abre concurso com 60 vagas no IPM

Concurso do Instituto de Previdência do Município de João Pessoa (IPM/JP) selecionará para carreiras de analista, agente e técnico. Salários iniciais chegam a R$ 2,4 mil

Níveis médio/técnico e superior

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O Instituto de Previdência do Município de João Pessoa (IPM/JP), na Paraíba, está com inscrições abertas para o concurso público destinado a preencher 60 vagas imediatas, sendo quatro para pessoas com deficiência, além de formar cadastro reserva.  
Com nível médio é possível concorrer como agente previdenciário nas áreas de suporte em administração e finanças (19 postos), previdência (10), tecnologia da informação (3) e transporte (4). O salário é de R$ 1.500.
Ensino médio e formação técnica são requisitos do concurso do IPM/JP para técnico em contabilidade (3) e técnico em informática (2), carreiras que pagam R$ 1.957,15.
Em nível superior há oportunidades para analista nas seguintes funções: administrador (2), informática - redes e comunicação (1), informática - sistemas e programação (1), arquivista (2), assistente social (2), atuário (1), contador (2), economista (1) e jurídico (7). A remuneração é de R$ 2.479,27.
Será possível se inscrever no concurso do IPM de João Pessoa até 4 de fevereiro, por meio do site do Ibade (www.ibade.org.br), banca que organiza a seleção. As taxas custam R$ 55 (nível médio/técnico) e R$ 65 (superior).  

Sobre as provas do concurso do IPM João Pessoa


Em 18 de março, os candidatos farão prova com 50 questões objetivas de múltipla escolha, além de uma pergunta discursiva. O tempo limite para conclusão da avaliação será de quatro horas.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA IPM/JP - AGENTE / ANALISTA PREVIDENCIÁRIO
O conteúdo programático engloba: língua portuguesa, raciocínio lógico e matemática, legislação previdenciária, noções de direito administrativo, noções de direito constitucional, noções de administração pública e conhecimentos na área de formação/do cargo. As disciplinas variam conforme a vaga.     
De acordo com o edital, o concurso do IPM/JP terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão. 

Concurso IPM/JP: atribuições do agente previdenciário - administração e finanças


Organizar e executar atividades administrativas e de apoio a trabalhos técnicos; Examinar, instruir e informar processos sobre assuntos de sua área de atuação, preparando informações para análise; Auxiliar na otimização das comunicações internas e externas através da telefonia, protocolos e áreas de atendimento ao público em geral; Digitação de textos, atos e documentos afins; e outras atividades correlatas. 

Atribuições do agente previdenciário - previdência no concurso do IPM de João Pessoa


Organizar e executar atividades administrativas e de apoio a trabalhos técnicos previdenciários; Examinar, instruir e informar processos sobre assuntos de sua área de atuação, preparando informações para análise; Auxiliar na otimização das comunicações internas e externas através da telefonia, protocolos e áreas de atendimento ao público em geral; Digitação de textos, atos e documentos afins; e outras atividades correlatas.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA IPM/JP - AGENTE PREVIDENCIÁRIO
Continuar lendo

Atualizado: 03/10/2017 - 10:44

Concurso UEPB: saiu edital com 197 vagas

Destinadas a profissionais de todas as escolaridades, chances no concurso da UEPB estão distribuídas entre os campi de Campina Grande, Lagoa Seca, Guarabira, Catolé do Rocha, Monteiro, Patos e Araruna, com salários de até R$ 3,3 mil

Em sete cidades

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) divulgou edital de concurso público destinado à contratação de 197 servidores efetivos. Deste total, 14 vagas são reservadas a pessoas com deficiência.

Quem possui ensino fundamental pode concorrer como auxiliar administrativo (92 postos) e auxiliar de laboratório de análises físico-química (3), que pagam R$ 1.502,24.

O concurso da UEPB exige nível médio para almoxarife (5) e assistente técnico (86), além de formação técnica para desenhista projetista (2) e técnico em segurança do trabalho (1), com vencimentos de R$ 2.394,35.

Profissionais graduados encontram opções como administrador (1), advogado (1), economista (1), farmacêutico industrial (1), pedagogo (2), psicólogo (1) e secretário executivo (1). A remuneração é de R$ 3.396,43.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA UEFB - AUXILIAR ADMINISTRATIVO / ASSISTENTE TÉCNICO / ALMOXARIFE

As oportunidades em disputa no concurso da UEPB estão distribuídas entre os campi de Campina Grande, Lagoa Seca, Guarabira, Catolé do Rocha, Monteiro, Patos e Araruna.

Concurso UEPB: inscrições e provas


Será possível se inscrever no concurso da UEPB entre 9 e 29 de outubro, acessando o site http://cpcon.uepb.edu.br e pagando taxa de R$ 60 (nível fundamental), R$ 80 (médio/técnico) e R$ 100 (superior).

Os candidatos serão avaliados por meio de prova objetiva com 40 questões de múltipla escolha e uma redação. Os exames estão marcados para 3 de dezembro, em Campina Grande. 

O conteúdo programático engloba: língua portuguesa; bases legais do ensino superior/UEPB, noções de direito, ética e cidadania; conhecimentos gerais; conhecimentos específicos; e direito administrativo, constitucional e legislação aplicável aos grupos vulneráveis. As disciplinas variam conforme o cargo.   

De acordo com o edital, o concurso da UEPB terá validade de um ano, prorrogável por mais um, a critério da universidade.

Atribuições do auxiliar administrativo no concurso da UEPB


Auxiliar as atividades de apoio nas áreas de gestão de pessoas, administração, finanças e logística. Atender ao público, fornecendo informações e auxiliando na elaboração de documentos necessários à execução das atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Concurso UEPB: atribuições do auxiliar de laboratório


Planejar o trabalho de apoio do laboratório, preparar vidrarias e materiais similares. Auxiliar na preparação de soluções e equipamentos de medição e ensaios. Organizar o trabalho conforme normas de segurança, saúde ocupacional e preservação ambiental.

Atribuições do assistente técnico no concurso da UEPB


Executar atividades relacionadas às rotinas acadêmicas, administrativas, financeiras, de planejamento e logística. Redigir e despachar expedientes administrativos. Preparar relatórios e planilhas relativas ao setor. Receber, organizar e arquivar documentos. Atender ao público.

APOSTILAS UEPB

Atualizado: 21/09/2017 - 12:36

PEC que regulamenta carreira de notário em análise

Proposta, que já tramita nas comissões, garante preenchimento das vagas para a carreira por meio de concursos públicos

Na Câmara dos deputados

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Está em análise, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, da Câmara dos Deputados, a proposta de emenda à constituição (PEC) 255/16, do deputado Roberto de Lucena (PV/SP), que pretende incluir no texto da constituição a regulamentação das funções notariais e de registro como funções essenciais à justiça. A proposta define essas atividades como essenciais para conferir autenticidade, publicidade, segurança e eficácia dos negócios jurídicos. Além disso, o texto garante a obrigatoriedade de ingresso na função por meio de concurso público.

De acordo com o deputado, a falta de regulamentação da carreira tem resultados em interpretações divergentes sobre o limite da competência dos serviços notariais, bem como a forma de provimento de seus cargos. “O presente projeto tem por objetivo o aperfeiçoamento da Constituição,dispondo sobre as funções notariais e de registros públicos, exercidos em caráter privado, por delegação do poder público. Passados mais de 25 anos da vigência da Constituição, continuam a haver as mais dispares interpretações pelos Tribunais estaduais e superiores, bem como pelo Conselho Nacional de Justiça, que precisam ser aclaradas, razão da presente proposta de emenda à constituição, para transpor ao capítulo das funções essenciais à justiça, as funções notariais e de registro”, diz o deputado, na justificativa da proposta.

Caso aprovada pela comissão, a proposta será encaminhada para análise por meio de uma comissão especial criada especialmente para esta finalidade e, em seguida, encaminhada para votação no plenário.   

Atualizado: 14/09/2017 - 14:01

CGM de João Pessoa/PB lançará edital com 20 vagas

Concurso da Controladoria Geral do Município (CGM) de João Pessoa será para cargos com exigência de níveis médio e superior de ensino

Ainda este mês

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

A Controladoria Geral do Município (CGM) de João Pessoa, na Paraíba, anunciou que divulgará ainda este mês o edital do concurso público que visará ao preenchimento de 20 vagas e cadastro reserva em cargos de níveis médio e superior.
Sob a organização do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), antigo Cespe/Unb, o certame terá oportunidades para auditor municipal de controle interno e técnico municipal de controle interno.
Para concorrer ao posto de auditor será necessário possuir formação superior em qualquer áreas de atuação. Já o posto de técnico aceitará profissionais com ensino médio
As remunerações do concurso da CGM de João Pessoa corresponderão a R$ 2.500 para técnico e a R$ 5.000 para auditor.
Os futuros servidores do órgão terão de trabalhar em ações do controle interno, transparência pública, ouvidoria e combate à corrupção, promovendo o constante monitoramento da gestão pública e da transparência nas gestões direta e indireta da capital.

Sobre a CGM de João Pessoa/PB


Com a missão de zelar pelo controle e pela correta aplicação dos recursos públicos, a Controladoria-Geral do Município atua estabelecendo ações preventivas no combate à corrupção e à improbidade administrativa. Este importante órgão de fiscalização contábil, financeira e orçamentária acompanha e fiscaliza a execução orçamentária e financeira de todas as secretarias e órgãos da Prefeitura de João Pessoa e ainda faz análises e emite notas técnicas sobre a legalidade dos atos dos administradores municipais.
A Controladoria acompanha também a execução das metas e programas do Governo Municipal e auxilia o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e aos demais órgãos de controle externo na missão de zelar pelo Patrimônio Público Municipal.

Atualizado: 05/09/2017 - 14:12

Tribunais: concursos abertos e previstos têm 1.021 vagas

Oportunidades abertas e previstas estão distribuídas entre as funções de técnico, analista, oficial, juiz, entre outras. As remunerações chegam a R$ 27,5 mil

Níveis médio, técnico e superior

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Em todo o país há pelo menos 1.020 oportunidades em concursos abertos e previstos oferecidos pelos tribunais. As carreiras contempladas exigem os níveis médio, técnico e superior de ensino.
Tais chances serão lotadas nos quadros do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Superior Tribunal Militar (STM), Tribunal Superior do Trabalho (TST), Tribunais de Justiça (TJs), Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), Tribunais Regionais Eleitoral (TREs), Tribunais de Contas do Estado (TCEs) e Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF).
Se você tem o intuito de trabalhar em um tribunal do país, fique a atento a estes concursos, que costumam ser os mais concorridos. Confira a seguir mais detalhes sobre essas seleções e verifique aquela que melhor se encaixa ao seu perfil.

Concurso STM


Está programado para ser lançado nos próximos dias o edital do concurso do STM com mais de 40 vagas distribuídas entre as funções de técnico e analista, com exigência de níveis médio e superior, respectivamente. Haverá oportunidades para o Distrito Federal e diversos outros Estados. Os salários partem de R$ 6.167,99 e chegam ao valor de R$ 10.119,93 por mês. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso STJ


Segue em pauta o autorizado o certame do STJ para este ano. É grande a probabilidade de que sejam oferecidas chances para técnico e analista, que apresentam remunerações entre R$ 6.167,99 e R$ 10.119,93. Para concorrer é preciso ter níveis médio, técnico ou superior, de acordo com o posto pretendido. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso TST


Com sede em Brasília, o TST inscreve para seleção com 52 vagas para técnico e analista judiciários. O processo seletivo é organizado pela Fundação Carlos Chagas e receberá as inscrições até 22 de setembro. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso TRF 1


Foi publicado o edital do concurso do TRF 1 para o provimento de 20 vagas de níveis médio e superior. O órgão tem jurisdição em Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins. As inscrições começam no dia 13 de setembro. Saiba mais detalhes aqui.

Concursos com inscrições abertas


• O TRE do Rio de Janeiro lançou edital com vagas para técnico e analista, cujas inscrições serão abertas a partir de amanhã no site da banca organizadora. Há oportunidades para níveis médio, técnico e superior. Saiba mais detalhes aqui.
• Já foi publicado o edital do TJ/GO com um total de 128 oportunidades para o posto de juiz substituto, cuja exigência é ter nível superior completo em direito e experiência profissional. Saiba mais detalhes aqui
• São 560 vagas disponibilizadas no edital do concurso do TJ/MS, que contratará profissionais para as colocações de técnico e analista judiciários. As inscrições seguem abertas até 18 de setembro. Saiba mais detalhes aqui.
• O TRF 5 inscreve para seleção com 20 ofertas na carreira de juiz, cujo salário inicial corresponde a R$ 27.500,17 por mês. O órgão tem jurisdição nos Estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe. Saiba mais detalhes aqui.
• O TRT do RN lançou para o preenchimento de vagas imediatas e cadastro reserva. As oportunidades são para as carreiras de técnico e analista judiciários. As remunerações iniciais chegam ao valor de R$ 10.461,90 por mês. Saiba mais detalhes aqui.
• O TRT do Tocantins divulgou edital que apresenta dez vagas e cadastro reserva para técnico (nível médio) e analista (superior). Sob a organização do Cespe/UnB, o certame aceita as inscrições até 2 de outubro. Saiba mais detalhes aqui.

Concursos previstos


• Sediado em Campinas e com jurisdição em quase todo o interior de São Paulo, o TRT 15 recebeu autorização para realizar novo concurso para técnico e analista judiciários. Outro detalhe já liberado é a contratação da Fundação Carlos Chagas para organizar o certame. Saiba mais detalhes aqui.
• Há a expectativa para que o TJ/SP publique este ano outra seleção para escrevente técnico judiciário, cargo que exige apenas ensino médio. Acontece que está para vencer a validade do certame anterior com ofertas para o interior e o litoral. Está definido que a organizadora é a Fundação Vunesp. Saiba mais detalhes aqui.
• O TCE/SP já contratou a banca organizadora do concurso que terá vagas para as funções de agente da fiscalização financeira e agente da fiscalização financeira – administração. A escolhida é a Fundação Vunesp. Para concorrer será necessário possuir formação superior em determinadas áreas, sendo que os vencimentos correspondem a R$ 9.003,47. Saiba mais detalhes aqui.
• Foi autorizado novo concurso público do TJ/SP para notário de cartórios, posição que exige bacharelado em direito ou experiência comprovada de dez anos exercendo função de serviço notarial ou de registro. Os salários mensais podem chegar a seis dígitos. Saiba mais detalhes aqui.
• Com jurisdição em Estados do Nordeste (Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe), o TRF 5 definiu a banca organizadora da seleção com postos imediatos e para cadastro, sendo a escolhida a Fundação Carlos Chagas. A expectativa é de que sejam contempladas ofertas para técnico e analista em diversas especialidades. Saiba mais detalhes aqui.
• O TRT/BA definiu as especialidades que serão contempladas no edital do concurso. O certame trará chances para a carreira de técnico judiciário nas áreas de segurança e contabilidade. Saiba mais detalhes aqui.
• O TRT/RJ deve definir nos próximos dias a banca organizadora do seu próximo concurso para técnico e analista. Autorizado desde 6 de abril, o processo seletivo oferecerá remunerações que vão de R$ 7.260,41 a R$ 13.064,99. Saiba mais detalhes aqui.
• O certame do TJ/SC ainda segue em pauta e deve ser lançado este ano. A seleção preencherá vagas para os postos de técnico judiciário auxiliar, analista administrativo, analista jurídico, oficial de justiça e avaliador, oficial da infância e juventude, arquiteto, engenheiro eletricista, engenheiro civil e enfermeiro. Os vencimentos oscilam entre R$ 3.317,51 e R$ 5.710,74. Saiba mais detalhes aqui.
• O TJ/AL definiu a Fundação Getúlio Vargas (FGV) para organizar concurso com 120 vagas para técnico judiciário, oficial de justiça e analista judiciário. Edital deve ser publicado no início de 2018. Saiba mais detalhes aqui.
• Consta no Orçamento a realização do concurso do TCDF com 43 vagas. Os cargos contemplados devem ser os de técnico de administração pública (nível médio), analista de administração pública (superior) e auditor de controle externo (superior). As remunerações vão de R$ 9.524,81 a R$ 15.905,12. Saiba mais detalhes aqui.
• O TRE de Santa Catarina recebeu autorização para abrir uma vaga e cadastro reserva para os cargos de técnico e analista judiciários. O próximo passo do órgão é definir a comissão do certame, cujas oportunidades serão para candidatos nos níveis médio/técnico e superior. Saiba mais detalhes aqui.

Atualizado: 14/08/2017 - 09:27

Será que vale a pena prestar esse concurso?

A dúvida é bastante comum entre os concurseiros, já que são muitos os fatores em jogo, como atribuições, perfil da vaga, localidade, entre outras questões abordadas nesta matéria especial. Confira!

Especial

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Prestar um concurso sempre foi uma ótima alternativa para ingressar no mercado de trabalho, já que a carreira em órgãos públicos é mais estável comparada com a iniciativa privada e geralmente oferece boa remuneração. Mesmo assim, é grande a quantidade de concurseiros que ficam receosos na hora de efetuar a inscrição e se questionam: vale a pena prestar esse concurso? Afinal, o candidato precisa avaliar se tem o perfil da vaga, facilidade com as atribuições do cargo e ou se demandará mudança de cidade ou Estado. Pensando nisso, o JC Concursos conversou sobre o tema com professor especialista na área e também um concurseiro para ajudar você a esclarecer esses eternos dilemas na vida dos candidatos. Confira!

Antes de fazer a inscrição, Thállius Moraes, professor e coordenador no AlfaCon Concursos Públicos e Oficial de Justiça Federal, explica que o candidato deve avaliar vários fatores. “Primeiramente, deve ser escolhida uma área que se enquadre nos objetivos traçados, lembrando que se trata de um trabalho e que boa parte da vida será no desempenho do mesmo. Outros pontos como a remuneração e o local de trabalho (se é perto ou longe da família), por exemplo, também são bastante importantes na hora de se fazer o planejamento”.

Ás vezes um concurso é bem remunerado e com boas condições de trabalho, mas a localidade é muito distante. Talvez não seja tão atrativo a longo prazo quanto outro certame que possua um salário menor, porém, fica no local onde o candidato pretende morar. Vale lembrar que esta questão varia muito de cada pessoa. “A dica é manter a mente aberta, pois muitas vezes queremos apenas ficar próximos de casa, mas temos muitos lugares maravilhosos para conhecer e talvez a ‘cidade da vida’ da pessoa ainda esteja para ser descoberta”, incentiva Moraes.

Perfil

Quando perguntado sobre um candidato que pretende concorrer a uma vaga fora do seu perfil profissional, Thállius, responde que em alguns casos, o concurso servirá como um mero treinamento para outra seleção que é realmente almejada. Já em outras situações, se o certame for de um setor que foge muito da área pretendida, essa finalidade fica perdida e a tentativa poderá frustrar o candidato. Um exemplo seria o concurseiro que tem por objetivo uma carreira policial, que é bem específica, ser aprovado em outra área. Nesse caso, a ocupação de um cargo administrativo poderia gerar um servidor insatisfeito e infeliz. “Muitos que buscam apenas um trabalho bem remunerado e estável, sem querer um envolvimento muito grande com o cargo, terminam por se frustrar em algumas atividades de caráter mais intenso, com um contato direto com o público (muitas vezes de maneira não agradável) como nas funções de policial, fiscais em geral ou oficiais de justiça”, explica.

Muitas pessoas se inscrevem em seletivas fora do perfil, mas pensando em passos maiores, conhecidos como “concurso trampolim” ou “concurso escada”. Desta forma, podem complementar os estudos e treinar para outro certame. Este é o caso de Sidnei de Oliveira, morador de Indaiatuba, no interior paulista, que prestou o concurso para o cargo de escrevente do Tribunal de Justiça de São Paulo no último mês de julho. “Fiz a prova por causa das questões sobre direito. Sou estudante da área jurídica e queria testar meus conhecimentos, pois acredito que poderá ajudar para outras vagas”, comenta.

Thállius explica que “os concursos usados como escada fazem parte da vida de pessoas que almejam um cargo cuja preparação demanda um prazo maior, mas enquanto isso precisam de algo para se manter. O ponto positivo é que ao ter uma renda, a pressão no estudo fica um pouco mais aliviada. O ponto negativo é justamente o perigo de se acomodar com essa renda e deixar de batalhar por um cargo mais atrativo, além, é claro, da diminuição do tempo disponível para estudar”. Outra orientação é ficar atento aos postos públicos que pagam pouco e exigem muito no trabalho, a chance de ficar preso em uma situação assim poderá colocar em risco o objetivo final.

Ter familiaridade com a função deve ser levada em consideração? Não necessariamente, explica Moraes. “Varia muito de acordo com a área pretendida. Caso a busca seja por uma atribuição mais tranquila e com boa remuneração, os cargos de natureza administrativa são os mais procurados. Mesmo que sejam em órgãos distintos, as atribuições são semelhantes. Contudo, em algumas áreas que possuem atribuições especiais, são também muito buscadas pelos candidatos, que objetivam a remuneração como algo secundário, pois o real desejo é por determinado cargo em particular”.

Pouco tempo

Candidatos com pouco tempo para estudar devem direcionar a preparação de maneira produtiva. “Fazer questões anteriores, simulados e resumos são algumas das ferramentas que irão auxiliar nessa preparação. Com o tempo mais escasso, deve-se priorizar sempre as matérias mais cobradas e os pontos mais importantes, mas essa estratégia também varia um pouco de acordo com a banca e o cargo desejado”, afirma Thállius.

Sidnei acrescenta que sua conduta é sempre a mesma, independente do concurso. “Preciso focar minha atenção na prova e estudar o que for preciso. Posso não ter interesse no cargo, mas se relaxar, não será proveitoso. Se não levar a sério, corro o risco de apenas perder tempo e dinheiro”, diz.

Outro ponto a ser observado é sobre dificuldade com uma ou mais disciplinas do conteúdo programático, fato que geralmente desanima o candidato. Um bom planejamento pode ajudar a encarar esse desafio, contudo, vale ressaltar que raramente alguém tem sintonia com todas as matérias do edital, afinal, é comum uns sentirem mais dificuldades em língua portuguesa, outros em matemática, alguns em determinadas matérias de direito e assim por diante. “A dica é pensar na disciplina como um simples meio para se alcançar um fim. Não precisa gostar, basta apenas aprender a responder a questão”, orienta Moraes. Muitas vezes o bloqueio com determinado tema é criado pelo próprio candidato. “Pensar de forma positiva, esforçar-se mais e manter-se sempre estudando, mesmo que em alguns momentos o resultado pareça não chegar, é fundamental”, complementa o professor do AlfaCon Concursos.

Vale a pena?

Para o indaiatubano Sidnei, de 27 anos, conhecer o cargo e suas atribuições pode incentivar, mas independentemente dessa identificação, o que muitas vezes faz a diferença é o aprendizado. “Acredito que vale muito a pena tentar! Sinto que saio mais fortalecido a cada concurso que tento a sorte. Na dúvida, sempre opto por fazer a prova. Como meu objetivo é maior, acho que é interessante pela preparação. Isso é muito válido”, conta.  

Ainda sobre motivação, Thállius dá a dica. “O estudo é na maior parte do tempo frustrante, cansativo e solitário, por isso tantos desistem no meio do caminho. O importante é aprender com os erros, ter em mente que desistir não é uma opção e manter sempre uma postura positiva. Pode demorar um pouco, pode ser difícil e exaustivo, mas aqueles que não desistem conseguem chegar lá”, finaliza.

Atualizado: 29/06/2017 - 11:56

Concurso TST: prorrogada inscrição para 132 vagas

Ofertas no concurso do Tribunal Superior do Trabalho (TST) são para o cargo de juiz do trabalho substituto, que exige nível superior em direito e experiência de três anos de atividade jurídica

Inicial de R$ 27,5 mil

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Foram prorrogadas até as 14h do dia 4 de agosto as inscrições do primeiro concurso público nacional unificado do Tribunal Superior do Trabalho (TST).  A seleção é destinada ao provimento de 132 postos de juiz do trabalho substituto, sendo sete reservados a pessoas com deficiência e 26 para os negros.
As ofertas estão distribuídas entre os tribunais dos Estados de São Paulo (100 vagas), Minas Gerais (8), Pará e Amapá (4), Amazonas e Roraima (12), Acre e Rondônia (5), Mato Grosso (2) e Mato Grosso do Sul (1). Haverá, ainda, formação de cadastro reserva para os tribunais dos Estados de Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco, Ceará, Paraná, Distrito Federal, Tocantins, Santa Catarina, Paraíba, São Paulo (Campinas), Maranhão, Espírito Santo, Goiás, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte e Piauí.
Para ingressar na carreira é necessário possuir formação em curso de nível superior em direito e experiência de, no mínimo, três anos de atividade jurídica exercida após a obtenção do grau de bacharel. A remuneração inicial é de R$ 27.500,17.

Inscrição no concurso TST


Interessados em concorrer a uma das vagas devem realizar a inscrição preliminar na página eletrônica da banca organizadora do certame, a Fundação Carlos Chagas (www.concursosfcc.com.br). O candidato deverá preencher a ficha de cadastro e anexar os seguintes documentos, digitalizados em formato JPEG, JPG, TIF, BMP, PNG ou PDF: foto colorida 3x4 recente e carteira de identidade.
Será cobrada uma taxa de participação do concurso TST, no valor de R$ 275, que deverá ser efetuado até a data limite de encerramento do prazo, observado o horário de funcionamento da rede bancária. 

Avaliações do concurso TST 2017


A primeira etapa a ser disputada pelos candidatos será a prova objetiva seletiva. Ela será composta por 100 questões de múltipla escolha agrupadas por disciplinas e em blocos, especificados a seguir: bloco I com 30 questões de direito individual do trabalho, direito coletivo do trabalho, direito administrativo e direito penal; bloco II com 40 questões de direito processual do trabalho, direito constitucional, direito constitucional do trabalho, direito civil e direito da criança e do adolescente e do jovem; bloco III com 30 questões de direito processual civil, direito internacional e comunitário, direito previdenciário, direito empresarial, direitos humanos e direitos humanos sociais.
A prova objetiva seletiva será realizada no dia 8 de outubro nas 24 cidades-sede dos Tribunais Regionais do Trabalho, de acordo com a opção do candidato no ato da inscrição preliminar: Rio de Janeiro/RJ, São Paulo/SP, Belo Horizonte/MG, Porto Alegre/RS, Salvador/BA, Recife/PE, Fortaleza/CE, Belém/PA, Curitiba/PR, Brasília/DF, Manaus/AM, Florianópolis/SC, João Pessoa/PB, Porto Velho/RO, Campinas/SP, São Luis/MA, Vitória/ES, Goiânia/GO, Maceio/AL, Aracaju/SE, Natal/RN, Teresina/PI, Cuiabá/MT e Campo Grande/MS.
Os candidatos habilitados e classificados na objetiva serão submetidos à segunda fase, que contará com duas provas escritas, sendo uma discursiva com 10 questões e uma prática para elaboração de uma sentença trabalhista. 
O concurso do TST ainda será constituído das seguintes etapas: inscrição definitiva; exame de sanidade física e mental; sindicância da vida pregressa e investigação social; prova oral; e avaliação de títulos.

Mais informações sobre o concurso TST


Com a publicação deste edital, foi oficializado que não haverá mais concursos regionais para a carreira de juiz. Até hoje, era normal sair anualmente vários editais dos Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) com oportunidades para a função; agora será um único edital para todo o país, sendo que a expectativa é de que a publicação não ocorra todos os anos.
Os aprovados neste processo seletivo deverão participar do curso de formação inicial, a realizar-se em Brasília, consoante calendário e orientações emanados da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho (ENAMAT).
O concurso TST será válido pelo prazo de dois anos, contados da data da publicação da homologação do resultado final, prorrogável uma única vez por igual período.

Atualizado: 13/06/2017 - 11:51

Concurso DPU: último dia de inscrição para defensor

Oferta no concurso da Defensoria Pública da União (DPU) é de 25 vagas. O cargo requer formação superior em direito e registro no órgão de classe

Salário de R$ 22,1 mil

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Chega ao fim às 18h desta terça-feira (25) o prazo de inscrição do concurso da Defensoria Pública da União (DPU). A seleção é destinada ao preenchimento de 25 vagas para o cargo de defensor público federal de segunda categoria, sendo duas reservadas a pessoas com deficiência, cinco para os negros e uma para os indígenas. 
O concurso DPU ainda contará com formação de cadastro reserva para futuras oportunidades. A convocação ocorrerá dentro do prazo de validade do certame (de dois anos, contados a partir da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período). 
Para ingressar na carreira é necessário possuir diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior de bacharelado em direito, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) há pelo menos três anos completos, e registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A remuneração inicial é de R$ 22.197,67.

Como participar do concurso DPU


Interessados em concorrer a uma das vagas deverão se inscrever na página eletrônica do Cebraspe (www.cespe.unb.br/concursos/dpu_17_defensor), organizador do processo seletivo. 
O candidato deverá efetuar o pagamento da taxa de participação do concurso DPU, no valor de R$ 200, até a data limite de 16 de agosto.

Provas do concurso DPU 2017


A avaliação objetiva será composta por 200 itens, sendo as áreas de conhecimento divididas em quatro grupos especificados a seguir: grupo I - direito civil, direito empresarial, direito do consumidor, direito ambiental, direito processual civil e direito tributário; grupo II - direito penal e criminologia, direito processual penal, direito penal militar, direito processual penal militar e direito eleitoral; grupo III - direito administrativo, direito do trabalho, direito processual do trabalho, direito previdenciário e da assistência social e princípios institucionais da defensoria pública; e grupo IV - direito constitucional, direito internacional, direitos humanos, filosofia do direito, noções de sociologia jurídica e noções de ciência política. 
Com cinco horas de duração, a prova será aplicada nas capitais dos 26 Estados da Federação e na capital federal no dia 24 de setembro, no turno da tarde. O edital de convocação, contendo os locais e horários do exame, será publicado no site do Cebraspe, no dia 13 desse mesmo mês. 
Serão convocados para as provas dissertativas escritas os 300 candidatos aprovados e classificados na objetiva. Essa fase consistirá de quatro provas, sendo que cada uma contará com cinco questões a serem respondidas em até 10 linhas cada e uma peça judicial ou dissertação de até 90 linhas.
O concurso DPU ainda contará com as seguintes etapas: provas orais; avaliação de títulos; e sindicância de vida pregressa e apuração dos demais requisitos pessoais.

Atualizado: 12/05/2017 - 12:12

Concurso MPT: último dia de inscrição para procurador

Oportunidade é para profissional com bacharelado em direito e, pelo menos, três anos de atividade jurídica

Salário de R$ 28,9 mil

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Chega ao fim nesta terça-feira (13) o prazo de inscrição do 20° concurso do Ministério Público do Trabalho (MPT). A seleção destina-se ao preenchimento de um cargo de procurador do trabalho, cuja lotação ocorrerá na Procuradoria Regional do Trabalho da 3ª Região, em Belo Horizonte, no Estado de Minas Gerais. 
Haverá, ainda, formação de cadastro reserva para futuras oportunidades. Segundo o edital, o número de cargos vagos e suas respectivas lotações poderão sofrer alterações por motivos supervenientes, no decorrer do prazo de validade do concurso. Os candidatos aprovados, na ordem de classificação, escolherão a lotação de sua preferência, de acordo com a relação de vagas que, após o resultado do concurso, o Conselho Superior do Ministério Público do Trabalho decidir devam ser providas inicialmente. 

Vaga no concurso MPT


O cargo de procurador requer bacharelado completo em direito e, no mínimo, três anos de atividade jurídica exercida exclusivamente após a conclusão da graduação. A remuneração inicial corresponde a R$ 28.947,55.
De acordo com os artigos 83, 84 e 112 da lei complementar nº 75/1993, o procurador do trabalho será responsável por promover as ações que lhe sejam atribuídas pela Constituição Federal e pelas leis trabalhistas; propor as ações necessárias à defesa dos direitos e interesses dos menores, incapazes e índios, decorrentes das relações de trabalho; entre outras atividades.
Veja também: raio-x completo da carreira de procurador do MPT

Participação no concurso MPT


A inscrição preliminar do concurso MPT deverá ser realizada no endereço eletrônico https://dti.pgt.mpt.gov.br/concurso/index.wsp. O pagamento da taxa de participação, no valor de R$ 250, deverá ser efetuado até o dia 14 de junho. 
Os candidatos serão submetidos à prova objetiva, que versará sobre as matérias de direito constitucional, direitos humanos, direito individual do trabalho, direito coletivo do trabalho, direito processual do trabalho, direito civil e de empresa, regime jurídico do Ministério Público, direito processual civil, direito administrativo, direito previdenciário da seguridade social, direito penal e direito internacional e comunitário. 
A avaliação objetiva será aplicada na data prevista de 30 de julho. O edital de convocação, contendo os locais e horários de realização do exame, será publicado no dia 12 desse mesmo mês no Diário Oficial da União e/ou na página eletrônica do concurso: http://portal.mpt.mp.br/concurso.
O concurso MPT ainda será constituído das seguintes etapas: provas discursiva e prática; inscrição definitiva; teste oral; e análise de títulos. 

Dicas de estudo para o concurso MPT


Como o concurso MPT promete apresentar uma concorrência bastante acirrada, especialistas recomendam iniciar a preparação o quanto antes. Pensando nisso, professores do CERS Cursos Online separaram algumas dicas de estudo para quem pretende enfrentar a prova.
Faça anotações relevantes - durante os estudos para um concurso é comum o candidato querer fazer todas as anotações possíveis sobre uma disciplina. É importante, no entanto, saber fazer bons resumos: frisar o mais relevante e necessário. Cadernos com notas legíveis e completas são boas formas de se preparar para a prova do concurso MPT
Ferramentas de revisão - a revisão é indispensável para a preparação. Cartões de memorização, anotações curtas, grupos de estudos e outros métodos, são formas eficazes para preparar-se. 
Resolução de questões - é um dos métodos mais eficazes para se preparar para esse certame. O candidato deve resolver questões de todas as disciplinas do edital, mantendo sempre o foco nas características da banca organizadora. Deve-se ter atenção não só no conteúdo cobrado, mas também na forma como foi abordado durante a questão. Isso pode ser essencial para a interpretação correta da alternativa.

Atualizado: 05/04/2017 - 15:35

Confira os principais concursos previstos para 2017

Vários órgãos devem lançar, este ano, editais de concursos públicos para cargos de todos os níveis escolares. Salários iniciais chegam a R$ 22,1 mil. Veja a lista

Diversas áreas de atuação

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Cresce a expectativa para que saiam do papel os concursos que estão previstos para este ano de 2017. São diversos órgãos federais e estaduais que se programam para selecionar milhares de servidores para os seus quadros de pessoal.
Apesar de ainda haver incertezas econômicas para o país, os economistas esperam que em 2017 a economia fique melhor do que a apresentada no ano passado. E, com isso, aumenta a probabilidade para que as novas seleções sejam liberadas.
Como a defasagem de pessoal é grande em diversos órgãos, as vagas aguardadas para este ano são para todos os níveis de escolaridade e com salários entre R$ 1.072 e R$ 22.102,37. 
Confira abaixo mais detalhes.

Concurso Correios


Status: depende de estudo internoCargos: carteiro e operador de triagem e transbordoInformações: Os servidores dos Correios pressionam o órgão pela realização de concurso. Já é confirmado que a estatal tem uma defasagem de pelo menos 20 mil servidores. As oportunidades do novo certame em análise deve ser para as funções de carteiro e operador de triagem e transbordo (OTT), ambas de nível médio e com remuneração de R$ 2.712,98 e R$ 2.376,48, respectivamente. Sindicatos da categoria querem que a empresa retome em breve os preparativos do certame. Leia mais detalhes aqui

Concurso Receita Federal e Ministério da Fazenda 


Status: aguarda autorizaçãoCargos: assistente, analista e auditorInformações: Está previsto no Orçamento Federal um concurso para Receita Federal para os cargos de analista tributária, auditor fiscal, analista administrativo e assistente-técnico administrativo. Os postos administrativos pertencem ao quadro de pessoal do Ministério da Fazenda. Ensino médio é exigência para assistente e formação superior para os demais postos. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Federal


Status: depende de liberação de verbasCargos: delegado, perito, agente e escrivãoInformações: Quem pretende participar do concurso da Polícia Federal cujo pedido de liberação de verbas tramita no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), pode contar com mais uma boa notícia. O órgão divulgou que também pretender abrir certame para agente e escrivão, e não apenas para delegado e perito. Ao todo, deve ser abertas 1.758 vagas, sendo 600 para escrivão, 600 para agente, 491 para delegado e 67 para perito. Todas as carreiras exigem ensino superior completo e apresentam salários de até R$ 22.102,37. Leia mais detalhes aqui

Concurso Polícia Rodoviária Federal


Status: aguarda autorização e comissão prontaCargo: policial rodoviárioInformações: Embora o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão tenha devolvido para o órgão o pedido de autorização do concurso para o preenchimento de 1.500 vagas no cargo de policial rodoviário, a corporação constituiu, recentemente, um grupo de trabalho para elaboração de um novo edital de concurso, ainda sem data definida para publicação. Para concorrer é necessário possuir nível superior em qualquer área de formação e carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A remuneração é de R$ 9.491,98, com jornada de 40 horas semanais. Leia mais detalhes aqui
Veja também: Concursos que devem sair ainda este ano

Concurso ANTT


Status: aguardando autorizaçãoCargos: diversosInformações: A Agência Nacional de Transportes Terrestres já solicitou ao Ministério do Planejamento 710 vagas para os cargos de analista administrativo, especialista em regulação, técnico em regulação e técnico administrativo. Os postos são de níveis médio, técnico e superior, sendo que os vencimentos ficam entre R$ 5.503,25 e R$ 11.488,90. A categoria pleiteia a realização deste certame devido à alta defasagem de pessoal na agência, já que hoje ela apresenta 40% do seu quadro em aberto. Leia mais detalhes aqui

Concurso Ibama


Status: aguardando autorizaçãoCargos: analista ambiental e analista administrativoInformações: O Ibama deve reencaminhar novo pedido de concurso ao Ministério do Planejamento para cargos de níveis médio e superior. Os salários iniciais correspondem a R$ 3.712,72 para técnico e a R$ 7.760,45 para analista. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Ministério do Trabalho


Status: aguardando autorizaçãoCargo: auditor-fiscal do trabalhoInformações: O Ministério do Trabalho reencaminhou ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) o pedido de realização de concurso para 847 vagas de auditor-fiscal do trabalho. Em 2014, o MPOG encaminhou ao Ministério do Trabalho uma nota, na qual informava que concederia o provimento de 847 vagas para o cargo no decorrer dos próximos três anos, ou seja, até 2017. Apesar dos cortes orçamentários anunciado pelo Governo, é grande a expectativa para que o aval seja liberado em breve, pois o órgão sofre com uma grande defasagem de auditores. A carreira exige formação superior e o salário atual é de R$ 16.201,64. Leia mais detalhes aqui

Concurso Centro Paula Souza


Status: aguardando autorizaçãoCargos: diversosInformações: Com a realização de diversos concursos na área docente, iniciados em 2015, cresce a expectativa pela realização do processo seletivo público para a área administrativa. O órgão conta com pedido de autorização para o preenchimento de 2.596 vagas, sendo 428 para cargos de ensino fundamental, 978 para médio e 1.190 para superior. As remunerações partem de R$ 1.072 e chegam a R$ 3.889,60. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Jucesp


Status: aguardando autorizaçãoCargo: técnico em processamento de registros públicosInformações: A Jucesp aguarda autorização do governador Geraldo Alckmin para realizar concurso com 110 vagas para técnico em processamento de registros públicos. Para concorrer é necessário apenas possuir ensino médio, com inicial de R$ 2.500. O órgão também conta com 141 vagas de nível superior em pauta, sem previsão de edital, uma vez que não estão no pedido, sendo 101 para analista e 40 para especialista, respectivamente, com iniciais de R$ 5.000 e R$ 6.500. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/SP


Status: aguardando autorizaçãoCargos: diversosInformações: A Polícia Civil de São Paulo encaminhou novo pedido para a Secretaria de Gestão Pública (SGP/SP) para que seja autorizada a contratação de servidores. Embora o pedido anterior fosse de 3.176 oportunidades, a nova solicitação é maior, para 4.438. Destas, 2.074 são para realização de novos concursos e 2.364 para convocação de remanescentes. Das oportunidades para novas seleções, 253 são para cargos de nível médio e 1.821 para carreiras de nível superior, com iniciais que vão de R$ 3.365 a R$ 10.079,28. Porém, independente do pedido, tramita na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) o projeto de lei complementar 37/2016, que visa a reestruturar as carreiras policiais, englobando diversos cargos de ensino médio em uma nova carreira, que poderá se chamar agente de polícia. Leia mais detalhes aqui.

Concurso Câmara dos Deputados


Status: defasagem de pessoalCargos: diversosInformações: Cresce a expectativa para que a Câmara dos Deputados realize em 2017 um novo concurso. Está no Orçamento Federal sancionado a realização de certame para as funções de técnico (nível médio) e analista (superior), com vencimentos respectivos de R$ 13.578,58 e R$ 20.384,43. Leia mais detalhes aqui

Concurso Procon/DF


Status: está no OrçamentoCargos: técnico, analista e fiscalInformações: Consta na lei das diretrizes orçamentárias a realização de novo concurso para o Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon/DF). O documento prevê 39 vagas, sendo seis para técnico de atividade de defesa do consumidor (ensino médio), 15 para analista de atividade de defesa do consumidor (superior) e 18 para fiscal de defesa do consumidor (superior). Os iniciais são de R$ 3.919,13 para técnico e R$ 5.293,30 para analista e fiscal. Leia mais detalhes aqui

Concurso Ministério Público/AL


Status: comissão formadaCargos: diversosInformações: Já foi constituído o grupo que ficará responsável pela concretização do concurso do Ministério Público de Alagoas (MP/AL). Não foram revelados os cargos, mas ao que tudo indica boa parte das oportunidades será para as mesmas funções do certame de 2011. Leia mais detalhes aqui.

Concurso PM/BA


Status: banca definidaCargo: soldadoInformações: A Polícia Militar da Bahia (PM/BA) já definiu a banca organizadora do seu próximo concurso com 2.750 vagas para soldado; a escolhida é a IBFC. A carreira exige ensino médio, idade de 18 a 30 anos até a data da matrícula para o curso de formação, carteira de habilitação categoria “B” e altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres. Os vencimentos atuais correspondem ao valor de R$ 2.197,78. O número de vagas ainda não foi revelado. Leia mais detalhes aqui

Concurso TRE/BA


Status: criada comissãoCargos: técnico e analistaInformações: O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE/BA) definiu a comissão que ficará responsável pelo seu próximo certame para técnico e analista judiciário. A carreira de técnico necessita de nível médio e apresenta inicial de R$ 6.774,52, enquanto o emprego de analista requer formação superior e tem remuneração de R$ 10.548,52. Leia mais detalhes aqui

Concurso PM/AM


Status: depende de verbas orçamentáriasCargos: soldado e oficialInformações: Segue em pauta a abertura do concurso para o quadro de pessoal da Polícia Militar do Amazonas. A expectativa é de que sejam abertas 5.000 vagas para as funções de soldado e oficial, que necessitam de níveis médio e superior, respectivamente. Leia mais detalhes aqui

Concurso TST


Status: em avaliação internaCargos: técnico e analistaInformações: O Tribunal Superior do Trabalho (TST), no Distrito Federal, se programa para realizar concurso público para as funções de técnico e analista, cujos iniciais correspondem a R$ 8.535,24 e a R$ 13.399,17, respectivamente. O próximo passo será a escolha da banca organizadora. Leia mais detalhes aqui.

Concurso ANS


Status: depende de autorizaçãoCargos: analista e especialistaInformações: A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) deve abrir concurso com 231 vagas distribuídas entre os cargos de analista administrativo e especialista em regulação, ambos com exigência de formação superior. Iniciais correspondem a R$ 11.529,29 para analista e a R$ 12.432,49 para especialista, contando com o vale-alimentação de R$ 458. Leia mais detalhes aqui.
Todos os concursos previstos podem ser conferidos aqui.

Atualizado: 17/03/2017 - 13:06

PEC que cria cargos ainda aguarda parecer

Comissão especial pediu prorrogação de 20 sessões para que possa dar parecer sobre a proposta

Procuradoria pública

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

Mesmo com diversos requerimentos apresentados na  Câmara dos Deputados para que seja inclusa na ordem do dia para votação a Proposta de Emenda à Constituição 80 de 2015 (PEC 80/2015), a proposta ainda depende de análise, por parte de comissão especial. A PEC estabelece que nas autarquias e fundações públicas dos estados, Distrito Federal e municípios, os cargos de assistência, assessoramento, consultoria jurídica e representação judicial e extrajudicial sejam preenchidos por advogados contratados por meio de concursos públicos, que deverão ser realizados com a participação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Em 9 de dezembro de 2015, a comissão chegou a aprovar, com um substitutivo, o parecer do relator, deputado Odorico Monteiro (PT/CE). Porém, no dia 15 do mesmo mês foi apresentado o requerimento 3690/2015, que determina que seja prorrogado por mais 20 sessões o prazo para que seja dado o parecer definitivo sobre a proposta, o que ainda não aconteceu.  

Entre outras coisas, o substitutivo aprovado pelo relator reforça,justamente, a necessidade da realização de concurso público para ingresso nas carreiras.

De acordo com as justificativas do projeto, as autarquias e fundações públicas possuem autonomia funcional e, caso se permitam que as procuradorias gerais dos estados atuem nestas instituições, poderá criar conflitos éticos, “uma vez que, em alguns casos, essas entidades, em fase de suas autonomias, terão que demandar contra o próprio ente público na proteção de seus interesses”.

Prepare-se para concurso público

Videoaulas de diversas matérias Provas Anteriores de concursos públicos
Além disso, diz que, enquanto entidades autônomas dotadas de personalidade jurídica própria, devem ser representadas em juízo pelos seus advogados constituídos e não pelos membros das procuradores, que devem cuidar apenas da administração direta.

Atualizado: 14/03/2017 - 15:10

DPU: confirmada banca de novo concurso para defensor

Para concorrer é necessário possuir formação em direito, registro na OAB e três anos de prática forense. Oferta ainda será definida

Iniciais são de R$ 17,7 mil

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

A Defensoria Pública da União (DPU) confirmou, por meio de publicação em diário oficial, nesta terça-feira, 14 de março, o nome da banca organizadora do seu concurso público para o cargo de defensor público federal. A confirmação ocorreu por meio da portaria 368, de 10 de março, que discrimina o valor da hora aula e estima o tempo em cada fase do certame, no sentido de determinar a previsão orçamentária do concurso. A empresa escolhida é o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebrasp), que deve ser oficializada em breve, por meio de outra publicação em diário oficial. Somente então poderá ser confirmada a oferta de vagas e previsão de quando o edital poderá ser efetivamente publicado.

O concurso é aguardado desde 5 de setembro, quando o defensor público geral federal, Carlos Eduardo Barbosa Paz, publicou a portaria 561/2016, que designa os membros que farão parte da comissão responsável pelo  certame.

Para concorrer ao cargo é necessário possuir curso de nível superior em direito, com registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e pelo menos três anos comprovados de atividade jurídica. A remuneração inicial da categoria atualmente é de R$ 17.788,33.

A comissão do novo concurso é presidida pelo defensor público geral e contará, ainda, com mais cinco membros: o diretor da escola superior da DPU, Fernando Mauro Barbosa de Oliveira Junior, o conselheiro federal da OAB, Marcello Terto e Silva; o conselheiro seccional da OAB no Rio Grande do Sujl, Armando Moutinho Perin, na condição de membro suplente da OAB, o defensor público federal Douglimar da Silva Moraes, na condição de membro titular da Associação nacional dos Defensores Públicos Federais; e a defensora pública federal Letícia Sjoman Torrano, na condição de suplente da associação.

Último concurso

Ao que tudo indica, a nova seleção será realizada de forma semelhante ao concurso anterior, realizado em 2014. Na ocasião, a oferta foi de 58 oportunidades e a organizadora foi o Cespe/UnB.

A seleção foi composta de cinco fases, incluindo provas objetivas, dissertativas, avaliação oral, análise de títulos e sindicância de vida pregressa.

A parte objetiva contou com 200 questões, distribuídas por quatro grupos, com 50 questões cada. No grupo I foram abordados temas sobre direitos administrativo, civil, empresarial, direito do consumidor, processual civil e tributário. No grupo II, penal, processual penal, penal militar, processual penal militar e direito eleitoral. No III, direito do trabalho, processual do trabalho, direito previdenciário e  da assistência social e princípios institucionais da Defensoria Pública; e no II, constitucional, direito internacional, direitos humanos, filosofia do direito, noções de sociologia jurídica e noções de ciência política.

Prepare-se para o concurso da Defensoria Pública da União (DPU)

VIDEOAULA PARA DPUPROVA ANTERIOR DA DPU

Na segunda fase foi cobrada uma questão e uma peça judicial também para cada um dos quatro grupos de matérias.

Na prova oral, o primeiro grupo contou com temas sobre direitos administrativo, civil, do consumidor e direito processual civil, sendo admitidas arguições incidentais a todas as disciplinas sobre os princípios institucionais da defensoria pública. No grupo II, direito penal e direito processual penal, sendo admitidas arguições incidentais a todas as disciplinas e princípios institucionais da defensoria; no grupo III, direito do trabalho, direito processual do trabalho, previdenciário e da assistência social e princípios da defensoria, também sendo permitidas arguições incidentais e para o grupo IV, constitucional, direito internacional e recursos humanos, além de arguições incidentais.  

Dicas para o concurso de defensor da DPU

Devido sobretudo à importância do órgão e ao alto salário oferecido, o concurso para defensor da DPU promete apresentar uma concorrência bastante acirrada. Por isso, visando auxiliar os candidatos, o professor de direito penal do CERS Cursos Online, Marcelo Uzeda, separou algumas dicas para a preparação. Confira.

Estude o edital: é fundamental que candidato oriente seu estudo com base no programa previsto no edital. O ideal é que consiga estudar todos os pontos. Recomenda-se a adoção de um cronograma que contemple uma "varredura" em todos os pontos do programa. 

Prepare-se o máximo de tempo que puder: não há uma regra fixa de quantas horas diárias se deve estudar, pois isso depende do ritmo e do rendimento de cada um. Sempre digo que se deve o máximo de tempo que puder. Para o candidato que tem a possibilidade de dedicação exclusiva para os estudos, há quem consiga render de oito a 12 horas por dia. O grande desafio é aproveitar o tempo sem entrar num clima de ansiedade. O candidato que não pode abrir mão de trabalhar (como foi o meu caso) tem que "criar" o tempo. Acho que quatro a cinco horas por dia já é um grande lucro. Eu, por exemplo, aproveitava o tempo de deslocamento no ônibus para fazer questões de provas.

Fique atento às exigências do edital: o edital da DPU exige do candidato para tomar posse três anos de prática jurídica. Entendo que uma boa preparação, começando do zero, exigiria cerca de dois anos. No entanto, esse tempo pode variar de acordo com o tempo de estudo disponível acima mencionado. Pode ser encurtado ou prorrogado, porém, o tempo exigido coincide com o tempo de preparação nos estudos.

O que estudar na primeira fase: para a primeira fase, recomendo estudar a Lei Seca e jurisprudência dos tribunais superiores. São 200 itens no modelo  "certo/errado", divididas em qautro grupos com 50 questões cada. É primordial estudar questões de provas anteriores da DPU

O que estudar na segunda fase: o candidato deve estudar os membros das bancas examinadoras. Deve-se pesquisar se eles possuem livros ou artigos publicados, bem como suas áreas de atuação e temas de interesse. Para a prova oral, recomendo participar de turmas de simulados da arguição.

Seja voluntário: a DPU tem um programa bem interessante que é o serviço de voluntariado. São bachareis em direito que se cadastram e trabalham diretamente com defensores, elaborando peças processuais. Esse tempo é certificado e conta como experiência prática para o concurso. No último concurso da DPU, um voluntário que trabalhou comigo foi aprovado e tomou posse recentemente.

Atualizado: 15/02/2017 - 09:49

Concurso CRQ/PB: inscrição aberta para cinco carreiras

Vagas no concurso do Conselho Regional de Química da 19ª Região do Estado da Paraíba (CRQ/PB) são para os níveis médio, técnico e superior. Inscrições serão aceitas até 19 de março

Salários de até R$ 3,5 mil

JC Concursos - Samuel Peressin - Informe o Erro

O Conselho Regional de Química da 19ª Região do Estado da Paraíba (CRQ-PB) está com inscrições abertas do concurso público que selecionará cinco profissionais para o seu quadro efetivo de pessoal. O contrato de trabalho será regido pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), sujeitos ao período de três anos de estágio probatório. 
Quem possui o nível médio pode concorrer para a função de assistente administrativo (1 vaga), cujo salário inicial é de R$ 1.326,26. O cargo de agente fiscal (1) ainda exige o curso técnico em química e o vencimento é de R$ 1.874,37.
Aqueles que têm formação superior estão aptos às carreiras de coordenador administrativo (1), contador (1) e advogado (1), com remunerações de R$ 2.000, R$ 3.000 e R$ 3.500, respectivamente. 

Inscrição no concurso do CRQ-PB


A ficha de cadastro estará disponível até o dia 3 de março no endereço eletrônico da Educa Assessoria Educacional (www.educapb.com.br), a empresa contratada para organizar o processo seletivo. 
Haverá, ainda, uma taxa de inscrição, nos valores de R$ 80 para ensino médio, R$ 85 para curso técnico e R$ 100 para nível superior. 

Avaliações do CRQ-PB


Com três horas de duração, a prova objetiva será composta por 40 questões de múltipla escolha, sendo 10 de língua portuguesa, 10 de conhecimentos gerais, 10 de informática e legislação e 10 de conhecimentos específicos.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSAS ASSISTENTE ADMINISTRATIVO E CARGOS DE NÍVEIS MÉDIO E SUPERIOR
A avaliação objetiva será aplicada na data prevista de 19 de março. As informações a respeito dos locais e horários de realização do exame serão divulgadas, oportunamente, no site da Educa Assessoria Educacional.
A etapa final do concurso do CRQ-PB será a análise de títulos, exclusiva para os empregos de níveis técnico e superior. 

Atribuições de alguns cargos do CRQ-PB


Assistente administrativo - executar serviços de apoio nas áreas e departamentos do órgão; prestar suporte e apoio aos demais cargos quando solicitado; prestar atendimento ao público em geral; proceder a abertura do processo administrativo e encaminhar ao setor competente, tratar de documentos variados, arquivando e digitalizando; auxiliar nos plantões de atendimento, atualizando as informações cadastrais no sistema de informação; cumprir todo o procedimento necessário referente aos itens anteriores. Integrar comissão de processo administrativo disciplinar, salvo quando os cargos anteriores não compuserem total mínimo necessário.
Agente fiscal - assegurar a observância dos diretos profissionais previsto em lei; vistoriar, inspecionar e auditar as atividades nos estabelecimento; atender ao público, mediando conflitos individuais e coletivos; aplicar se necessário, medidas punitivas na forma de auto de infração. Exercer atividades de natureza técnica e acessórias; subsidiar a elaboração de planos, programas e normas na área trabalhista. Coordenar, elaborar e realizar as atividades de fiscalização do órgão. Orientar quando consultado as atividades profissionais do químico; estabelecimentos para verificar cumprimento da legislação do profissional; lavrar auto de infração; e promover a ética profissional.

Shopping