Tudo Sobre

Concurso MPOG

Ministério Público pede anulação das provas

Procurador se baseou em denúncia pelos candidatos de irregularidades à Polícia Federal de Roraima.



Redação
Publicado em 21/10/2009, às 14h05

O Ministério Público Federal de Roraima (MPF/RR) pediu a anulação das provas do concurso de 566 vagas do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) em razão de irregularidades durante a aplicação do exame na capital do estado pela Funrio.

Os problemas ocorreram durante a aplicação das provas na Escola Estadual Monteiro Lobato, em Boa Vista, para o cargo de nível superior de analista técnico administrativo. A prova não foi aplicada no horário determinado sob o argumento de que elas não teriam chegado à cidade, devido ao atraso do voo da Gol-Log.

Diante disso, os candidatos foram informados de que as provas seriam canceladas, sendo autorizados a sair da sala e usar o celular, ocasião aproveitada por alguns para ligar à Polícia Federal e relatar o ocorrido. Pouco depois, os organizadores anunciaram que as provas seriam aplicadas, já que os cadernos haviam chegado.

Em depoimento à Polícia Federal, os coordenadores do concurso no estado Carlos Henrique de Figueiredo Gaioti Ximenes e José Fernandes Martins declararam que no dia e local de aplicação das provas perceberam a falta de dos cadernos e respectivos cartões aos cargos de nível superior. A Funrio teria então decidido encaminhar os cadernos por e-mail e os cartões de resposta por fax.

Segundo o MPF/RR, o envio destes documentos por meios eletrônicos gera desconfiança sobre o sigilo dos exames e aponta para a falta de organização da organizadora. Eles consideraram o ato grave, principalmente pelo fato de as provas referentes ao nível médio terem chegado normalmente.

O Ministério pede a anulação das provas em todo país, por se tratar de concurso nacional.  Segundo a assessoria de imprensa da Funrio, o concurso não será cancelado. A empresa encaminhou um pedido de revisão da posição do procurador ao MPF/RR. Ainda de acordo com a assessoria, foi oferecido um instrumento oficial de prova e os candidatos que se recusaram a aceitá-lo foram considerados desistentes.

A Funrio fez parte do consórcio Connasel, junto com o Instituto Cetro e Consultec, responsável pela aplicação das provas deste ano do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Veja aqui a íntegra da matéria do JC&E.

Com informações do Ministério Público Federal de Roraima.

Veja também:

Nas bancas/ Fraudes: o que o candidato pode fazer?

Concurso Receita Federal 2009: Abertas 700 vagas de analista tributário

+ Resumo do Concurso MPOG

MPOG
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Administrativa
Escolaridade: Ensino Médio, Ensino Superior
Faixa de salário:
Organizadora: Funrio
Estados com Vagas: AL, BA, DF, MA, MS, MT, PB, RJ, RR, RS, SC, SP

+ Agenda do Concurso

21/10/2010 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas