Para diplomata

Candidato branco é aprovado em cotas raciais no MRE

Mathias de Souza Lima Abramovic é branco, de olhos verdes, e foi um dos 10 candidatos aprovados dentro do limite de cotas raciais na prova objetiva para o Itamaraty

Leandro Cesaroni
Publicado em 12/09/2013, às 10h10

A questão das cotas raciais parece estar motivando uma nova polêmica. Desta vez, no concurso do Ministério das Relações Exteriores (MRE), que visa selecionar 30 diplomatas para o Instituto Rio Branco. Com a publicação do resultado das provas objetivas, na terça-feira (10), constatou-se que entre os 10 candidatos aprovados dentro das cotas para negros está Mathias de Souza Lima Abramovic, que, aparentemente, não tem características afrodescendentes – nas fotos, em redes sociais, ele parece ser branco e de olhos verdes.

Para apimentar ainda mais o caso, o Ministério das Relações Exteriores declarou na tarde de ontem (11) que manterá inalterada a situação do estudante. Ou seja, ele está mesmo aprovado para a segunda etapa do processo seletivo, que conta com quatro fases.

O Itamaraty informou que é o próprio candidato ao Instituto Rio Branco que se declara afrodescendente e não há uma avaliação técnica nem banca para examinar a veracidade da declaração do estudante. É respeitado o que é declarado no ato da inscrição. O edital do processo seletivo também não especifica os critérios para concorrer como afrodescendente.

Na primeira fase, além das 100 colocações de ampla concorrência, as cotas reservam um adicional de dez vagas para afrodescendentes e duas para deficientes. Ao final, apenas 30 candidatos ficarão até a última etapa do concurso. O edital é claro ao afirmar que os candidatos deverão se declarar afrodescendentes no ato da inscrição. Para as pessoas com deficiência, as reservas de vagas vão até a última etapa (são quatro no total), diferentemente dos afrodescendentes, cuja cota só existe na primeira fase. Além disso, no caso das pessoas com deficiência, o edital prevê perícia médica para comprovação.

Procurado pela reportagem do JC&E, o Cespe/UnB, organizador da seleção, enviou uma nota informando que vem cumprindo com rigor as normas constantes no edital e que se, a qualquer momento, for constatada alguma prática ilícita por parte do candidato, ele será automaticamente eliminado da seleção. Confira a nota, na íntegra, abaixo:

"O Cespe/UnB informa que cumpre rigorosamente as normas estabelecidas nos editais de abertura de todos os eventos que realiza. O edital de abertura do concurso público de 2013 para Admissão à Carreira de Diplomata do Instituto Rio Branco prevê, no item 5.4.1.1, a reserva de 10% das vagas para candidatos afrodescendentes, até a primeira etapa do certame. A homologação das inscrições dos candidatos para concorrer às vagas reservadas aos afrodescendentes foi realizada seguindo-se estritamente as normas estabelecidas em edital, que exigiam somente a autodeclaração, procedimento consolidado pela Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. O Cespe/UnB ressalta, ainda, que, conforme prevê o item 14.22 do edital de abertura, se, a qualquer tempo, for constatado que o candidato utilizou processos ilícitos, sua prova será anulada e ele será eliminado do concurso".

Processo seletivo
Participam do concurso apenas candidatos com formação de nível superior. O vencimento inicial é de R$ 13.623,19. Aos candidatos com deficiência serão reservadas duas oportunidades.

De acordo com o Cespe/UnB, 6.490 pessoas garantiram a inscrição no concurso, o que resultou em demanda de 216,33 interessados por colocação.

As provas objetivas contaram com questões de língua portuguesa, história do Brasil, história mundial, geografia, política internacional, língua inglesa, noções de economia e de noções de direito e direito internacional público.
 
Os candidatos também passarão por prova escrita de língua portuguesa, de caráter eliminatório e classificatório; provas escritas de história do Brasil, geografia, política internacional, língua inglesa, noções de economia e noções de direito e direito internacional público, de caráter eliminatório e classificatório; e provas escritas de língua espanhola e língua francesa, de caráter classificatório.

* com informações da Agência Brasil

Comentários

Mais Lidas