O concurso da PRF

A remuneração é bem razoável e a instituição vem melhorando paulatinamente sua estrutura, o que é garantia de uma recompensa profissional.

Redação
Publicado em 24/04/2015, às 14h54

Fernando Bentes

O concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF) exige, acima de tudo, perfil para o trabalho na área policial, tempo para se dedicar aos plantões em rodovias federais e disponibilidade para se deslocar para diversas regiões do Brasil. No entanto, a remuneração é bem razoável e a instituição vem melhorando paulatinamente sua estrutura, o que é garantia de uma recompensa profissional.

Sendo assim, a concorrência deve ser grande. Além de um número de inscritos na casa dos milhares, a exigência de nível superior vai qualificar mais os interessados no pleito.

Recomendo um cuidado extremo com a disciplina de física, principalmente para aqueles formados em ciências humanas, que não estudam a matéria desde o ensino médio. Outra preocupação é a legislação de trânsito; quem quiser passar na prova tem que estudar muito essa disciplina, saber todos os detalhes do Código de Trânsito e das normas mais importantes do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Nas matérias jurídicas, recomendo que os candidatos não leiam resumos nem apostilas. O nível da prova vai ser mais puxado e a preparação deve ser mais completa. Recorra a livros atualizados. Alguns manuais de direito podem explicar melhor a matéria, citar a jurisprudência e ser bem didáticos. Os livros de Marcelo Novelino, Natália Masson e Rogério Grecco são bons exemplos.

Além de recorrer a livros e aulas de qualidade, é preciso fazer muitos exercícios de provas anteriores e da banca organizadora, quando ela finalmente for escolhida.

Se ainda sobrar certo tempo, não deixe de fazer questões passadas de concursos congêneres, como da Polícia Federal, Polícia Civil e das instituições estaduais e municipais de trânsito.

Os candidatos da área jurídica saem na frente na concorrência, mas os demais também têm chances se começarem os estudos desde já. Os alunos que nunca estudaram matérias de direito têm uma certa dificuldade em aprender seus conceitos e princípios. Por isso, devem sempre buscar materiais e aulas que sejam ricos em exemplos. Assim, podem visualizar melhor toda a teoria.

De resto, tudo dependerá de uma análise completa do último edital, traçar um plano de leitura e balancear o tempo de preparo com a vida social e o trabalho.

Boa sorte a todos!

Fernando Bentes é diretor acadêmico do site Questões de Concursos e professor de direito constitucional da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Comentários

Mais Lidas