O concurso do Ministério do Trabalho e Emprego

Não é sempre que um concurso abre um hiato tão grande entre o anúncio genérico da prova e o lançamento do edital.

Redação
Publicado em 19/06/2015, às 12h24

Fernando Bentes

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) deve lançar um concurso para agente administrativo no ano que vem. O salário será bastante atraente e a exigência será de nível médio, o que promete uma grande concorrência.

Por isso, nada de perder tempo. Os interessados devem buscar a preparação o mais rápido possível. Não é sempre que um concurso abre um hiato tão grande entre o anúncio genérico da prova e o lançamento do edital. Ao invés de postergar o estudo para as vésperas, aconselho que todos se lancem sobre os livros e questões o mais rápido possível.

De modo específico, lanço um desafio aos interessados: peguem o edital do MTE de 2014 e tentem estudar todos os pontos do programa até o fim do ano. Assim, quando 2016 chegar, os candidatos ficarão apenas no tempo de estudo extra para que possam se aprofundar nas matérias e fazer mais questões e simulados de prova.

Duas características se destacam nesse processo seletivo: as normas trabalhistas que estão sendo alteradas e a extensão de disciplinas do edital.

Os candidatos devem ficar atentos, pois a matéria mais importante do concurso – legislação específica – é justamente aquela com mais mudanças recentes. Portanto, ao mesmo tempo em que se estuda as normas previstas no edital de 2014 é preciso ficar atento para toda a normativa trabalhista em alteração.

Outro fator decisivo no concurso é que ele cobra 11 disciplinas, todas elas muito diferentes entre si. Embora haja uma concentração maior de disciplinas jurídicas, o tipo de conhecimento exigido é muito distinto, reunindo em um mesmo teto noções de informática e noções de arquivologia, por exemplo.

Em concursos assim, uma estratégia é fundamental: estudar todas as matérias toda semana, de modo que nenhuma seja esquecida.

Por último, um conselho tradicional, segredo para a aprovação em todo o concurso: todo o estudo teórico deve ser acompanhado da resolução de questões de concursos passados do MTE e da banca Cespe/UnB, que deverá organizar a prova novamente.

Bons estudos!

Fernando Bentes é diretor acadêmico do site Questões de Concursos e professor de direito constitucional da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Comentários

Mais Lidas