O poder da escolha

É possível viver nesse mundo sem fazer escolhas? Obviamente que não! O livre arbítrio é inerente à condição humana. É uma faculdade irrenunciável pertencente a nossa natureza.

Redação
Publicado em 31/10/2014, às 11h30

Daniel Sena

Estava lendo um livro esses dias e me deparei com um questionamento interessante: é possível viver nesse mundo sem fazer escolhas? Obviamente que não! O livre arbítrio é inerente à condição humana. É uma faculdade irrenunciável pertencente a nossa natureza.

Vejo muitas pessoas sofrendo diante das escolhas que precisam fazer em sua vida. Na verdade, o sofrimento não é tanto por ter que escolher, mas porque, ao escolher, temos que deixar outra opção de lado. Todo processo de escolha importa em uma renúncia. Se tenho dois caminhos, escolho um, pois o outro anula a possibilidade de seguir o primeiro. Ou um, ou outro! Não tem como seguir os dois ao mesmo tempo, da mesma forma que não é possível dois corpos ocuparem o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo.

Algumas pessoas fogem da necessidade de escolher, outras adiam a escolha. Geralmente isso é feito por medo de perder a outra possibilidade. Esse medo está intimamente atrelado ao medo de errar, pois provavelmente já fizeram escolhas erradas. Mas eu pergunto: como saber se a escolha feita é a errada antes de fazê-la? Existe uma forma de tentar prever isso pensando nas consequências das suas escolhas. Quando pesamos em uma balança quais as consequências possíveis de cada uma das alternativas, é possível diminuir o erro das nossas escolhas. Quanto mais experientes nos tornamos em prever as consequências, melhor se tornam nossas escolhas.

Mas o que esse assunto tem a ver com a sua vida de concurseiro? Tudo! Quem estuda para concurso já fez uma escolha. O que significa escolher esse caminho? Porque existe uma tendência maior das pessoas fazerem essa escolha profissional em vez de outra?

Certamente, se você escolheu estudar para concurso é porque deixou de escolher outra alternativa profissional. Se você já está formado, com nível superior, provavelmente escolheu estudar para concurso porque percebeu que o mercado de trabalho está abarrotado de pessoas graduadas à procura de emprego – e isso acontece em qualquer área de formação. Ou você está disposto a trabalhar muito, por muitos anos, ganhando pouco para consolidar sua carreira, ou você será apenas mais um à procura de emprego. Sem desmerecer o nível superior, hoje a faculdade faz com que você saia da fila de desempregados de nível médio para a fila de desempregados de nível superior. Já foi o tempo em que ter uma faculdade transformava a nossa vida profissional. Sem falar que, hoje, o acesso ao nível superior está universalizado.

Se você não tem uma faculdade ainda, mas escolheu fazer concurso público, ou você é muito esperto ou já percebeu que trabalhar na iniciativa privada não tendo nenhuma qualificação profissional é sinônimo de “escravidão” e baixos salários.

Provavelmente, se você escolheu estudar para concurso público, além das razões já apresentadas, você não ganhou na Mega-Sena e não tem expectativa de uma boa herança. Se você escolheu fazer concurso como opção profissional, preste bem atenção no que vou lhe dizer a seguir.

Só compensa escolher esse caminho se você realmente estiver disposto a segui-lo até o fim. Não adianta começar e parar no meio do caminho. Isso é perda de tempo! Se você não está disposto a estudar até o fim, nem comece. Pegue o seu dinheiro e o seu tempo e invista-os em outra coisa. Eu tenho certeza que alguns de vocês que estão lendo esse artigo já começaram e pararam, mas se arrependem disso pelo fato de terem perdido o conhecimento que já tinham adquirido. Começar e parar no meio do caminho é como empurrar uma pedra morro acima. Se você parar de empurrá-la no meio do morro, ela voltará rolando para o início e você terá que empurrá-la novamente. Não considero essa atitude muito inteligente.

Uma vez feita essa escolha, de verdade, você precisará arcar com as consequências. E quais são as consequências além da possibilidade de aprovação que lhe trará uma vida maravilhosa? Você terá uma vida diferente até ser aprovado. Até passar no concurso dos seus sonhos, você precisará se dedicar muito e focar toda a sua energia nesse caminho. Você precisará abrir mão de alguns prazeres em prol dessa grande conquista.

Não adianta escolher estudar para concurso e fazer isso de qualquer jeito. Estudar de qualquer jeito é a mesma coisa que não estudar. Se você quer realmente passar, algumas coisas terão que mudar em sua rotina. Talvez você precise acordar mais cedo ou dormir mais tarde. Não será possível sair com os amigos todos os dias. Você não terá tanto tempo para se dedicar a sua família. Em vez de assistir televisão ou ler qualquer livro quando não tiver nada para fazer, você fará exercícios, lerá textos de lei e apostilas. Ou seja, até passar você terá que enfrentar uma vida bem diferente da que estava acostumado. Se não for assim, não dá! Se não estiver disposto a abrir mão da vida que tinha até hoje, você não conseguirá. Mas talvez você se pergunte agora: será que vale a pena deixar de fazer tanta coisa por causa do concurso?

Sim, vale! Vale muito a pena! E olha que ninguém me contou. Eu experimentei a maravilhosa sensação de ser aprovado em um concurso e sei que todo o sacrifício valeu a pena. Se eu soubesse antes o quanto valeria a pena, eu teria feito muito mais. Então, se você realmente escolher esse caminho, vá sem medo. Se jogue nele, pois a chegada é muito especial. Você transformará sua vida para sempre.

Quando você passar em um concurso, nunca mais se preocupará com a sua vida profissional. Você terá um trabalho estável, com uma boa remuneração e com todas as demais garantias que o serviço público pode oferecer. Até lá, você vai sofrer... Mas lembre-se: o sacrifício do caminho não se compara à glória da chegada!

Daniel Sena é diretor do AlfaCon São Paulo, professor de direito constitucional e especialista em concursos públicos. Twitter: @ProfDanielSena. Facebook:/Profdanielsena.

Comentários

Mais Lidas