O poder do foco

Nas últimas semanas, as perguntas que mais tenho ouvido de quem estuda para concurso são: “Daniel, para qual concurso devo estudar?”; “Estou perdido...”; “Não sei para onde ir!”; “E agora? Qual a melhor direção a seguir?”.

Redação
Publicado em 28/01/2015, às 12h02

Daniel Sena

Estamos iniciando mais um ano e com ele novas expectativas surgem. Nas últimas semanas, as perguntas que mais tenho ouvido de quem estuda para concurso são: “Daniel, para qual concurso devo estudar?”; “Estou perdido...”; “Não sei para onde ir!”; “E agora? Qual a melhor direção a seguir?”.

Um dos pontos mais importantes na vida de um concurseiro é a definição do objetivo, a definição de para onde ir. Ninguém consegue andar por muito tempo sem saber para onde ir. Pessoas perdidas tendem a desistir com mais facilidade dos seus objetivos, por isso é tão importante definir o foco.

Foco é o ponto fundamental do seu objetivo. É exatamente o lugar que você almeja. É para onde você deve ir. É em direção a ele que você deve concentrar toda sua energia!

Pessoas que caminham sem foco caminham para qualquer lugar. Ir para qualquer lugar é ir a lugar nenhum. Mas eu tenho certeza que você deseja chegar em algum lugar. E para que você garanta achegada no lugar certo é preciso definir qual será esse lugar antes mesmo de iniciar a caminhada.

Quando falamos de concurso público, a definição do foco é fundamental para se atingir a aprovação. Quando um aluno me procura para pedir ajuda em relação a isso eu vislumbro várias alternativas de foco considerando as carreiras públicas que possuem matérias semelhantes. O resultado desse mapeamento fez com que eu chegasse às seguintes carreiras: carreiras policiais, carreiras tribunais, carreiras administrativas, carreiras fiscais ou carreiras jurídicas.

A escolha de uma dessas carreiras para estudar é fundamental para o resultado porque as disciplinas acabam se assemelhando e facilitando o estudo. Quanto mais sinergia você empregar no seu estudo, mais chance de passar você terá.

Quando eu falo das carreiras possíveis o aluno fica mais perdido ainda e eu sugiro uma técnica para facilitar a escolha. A primeira pergunta que faço é: qual dessas carreiras você não tem interesse? Eu percebi, ao longo do tempo, que a primeira coisa a ser definida é com qual foco o aluno não deseja gastar sua energia! Geralmente ele aponta para carreiras policiais, por não gostar da função. Quem não é da área do direito acaba excluindo também as carreiras jurídicas. Quem não tem grana e tempo para investir exclui as carreiras fiscais. Quem não gosta de uma atividade burocrática e administrativa acaba excluindo as possibilidades de carreiras administrativas e tribunais.

Pequenos detalhes na sua percepção são fundamentais para a definição do foco a ser seguido. Uma vez definida a carreira que você não deseja seguir, será mais fácil definir o que você estudará.

Um ponto fundamental em tudo isso é que a escolha de uma carreira como foco não inviabiliza o estudo para outras áreas. Escolheras carreiras policiais como foco não significa que você não possa fazer um concurso de tribunal, ou de uma carreira administrativa qualquer. O que você tem que observar é o conteúdo do edital. Quanto mais semelhante ele for com aquilo que você está estudando, mais chance você terá de ser aprovado.

Um exemplo interessante aconteceu com um aluno do meu curso em São Paulo. Ele estava focado desde o início em carreiras tribunais. Após um ano estudando para tribunais, tendo feito vários concursos e não obtendo aprovação em nenhum deles, surgiu o edital da Polícia Civil de São Paulo. Ao conversar comigo, ele percebeu que o edital da Polícia Civil continha várias disciplinas que ele já estudava e, as que não estudava, complementou logo que saiu o edital. E sabe qual foi o resultado? Ele passou em dois cargos diferentes da Polícia Civil de São Paulo.

Comigo aconteceu algo semelhante. Eu nunca passei no concurso que foquei. Só passei nos concursos que apareciam no meio do caminho. Por que isso aconteceu? Quando foquei minha energia em uma carreira, que no meu caso era carreira policial, eu consegui a sinergia ideal para fortalecer as disciplinas do meu estudo. O mais importante era que, dentre as disciplinas, existiam aquelas que são essenciais a qualquer concurso. Com o tempo fui ficando forte nas essenciais e quando saia um edital que me interessava eu apenas complementava meu estudo com as específicas daquele cargo. Nessa “brincadeira” foram oito aprovações. Não passei no que queria, mas resolvi minha vida com o concurso que assumi.

Devo esse resultado a dois motivos principais. Primeiramente, ao focar minha energia em uma área, eu estudava bem aquelas disciplinas e conseguia repeti-las muitas vezes, facilitando minha memorização dos conteúdos. Quando saía um edital diferente, eu só tinha que complementar o estudo com as específicas. Outra razão para o sucesso nos concursos que não eram os principais do meu foco, era o lado emocional. Quando você quer muito um concurso, essa pressão pode fazer com que no dia da prova você não tenha o melhor desempenho. Quando você faz um concurso que não estava focado, a ausência de responsabilidade pela aprovação causa um estado emocional interessante, deixando-o mais tranquilo na prova, o que acaba revertendo em bons resultados.

O que não pode acontecer nunca, sob pena de você não conseguir a aprovação, é ficar mudando de foco o tempo todo. Hoje estuda para o INSS, mas de repente sai o edital do TRE e você para de estudar para o INSS e começa a estudar para o TRE. No outro dia sai o edital da PRF e você para tudo e começa a estudar para esse último. Isso nunca dará certo e conheço muita gente que tem esse comportamento, por isso nunca passou em concurso.

Em suma, tenha consigo um ensinamento que aprendi em minha caminhada de concurseiro: foque em um, mas faça vários concursos que aparecerem pelo caminho! Desta forma, você terá um excelente rendimento nos seus estudos sem abrir mão das várias oportunidades de concursos que teremos nesse ano. Feito isso, é só esperar. O resultado é mera consequência de um trabalho bem feito.

Um excelente ano para você!

Daniel Sena é diretor do AlfaCon São Paulo, professor de direito constitucional e especialista em concursos públicos. Twitter:@ProfDanielSena. Facebook: /Profdanielsena.

Comentários

Mais Lidas