Tudo Sobre

Concurso TJ

TJ/SP: Aojesp pede novo concurso para oficiais

Segundo presidente da associação, próximo concurso para oficial do TJ/SP já deve exigir nível superior, conforme nova legislação, mas salários somente serão readequados em 2018



Fernando Cezar Alves e Cintia Amaro
Publicado em 21/10/2015, às 14h06

Com a sanção, por parte do governador Geraldo Alckmin, em 18 de setembro, da lei complementar 1.273, que altera a escolaridade para ingresso na carreira de oficial de justiça do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ/SP), de ensino médio para nível superior, cresce a expectativa pela realização de novo concurso para o cargo.

De acordo com o último levantamento funcional, divulgado no primeiro semestre, com base no final de 2014, a carreira conta com um total de 4.093 vagas em aberto, que somente serão preenchidas com a realização de novo certame. De um quadro de 9.341 vagas, apenas 5.248 estão preenchidas.

Segundo o presidente da Associação dos Oficiais de Justiça do Estado de São Paulo (Aojesp), Mario Medeiros Neto, a entidade tem reivindicado constantemente a realização do novo certame. Porém, o presidente do TJ/SP, desembargador José Renato Nalini, alega que o órgão está passando por um momento de contenção de gastos, o que impossibilita, no momento, a autorização para o novo concurso.

Prepare-se para o concurso do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP)

Videoaulas para Tribunal de JustiçaProvas Anteriores do Tribunal de JustiçaCURSO ONLINE PARA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULOAPOSTILA CONCURSO TJ/SP - OFICIAL DE JUSTIÇA 

Porém, a necessidade de pessoal existe. “Existem localidades onde há grande carência de pessoal, como a região de Campinas, por exemplo”, destaca o presidente da Aojesp.

Ele explica que o TJ/SP está realizando um processo de remoção de servidores, previsto para ser encerrado até o final do ano. Após isto, poderá ser feito um levantamento pontual das necessidades, para que possa ser intensificado o pedido do concurso.  “O Tribunal passou a distribuir o trabalho dos oficiais por meio de centrais de mandados, ou seja, por zonas regionalizadas. Desta forma, cada oficial passou a ser responsável por demandas mais próximas. Isto agiliza o trabalho, mas não extingue a necessidade de contratação de pessoal”, disse.

Nova Escolaridade

A mudança de escolaridade do cargo, pela lei complementar 1.273, é uma antiga reivindicação da categoria, aguardada desde 2013, quando enviado para a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) o projeto de lei complementar (PLC) 56/2013, aprovado na casa em 26 de agosto deste ano.

Porém, as determinações da nova lei começarão a valer somente a partir de 2018.

Além da mudança de escolaridade, a lei altera o salário inicial, que passará para a classificação 7 (a mesma remuneração dos especialistas, que é de R$ 5.545 com gratificações) e cria o benefício de 31,74% sobre o salário base referente ao Regime Especial de Trabalho Externo Judicial (Retefj).

Vale ressaltar que a nova escolaridade não se aplica aos atuais ocupantes do cargo, bem como aos candidatos de concursos públicos em andamento ou aos encerrados e com prazos de validade em vigor; apenas as novas regras salariais serão aplicadas nestes casos.

Novo concurso

De acordo com o presidente da Aojesp, o fato de a nova lei vigorar a partir de 2018, não impede a realização de novo concurso antes deste período. Ele explica que, como a lei já está em validade, um novo concurso já pode ser feito, tendo como exigência a formação de nível superior. Porém, os aprovados serão empossados com as atuais remunerações, que somente serão adequadas às condições da nova lei em 2018. Desta forma, o órgão já possui condições para realizar um novo concurso, o primeiro com exigência de nível superior, assim que ocorrer autorização por parte da presidência do TJ.

Em recente declaração ao JC&E, a juíza assessora da presidência do TJ/SP, Maria Fernanda Rodovalho, disse que o órgão aguardava a aprovação do PLC e posterior sanção governamental para realizar novo certame para a carreira, que conta com grande carência de pessoal.

Decisão

O texto original do projeto de lei apresentava, como justificativa: “exigir nível superior para a carreira dos oficiais de Justiça, de modo a se aperfeiçoar e qualificar os servidores que desempenham ou venham a desempenhar tal mister, observando que tal requisito é objeto, inclusive, de recomendação do Conselho Nacional de Justiça (resolução número 48/07)”.
Segundo o presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Estado de São Paulo (Sindojus), Daniel Franco do Amaral, a aprovação é motivo de comemoração, pois reflete o que já é exigido para os oficiais de Justiça dos TRTs e TRFs.  “Essa medida vem sendo buscada há 14 anos e vai valorizar o oficial de Justiça que, em geral, já possui ensino superior”, diz.   
O último concurso aconteceu no ano de 2009 e contou com 500 vagas, sendo 100 para a capital e 400 para o interior.

+ Resumo do Concurso TJ

TJ
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Oficial de Justiça
Áreas de Atuação: Judiciária / Jurídica
Escolaridade: Ensino Superior
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão
Estados com Vagas: SP

+ Agenda do Concurso

20/10/2016 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas