Identificada fraude em mais dois concursos da PF

O órgão também constatou irregularidades nas seleções de 2001 e 2004. Sete policiais foram beneficiados pelo esquema

Redação
Publicado em 29/10/2010, às 11h43

Mais dois concursos da Polícia Federal entraram para a lista de seleções alvo da Operação Tormenta. Em entrevista ao JC&E, o responsável por investigar as fraudes, delegado Victor Hugo Rodrigues Alves, informou que o uso de um software identificou irregularidades nos processos seletivos de 2001 (para os cargos de escrivão e agente) e 2004 (para delegado e agente).

A tecnologia, desenvolvida pelo próprio órgão e utilizada pela primeira vez no concurso para agente da PF, de 2009, aponta coincidências entre os gabaritos dos candidatos que realizaram os exames. A ferramenta compara as provas de múltipla escolha (objetivas) e revela as que foram marcadas com quase todas as respostas iguais.

Segundo Alves, desde 2000, todas as seleções da Polícia Federal foram auditadas com o uso do software. O resultado das análises apontou 40 envolvidos na fraude, mas apenas sete conquistaram a aprovação no concurso do qual participaram. “Foi uma minoria que se beneficiou do esquema, visto que milhares de pessoas realizaram os exames com o intuito de ingressar no órgão”, revela o delegado.

A tecnologia não serve como prova para incriminar os candidatos, ela apenas indica o caminho das investigações. Dos sete policiais convocados nos processos seletivos de 2001 e 2004, um já está preso por formação de quadrilha e estelionato; e os outros seis continuam trabalhando no órgão, mas a PF pediu para que fossem afastados, já que são acusados de estelionato e receptação.

O inquérito foi enviado à Justiça e, de acordo com o delegado, é possível que os envolvidos tenham que pagar uma multa de até 100 vezes o valor dos salários que receberam durante o período em que atuaram na Polícia Federal.

Alves diz que os candidatos que desejam trabalhar no órgão não devem perder a motivação para os estudos. “Os envolvidos na fraude não são pário para os que estudam com dedicação. A maioria dos acusados, mesmo com os gabaritos em mãos, não foi bem na prova, portanto, o melhor caminho é estudar”, conclui.

Outros concursos – A Operação Tormenta investiga irregularidades em seleções realizadas na Grande São Paulo, Rio de Janeiro, região de Campinas e Baixada Santista. O inquérito sobre a fraude no exame da OAB, por exemplo, foi encerrado, mas os processos seletivos da Receita Federal, Anac e Abin ainda estão sendo investigados – clique aqui para saber os detalhes.

Flávio Fernandes/SP

Veja também:

Fiocruz: reaplicação de provas muda de data

CRM/PA: último dia para 135 oportunidades no órgão

Comentários

Mais Lidas