Publicado: 23/08/2017 - 12:01 | Atualizado: 25/09/2017 - 11:38

Polícia Federal: pedido de concurso avança no MPDG

Oportunidades serão para os cargos de agente, escrivão, delegado e perito, todos com exigência de nível superior. PF aguarda apenas liberação de verbas para publicar os editais

Iniciais até R$ 22,1 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Quem pretende ingressar no quadro de servidores da  Polícia Federal (PF) deve ficar atento. Acontece que o pedido de liberação de verbas para a realização dos novos concursos da corporação já voltaram a tramitar no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Ao todo, o órgão pretende preencher 1.758 vagas, sendo 600 para o cargo de escrivão, 600 para agente, 491 para delegado e 67 para peritos.

A liberação dos editais depende apenas deste parecer, por parte do MPOG, de que dispõe de verbas para a posse dos aprovados, uma vez que a PF não precisa mais de autorização do órgão para o preenchimento de vagas.

O processo, que estava parado no órgão desde junho de 2016, voltou a tramitar em 19 de maio, quando foi reencaminhado para diversos setores do ministério. 

Vale lembrar que, com o decreto 8.326, de 10 de outubro de 2014, a Polícia Federal não precisa mais de autorização do MPOG para realizar novos concursos, necessitando apenas de um parecer do órgão sobre as condições financeiras para o preenchimento das vagas.

Ainda de acordo com o decreto, a PF pode iniciar novo certame para seus cargos sempre que o quadro de pessoal contar com uma defasagem de pelo menos 5% dos servidores.

APOSTILA CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - AGENTE

Para concorrer aos cargos de agente e escrivão basta possuir curso de nível superior em qualquer área de formação. Para perito, nível superior em áreas específicas, e para delegado, superior em direito, com pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial, comprovados na data da posse. Para todos os cargos, os aprovados também deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse.

Normalmente, a lotação é feita preferencialmente nos postos de fronteira e nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de pessoal nestas localidades. Obedecidas estas condições, o preenchimento pode ser feito em todos os estados, de acordo com as necessidades.

A aplicação das provas da PF costuma ser feita em todas as capitais, exceto o exame oral, que ocorre somente em Brasília.

Valorização profissional na PF

Um ponto importante é que o novo concurso da Polícia Federal ocorre em um momento de valorização da categoria. Acontece que o presidente Michel Temer sancionou, em 15 de dezembro, a lei 13.371, que reajusta as remunerações dos cargos.

No caso de agente e escrivão, que contavam com inicial de R$ 9.160,20 até dezembro, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458, a partir de janeiro a remuneração passou para R$ 11.897,86, com o complemento. Além disso, as categorias contarão com mais dois reajustes, em janeiro de 2018 e janeiro de 2019, subindo, respectivamente, para R$ 12.441,26 e R$ 12.980,50.  

Para perito e delegado, cujos iniciais, com o complemento, eram de R$ 17.288,85, em dezembro, a partir de janeiro passaram a ser de R$ 22.102,37. Além disso, as carreiras também contarão com mais dois reajustes, subindo para R$ 23.130,48 em janeiro de 2018 e R$ 24.150,74 em janeiro de 2019.

Para os dois cargos, a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Progressão

Os aumentos também repercutem nas categorias posteriores. Para os agentes e escrivães, na segunda classe, as remunerações, com o benefício, sobem para R$ 12.374,65, indo para R$ 12.940,69 em janeiro de 2018 e R$ 13.502,41 em janeiro de 2019. Para a primeira classe, R$ 14.405,33 este ano, R$ 15.067,83 em 2018 e R$ 15.725,27 em 2019. Na classe especial, R$ 17.497,24 este ano, R$ 18.306,60 em 2018 e R$ 19.109,79 em 2019.

Para perito e delegado, na segunda categoria, R$ 22.265,68 este ano, R$ 23.710,07 em 2018 e R$ 24.756,42 em 2019. Na primeira, R$ 25.897,24 em 2017, R$ 27.105,60 em 2018 e R$ 28.304,74 em 2019. Finalmente, na classe especial, R$ 28.720,24 este ano, R$ 30.062,70 em 2018 e R$ 31.394,91 em 2019.

Carência de servidores na PF


Mesmo com a perspectiva de novos concursos para o preenchimento de 1.758 vagas, a carência de pessoal da PF é considerada muito maior. De acordo com dados apontados pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Antônio de Araújo Boudens, durante o Fórum Nacional dos Concursos Públicos, realizado em 31 de agosto, em Brasília, a corporação conta com uma necessidade de nada menos do que 13.300 servidores. Além disso, segundo ele, caso o concurso para delegados não seja realizado o quanto antes, a carência de pessoal para o cargo pode chegar a 800 servidores nos próximos anos em decorrência de 400 aposentadorias previstas.

Prepare-se para o concurso da Polícia Federal

Videoaulas para Polícia FederalProvas Anteriores da Polícia Federal

O presidente do Fenapref reforça que a maior necessidade na PF é para o cargo de agente que, conta com nada menos do que 6.400 postos em aberto, seguido da área administrativa, com necessidade de 5.300 servidores. Além disso, para escrivães são necessárias 1.200 contratações, além de 400 para papiloscopistas.

De acordo com o sindicalista, o governo cobra a proteção das fronteiras, o que se torna impossível sem que haja um quantitativo de pessoal adequado, bem como investimentos em tecnologia, o que considera impossível com um orçamento decrescente. Além disso, ressalta que o órgão não tem como abrir outras unidades de policiamento pela falta de pessoal para ocupar os respectivos postos. Explica que a PF não abre novas unidades há cinco anos, período no qual apenas foram reformados prédios. “Nenhum gestor tem coragem de abrir novas unidades da Polícia Federal em nenhum local do país, pois não temos efetivos, policiais e servidores administrativos para trabalhar nestas unidades”, diz. "As consequências disso são a não proteção da fronteira e o impedimento do órgão de oferecer um serviço com qualidade".             

Além disso, diz que muitas vezes tem sido divulgado que a Polícia Federal tem feito mais do que fazia antes, o que considera uma mentira. “Nós fazemos menos operações do que fazíamos, mas começamos a chamar de operação aquilo que realmente não é”, diz. “Antes havia um conjunto de ações contra o crime organizado que costumávamos chamar de ações, sempre com uma média de 150 a 200. Hoje qualquer intimação já é chamada de operação. Qualquer ação ordinária é chamada de operação para mascarar a realidade e mostrar que fazemos mais operações do que antes”, diz.

Delegado

Boudens aponta que, somente para o cargo de delegado existem, atualmente, 491 vagas em aberto, que a PF tem tentado suprir com a realização do novo concurso. “Isto representa 28% do nosso efetivo, ou seja, um terço do nosso efetivo vago e a consequência é evidente. Como cada delegado poderia fazer umas duas operações por ano, esta realidade representa, no mínimo, 800 operações a menos a cada ano”. Além disso, de acordo com ele, com a reforma da previdência e a possibilidade da extinção do abono de permanência, todo mundo que está com abono de permanência irá se aposentar, bem como aqueles que já possuem condições de pedir aposentadoria. Com isto, de acordo com ele, a perspectiva é de que, em um período de dois ou três anos, mais 400 delegados se aposentem.

A Polícia Federal, de acordo com ele, possui atualmente 180 mil investigações em andamento. “Nem todas as investigações viram ações. Precisamos delimitar as prioridades, mas dentro desta realidade de defasagem de pessoal, nem isto é possível. Por isto, a PF acaba mascarando números e de um total de duas mil por ano, acabamos fazendo aproximadamente 300”.

Dentro de um contexto histórico, diz que em 1978, a PF contava com 500 delegados. Já em 1995, os mesmos 500 delegados. Em 2000, eram 700 delegados no país. “Até então, as principais atividades eram o combate às drogas e garimpo. Mas era uma atividade bastante limitada e uma atuação muito aquém do que poderia ser feito. Em 2001 foi realizado um concurso para 500 delegados, quase dobrando o efetivo. Do concurso até aposse são quase três anos. Isso preocupa, pois como temos quase 400 que podem se aposentar nos próximos anos, se abrir um concurso hoje,ficaríamos com 800 vagas em aberto. Hoje temos 1.717 delegados em atividade. Tivemos concurso em 2001 e 2004 para mais 500 cada, dobrando o efetivo. Mas em 2009, o quadro foi congelado, quando estava com 1.852. Agora estamos em um processo de desmonte”, diz. “Em 2018 devemos voltar ater o efetivo que possuíamos em 2003”, reforça.

Administrativos

Já no quadro administrativo, diz que em 2004 o efetivo foi aumentado. “No FBI, por exemplo, para cada policial existem de seis a sete administrativos. No Brasil é o contrário. Em 2004 o efetivo cresceu, mas depois não foram feitos novos concursos e a PF passou a terceirizar as ações em aeroportos, o que não deu certo. Acabaram as terceirizações,mas não foram repostos os administrativos. Hoje, nosso quadro de administrativos é menor do que o de 2004, ao passo que as atribuições da PF aumentaram”. De acordo com ele, em 2014 aumentou um pouco pela substituição de alguns terceirizados.

Autonomia

O sindicalista ressalta, ainda, que a Polícia Federal conta com decreto de 2014 que permite a realização de concurso sem autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) sempre que a carência de pessoal chegar a 5% do quadro. Porém, diz que, na prática, o decreto não está funcionando, uma vez que para isto é preciso ter orçamento, atestado pelo MPOG. “Não adianta ter autorização para fazer o concurso se não há orçamento para isto”. A solução, segundo ele, seria conquistar a autonomia do órgão. Para isto, já existe, segundo ele, uma campanha neste sentido, desde dezembro de 2015. “Sem a autonomia, não conseguimos avançar. Nós sabemos que, muitas vezes, a Polícia Federal tem por ação investigar atos de desvios praticados por membros do governo. Por isto existe, sim, resistência por parte de grupos no poder, no sentido de controlar as atividades da Polícia Federal e não existe, em nenhum lugar no mundo, uma instituição que tenha por finalidade investigar os atos do governo que não possua autonomia".

Ressalta, ainda, que um avanço foi a lei 13.047, que determina que a direção da Polícia Federal compete aos delegados. “Com isto, conseguimos evitar que alguém de fora da instituição fosse nomeado para a direção geral e das atividades da PF. Até 2014, qualquer pessoa poderia ser nomeada como diretor da corporação. Mas ainda não conseguimos avançar com o fim dos cargos comissionados, que buscamos trocar por funções comissionadas, ou seja,exclusivas para preenchimentos por funcionários concursados de carreira”.

Últimos concursos da Polícia Federal

Com relação aos novos concursos previstos, para agente o último concurso ocorreu em 2014, quando foram registrados 98.101 inscritos para a oferta de 600 vagas. Para escrivão, a última seleção ocorreu em 2012, com 83.619 inscritos para 350 vagas. Para perito e delegado, os últimos certames ocorreram em 2012, com 35.800 inscritos para a oferta de 100 vagas de perito e 46.633 participantes para 150 postos de delegado.Para todos os cargos, a organizadora foi o Cespe/UnB.

Para perito, o concurso da Polícia Federal contou com provas objetivas e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. A parte objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Os aprovados em todas as fases foram submetidos a um curso de formação profissional.

No caso de delegado, o Cespe/UnB formulou provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico,avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso deformação. A parte objetiva contou com 120 questões e a discursiva, com três questões dissertativas e elaboração de peça profissional.
Para perito, as opções foram para áreas de ciências contábeis ou econômicas, engenharia em diversas especialidades, ciências da computação, geologia, química, biomedicina, medicina, odontologia e farmácia.

5 dicas de processo penal para delegado da PF

1. Estude,desde já, para a prova oral. O concurso conta com prova objetiva, prova discursiva e prova oral. É certo que a prova oral é a última delas,porém, para que você esteja bem preparado para uma prova oral, é necessário controle total da matéria. Logo, foque no controle total, lá na prova oral mesmo. Prepare o material, fale sozinho pela casa, ensine tudo sobre tentativa para seu cachorro. Vá por mim: além de estar mirando acima da maçã, você ainda estará fazendo uso de um dos melhores métodos de estudo. 
2. A prova da PF provavelmente será feita pelo Cespe, que merece muitos elogios, pois monta as questões com base nas atribuições do cargo a ser provido – quem dera todas as bancas fizessem assim! Considerando que estamos falando de prova para delegado da Polícia Federal, é óbvio que vão despencar questões sobre inquérito policial, visto que a vida do delegado é tocar inquérito para frente. Para você ter uma ideia, no último concurso para delegado da PF, das 26 questões de processo penal, 15 eram sobre inquérito policial. Essas você não pode errar!
3. Ainda com relação às atribuições do cargo, cuidado com o tema “provas”, principalmente a interceptação telefônica, um meio de prova que é recorrente em concursos públicos
4. A Operação Lava Jato está na mídia há um bom tempo e uma de suas características mais marcantes é a presença de acordos de delação premiada. Estude este tema!
5. Existem duas “polícias” essencialmente judiciárias no Brasil: Polícia Federal e Polícia Civil. Você sabe que as atribuições da Polícia Civil (estadual)são residuais, mas gigantescas, enquanto as atribuições da Polícia Federal são especiais e bem menores. Isto segue o padrão de todos os órgãos que têm paralelos na seara estadual e federal. Tal padrão se reflete no concurso de um modo muito simples: nas provas de órgãos federais, sempre caem questões sobre suas atribuições/competências. No último concurso, foram quatro questões que tangenciaram este tema.
Rodrigo Sengik, professor de processo penal no AlfaCon Concursos Públicos

Pesquise material preparatório para o concurso Polícia Federal (PF)

Vídeos Polícia Federal

Saiba mais sobre o concurso da PF


Atualizado: 05/12/2017 - 10:57

PM/DF: avançam preparativos para 2.024 vagas

Seleção será para ingresso no curso de praças, com exigência de nível superior em qualquer área. Também serão oferecidas oportunidades para especialidades de músicos e corneteiros

Inicial de R$ 4,9 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Foi publicado no diário oficial desta terça-feira, 5 de dezembro, o parecer 165/2017, do chefe da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Paz Social do Distrito Federal, Francisco Eronildo Feitosa Rodrigues, aprovando a contratação da banca organizadora do aguardado novo concurso público da Polícia Militar (PM/DF) para o preenchimento de 2.024 vagas, sendo 2 mil para soldados, seis para soldado especialista músico e 18 para soldado especialista corneteiro. Com isto, agora o processo segue para o comando geral da corporação, antes de ser encaminhado para análise jurídica na Procuradoria Geral do Estado (PGE/DF). A banca escolhida para organizar o certame é o Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades). Somente após a assinatura do contrato poderá ser definida a data de publicação do edital de abertura de inscrições. O concurso vem sendo aguardado desde agosto de 2016, quando anunciado pelo governador Rodrigo Rollemberg.

No caso de soldado, o concurso será para a contratação imediata de 500 servidores. As 1.500 restantes serão destinadas para formar cadastro reserva de pessoal, com o objetivo de suprir a carência de pessoal nas áreas administrativas e operacionais, de acordo com as necessidades.


CURSO ONLINE PM/DF - SOLDADO
Para concorrer ao cargo é necessário possuir nível superior em qualquer área de formação, idade mínima de 18 anos e máxima de 30 até o último dia de inscrição e altura mínima de 1,65 m para homens e 1,60m para mulheres.
A remuneração inicial, no último concurso, realizado em 2012, foi de R$ 3.972,51 durante o curso de praças, incluindo salário de R$ 3.322,51 e auxílio-alimentação de R$ 650. Após o ingresso, o inicial passou a R$ 4.956,79, incluindo salário de R$ 4.306,79 e o benefício. Para o novo concurso, o inicial deve ser um pouco maior, uma vez que a publicação confirma um inicial de R$ 4.069,06 durante o curso de praças.
De acordo com o edital de licitação, a taxa deverá ser de, no máximo, R$ 93,18.
A previsão do órgão é de que o concurso conte com um total de 28 mil inscritos.


Seleção


O concurso é composto de seis fases. Na primeira, os participantes são submetidos a uma prova objetiva e redação. Na segunda, teste de aptidão física, seguido de exames médicos na terceira, avaliação psicológica na quarta, sindicância de vida pregressa e investigação social na quinta e prova prática no caso de vagas para áreas específicas, como músicos.
No concurso anterior, a parte objetiva foi composta de 60 questões, sendo 20 de conhecimentos gerais, com peso um, e 40 de conhecimentos específicos, com peso dois. A parte objetiva contou com temas sobre língua portuguesa, atualidades, raciocínio lógico e noções de informática. Em conhecimentos específicos, noções de administração e psicologia, lei orgânica do Distrito Federal, noções de direito administrativo, noções de direito constitucional, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação extravagante e noções de direito penal militar.
A organizadora, na ocasião, foi a Fundação Universa. 

Atualizado: 04/12/2017 - 14:31

Polícia Civil/RR: delegada titular confirma concurso

De acordo com a delegada geral da PC/RR, Edinéia Chagas, contratação de aprovados deve ser prioridade para 2018. Oportunidades serão distribuídas por diversos cargos e salários chegam a R$ 18 mil

Para 330 vagas

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Em entrevista para a Rádio Folha 1020, no último domingo, 3 de dezembro, a delegada titular da Delegacia Geral da Polícia Civil de Roraima (PC/RR), Edinéia Chagas, reforçou que a realização do novo concurso público da corporação deve ser uma das prioridades para 2018. “Hoje em dia são 66 delegados, com um quantitativo geral de 400 agentes, quando o ideal pela lei é de mil agentes. O quantitativo de delegados da Polícia Civil hoje em dia é pequeno, todos direcionados a atividade operacional. Por isso o concurso é necessário. O crime aumentou em Roraima e a Polícia Civil não cresceu”, disse. “Nossa meta é torná-la mais eficaz com o aumento do efetivo no ano que vem”, disse.
Segundo ela, também existe o interesse de elaborar um projeto de lei para criar o corpo técnico da Polícia Civil, também para preenchimento por meio de concurso. “Eu preciso de dois estatísticos, um administrador, um contador. Preciso de psicólogo e assistente social para melhor atender a vítima vulnerável a partir das delegacias. Como esse corpo técnico ainda não foi criado, hoje a gente percebe o quanto é necessário”, disse.
Quanto ao novo concurso, o edital de abertura de inscrições já está em fase final de elaboração e deve ser publicado em breve, assim que acertados os últimos ajustes com a banca organizadora, que será a Fundação Vunesp.  

A seleção será para o preenchimento de 330 vagas, para todos os cargos da carreira policial, distribuídas regionalmente. Também já está certo que a segunda fase do certame, o curso de formação profissional, será realizado na Academia de Política Integrada (API).

A expectativa inicial, segundo o secretário de Segurança Pública do estado, delegado Francisco Araújo, era de aproximadamente 400 vagas, incluindo 40 para delegados, 150 para escrivães, 100 para agentes, 20 para peritos, 20 odontologistas e também oportunidades para os cargos de auxiliar de necropsia, auxiliar de papiloscopista e perito papiloscopista.
Para os cargos de auxiliar de necropsia e auxiliar de papiloscopista é exigido ensino médio, com remuneração inicial de R$ 2.647,03. Para as demais carreiras, com necessidade de nível superior, o inicial é de R$ 3.970,56, exceto para delegado, com inicial de R$ 18.387.

Último concurso

A última seleção da PC/RR ocorreu em 2003, quando foram oferecidas 930 vagas, sendo 25 para médico-legista, cinco para odonto-legista, 30 para perito criminal, 20 para auxiliar de necropsia, 20 para perito criminal, 100 para escrivão, 400 para a gente de polícia, 200 para agente carcerário, 30 para perito papiloscopista e 100 para delegado.
A banca organizadora foi o Cespe/UnB.           

Atualizado: 04/12/2017 - 11:36

Prefeitura de Buri/SP: concurso inscreve para 51 vagas

Oportunidades no concurso da Prefeitura Municipal de Buri são para os cargos de motorista, guarda municipal, agente administrativo, recepcionista, técnico de enfermagem, enfermeiro, médico, entre vários outros

Salários de até R$ 14,9 mil

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

A Prefeitura Municipal de Buri, localizada no Estado de São Paulo, está com inscrições abertas em dois editais de concurso público. Ao todo, a seleção preencherá 51 vagas do seu quadro de pessoal. 
Aqueles que têm o ensino fundamental podem concorrer para as funções de ajudante de obras (4 vagas), gari (1), calceteiro (1) e motorista (10). Os salários iniciais oscilam entre R$ 937 e R$ 1.600,23. 
Quem tem o ensino médio está apto às carreiras de guarda municipal (10), agente administrativo (3), agente comunitário de saúde (2), eletricista (1), mecânico (1) e recepcionista (4).  Os vencimentos variam de R$ 941,31 a R$ 2.196,39.
Os cargos de técnico em enfermagem (5) e técnico em segurança do trabalho (1) exigem curso técnico. Os respectivos ganhos são de R$ 1.568,85 e R$ 1.359,67. 
Nível superior é requisito para os postos de assistente social (2), enfermeiro padrão (1), farmacêutico (1), fonoaudiólogo (2), médico PSF (1) e psicólogo (1). As remunerações partem de R$ 2.300,98 e chegam a R$ 14.994,23. 

Participação no concurso da Prefeitura de Buri


As inscrições deverão ser realizadas até o dia 8 de dezembro, exceto para o cargo de guarda municipal, cujo prazo encerrará no dia 12 de dezembro. A ficha de cadastro está disponível no endereço eletrônico www.integribrasil.com.br
Os valores da taxa de participação são de R$ 25 para ensino fundamental, R$ 35 para nível médio e curso técnico e R$ 45 para formação superior. 
Todos os candidatos executarão a prova objetiva no dia 28 de janeiro de 2018. Ela terá duração máxima de três horas e será composta por 40 questões de múltipla escolha. 
O concurso da Prefeitura de Buri ainda contará com as seguintes etapas: prova prática para os empregos de eletricista e mecânico; e teste de aptidão física, avaliação psicológica e curso de formação para guarda municipal. 

Atualizado: 04/12/2017 - 11:03

Sem concurso, PRF pode entrar em colapso em 2018

De acordo com diretor-geral da PRF, Antônio Borges Dias, carência de pessoal pode chegar a 4.800 policiais caso o concurso não seja autorizado o quanto antes. Exigência de nível superior e inicial de R$ 9,4 mil

Segundo diretor

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Em declaração à imprensa, no último dia 1º de dezembro, o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Renato Antônio Borges Dias, disse que a corporação pode entrar em colapso, no decorrer de 2018, caso não seja autorizada a realização do seu novo concurso público. De acordo com ele, a carência de pessoal, que atualmente já é de 2.800 policiais, deve chegar a 4.800 até o final do próximo ano, em decorrência de aposentadorias, o que reforça a necessidade de nova seleção para repor o efetivo, o quanto antes. Ele ressalta que estão projetadas nada menos do que 2.053 aposentadorias para 2018.

Além de prejudicar as atividades operacionais, a falta de pessoal deverá acarretar o fechamento de 124 postos no país, caso o concurso não seja autorizado. Caso isso ocorra, aproximadamente 400 municípios serão prejudicados, com a suspensão de policiamento em 18 mil quilômetros de rodovias. 
Enquanto isso, o pedido de autorização do certame continua parado no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) onde, desde o dia 1º de junho, se encontra em análise na Divisão de Concursos Públicos.
A necessidade de pessoal é tanta que a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) tem buscado apoio junto ao Congresso Nacional, no sentido de pressionar o governo a atender algumas necessidades da categoria, incluindo a reposição de quadros, por meio de novo concurso público.
Segundo informações do próprio sindicato, o pedido que tramita no MPDG é para o preenchimento de 2.778 oportunidades, o que corresponde a apenas um pouco mais que o total de aposentadorias previstas para o próximo ano. .
De acordo com a FenaPRF, o órgão tem pretensão de formar quatro novas turmas ainda em 2018. A PRF argumentou em seu pedido que nos últimos quatro anos uma grande quantidade de servidores se aposentou o que deixou uma lacuna de quase 3.000 postos e que isso tem prejudicado a segurança nas rodovias.
APOSTILA CONCURSO PRF - POLICIAL RODOVIÁRIO
CURSO ONLINE PRF - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL 

No mesmo memorando encaminhado ao Planejamento, foi sugerido que seja autorizado um concurso público sempre que o número de postos vagos exceder a 5% dos respectivos cargos ou com menor número, de acordo com a necessidade e critério do Ministério da Justiça.

Vale lembrar que, no sentido de agilizar o processo, a PRF já conta com uma minuta do edital pronta, elaborada desde o final de 2016, com o objetivo de permitir que o concurso possa ser iniciado imediatamente após a eventual autorização do MPDG.

Para concorrer ao cargo de policia rodoviário é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A jornada de trabalho dos servidores é de 40 horas semanais.


Ads

Vagas na Polícia Rodoviária Federal

A PRF solicitou 2.778 vagas. Agora só falta a autorização do concurso. Antecipe seus estudos e garanta sua vaga com quem é especialista em aprovação. Passa na Central que você passa. Confira.

Valorização profissional na PRF


Um ponto importante é que a carreira passa por um processo de valorização, em decorrência da lei 13.371, sancionada pelo presidente Michel Temer em 15 de dezembro, que concede aumentos progressivos para a corporação. Com isto, o inicial, que era de R$ 7.167,91, incluindo salário de R$ 6.719,91 e o auxílio-alimentação de R$ 458, a partir de janeiro passou a ser de R$ 9.491,98, já com o adicional.

Além disso, a carreira contará com mais dois reajustes, em janeiro de 2018 e janeiro de 2019, com iniciais passando, respectivamente, para R$ 9.931,57 e R$ 10.357,88, com o atual valor do auxílio.

Atribuições do policial rodoviário


Cabe ao servidor da área desenvolver atividades de natureza policial, envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

Concurso anterior


O último concurso da PRF para o cargo de policial rodoviário ocorreu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB. Ao todo foram registrados 109.769 inscritos para a oferta de 1.000 vagas. A seleção contou com prova objetiva, exame discursivo, teste de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.

A parte objetiva contou com 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Conhecimentos básicos contou com temas sobre língua portuguesa, matemática, noções de direito constitucional, ética no serviço público e noções de informática. Já em conhecimentos específicos, noções de direito administrativo, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação especial, direitos humanos e cidadania, legislação relativa ao DPRF e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.

Atualizado: 30/11/2017 - 11:30

Concurso em Pé de Serra/BA reúne 62 vagas

Os salários iniciais oferecidos pela Prefeitura Municipal de Pé de Serra chegam a R$ 6 mil. As inscrições serão recebidas até o dia 6 de dezembro

Todos os níveis

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

Serão aceitas até o dia 6 de dezembro as inscrições do concurso público da Prefeitura Municipal de Pé de Serra, localizada no Estado da Bahia. A seleção visa o provimento de 62 vagas do seu quadro de pessoal. 
Aqueles que têm o ensino fundamental podem se inscrever para as funções de auxiliar de serviços gerais (10 vagas), gari (2) e guarda municipal (1). 
Para ensino médio, as chances são para os empregos de agente de tributos (1), auxiliar administrativo (5), auxiliar de ensino (2), fiscal de tributos (1) e motorista (5). 
Os cargos de auxiliar de enfermagem (1), eletricista (1), técnico agrícola (1), técnico em contabilidade (1) e técnico em enfermagem (5) exigem curso técnico.  
Nível superior é requisito para os postos de agente de fiscalização sanitária (1), assistente social (2), enfermeiro (2), médico clínico geral (10), nutricionista (2), odontólogo (1), pedagogo (1), professor (6) e veterinário (1). 
Os salários iniciais oferecidos pela Prefeitura de Pé de Serra oscilam entre R$ 937 e R$ 6.000. 

Participação no concurso da Prefeitura de Pé de Serra


As inscrições devem ser realizadas no endereço eletrônico www.idmconcursos.com.br. Os valores da taxa são de R$ 50 para ensino fundamental, R$ 60 para nível médio/técnico e R$ 100 para formação superior. 
Todos os candidatos serão avaliados por meio de prova objetiva. Ela será composta por questões de múltipla escolha que versarão sobre as disciplinas de língua portuguesa, matemática, informática, conhecimentos gerais, conhecimentos pedagógicos e/ou conhecimentos específicos. As informações sobre o dia, horário e locais de realização do exame serão divulgadas em momento oportuno. 
A etapa final do concurso da Prefeitura de Pé de Serra será a análise de títulos, exclusiva para a profissão de professor. 

Atualizado: 30/11/2017 - 09:07

Concurso PM/MA: prazo para 3.667 vagas termina hoje

Edital do concurso da PM/MA conta com 3.571 postos de soldado, que cobra ensino médio, e 96 de tenente, que pede curso superior, para o quadro de oficiais da saúde

Salários de até R$ 6,9 mil

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Chegam ao fim às 18h desta quinta-feira (30) as inscrições do concurso da PM/MA (Polícia Militar do Maranhão). A seleção preencherá 3.667 vagas em todo o Estado, sendo 1.214 imediatas e 2.453 para formação de cadastro reserva (CR). Do total de ofertas em disputa, 5% são exclusivas a negros e 5% a pessoas com deficiência.

Destinada a candidatos com ensino médio e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria "A" ou "B", a carreira de soldado (1.171 postos + 2.400 CR) paga R$ 4.019,62.

Há ofertas como primeiro tenente do quadro de oficiais da saúde no concurso da PM/MA para cirurgião dentista (15 + CR 17), médico (20 + 22 CR), veterinário (3 + 7 CR) e psicólogo (5 + 7 CR), com salário inicial de R$ 6.913,74. Os candidatos devem possuir curso superior.

Concurso PM/MA: inscrições e provas

Os interessados devem se inscrever no concurso da PM/MA por meio do site http://www.cespe.unb.br/concursos/pm_ma_17. O valor da taxa é de R$ 100 para soldado e R$ 150 para tenente.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA PM/MA - SOLDADO E 1º TENENTEAULÃO ONLINE E GRATUITO - SOLDADO E 1º TENENTE
O processo seletivo envolverá seis etapas. Na primeira delas, em 28 de janeiro, os candidatos farão prova objetiva com 120 questões de múltipla escolha sobre conhecimentos gerais e específicos. A avaliação ocorrerá em Caxias, Imperatriz e São Luís.
Nas demais fases, haverá: exames médicos e odontológicos; teste de aptidão física; exame psicotécnico; investigação social; e curso de formação.


Ads

Apostilas de Soldado PM-MA

Comece a estudar já com os mais completos e atualizados materiais e garanta uma boa preparação neste concurso! Confira aqui.



O concurso da PM/MA terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão, conforme estabelece o edital.

Atribuições do soldado no concurso da PM/MA

Executar diretamente as ações e operações Policiais Militares, materializando a atividade-fim da Polícia Militar do Maranhão, ou seja, o policiamento ostensivo geral fardado e a preservação da ordem pública, por meio do emprego preventivo e(ou) repressivo, objetivando proteger a incolumidade física das pessoas e os bens públicos e(ou) privados contra qualquer ato delituoso; conduzir, devidamente habilitados, veículos oficiais, guardar e zelar pela sede de quartéis e dos três poderes do estado e realizar a segurança pessoal dos chefes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário; realizar a segurança externa de penitenciárias; fazer o policiamento de trânsito e a fiscalização nos municípios conveniados, além de exercer suas atividades a qualquer dia e hora, visando a manutenção da ordem.

APOSTILAS PM/MA - SOLDADO
PROVA ANTERIOR

Prova concurso PM/MA: conteúdo de conhecimentos gerais para soldado


Língua portuguesa - 1 Compreensão e Interpretação de textos. 2 Conhecimentos morfológicos, sintáticos e semânticos voltados para o entendimento textual. 3 Atividades de reescritura. 4 Linguagem própria e figurada. 5 Níveis de linguagem. 6 Tipos de modos textuais. 7 Pontuação e Ortografia.

Raciocínio lógico e quantitativo - 1 Estruturas lógicas; lógica de argumentação. 2 Diagramas lógicos. 3 Trigonometria. 4 Álgebra linear. 5 Probabilidades. 6 Combinações. 7 Arranjos e permutação. 8 Geometria básica.

História do Brasil - 1 A contribuição dos índios e negros para a formação do Brasil; A formação do Brasil Contemporâneo; A República Velha e as estruturas oligárquicas; Economia e Sociedade: o café e estratificação social; A Revolução de 1930; A Era Vargas: política, economia e sociedade; O período democrático (1945 a 1964). 2 A redemocratização do Estado e a constituição de 1946. 3 A política de industrialização do governo JK. 5 A crise do regime democrático. 6 O golpe de 1964. 7 A crise do regime militar e a redemocratização. 8 O Brasil político: nação e território. 9 Organização do Estado Brasileiro. 10 As Constituições.

História do Maranhão - 1 França equinocial: expedição de Daniel de La Touche. 2 Fundação de São Luís. 3 Batalha de Guaxenduba. 4 Capitães-mores do Maranhão. 5 A invasão holandesa. 6 A expulsão dos holandeses. 7 O Estado do Maranhão e Grão-Pará: a Revolta de Bequimão. Causas. Companhia de Comércio do Maranhão e Grão-Pará. Os objetivos da Revolta. 8 Período do Império: adesão do Maranhão. 9 A Independência do Brasil. Causas da não adesão: a batalha do Jenipapo. 10 A Balaiada: caracterização e causas do movimento. 11 Período Republicano: adesão do Maranhão à República. 12 A Revolução de 1930 no Maranhão. 13 Os principais fatos políticos, econômicos e sociais ocorridos no Maranhão, na segunda metade do século XX.

Geografia do Brasil - 1 A integração ao processo de internacionalização da economia. 2 O processo de industrialização e suas repercussões na organização do espaço. 3 A rede brasileira de transportes e sua evolução. 4 A estrutura urbana brasileira e as grandes metrópoles. 5 A dinâmica das fronteiras agrícolas e sua expansão para o Centro-Oeste e a Amazônia. 6 A evolução da estrutura fundiária e problemas demográficos. 7 Os movimentos migratórios internos. 8 A população brasileira: distribuição dos efetivos demográficos no território nacional; evolução do crescimento ao longo do século XX; estrutura etária. 8 Integração entre indústria, estrutura urbana, rede de transportes e setor agrícola no Brasil. 9 Recursos naturais: aproveitamento, desperdício e política de conservação de recursos naturais.

Geografia do Maranhão - 1 Localização do Estado do Maranhão: superfície; limites; linhas de fronteira; pontos extremos; Áreas de Proteção Ambiental (APA). 2 Parques nacionais. 3 Climas do Maranhão: pluviosidade e temperatura. 4 Geomorfologia. 4.1 Classificação do relevo maranhense: planaltos, planícies e baixadas. 5 Características dos rios maranhenses: bacias dos rios limítrofes: bacia do Parnaíba, do Gurupi e do Tocantins-Araguaia. 6 Bacias dos rios genuinamente maranhenses. 7 Principais formações vegetais: floresta, cerrado e cocais. 8 Geografia da População: população absoluta; densidade demográfica; povoamento; movimentos populacionais. 9 A agricultura maranhense: caracterização e principais produtos agrícolas; caracterização da pecuária. 10 Extrativismo: vegetal, animal e mineral. 11 Parque industrial: indústrias de base e indústrias de transformação. 12 Setor terciário: comércio, telecomunicações, transportes. 13 Malha viária. 14 Portos e aeroportos. 15 A cultura maranhense.

Confira o conteúdo programático completo do concurso da PM/MA

Atualizado: 29/11/2017 - 14:52

PC/BA: governador confirma edital para dezembro

Do total de oportunidades, 880 serão para o cargo de investigador, 82 para delegado e 38 para escrivão. Banca deve ser confirmada nos próximos dias

1.000 vagas

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

O governador da Bahia, Rui Costa, confirmou, na última terça-feira, 28 de novembro, durante o programa Papocorreria, transmitido por uma rede social, que o edital do novo concurso público da  Polícia Civil da Bahia (PC/BA) será efetivamente publicado na segunda quinzena de dezembro. Segundo ele, a liberação depende apenas da confirmação da banca organizadora, que deve ser anunciada nos próximos dias. A oferta será de nada menos do que mil vagas, sendo 880 para o cargo de investigador de polícia, 82 para delegado e 38 para escrivão

Para concorrer aos três cargos costuma ser exigida formação de nível superior, sendo sem distinção de áreas para investigador e escrivão e somente para formados em direito no caso de delegado. No último concurso da corporação para estes cargos, as remunerações iniciais foram de  R$ 2.665,91 para investigador e escrivão e podiam chegar a R$ 9.155,28 para os delegados, incluindo vencimento básico e Gratificação de Atividade Jurídica (GAJ).
APOSTILAS PC/BA - DELEGADO/ INVESTIGADOR E ESCRIVÃO
A corporação solicitou a abertura do concurso para delegados, investigadores e escrivães em virtude de aposentadorias, exonerações e falecimentos de policiais. O pedido passou por análise da Secretaria de Administração quanto ao número de vagas disponíveis nas carreiras e pela avaliação da Diretoria de Planejamento Orçamentário, para verificar a disponibilidade orçamentária e financeira. 
A previsão é de que os aprovados sejam nomeados em julho de 2018. Durante o processo de seleção, os interessados serão submetidos a provas objetivas e discursivas.  Além disso, passarão por exames médicos e testes de aptidão física, ambas também com caráter eliminatório. A seleção também contará com exames psicotécnicos e investigação social. 

Último Concurso

A última seleção para estas carreiras, realizada em 2013, foi organizada pelo Cespe/UnB
Para todos os cargos, as provas escritas contaram com 100 questões, sendo 30 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos, além de duas questões discursivas. Para os delegados também foi aplicada uma peça cautelar. Além disso, os participantes foram submetidos a exame biomédico, avaliação psicotécnica, análise de títulos e investigação social
A parte de conhecimentos básicos, para todos os cargos, contou com questões sobre língua portuguesa, informática, promoção da igualdade racial e de gênero e medicina legal.
Em conhecimentos específicos para delegados, direito penal, direito processual penal, legislação penal e processual penal extravagante, direito constitucional, direito administrativo, noções de direito civil, noções de direito eleitoral e noções de direito agrário.
Para investigador e escrivão, em conhecimentos específicos, noções de direito penal, noções de direito processual penal, noções de direito constitucional e noções de direito administrativo.  

Atualizado: 29/11/2017 - 12:43

Polícia Civil/RS: assinado contrato para 1.300 vagas

Do total de oportunidades, 1.200 serão para os cargos de investigador e escrivão, além de 100 para delegado, todos com exigência de nível superior. Iniciais até R$ 17,6 mil

Editais nos próximos dias

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul (PC/RS)  já assinou o contrato com a banca organizadora do seu novo concurso público, que contará com uma oferta de 1.300 vagas, sendo 1.200 destinadas para os cargos de escrivão e inspetor, ainda sem confirmação de quantas para cada, além de 100 para a carreira de delegado. A empresa, decidida por dispensa de licitação, será a Fundação Universidade Empresa de Tecnologia e Ciências (Fundatec). Para as carreiras de escrivão e inspetor, o contrato com a empresa já havia sido assinado no último dia 22. Agora, nesta quarta-feira, dia 29, foi publicada a assinatura do contrato para a carreira de delegado. Com isto, a publicação dos editais pode ocorrer já nos próximos dias, ainda no início de dezembro.

Para concorrer aos três cargos é necessário possuir formação de nível superior, podendo ser em qualquer área para os cargos de investigador e escrivão e somente em direito para delegado. As remunerações iniciais são de R$ 5.180,71 para investigador e escrivão e R$ 17.658,41 para delegado.

Ads

Vagas da Polícia Civil!   

Em breve será aberto o concurso da Polícia Civil do Rio Grande do Sul para Escrivão, Inspetor e Delegado. Acesse aqui e prepare-se



Concurso Anterior

A última seleção do órgão ocorreu em 2013, quando foram oferecidas 700 vagas, para os cargos de escrivão e investigador, com 350 cada. A banca organizadora, na ocasião, foi a Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH).
A seleção foi composta de duas partes, ambas com questões objetivas. A primeira contou com 30 questões de língua portuguesa e uma redação. Na segunda foram 50 temas de direito penal, direito processual penal, direito constitucional, direito administrativo, direitos humanos, informática e conhecimentos gerais.
CURSO PC/RS - ESCRIVÃO, INSPETOR E DELEGADO    

Atualizado: 29/11/2017 - 11:40

Polícia Civil/SP: editais logo após escolha da banca

A expectativa é de que os editais para os novos concursos da corporação possam ser publicados já a partir de dezembro. Comissões já estão constituídas. Níveis médio e superior, com iniciais até R$ 10 mil

2.750 vagas

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

De acordo com o delegado divisionário de polícia da Secretaria de Concursos Públicos da Academia de Polícia (Acadepol) da Polícia Civil de São Paulo (PC/SP), Pedro Tonelli Neto, embora as comissões dos novos concursos públicos da corporação já estejam constituídas, os nomes dos membros que compõem as bancas ainda não podem ser anunciados, pois dependem de oficialização. Ele explica que o próximo passo para a publicação dos editais de abertura de inscrições agora depende da Divisão de Administração da Acadepol, a quem caberá decidir como será feito o processo de contratação da empresa responsável pela aplicação das provas. Segundo informações obtidas junto ao setor, ainda está sendo decidido se haverá licitação ou dispensa de licitação para a escolha da empresa. Caso a contratação ocorra de forma direta, o processo poderá ocorrer de forma mais rápida, permitindo o início da publicação dos editais já em dezembro, como anunciado em agosto pelo secretário Estadual de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho. 

Ao todo serão oferecidas 2.750 vagas, sendo 1.100 para cargos com exigência de ensino médio e 1.650 para carreiras com necessidade de nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 10.142,55.

Investigador e escrivão - provas no mesmo dia

Embora ainda não esteja confirmado se todos os editais serão publicados na mesma data, a tendência é de que isto ocorra, uma vez que, em declaração recente, o secretário segurança disse que existe a intenção de que os candidatos tenham que optar por apenas uma carreira, no sentido de evitar, posteriormente, que os aprovados para determinado cargo não assumam, por também ter sido aprovados em outro cargo.  

Já está certo que ao menos para as carreiras de investigador e escrivão as provas deverão ser aplicadas no mesmo dia, conforme oficializado pela resolução SSP-118, publicada em diário oficial em 9 de novembro. O documento especifica que, nos concursos, as provas dissertativas, quando ocorrerem, deverão valer 100 pontos, com um mínimo de 50 para a aprovação, devendo ser considerado o conhecimento e a utilização da língua portuguesa.

A resolução também diz que “quando houver abertura simultânea de concursos para as carreiras de investigador e de escrivão de polícia, as respectivas provas escritas serão realizadas na mesma data e horário”.

Prepare-se para o concurso da Polícia Civil SP 

PROVA ANTERIOR DA PC/SPCURSO PC/SP - AGENTE / INVESTIGADOR E ESCRIVÃO 

Ensino médio

No caso de ensino médio, as vagas autorizadas para os novos concursos da PC/SP serão para os cargos de agente de telecomunicações (com 300 vagas), agente de polícia (400), papiloscopista policial (200) e auxiliar de papiloscopista, também com 200.

Para os cargos de agente policial e auxiliar de papiloscopista, a remuneração inicial é de R$ 3.428,38, incluindo o salário de R$ 2.793,60 e o adicional de insalubridade de R$ 634,78. Para papiloscopista e agente de telecomunicações, iniciais de R$ 4.086,56, incluindo salário de R$ 3.451,78 e os R$ 634,78 de insalubridade.

A diferença salarial entre os cargos de agente policial e auxiliar de papiloscopista para os papiloscopistas e agente de telecomunicações se deve à lei complementar 1.249, de 3 de junho de 2014, que alterou de ensino fundamental para médio a exigência de ingresso para os cargos de agente, atendente de necrotério e auxiliar de papiloscopista, sem compatível alteração salarial.



Ads

Comece sua carreira na Polícia Civil

A Central vai ajudar você a passar no concurso da Polícia Civil de São Paulo. Aproveite os descontos especiais. Passa na Central que você passa. Confira.


Nível superior

Em caso de nível superior, a autorização é para os cargos de investigador de polícia (600 vagas), escrivão (800) e delegado (250). A remuneração inicial para os cargos de investigador e escrivão é de R$ 4.194,76, já considerando o complemento, enquanto para delegado é de R$ 10.142,55, também considerando o adicional de insalubridade.
Veja também: o que fazem o escrivão e o investigador de polícia   

Ações judiciais

A necessidade de pessoal é reconhecida, inclusive pela própria Secretaria de Segurança Pública (SSP/SP) que, em 2013, divulgou uma resolução especificando o número mínimo de servidores necessários em cada delegacia. Três anos depois, em 2016, sem conseguir cumprir a própria determinação, a medida foi revogada, o que vem ocasionando medidas judiciais contra o governo.
Das diversas ações que estão sendo encaminhadas para o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP), uma primeira decisão deu parecer contra o governo, em maio. De acordo com a juíza Juliana Maria Finatti, a segurança é um direito constitucional do cidadão e um dever do estado.  Segundo seu parecer, o governo deverá garantir à delegacia de Águas de Lindóia um mínimo de 22 policiais. Na sentença, a juíza ressalta que “certo é que a resolução foi revogada. No entanto, a obrigação do estado não advém apenas de um ato normativo, mas da Constituição Federal, que institui a segurança pública como um direito fundamental do estado”. 
APOSTILA CONCURSO POLÍCIA CIVIL/SPCURSOS ONLINE PC/SP - AGENTE/ ESCRIVÃO/ PERITOCRIMINAL/ INVESTIGADOR/ DELEGADO
Na decisão, rebateu argumentos do Estado, alegando que o pedido de reforço de policiais por parte do Ministério Público feria o princípio constitucional da divisão de poderes. “Nem se diga que haja ingerência indevida do judiciário em assunto exclusivo do Poder Executivo, pois isso não se dá neste caso, onde se determina a implementação de políticas públicas para assegurar direitos fundamentais do cidadão, como a segurança”, disse.

Com a decisão, o governo deve reservar para Águas de Lindóia, nas próximas nomeações, sete investigadores, cinco escrivães, quatro agentes, um auxiliar e três carcereiros, sob pena diária de R$ 1.000 em caso de descumprimento.
Outros casos estão ocorrendo no estado. No final de junho, o juiz Wander Pereira Rossette Júnior, da Vara da Fazenda Pública de Piracicaba, no interior paulista, determinou que o governo providencie, dentro de um prazo de seis meses, a nomeação de 100 policiais, em decisão também obtida pelo Ministério Público, que investigou o déficit de servidores. 

As regiões de Leme e Jales, no interior, também já conseguiram liminares, obrigando o estado a contratar servidores, e diversos outros municípios contam com ações em andamento, incluindo São José do Rio Preto, Dracena, Ilha Solteira, Itapura, Lindóia e Jacareí.   
Mesmo confirmando a realização de estudos, já em andamento, para os novos concursos, a SSP/SP ressalta que “o estado deve obedecer aos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal e, para toda contratação, deve ser observado seu impacto financeiro”.

Reestruturação na Polícia Civil/SP


Vale lembrar que  tramita na Alesp o projeto de lei complementar 37/2016, do deputado Campos Machado (PTB) que visa instituir a lei orgânica da polícia do Estado de São Paulo. Um dos objetivos da proposta é reestruturar o quadro de servidores da Polícia Civil/SP, com  a criação de uma nova carreira, de agente de polícia que, caso aprovado o projeto, substituirá as atuais funções de agente policial, auxiliar de papiloscopista, atendente de telecomunicações, fotógrafo técnico pericial, desenhista técnico pericial, atendente de necrotério e auxiliar de necropsia. 
Veja mais informações sobre o projeto de lei clicando aqui.
A proposta, que tramita em regime ordinário, está na Comissão de Constituição, Justiça e Redação, desde 8 de setembro, onde recebeu, em 4 de abril, parecer do relator, deputado Marcos Zerbini (PSDB), contrário  à aprovação da proposta. 

Para ser votada em plenário, também deverá ser votada, ainda, pelas Comissões de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários; e de Finanças, Orçamento e Planejamento. 

Dicas para ser aprovado no concurso da Polícia Civil/SP


Em primeiro lugar, deve ouvir o seu coração. Se ele disser que é esse concurso que deve prestar, preste-o, sem medo de ser feliz. Mas para isso, alguns requisitos são obrigatórios: 
1) Estudar o edital, pois nele constam informações importantíssimas que regulamentam o seu concurso. Lembre-se que vigora o princípio da legalidade do edital - é a lei das leis; 
2) Procurar um curso preparatório, pois todos sabemos a dificuldade que os candidatos enfrentam quando se deparam com textos técnicos de lei. No curso, principalmente presencial, os professores lhes passarão todas as dicas para a obtenção do sucesso, bem como estarão lhes apoiando em tudo que for necessário; 
3) Resolver muitas questões, pois somente assim conseguirá perceber o perfil da banca examinadora. 
Apenas a título de ilustração, falo aos meus alunos o seguinte: imaginem que vocês tenham apenas 30 dias para estudar. Façam um teste de resolver apenas 20 questões por dia. Com isso, ao final do mês, terá resolvido 600 questões. Agindo assim, percebam e imaginem o que vocês são capazes de fazer em seis meses! 
Outro ponto: não se esqueçam que não podem estudar somente as matérias que lhes agradam, devem estudar todas as matérias que constam no edital. A exemplo do direito penal,percebemos que a banca examinadora, Vunesp, que elabora os concursos da Polícia Civil em São Paulo, gosta de pedir os crimes contra a administração pública, a exemplo de Peculato, Concussão, Excesso de Exação, Prevaricação, Corrupção Passiva, dentre outros. A organizadora também costuma pedir recentes alterações, portanto, você deve estar sempre atualizado. O estudo não é difícil, basta ter um pouco de força de vontade e muita disciplina. Com vontade, disciplina, foco e determinação, tudo isso somado às dicas passadas pelos professores no curso preparatório, o seu sucesso será garantido, é apenas questão de tempo. 
Salienta-se que o erro do candidato é estudar apenas quando tem edital aberto. Isso não pode acontecer. O estudo é para sempre.Deve estudar e angariar conhecimento, porque quando sair o edital, terá tempo de fazer apenas uma revisão num curto espaço de tempo. Não entrem no clima de discursos políticos, tais como: "não vai abrir concurso"ou"vai abrir concurso" etc. Estude, porque é a melhor coisa que pode fazer por você. Invista no conhecimento, até mesmo porque é a única coisa de real valor que carrega consigo. Para ficar mais fácil o vosso estudo,verifique uma pessoa de sucesso que muito admira e espelhe-se nela; procure descobrir o que ela fez para obter sucesso e chegar lá–licitamente, é claro! Tenho certeza que isso lhes fará muito bem. 
Não se preocupe o que vai acontecer quando passar, pense em acontecimentos maravilhosos e você trabalhando com sentimento de humanidade e justiça,rumo a um mundo melhor. Digo-lhes uma coisa: não há sensação melhor do que você comemorar a vitória que você mesmo trabalhou para consegui-la,pois o mérito é todo seu, de mais ninguém. A Polícia Civil/SP possui,além dos Distritos da Capital que investigam os crimes ocorridos no âmbito das suas respectivas circunscrições, as especializadas, tais como: Da Mulher, DEAM - Delegacia de Explosivos e Armas e Munições, Do Consumidor, Grupo Especial COPE, Grupo Especial TIGRE, NUCIBER - Grupode Combate aos Cibercrimes, Proteção ao Meio Ambiente, SICRIDE - Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas,Lavagem de Dinheiro, GARRA -Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos, Divisão de Narcóticos,Corregedoria, dentre outras. Afirmo-lhesque possui diversos lugares bastante atraentes para trabalhar com satisfação pessoal. 
Por isso, queridos concurseiros, persistam com heroísmo, não apenas para encontrar uma nova verdade, mas também para ter coragem de agir de acordo com essa visão. Corram atrás dos seus sonhos, vocês são merecedores. Sejam heróis e iniciem já os vossos estudos. A maioria das pessoas sabe que heróis matam dragões, salvam donzelas etc., e sua jornada consiste sempre num final feliz. O vosso final será muito feliz também, basta ter um projeto de vida e começar a grande e gratificante jornada. Não pensem que as suas jornadas não são importantes, comemorem e agradeçam cada passo, porque, afinal, vocês foram os autores. Sejam autores de suas próprias histórias e sintam o seu gostinho. Desapeguem do que não lhes faz bem e iniciem AGORA. 
Rodrigo Castello, professor de direito penal e processo penal na Central de Concursos

Polícia Civil/SP: concurso autorizado com 2.750 vagas


Atualizado: 27/11/2017 - 09:16

Concurso PC/SC: prazo para 394 vagas termina hoje

Com exigência de curso superior, ofertas no concurso da Polícia Civil de Santa Catarina (PC/SC) apresentam vencimentos iniciais que alcançam R$ 5,3 mil

Agente e escrivão

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Chegam ao fim às 16h desta segunda-feira (27) as inscrições do concurso da Polícia Civil de Santa Catarina (PC/SC) para preenchimento de 394 vagas nas funções de agente e escrivão.

São 200 postos para agente de polícia e 194 para escrivão, com vencimentos de R$ 3.842,20 e R$ 5.317,94, respectivamente. Do total de ofertas, a seleção reserva 20 chances a pessoas com deficiência.

Os candidatos devem possuir curso superior e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) a partir da categoria "B". As carreiras envolvidas no concurso da PC/SC serão distribuídas entre todo o Estado.

Como se inscrever no concurso da Polícia Civil de Santa Catarina


As inscrições para o concurso público da PC/SC têm taxa de R$ 120 e podem ser efetuadas pela internet (http://ssp.fepese.org.br/) ou pessoalmente.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA PC/SC - AGENTE E ESCRIVÃO DE POLÍCIA CIVILCURSO PC/SC - AGENTE E ESCRIVÃO
O atendimento presencial ocorre na sede da Fepese, localizada no campus Reitor João David Ferreira Lima da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Sobre as provas do concurso da PC/SC


O concurso da Polícia Civil de Santa Catarina envolverá cinco fases. Na primeira delas, os candidatos farão prova objetiva com 120 questões de múltipla escolha para escrivão e 110 para agente, em 16 e 17 de dezembro, respectivamente.
O conteúdo programático engloba língua portuguesa, informática, raciocínio lógico, legislação institucional e noções de direito (áreas constitucional, administrativo, penal processual, penal e direitos humanos), além de noções de arquivologia para escrivão.

Ads

Garanta sua vaga na PC-SC

A PC-SC está com centenas de vagas e temos os melhores materiais de estudos pra você. Prepare-se para sua aprovação. Confira aqui!  


  
A prova objetiva do concurso da PC/SC será aplicada em Chapecó, Criciúma, Grande Florianópolis, Itajaí, Joaçaba, Joinville, Lages e Tubarão. A opção por um dos municípios deverá ocorrer no momento da inscrição.

Nas demais fases, o processo seletivo terá: teste de capacidade física, avaliação de aptidão psicológica, investigação social e exame toxicológico. Estas etapas ocorrerão na apenas na capital.

Os candidatos aprovados em todas as etapas serão convocados para o curso de formação profissional ministrado na Academia da Polícia Civil (Acadepol), em Florianópolis. A escolha de vagas para lotação obedecerá à ordem de classificação final.
APOSTILAS PC/SC - ESCRIVÃO 

De acordo com o edital, o concurso da PC/SC terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Principais atribuições do agente de polícia no concurso da PC/SC


Conduzir viaturas policiais; Cumprir os horários estabelecidos, bem como concorrer à escala de serviço e operações especiais para as quais seja designado; Zelar pela manutenção das viaturas, dos equipamentos, armas e demais utensílios móveis e imóveis de sua unidade policial; Operar todos os equipamentos de comunicação disponíveis na unidade policial a que pertencer; Proceder à entrega de correspondências e intimações que lhe forem determinadas; Informar a unidade policial, através de relatório sobre a conclusão de diligências que lhe forem incumbidas; Velar permanentemente sobre todos os fatos e atos que possa interessar à prevenção e repressão de crimes e contravenções; Deter, apresentando à autoridade policial competente, quem quer que seja encontrado em flagrante delito; Permanecer em sua unidade policial durante o horário de trabalho, somente se ausentando quando autorizado ou nos casos previstos em lei ou regulamento; Guardar sigilo sobre serviços que lhe forem confiados; Dar ciência imediata à autoridade policial de fato ou ato delituoso; Zelar pela manutenção da ordem pública em geral; Cumprir com presteza as diligências e determinações superiores; Operar sistema de comunicação nas centrais de rádio da polícia civil; Controlar o tráfego de informações via rádio entre bases fixas, móveis e portáteis; Utilizar linguagem técnica na radiocomunicação; Zelar pelo equipamento de radiocomunicação; Organizar e manter atualizados mapas de localização de ruas e logradouros; Manter cadastro de endereços e telefones de todas as unidades policiais do Estado; Fazer, quando competente para tanto, a manutenção e conserto dos equipamentos de radiocomunicação; Desenvolver, sempre que possível, projetos, aplicativos e sistemas informatizados de interesse da Polícia Civil de Santa Catarina; entre outras atividades. 

Concurso Polícia Civil Santa Catarina: atribuições do escrivão


Cumprir ordens, despachos e outras determinações legais emanadas do Delegado de Polícia; Executar os trabalhos cartorários das unidades policiais; Cumprir os horários estabelecidos, bem como concorrer às escalas de serviços e operações especiais quando convocado; Conduzir viaturas policiais, quando necessário; Lavrar e subscrever os autos e termos de sua competência, adotados na atividade de Polícia Judiciária, de forma contínua, providenciando sua tramitação normal, sob orientação do Delegado de Polícia; Contribuir para a preservação do patrimônio da unidade policial e zelar pelos equipamentos e materiais sob sua responsabilidade; Adotar providências necessárias à expedição de mandados, dentre outros, de intimação às partes e requisição de servidores públicos, a fim de serem inquiridos; Expedir certidões e providenciar cópia de documentos, após deferimento do Delegado de Polícia; Providenciar o recolhimento da fiança arbitrada pela autoridade policial; Acautelar objetos e valores vinculados a procedimento investigatório, em conformidade com o despacho do Delegado de Polícia; Dar destinação a objetos e documentos vinculados a procedimentos policiais sob sua responsabilidade, cumprindo despacho do Delegado de Polícia; Providenciar guia de exame pericial, no curso do procedimento policial; Organizar mapas de estatística criminal e relatórios mensais das atividades do cartório sob sua responsabilidade e contribuir para a atualização dos arquivos da unidade policial; Impedir a retirada da unidade policial de autos de procedimentos policiais, sem a expressa autorização do Delegado de Polícia; Cumprir mandados de prisão, coordenar, participar de atividades operacionais, tais como: barreiras, operações de cumprimento de mandados de busca e apreensão; Cumprir, quando designado, mandados policiais e judiciais; Executar outras operações de caráter especial; Exercer atividades administrativas de interesse policial civil ou de segurança pública; e Exercer demais atribuições inerentes ao cargo ocupado, previstas em lei ou regulamento da  PC/SC.

Atualizado: 21/11/2017 - 11:41

Concurso PM/AM: comissão altera idade de ingresso

O edital do concurso da Polícia Militar do Amazonas (PM/AM) deve disponibilizar oportunidades para as carreiras de soldado e oficial. Níveis médio e superior de ensino

5.865 vagas este ano

Por JCConcursos - Camila Diodato

Previsto para ser lançado até dezembro, o edital do concurso da Polícia Militar do Estado do Amazonas (PM/AM) pode contar com uma alteração. Acontece que a Comissão de Finanças Públicas (CFP), da Assembleia Legislativa do Estado, aprovou um projeto de lei que amplia a idade máxima para ingresso no órgão, que passará dos 28 para os 35 anos de idade.
Agora, o documento será analisado pela Gerência de Comissões e, em seguida, retornado para a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) para um ajuste.
Este concurso da PM/AM foi anunciado em 2014 pelo então governador José Melo. Recentemente, a Secretaria de Segurança Pública (SSP/AM) divulgou que o certame terá um total de 5.865 vagas  e que poderá sair ainda este ano.
Por enquanto, não foram revelados detalhes sobre a triagem da seleção e nem já foi iniciado o processo de escolha da banca organizadora. A expectativa é de que o processo seletivo ofereça chances nas carreiras de soldado e oficial, que foram as apresentadas anteriormente pelo então governador do Estado.
O posto de soldado destina-se aos profissionais com ensino médio completo, enquanto a função de oficial poderá exigir de nível médio ou superior, de acordo com a especialidade a ser oferecida.

Último concurso da PM/AM


Em 2011, a Polícia Militar lançou concurso com 2.473 vagas, sendo 2.000 para soldado, 29 para praça especialista, 39 para oficial de saúde e 405 para oficial combatente. O processo seletivo foi organizado pela Fundação Instituto Superior de Administração (Isae).
O posto de soldado destinou-se aos candidatos com nível médio e com altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres. A remuneração foi de R$ 1.104,81 durante o curso de formação e de R$ 1.637,33 após a conclusão.
As ofertas para oficial combatente estavam divididas da seguinte maneira: 167 para os que fizeram o curso de formação de oficial PM; 188 para as pessoas com graduação em direito; e 50 para os candidatos com ensino médio. Para esta função também foi exigida carteira de habilitação. Durante o curso de formação os oficiais receberam R$ 3.274,66 e depois que passaram a aspirante começaram a ganhar R$ 3.400,60.
Com exigência de nível médio e vencimento inicial de R$ 1.685,06, a carreira de praça especialista estava distribuída entre as funções de auxiliar de enfermagem (10), auxiliar de odontologia (6), auxiliar veterinário (3) e músico instrumentista com especialidade em clarinete (3), saxofone (1), trombone (2), trompa (2) e corneta (2).
Para oficial de saúde, havia 18 chances para médico em diversas especialidades, oito para dentista, uma para veterinário, uma para farmacêutico-bioquímico, quatro para enfermeiro, cinco para psicólogo e duas para fisioterapeuta. Tais cargos necessitaram de curso superior completo e o salário base inicial correspondia a R$ 3.600,40.
O processo de triagem para todos os participantes do concurso da PM do Amazonas constou de prova objetiva, inspeção de saúde, teste de aptidão física, avaliação psicológica, apresentação de documentos, curso de formação e investigação social, funcional, cível e criminal. Fora essas etapas, alguns cargos de praça especialista passaram por exame prático.
As avaliações aconteceram nos municípios de Barcelos, Boca do Acre, Coari, Eirunepé, Humaitá, Itacoatiara, Lábrea, Manaus, Manacapuru, Parintins, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga e Tefé.

Atualizado: 17/11/2017 - 11:45

Concurso Polícia Federal: novo diretor admite carência

Novo diretor-geral, Fernando Segóvia, reconhece necessidade de contratação de pessoal. Expectativa de concurso para agente, escrivão, delegado e perito, todos de nível superior. PF aguarda apenas liberação de verbas.

Iniciais até R$ 22,1 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Em entrevista coletiva no último dia 14 de novembro, o novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Fernando Segóvia, que foi empossado no cargo em 10 de novembro, admitiu a carência de pessoal no órgão, em especial para a carreira de delegado de polícia, o que tem, inclusive, causado morosidade em investigações da Operação Lava Jato. “Foi detectado que uma falta de contingente da PF tem deixado uma velocidade de produção um pouco menor do que talvez fosse necessário”, disse. “Houve até uma reclamação de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de que algumas investigações nossas da PF junto ao Supremo estavam quase paradas. Então, há uma necessidade hoje de ampliação do número de delegados para que as investigações tenham uma velocidade maior”, disse.

O órgão, que desde 2014 já não precisa mais de autorização por parte do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) para dar início a seus concursos públicos, devido ao decreto 8.326, de 10 de outubro de 2014, aguarda apenas um parecer do MPDG, atestando as condições financeiras para a contratação dos aprovados no novo certame. O processo tramita internamente dentro do ministério e atualmente está em análise na Divisão de Concursos do MPDG, desde 17 de outubro.

A corporação pretende preencher nada menos do que 1.758 postos, sendo 600 para o cargo de escrivão, 600 para agente, 491 para delegado e 67 para perito.

No caso de delegado e agente, o processo de liberação de verbas para a realização do concurso já tramita desde 2015, enquanto para as carreiras de escrivão e agente uma nova solicitação de verbas foi encaminhada posteriormente. 

Ainda de acordo com o decreto 8.326, a PF pode iniciar novo certame para seus cargos sempre que o quadro de pessoal contar com uma defasagem de pelo menos 5% dos servidores.


Ads

Polícia Federal - Acreditamos no seu sonho e temos as ferramentas para você mudar de vida

O material certo, feito por um time de profissionais especializados. Confira.

Para concorrer aos cargos de agente e escrivão basta possuir curso de nível superior em qualquer área de formação. Para perito, nível superior em áreas específicas, e para delegado, superior em direito, com pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial, comprovados na data da posse. Para todos os cargos, os aprovados também deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse.

Normalmente, a lotação é feita preferencialmente nos postos de fronteira e nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de pessoal nestas localidades. Obedecidas estas condições, o preenchimento pode ser feito em todos os estados, de acordo com as necessidades.

A aplicação das provas da PF costuma ser feita em todas as capitais, exceto o exame oral, que ocorre somente em Brasília.

Valorização profissional na PF

Um ponto importante é que o novo concurso da Polícia Federal ocorre em um momento de valorização da categoria. Acontece que o presidente Michel Temer sancionou, em 15 de dezembro, a lei 13.371, que reajusta as remunerações dos cargos.

No caso de agente e escrivão, que contavam com inicial de R$ 9.160,20 até dezembro, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458, a partir de janeiro a remuneração passou para R$ 11.897,86, com o complemento. Além disso, as categorias contarão com mais dois reajustes, em janeiro de 2018 e janeiro de 2018, subindo, respectivamente, para R$ 12.441,26 e R$ 12.980,50.  

Videoaulas para Polícia 
Provas Anteriores da Polícia 
APOSTILA CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 
CURSO ONLINE COM AULÃO PF - AGENTE / DELEGADO / ESCRIVÃO / PERITO

Para perito e delegado, cujos iniciais, com o complemento, eram de R$ 17.288,85, em dezembro, a partir de janeiro passaram a ser de R$ 22.102,37. Além disso, as carreiras também contarão com mais dois reajustes, subindo para R$ 23.130,48 em janeiro de 2018 e R$ 24.150,74 em janeiro de 2019.

Para os dois cargos, a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Progressão

Os aumentos também repercutem nas categorias posteriores. Para os agentes e escrivães, na segunda classe, as remunerações, com o benefício, sobem para R$ 12.374,65, indo para R$ 12.940,69 em janeiro de 2018 e R$ 13.502,41 em janeiro de 2019. Para a primeira classe, R$ 14.405,33 este ano, R$ 15.067,83 em 2018 e R$ 15.725,27 em 2019. Na classe especial, R$ 17.497,24 este ano, R$ 18.306,60 em 2018 e R$ 19.109,79 em 2019.

Para perito e delegado, na segunda categoria, R$ 22.265,68 este ano, R$ 23.710,07 em 2018 e R$ 24.756,42 em 2019. Na primeira, R$ 25.897,24 em 2017, R$ 27.105,60 em 2018 e R$ 28.304,74 em 2019. Finalmente, na classe especial, R$ 28.720,24 este ano, R$ 30.062,70 em 2018 e R$ 31.394,91 em 2019.

Carência de servidores na PF


Mesmo com a perspectiva de novos concursos para o preenchimento de 1.758 vagas, a carência de pessoal da PF é considerada muito maior. De acordo com dados apontados pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Antônio de Araújo Boudens, durante o Fórum Nacional dos Concursos Públicos, realizado em 31 de agosto, em Brasília, a corporação conta com uma necessidade de nada menos do que 13.300 servidores. Além disso, segundo ele, caso o concurso para delegados não seja realizado o quanto antes, a carência de pessoal para o cargo pode chegar a 800 servidores nos próximos anos em decorrência de 400 aposentadorias previstas.

Prepare-se para o concurso da Polícia Federal

O presidente do Fenapref reforça que a maior necessidade na PF é para o cargo de agente que, conta com nada menos do que 6.400 postos em aberto, seguido da área administrativa, com necessidade de 5.300 servidores. Além disso, para escrivães são necessárias 1.200 contratações, além de 400 para papiloscopistas.

De acordo com o sindicalista, o governo cobra a proteção das fronteiras, o que se torna impossível sem que haja um quantitativo de pessoal adequado, bem como investimentos em tecnologia, o que considera impossível com um orçamento decrescente. Além disso, ressalta que o órgão não tem como abrir outras unidades de policiamento pela falta de pessoal para ocupar os respectivos postos. Explica que a PF não abre novas unidades há cinco anos, período no qual apenas foram reformados prédios. “Nenhum gestor tem coragem de abrir novas unidades da Polícia Federal em nenhum local do país, pois não temos efetivos, policiais e servidores administrativos para trabalhar nestas unidades”, diz. "As consequências disso são a não proteção da fronteira e o impedimento do órgão de oferecer um serviço com qualidade".             

Além disso, diz que muitas vezes tem sido divulgado que a Polícia Federal tem feito mais do que fazia antes, o que considera uma mentira. “Nós fazemos menos operações do que fazíamos, mas começamos a chamar de operação aquilo que realmente não é”, diz. “Antes havia um conjunto de ações contra o crime organizado que costumávamos chamar de ações, sempre com uma média de 150 a 200. Hoje qualquer intimação já é chamada de operação. Qualquer ação ordinária é chamada de operação para mascarar a realidade e mostrar que fazemos mais operações do que antes”, diz.

Delegado

Boudens aponta que, somente para o cargo de delegado existem, atualmente, 491 vagas em aberto, que a PF tem tentado suprir com a realização do novo concurso. “Isto representa 28% do nosso efetivo, ou seja, um terço do nosso efetivo vago e a consequência é evidente. Como cada delegado poderia fazer umas duas operações por ano, esta realidade representa, no mínimo, 800 operações a menos a cada ano”. Além disso, de acordo com ele, com a reforma da previdência e a possibilidade da extinção do abono de permanência, todo mundo que está com abono de permanência irá se aposentar, bem como aqueles que já possuem condições de pedir aposentadoria. Com isto, de acordo com ele, a perspectiva é de que, em um período de dois ou três anos, mais 400 delegados se aposentem.

A Polícia Federal, de acordo com ele, possui atualmente 180 mil investigações em andamento. “Nem todas as investigações viram ações. Precisamos delimitar as prioridades, mas dentro desta realidade de defasagem de pessoal, nem isto é possível. Por isto, a PF acaba mascarando números e de um total de duas mil por ano, acabamos fazendo aproximadamente 300”.

Dentro de um contexto histórico, diz que em 1978, a PF contava com 500 delegados. Já em 1995, os mesmos 500 delegados. Em 2000, eram 700 delegados no país. “Até então, as principais atividades eram o combate às drogas e garimpo. Mas era uma atividade bastante limitada e uma atuação muito aquém do que poderia ser feito. Em 2001 foi realizado um concurso para 500 delegados, quase dobrando o efetivo. Do concurso até aposse são quase três anos. Isso preocupa, pois como temos quase 400 que podem se aposentar nos próximos anos, se abrir um concurso hoje,ficaríamos com 800 vagas em aberto. Hoje temos 1.717 delegados em atividade. Tivemos concurso em 2001 e 2004 para mais 500 cada, dobrando o efetivo. Mas em 2009, o quadro foi congelado, quando estava com 1.852. Agora estamos em um processo de desmonte”, diz. “Em 2018 devemos voltar ater o efetivo que possuíamos em 2003”, reforça.

Administrativos

Já no quadro administrativo, diz que em 2004 o efetivo foi aumentado. “No FBI, por exemplo, para cada policial existem de seis a sete administrativos. No Brasil é o contrário. Em 2004 o efetivo cresceu, mas depois não foram feitos novos concursos e a PF passou a terceirizar as ações em aeroportos, o que não deu certo. Acabaram as terceirizações,mas não foram repostos os administrativos. Hoje, nosso quadro de administrativos é menor do que o de 2004, ao passo que as atribuições da PF aumentaram”. De acordo com ele, em 2014 aumentou um pouco pela substituição de alguns terceirizados.

Autonomia

O sindicalista ressalta, ainda, que a Polícia Federal conta com decreto de 2014 que permite a realização de concurso sem autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) sempre que a carência de pessoal chegar a 5% do quadro. Porém, diz que, na prática, o decreto não está funcionando, uma vez que para isto é preciso ter orçamento, atestado pelo MPOG. “Não adianta ter autorização para fazer o concurso se não há orçamento para isto”. A solução, segundo ele, seria conquistar a autonomia do órgão. Para isto, já existe, segundo ele, uma campanha neste sentido, desde dezembro de 2015. “Sem a autonomia, não conseguimos avançar. Nós sabemos que, muitas vezes, a Polícia Federal tem por ação investigar atos de desvios praticados por membros do governo. Por isto existe, sim, resistência por parte de grupos no poder, no sentido de controlar as atividades da Polícia Federal e não existe, em nenhum lugar no mundo, uma instituição que tenha por finalidade investigar os atos do governo que não possua autonomia".

Ressalta, ainda, que um avanço foi a lei 13.047, que determina que a direção da Polícia Federal compete aos delegados. “Com isto, conseguimos evitar que alguém de fora da instituição fosse nomeado para a direção geral e das atividades da PF. Até 2014, qualquer pessoa poderia ser nomeada como diretor da corporação. Mas ainda não conseguimos avançar com o fim dos cargos comissionados, que buscamos trocar por funções comissionadas, ou seja,exclusivas para preenchimentos por funcionários concursados de carreira”.

Últimos concursos da Polícia Federal

Com relação aos novos concursos previstos, para agente o último concurso ocorreu em 2014, quando foram registrados 98.101 inscritos para a oferta de 600 vagas. Para escrivão, a última seleção ocorreu em 2012, com 83.619 inscritos para 350 vagas. Para perito e delegado, os últimos certames ocorreram em 2012, com 35.800 inscritos para a oferta de 100 vagas de perito e 46.633 participantes para 150 postos de delegado.Para todos os cargos, a organizadora foi o Cespe/UnB.

Para perito, o concurso da Polícia Federal contou com provas objetivas e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. A parte objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Os aprovados em todas as fases foram submetidos a um curso de formação profissional.

No caso de delegado, o Cespe/UnB formulou provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico,avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso deformação. A parte objetiva contou com 120 questões e a discursiva, com três questões dissertativas e elaboração de peça profissional.
Para perito, as opções foram para áreas de ciências contábeis ou econômicas, engenharia em diversas especialidades, ciências da computação, geologia, química, biomedicina, medicina, odontologia e farmácia.

5 dicas de processo penal para delegado da PF

1. Estude,desde já, para a prova oral. O concurso conta com prova objetiva, prova discursiva e prova oral. É certo que a prova oral é a última delas,porém, para que você esteja bem preparado para uma prova oral, é necessário controle total da matéria. Logo, foque no controle total, lá na prova oral mesmo. Prepare o material, fale sozinho pela casa, ensine tudo sobre tentativa para seu cachorro. Vá por mim: além de estar mirando acima da maçã, você ainda estará fazendo uso de um dos melhores métodos de estudo. 
2. A prova da PF provavelmente será feita pelo Cespe, que merece muitos elogios, pois monta as questões com base nas atribuições do cargo a ser provido – quem dera todas as bancas fizessem assim! Considerando que estamos falando de prova para delegado da Polícia Federal, é óbvio que vão despencar questões sobre inquérito policial, visto que a vida do delegado é tocar inquérito para frente. Para você ter uma ideia, no último concurso para delegado da PF, das 26 questões de processo penal, 15 eram sobre inquérito policial. Essas você não pode errar!
3. Ainda com relação às atribuições do cargo, cuidado com o tema “provas”, principalmente a interceptação telefônica, um meio de prova que é recorrente em concursos públicos
4. A Operação Lava Jato está na mídia há um bom tempo e uma de suas características mais marcantes é a presença de acordos de delação premiada. Estude este tema!
5. Existem duas “polícias” essencialmente judiciárias no Brasil: Polícia Federal e Polícia Civil. Você sabe que as atribuições da Polícia Civil (estadual)são residuais, mas gigantescas, enquanto as atribuições da Polícia Federal são especiais e bem menores. Isto segue o padrão de todos os órgãos que têm paralelos na seara estadual e federal. Tal padrão se reflete no concurso de um modo muito simples: nas provas de órgãos federais, sempre caem questões sobre suas atribuições/competências. No último concurso, foram quatro questões que tangenciaram este tema.
Rodrigo Sengik, professor de processo penal no AlfaCon Concursos Públicos

Atualizado: 17/11/2017 - 10:11

Últimos dias do prazo para 6.630 vagas em 26 concursos

Oportunidades para cargos de todos os níveis escolares nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Maranhão e Ceará

Salários de até R$ 16,5 mil

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

Chegam ao fim nesta sexta-feira (17), domingo (19) e segunda (20) as inscrições de 26 concursos públicos. Ao todo, eles selecionarão pelo menos 6.630 profissionais para cargos de todos os níveis escolares, com remunerações iniciais de até R$ 16,5 mil por mês.

As ofertas estão nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Maranhão e Ceará.

São Paulo


No Estado de São Paulo, as oportunidades estão na Fundação Universitária de Taubaté (Fust); Conselho Regional de Serviço Social de São Paulo - 9ª Região (CRESS/SP); câmaras de Promissão e Arujá; e prefeituras de Patrocínio Paulista, Monte Alegre do Sul, Itatiba, Araras, Santa Rosa de Viterbo e Santana de Parnaíba.

Demais Estados


Os interessados ainda podem se inscrever nos concursos da Brigada Militar/RS; Bombeiros/RS; Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT); Associação Missão Sal da Terra/MG; Consórcio Público de Saúde da Microrregião do Aracaú (CPSMA/CE); Companhia Melhoramentos da Capital (Comcap/SC); e prefeituras de São José de Ribamar/MA, Itauçu/GO, Lontras/SC, Arcos/MG, Corupá/SC, Santo Antônio do Leste/MT, Campo Novo do Parecis/MT, Paraíso/SC, Capão Alto/SC e Pelotas/RS.

Prepare-se para os concursos públicos

Videoaulas para concursos públicosProvas Anteriores de concursos públicos
Confira abaixo todos os concursos que encerram inscrições:

Sexta-feira (17)


Todos os níveisMissão Sal da Terra/MG: concurso oferece 206 vagas
Todos os níveisMonte Alegre do Sul/SP: concurso oferece 23 vagas
Nível fundamentalConcurso da Prefeitura de Itauçu/GO reúne 48 vagas
Salários até R$ 4,7 milConcurso CPSMA/CE: inscrições abertas para 41 vagas
Área da educaçãoConcurso da Prefeitura de Lontras/SC soma 83 vagas
TemporáriasComcap/SC inscreve para concurso com 117 vagas

Domingo (19)


Nível superiorConcurso em Patrocínio Paulista/SP: inscrições abertas
EducaçãoConcurso Fust/SP: últimos dias do prazo para 680 vagas
Salários de até R$ 9,9 milConcurso UFMT: abertas 63 vagas para professores
ProfessorSão José de Ribamar/MA abre concurso com 192 vagas

Segunda-feira (20)


EducaçãoItatiba/SP: processo seletivo com inscrições abertas
Até 20 de novembroPromissão/SP: concurso com vagas de nível médio
Níveis médio e superiorPrefeitura de Araras/SP abre concurso com 44 vagas
Diversos cargosConcurso em Santa Rosa de Viterbo/SP reúne 57 vagas
Todos os níveisConcurso em Arcos/MG reúne 320 oportunidades
Salários de até R$ 4 milCâmara de Arujá/SP inscreve para concurso com 12 vagas
Nível fundamentalSantana de Parnaíba/SP prorroga inscrições de concurso
Salários de até R$ 3,5 milConcurso CRESS/SP: vagas para níveis médio e superior
Todos os níveisSanto Antônio do Leste/MT: concurso com 17 vagas
Níveis médio e superiorCampo Novo do Parecis/MT: concurso com 41 vagas
Executivo e LegislativoConcursos em Paraíso/SC somam 19 vagas
Salários de até R$ 14,3 milConcurso em Corupá/SC recebe inscrições para 12 vagas
Iniciais de até R$ 4,3 milCapão Alto/SC: processo seletivo reúne 10 ofertas
Nível médioPelotas/RS abre concurso com 80 postos de guarda
SoldadoConcurso Bombeiros/RS: publicado edital com 450 vagas
SoldadoBrigada Militar/RS: concurso inscreve para 4.100 vagas

Confira aqui todos os concursos com inscrições abertas

Atualizado: 16/11/2017 - 11:48

Concurso PM/GO: edital para 2.000 vagas até janeiro

Para concorrer ao cargo de soldado da PM de Goiás é necessário possuir formação superior em qualquer área de formação, com inicial de R$ 1,5 mil

Soldados e cadetes

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A publicação do edital do novo concurso público que será realizado pela  Polícia Militar do Estado de Goiás (PM/GO), agora está prevista para ocorrer em janeiro, segundo informações do órgão. Porém, para isto,  a corporação ainda precisa definir o nome da banca organizadora, o que deve ocorrer nos próximos dias. Ao todo serão oferecidas 2 mil vagas, sendo 1.920 para  soldados  e 80 para a carreira de cadete PM. 

A seleção vem sendo aguardada desde 10 de maio, quando anunciada pelo governador Marconi Perillo, após uma reunião com os secretários da Fazenda, Fernando Navarett, Planejamento, Joaquim Mesquita; Segurança Pública e Administração Penitenciária, Ricardo Balestreri; e da Casa Civil, João Furtado. 

A comissão do certame, constituída em 4 de julho, é formada pelo coronel Silvio Vasconcelos Nunes e tenentes coronéis Walter Caetano Pereira e  Clives Pereira Sanches.

Para concorrer ao cargo de soldado é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, com remuneração inicial de R$ 1.500.

O objetivo do governo é reforçar o quadro de segurança, uma vez que, somados com mais 2.500 soldados de outro concurso em andamento, o quadro contará com um reforço de 4.500 policiais. “Isso vai ser muito importante para garantir segurança pública na capital e em todas as cidades do interior”, disse o governador.


De acordo com o comandante da PM/GO, coronel Divino Alves, a decisão de realizar mais um concurso público “significa que o governo está com a atenção voltada para a Segurança Pública”. Segundo ele “o aporte de 4.500 novos homens na Polícia Militar vai permitir prestar um melhor serviço à população”. Na ocasião, ressaltou que “cuidaremos para que a formação desses novos policiais seja feita de forma descentralizada, nas cidades menores, onde a população anseia pela presença dos policiais”.

Seleção

Quem pretende participar do concurso já pode dar início aos estudos, tendo como base o conteúdo programático da última seleção, iniciada no final de 2016.

O concurso de soldado é composto de provas objetivas e discursivas, testes de aptidão física, avaliações médica e psicológica, análise de vida pregressa e investigação social.
No concurso anterior, a prova objetiva contou com 50 questões, sendo 15 de conhecimentos gerais, com peso um, e 35 de conhecimentos específicos, com peso dois. Em conhecimentos gerais foram abordados temas sobre língua portuguesa e realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica do estado de Goiás.
Já em conhecimentos específicos, sobre noções de direito penal, constitucional, processual penal, administrativo, direito penal militar e legislação extravagante. 

Atualizado: 10/11/2017 - 14:03

PM/ES: governador anuncia concurso para 310 vagas

Do total de oportunidades, 290 serão para cargos com exigência de ensino médio e 20 para quem possui formação de nível superior. Editais previstos para o primeiro semestre de 2018

Iniciais até R$ 6,9 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves


O governador do Espírito Santo (PM/ES), Paulo Hartung, anunciou, na última quinta-feira, 9 de novembro, a autorização de novo concurso público para a Polícia Militar do estado (PM/ES). A seleção contará com uma oferta de 310 vagas, sendo 290 para cargos com exigência de ensino médio e 20 para quem possui graduação de nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 6.971,84. Além da escolaridade, para concorrer aos cargos será necessário possuir idade de 18 a 28 anos, contando até o primeiro dia de inscrição, altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres e carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A expectativa é de que o concurso seja realizado no decorrer do primeiro semestre de 2018.

Ensino Médio

Das 290 vagas destinadas a quem possui ensino médio, 250 são para a carreira de soldado. Neste caso, os aprovados serão submetidos ao Curso de Formação de Soldados (CFSd), com duração aproximada de dois anos e carga horária mínima de 1.800 horas-aula. Durante este período, o aluno soldado receberá R$ 1.162,19. Após ser promovido a soldado passará a receber R$ 2.646,12, podendo chegar a R$ 3.052,06, caso concorra às escalas de serviço extra.
Ainda para ensino médio haverá dez vagas para soldado músico. Os interessados deverão passar por uma prova de conhecimentos específicos, além de prova prática de música, aplicada por banca designada pelo comandante geral. Durante o curso de formação, também com duração de dois anos e 1.800 horas aula, receberão R$ 1.162,19, passando para R$ 2.646,12 após ser aprovado, com possibilidade de chegar a R$ 3.052,06, em caso de escalas de serviço extra.
Também serão oferecidas 30 vagas para o curso de formação de oficiais combatentes, ainda destinado para quem possui ensino médio. A duração do curso é de três anos, com uma carga horária de 3.700 horas/aula. A remuneração é de R$ 2.461,10 no primeiro ano, chegando a R$ 3.281,48 no terceiro. Após a formação, o aspirante a oficial chega a ganhar R$ 6.396,56.

Nível Superior

Para fim, para nível superior, a seleção terá 20 vagas para o curso de adaptação de oficiais de saúde. Os interessados devem possuir registro no conselho de medicina, certificado de conclusão de residência médica na especialidade pretendida ou título de especialista emitido pela Associação Médica Brasileira (AMB). Neste caso, além de provas específica, haverá curso de adaptação, com mínimo de três meses de duração em regime integral e dedicação exclusiva. O inicial é de R$ 6.971,84.

Atualizado: 09/11/2017 - 12:28

Carreira policial: editais previstos para 24.769 vagas

Diversos cargos de níveis médio e superior devem ser abertos nos concursos da PRF, Polícia Rodoviária, Polícias Civis e Polícias Militares. Salário inicial de até R$ 22,1 mil

Em todo o país

Por JCConcursos - Camila Diodato

Se você deseja ingressar em um órgão policial, saiba que vários órgãos programam a realização de concurso público em diversos cargos nos níveis médio e superior.
Há uma previsão de que sejam lançadas pelo menos 23.159 vagas distribuídas entre todos os Estados. A maior remuneração corresponde a R$ 22.102,37 e é oferecida aos postos de perito e delegado da Polícia Federal.
A maior parte dos certames já está autorizada e em fase de escolha da comissão ou da banca, mas outros dependem de aval do governante. Confira a seguir quais são os concursos previstos para a carreira policial!

Concurso Polícia Rodoviária Federal


A PRF tem o intuito de abrir concurso com 2.778 vagas para a carreira de policial rodoviário federal, com exigência de nível superior completo e salário inicial de R$ 9.491,98. O sindicato já solicitou agilização no processo de autorização ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG). Saiba mais detalhes aqui.

                

Ads

Muitas vagas na área da Segurança Pública! 

Reunimos um supertime de professores para auxiliar quem sonha em trabalhar na Segurança. Muitas vagas estão sendo abertas nos estados e os editais da PF e PRF estão previstos para 2018. Conheça os cursos!


Concurso Polícia Federal


Depende apenas de uma liberação orçamentária o novo certame para o quadro de pessoal da Polícia Federal. O órgão tem o intuito de selecionar 1.748 servidores, sendo 600 para o cargo de escrivão, 600 para agente, 491 para delegado e 67 para perito. Ensino superior e vencimentos de até R$ 22.102,37. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/SP


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, autorizou concurso com 2.710 vagas para a Polícia Civil, sendo 1.100 para cargos com exigência de ensino médio e 1.650 para carreiras com necessidade de nível superior. Remunerações chegam a R$ 10.142,55. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/MG


Já foi autorizado um processo seletivo para o preenchimento de 76 chances no cargo de delegado de polícia. Exigência de ensino superior completo em direito e salário de R$ 12.500 para jornadas de 40 horas semanais. O próximo passo é a constituição da comissão organizadora. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/DF


É grande a expectativa para que seja realizada a seleção da Polícia Civil do Distrito Federal com 2.100 postos distribuídos em diversos cargos, ainda não revelados. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/RS

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul deve publicar, nos próximos dias, o edital de seu novo concurso, que contará com 1.300 vagas, sendo 1.200 para os cargos de investigador e escrivão, além de 100 para a carreira de delegado. Saiba mais sobre este concurso clicando aqui.

Concurso Polícia Militar/DF


Está em fase de contratação da banca organizadora o concurso da PM/DF. O processo seletivo ofertará um total de 2.024 vagas, sendo 2.000 para soldado, seis para soldado especialista músico e 18 para soldado especialista corneteiro. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/GO


O governador Marconi Perillo autorizou concurso para o preenchimento de 650 oportunidades. Um total de 100 ofertas será para a carreira de delegado e o restante distribuído entre as funções de agente e escrivão. Para concorrer será necessário possuir formação superior completa. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Militar/MS


Foi formada a comissão do concurso da PM do Mato Grosso do Sul com 500 oportunidades. Todas as chances serão para o cargo de soldado, que necessita de ensino médio. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/RN


No decorrer das próximas semanas deve ser definida a banca organizadora do concurso da Polícia Civil do Rio Grande do Norte. A seleção terá 157 ofertas, sendo 29 para a carreira de delegado de polícia, 17 para escrivão e 111 para agente. Todos os empregos são para quem possui curso superior. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/AM


Deve ser publicado até dezembro o edital do concurso da Polícia Civil do Amazonas, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública. Ao todo, serão abertos 2.394 postos em diversos cargos. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Militar/AM


Também no Amazonas, a Polícia Militar se prepara para realizar seleção para o preenchimento de 5.865 vagas. As chances serão para as colocações de soldado (ensino médio) e oficial (médio ou superior, de acordo com a especialidade). Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/PA


O próximo concurso público da Polícia Civil do Pará visará a selecionar 11 profissionais nos cargos de técnico em gestão pública - assistente social (9), técnico em gestão pública - contador (1) e técnico em gestão de informática - engenharia de sistemas (1). Todas as funções são de nível superior e apresentam inicial de R$ 2.727,54. No momento, o órgão está em fase de licitação para escolha da organizadora. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/RR


Está previsto para ser lançado nos próximos dias o edital da Polícia Civil de Roraima com 330 vagas. Todas as oportunidades serão para a carreira de policial e estarão distribuídas de forma regionalizada. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Militar/TO


A PM/TO já divulgou o resultado preliminar da licitação que definirá a banca organizadora do concurso com 1.040 ofertas. Do total, 1.000 serão para o cargo de soldado (900 para homens e 100 para mulheres) e 40 para oficial (36 para homens e quatro para mulheres). Níveis médio e superior de ensino. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Civil/PR


O edital com 776 oportunidades da Polícia Civil do Paraná deve ficar para 2018. Todas as vagas destinam-se ao emprego de investigador de polícia, que exige curso superior em qualquer área de atuação. Saiba mais detalhes aqui.

Concurso Polícia Militar/ES


O governador do Espírito Santo (PM/ES), Paulo Hartung, autorizou concurso para a Polícia Militar com o intuito de preencher 310 chances, sendo 290 para nível médio e 20 para formação superior. As ofertas são para as carreiras de soldado e oficial, cujos salários chegam a R$ 6.971,84. Saiba mais detalhes aqui.
CURSOS SEGURANÇA PÚBLICA

Atualizado: 08/11/2017 - 09:21

Concurso IGP/SC: provas ocorrem em 26 de novembro

Edital do novo concurso do Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina (IGP/SC) traz 49 chances para perito oficial e duas para técnico pericial

Salários de até R$ 15,8 mil

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Depois de encerrar, em 20 de outubro, as inscrições para o concurso que preencherá 51 vagas em carreiras de nível superior, o IGP/SC (Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina) se prepara agora para a aplicação das provas objetivas, marcadas para 26 de novembro.

Do total de ofertas em disputa, duas são para técnico pericial - papiloscopista, com vencimentos iniciais de R$ 5.317,94.

As demais 49 oportunidades envolvidas no concurso do IGP/SC são para perito oficial nas seguintes áreas: criminal geral (9 postos), criminal áudio e vídeo (4), criminal ambiental (2), criminal em informática (4), criminal engenharias (10), criminal bioquímico (5), médico legista (14) e odontolegista (1). A remuneração corresponde a R$ 15.820,84.

Os empregos têm lotação distribuída entre Florianópolis, Joinville, Blumenau, Criciúma, Chapecó, Lages, Balneário Camboriú e Joaçaba. Para as vagas de perito criminal, os contratados poderão atuar em todo o Estado.

As inscrições para o concurso do IGP/SC foram recebidas por meio do site www.igpsc2017.ieses.org. O valor das taxas foi de R$ 100 para técnico e R$ 120 para perito.

Sobre as etapas do concurso IGP/SC


A seleção envolverá, ao todo, cinco fases: prova objetiva, em 26 de novembro, análise de títulos, avaliação psicológica, exame toxicológico e investigação social.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA CONCURSO IGP/SC - PERITO OFICIAL E TÉCNICO PERICIAL
Como primeira etapa do concurso do IGP/SC, o teste objetivo trará 80 questões de múltipla escolha sobre língua portuguesa, inglês, noções de direito em diversas áreas, lógica, informática e conhecimentos específicos.

O exame será aplicado em Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Joaçaba, Joinville e Lages. A opção por um dos municípios pôde ser feita momento da inscrição.  

Os aprovados realizarão, antes do início das atividades operacionais, curso de formação profissional com carga horária de 480 horas para perito e 360 para técnico.

De acordo com o edital, o concurso do IGP/SC terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão.

Atribuições do técnico pericial no concurso do IGP/SC


Atividade de natureza técnica científica que tem por objeto executar exames papiloscópicos referentes à identificação civil e criminal, nos termos das normas constitucionais e legais em vigor, exercendo suas atribuições nos setores de identificação civil e criminal, setores afetos à papiloscopia, entre outros.

Concurso IGP/SC: atribuições do perito criminal - exceto bioquímico


Atividade de grande complexidade, de natureza técnica, científica e especializada que tem por objeto executar os exames de corpo de delito e todas as perícias criminais necessárias à instrução processual penal, nos termos das normas constitucionais e legais em vigor, exercendo suas atribuições nos setores periciais de: Balística Forense, Documentoscopia e Grafotecnia, Merceologia, Informática Forense, Perícias Especiais, Fonética Forense, Contabilidade Forense, Local de Crime Contra a Pessoa, Local de Crime Contra o Patrimônio, Acidentes de Trânsito, Engenharia Legal, Perícias Veiculares, Crimes Ambientais, Papiloscopia, Odontologia, entre outros.

Atribuições do médico legista no concurso do Instituto Geral de Perícias/SC


Atividade de grande complexidade, de natureza técnica, científica e especializada que tem por objeto executar com exclusividade os exames de corpo de delito em vítimas de lesão corporal ou morte violenta e todas as perícias referentes a sua área de atuação necessárias à instrução processual penal, nos termos das normas constitucionais e legais em vigor, exercendo suas atribuições nos setores periciais de Tanatologia Forense, Psiquiatria Forense, Traumatologia Forense, Sexologia Forense, Antropologia Forense, Patologia Forense, entre outros.
APOSTILAS IGP/SC - PERITOS

Atualizado: 07/11/2017 - 14:28

Matão/SP inscreve para concurso com 14 vagas

Oportunidades no concurso da Prefeitura de Matão são para cargos de agente de combate às endemias, guarda municipal e procurador jurídico. Inscrições até 16 de novembro

Todos os níveis

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Localizada a cerca de 300 km da capital paulista, a Prefeitura de Matão recebe inscrições até 16 de novembro para um concurso público que disponibiliza 14 vagas.

Para concorrer como agente de combate às endemias (1 posto e salário de R$ 1.171,77) é necessário possuir ensino fundamental completo.

O cargo de guarda municipal (12 - R$ 1.385,74) cobra nível médio e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria "AD". Do total de vagas, duas são para mulheres e dez para homens.

A carreira de procurador jurídico (1 - R$ 6.082,74) é destinada a profissionais com graduação em direito e registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

As inscrições para o concurso da Prefeitura de Matão devem ser registradas pelo site do Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam), no endereço: www.ibamsp-concursos.org.br. A banca cobra taxas de R$ 52 para agente e guarda e R$ 83 para procurador.

Sobre as provas do concurso da Prefeitura de Matão


Prevista para 10 de dezembro, a prova objetiva apresentará questões de múltipla escolha sobre língua portuguesa e conhecimentos específicos para todos os cargos, além de matemática apenas para guarda e agente.

Na mesma data, os concorrentes ao posto de procurador farão prova prático-profissional, que cobrará a elaboração de um parecer jurídico.

O concurso da Prefeitura de Matão será finalizado com teste de aptidão física e avaliação psicológica para as vagas de guarda municipal, em datas a serem definidas.

Concurso Prefeitura Matão: atribuições do agente de combate às endemias


Executar os serviços de desinfecção em residências, para evitar a proliferação de insetos e animais peçonhentos; desenvolver atividades inerentes à prevenção e combate de doenças. Proferir palestras em escolas públicas e associações comunitárias com a finalidade de melhorar os hábitos e prevenir doenças. Zelar pela conservação dos materiais e equipamentos sob sua responsabilidade; atender às normas de segurança e higiene do trabalho e realizar outras tarefas afins.

Atribuições do guarda municipal no concurso da Prefeitura de Matão


Proteger bens, serviços, logradouros públicos municipais e instalações do Município. Zelar pelo patrimônio ecológico, histórico, cultural, arquitetônico e ambiental do Município. Prevenir e inibir, pela presença e vigilância, bem como coibir, infrações penais ou administrativas e atos infracionais que atentem contra bens, serviços e instalações municipais. Colaborar de forma integrada com os órgãos de segurança pública, em ações conjuntas que contribuam com a paz social. Fazer respeitar e manter a ordem pública com medidas preventivas ou repressivas para proteger as pessoas e os bens contra os perigos e os atos delituosos. Cooperar com os demais órgãos de defesa civil em suas atividades. Cuidar para que a qualidade dos trabalhos desenvolvidos se mantenha sempre dentro dos padrões definidos e determinados pela Prefeitura de Matão.

Atualizado: 01/11/2017 - 15:39

Marinha divulga programação de concursos para 2018

Editais dos novos concursos públicos da Marinha devem somar milhares de vagas em todas as regiões do país. Níveis fundamental, médio, técnico e superior de ensino

Diversos cargos

Por JCConcursos - Camila Diodato

A Marinha publicou documento com a programação de todos os concursos que organizará no decorrer de 2018. O número de vagas não foi revelado, mas deverá ser milhares distribuídas em vários níveis de escolaridades.
Pelo que consta no cronograma, na segunda quinzena de janeiro serão divulgados os editais da Escola de Aprendizes-Marinheiros, da Escola Naval e do Colégio Naval. As provas ocorrerão na segunda quinzena de abril para o primeiro, e na segunda quinzena de junho para os demais.
Já na primeira semana de março, o órgão lançará o certame para o Corpo de Engenheiros, cujos testes acontecerão na segunda quinzena do mês de maio.
Em abril, quatro processos seletivos sairão: Corpo de Saúde (médicos, dentistas e apoio à saúde), Quadro Técnico, Capelão Naval e Quadros Complementares de Oficiais da Armada, Fuzileiros Navais e Intendentes da Marinha. Avaliações entre a primeira quinzena de julho e a primeira quinzena de setembro.
E na primeira quinzena de agosto será publicado o edital do concurso da Marinha para o Corpo Auxiliar de Praças. Os exames estão marcados para a segunda quinzena de novembro.

Mais detalhes dos concursos da Marinha


O ingresso na Marinha ocorre por meio de concursos públicos que aceitam participantes de ambos os sexos e com idades mínima e máxima estipuladas no edital.
No geral, os concorrentes são submetidos a provas objetivas com questões de múltipla escolha sobre assunto de conhecimentos gerais, aplicadas em todo o país. Outras fases variam de acordo com cada carreira.

Atualizado: 01/11/2017 - 12:31

Polícia Civil/MA: definida banca para novo concurso

Seleção contará com oportunidades para delegado e outros cargos. Comissão organizadora já trabalha na elaboração do edital

Cargos já foram definidos

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Boa notícia para quem pretende participar do novo concurso público que será realizado pela Polícia Civil do Estado do Maranhão (PC/MA). Acontece que foi divulgada, por meio de publicação em diário oficial,  no último dia 27 de outubro, a dispensa de licitação que define o nome da banca organizadora do certame. A escolhida é a Cebrasp, com a qual o contrato deve ser assinado no decorrer dos próximos dias. A publicação também confirma que a seleção contará com oportunidades para os cargos de delegado, investigador, escrivão, perito criminal, médico legista e odontolegista, mas o número de vagas ainda será divulgado. A expectativa é de que a data de publicação do edital seja confirmada em breve, assim que assinado o contrato com a banca. 

A realização do concurso vem sendo aguardada desde 6 de junho, quando  indicados os nomes da comissão setorial do novo certame, que tem por finalidade auxiliar a comissão central no exercício de suas atribuições.  São duas comissões, uma específica para delegado e outra mais geral, para concursos da corporação. A comissão específica de delegado conta com os seguintes servidores: Christiane Morais Ribeiro de Melo, Jorge Luís de Carvalho Nina, Tauane Gleide Guimarães Brito Ramos, Lawrence   Melo Pereira e Márcio Henrique Teixeira Araújo. A outra, mais geral, apenas não conta com a servidora Tauane Gleide Guimarães Brito Ramos, tendo como membro, em seu lugar, Daniel Augusto de Oliveira Rocha.

Último Concurso


O último concurso para delegado e para diversos cargos da corporação ocorreu em 2012, quando foram oferecidas 229 postos, sendo dez para o cargo de auxiliar de perícia médica legal, 40 para escrivão de polícia, três para farmacêutico legista, 120 para investigador de polícia, cinco para médico legista, três para odontolegista e oito para perito criminal, além de 40 vagas para a carreira de delegado, já confirmada para a nova seleção. 

A banca organizadora, na ocasião, foi a Fundação Getúlio Vargas  (FGV).   


Delegado


Para a carreira de delegado, no último concurso, a remuneração inicial já era de R$ 12.029,87. Para concorrer é necessário possuir formação de nível superior em direito.
A seleção foi composta de duas etapas. Na primeira, os participantes foram submetidos a uma prova objetiva, avaliação discursiva e análise de títulos. Na segunda, testes de aptidão física, avaliação psicotécnica, exames médicos e odontológicos, investigação social e curso de formação.
A prova objetiva foi composta de 100 questões, sendo 15 de língua portuguesa, cinco de legislação específica, 15 de direito constitucional, 15 de direito administrativo, dez de direito civil/empresarial, 15 de direito penal, 15 de direito processual penal e dez de medicina legal.   

Shopping