Prefeitura/SP: prefeito sanciona plano de carreiras

Cargo agora passa a ser chamado de profissionais de engenharia, arquitetura, agronomia e geologia, com exigência de nível superior . Inicial de R$ 5,2 mil

JC Concursos - Fernando Cezar Alves - Informe o Erro
Publicado: 22/08/2016 - 12:17 | Atualizado: 22/08/2016 - 12:16

Após sancionar, em 1º de abril, a lei 16.414, que transforma o cargo de especialista em desenvolvimento urbano, que passou a ser chamado de profissionais de engenharia, arquitetura, agronomia e geologia, o prefeito Fernando Haddad sancionou, no último dia 19 de agosto, o decreto 57.235, que define o plano de carreiras para a categoria. Com isto, a prefeitura já pode retomar os preparativos para realização de novo concurso público para a carreira.

O cargo já contava com um concurso autorizado pelo prefeito, desde 13 de julho de 2015, para o preenchimento de 212 vagas, sendo 162 para a Secretaria Municipal de Subprefeituras e 50 para a Secretaria Municipal de Infraestruturas e Obras de São Paulo, que acabou não se concretizando, em virtude da reestruturação pela qual a carreira estava passando.

Agora, já com as mudanças definidas e com a nova lei, que define o plano de carreiras, um novo concurso público pode ser novamente autorizado, o que tende a ocorrer somente após o período eleitoral, no próximo ano, por decisão da nova administração municipal.

Na ocasião, após a autorização, a prefeitura chegou até mesmo a contratar a banca organizadora, que seria a Fundação Vunesp.

A lei de abril, além de alterar o nome do órgão, também aumentou o quadro de servidores, que passou de 2007 para 2034 profissionais.

De acordo com a nova lei, sancionada em 19 de agosto, para passar de uma categoria para a categoria posterior, o servidor deve contar com pelo menos 18 meses de exercício na anterior. Já no caso de promoção, que trata da passagem da última categoria de um nível para a primeira de um nível superior, além de 18 meses de exercício no último nível, o profissional deverá apresentar títulos, certificados de cursos e atividades que visem o aprimoramento e desenvolvimento de competências, institucionais e individuais, relacionadas com a área; e obter mínimo de 600 pontos na avaliação de competências. Não serão considerados títulos apresentados para ingresso no concurso público.


O cargo

Para concorrer na carreira será necessário possuir curso de nível superior em engenharia, arquitetura, agronomia ou geologia. A remuneração inicial será de R$ 5.274,68, em caso de jornada de 30 horas semanais, e R$ 6.698 para 40 horas.

Evolução Funcional

A evolução funcional dos servidores contará com 17 níveis de progressão salarial. Para a jornada de 30 horas, os valores dos níveis posteriores são os seguintes: R$ 5.274,68; R$ 5.484,67; R$ 5.705,09, R$ 5.933,30; R$ 6.229,96; R$ 6.479,15; R$ 6.738,32; R$ 7.007,86; R$ 7.288,17; R$ 8.016,98; R$ 8.658,35; R$ 9.351,01; R$ 10.099,10; R$ 11.310,98; 12.215,86; e R$ 13.193,13.

Prepare-se para o concurso da Prefeitura de São Paulo

Videoaula para PrefeiturasProva Anterior de Prefeituras

Para jornada de 40 horas: R$ 7.032,90; R$ 7.314,22; R$ 7.606,78; R$ 7.911,06; R$ 8.306,61; R$ 8.638,87; R$ 8.984,43; R$ 9.343,81; R$ 9.717,56; R$ 10.689,31; R$ 11.544,46; R$ 12.468,01; R$ 13.465,46; R$ 15.081,31; R$ 16.287,82; e R$ 17.590,84.


 

 

Vídeos Prefeitura São Paulo

Saiba mais sobre a técnica da leitura dinâmica


Mais Lidas

Mais Recentes

Shopping