Tudo Sobre

Concurso Prefeitura

JC&E entrevista o candidato Celso Russomano (PRB)

Caso seja eleito como prefeito de São Paulo, Russomano pretende priorizar prevenção e integração na saúde. Também quer valorização do professor e reestruturação da GCM



Redação
Publicado em 04/09/2012, às 12h06

Conheça as propostas do candidato Celso Russomanno para a cidade de São Paulo:
Nascido em São Paulo, Celso Russomanno é bacharel em direito, radialista e jornalista. Deputado federal desde 1995, também preside o Instituto de Defesa do Consumidor, setor ao qual destinou maior parte dos projetos e leis que criou. Integra comissões de fiscalização financeira, justiça e desenvolvimento tecnológico e contribui com jornais, revistas e emissoras de TV. É casado e tem dois filhos.
Jornal dos Concursos & Empregos: Qual a sua principal plataforma de governo?
Celso Russomano: Eu trabalho por um serviço público de qualidade. Essa é a minha principal plataforma de governo.

JC&E: Em pesquisa recente, a saúde pública municipal foi apontada como o principal problema da cidade de São Paulo. O senhor tem planos específicos para aumentar o número de profissionais e, consequentemente, melhorar o atendimento à população? E quanto aos funcionários temporários, o senhor pretende manter esse tipo de contratação?
CR: A saúde (ou falta dela) é o maior problema de São Paulo. Muitos investimentos em infraestrutura serão feitos, mas nossa  prioridade será a saúde preventiva. O que pretendemos é ampliar e integrar a rede de saúde e adequar a equipe e o horário de funcionamento de acordo com as necessidades de cada região. Os médicos devem ser bem pagos para poderem trabalhar para a saúde pública. Vamos trabalhar também com a prevenção através do programa de saúde da família. Um paciente que não toma um remédio para hipertensão, que custa 10 reais, está propenso a ter um AVC e ir parar na UTI. Um paciente na UTI custa 120 mil reais por dia. Com esse valor, eu trato 2 mil pessoas com prevenção através de duas equipes multidisciplinares com médico sendo bem pago, dois enfermeiros padrões e assistentes sociais.

JC&E: A atual gestão acaba de abrir um novo concurso para professor da rede municipal de ensino, cujos aprovados devem ser contratados já sob a nova administração. No seu governo, como pretende abordar a valorização da carreira do magistério e evitar a falta/evasão de professores nas escolas públicas?
CR: Vamos investir em educação. Vamos fazer com que o professor seja valorizado como deve, tenha condições para realizar seu trabalho com excelência. Hoje temos aquela chamada “promoção automática”, onde o aluno é aprovado muitas vezes sem nem saber a matéria do ano. Nós precisamos fazer com que o ensino na escola pública seja de qualidade, assim como era na década de 80, 90, onde os pais tinham boletim de acompanhamento e os professores eram respeitados e valorizados pela população.

JC&E: O que os servidores municipais podem esperar da sua gestão? Como o senhor vê a política de valorização no serviço público municipal?
CR: Acredito que o funcionário público deve ser valorizado porque ele está a serviço da sociedade. Devem ser feitos planos de carreira e promoções quanto ao tempo de serviço, além é claro, salários melhores para os cargos públicos. Um profissional com salário bom trabalha mais motivado.

JC&E: A Guarda Civil Municipal não realiza concurso público desde 2004 e está com o efetivo bastante defasado – por lei a GCM pode ter até 15 mil servidores e conta atualmente com cerca de 6.500. Um novo concurso é aguardado desde o final de 2009, mas o órgão alega não ter verba para realizar a seleção. Quais e como deverão ser os investimentos na área de segurança urbana durante o seu mandato?
CR: Segurança pública é dever do governo do estado, no entanto vamos fazer muito além das nossas forças. A Guarda Civil Metropolitana será reestruturada.  Vamos ampliar o efetivo da GCM, bem como aparelhar seus recursos profissionais básicos. Implementar as Inspetorias Distritais a fim de aproximar o comando da GCM da população local. Devemos também capacitar, qualificar e valorizar a Guarda Civil Metropolitana através de um plano de carreira que incentive melhorar seu desempenho e crescimento na carreira.

JC&E: Como o senhor encara a falta de qualificação profissional em São Paulo e quais ações e projetos pretende colocar em prática para capacitar os trabalhadores?
CR: Temos de trabalhar com inclusão social e digital. Cidade forte é cidade que gera emprego e aumenta oportunidades de renda para sua população. Investiremos recursos e esforços para reverter o quadro atual. Então vamos implantar rede de internet sem fio em toda a cidade, partindo da periferia para o centro, oferecer capacitação e orientação para as pessoas de baixa renda, a fim de melhorar seu acesso ao mercado de trabalho em vagas criadas pelo próprio serviço público municipal, multiplicar os centros de informação turística e unificar informações sobre atividades na cidade e criar um instrumento de uso múltiplo turístico para visitação a diversos eventos e locais, entre outras ações.

Veja também:

Eleições 2012
JC&E entrevista o candidato Fernando Haddad (PT)

Eleições 2012
JC&E entrevista o candidato Carlos Giannazi (PSOL)

Eleições 2012
JC&E entrevista a candidata Anaí Caproni (PCO
)

+ Resumo do Concurso Prefeitura

Prefeitura
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Não definido
Escolaridade: Não definido
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão
Estados com Vagas: SP

+ Agenda do Concurso

04/09/2013 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas