Níveis médio e superior

Aprovado PL para criação de 175 vagas na Sampaprev

De acordo com o projeto de lei que cria o novo regime previdenciário municipal, a Sampaprev deve contar com a criação de 75 vagas de nível médio e 100 de nível superior para preenchimento por concurso público, com iniciais até R$ 6,2 mil

Fernando Cezar Alves
Publicado em 21/01/2019, às 10h44

Foi aprovada, pela Câmara Municipal de São Paulo, o projeto de lei 621/2016, do ex-prefeito Fernando Haddad, que institui o regime de previdência complementar para o funcionalismo público municipal de São Paulo, além de criar a Sampaprev, nova empresa pública, semelhante à São Paulo Previdência (SPPrev), criada pelo governador Geraldo Alckmin em 2011. A proposta foi aprovada em primeira discussão em 22 de dezembro e em segundo turno, no dia 26 posterior. O texto já seguiu, no mesmo dia, para sanção do prefeito Bruno Covas. 

Embora a proposta esteja recebendo críticas por parte de sindicalistas e do funcionalismo, por prever o aumento da contribuição sindical, de 11% para 14% dos salários, também prevê a criação de 175 vagas para o novo órgão, para preenchimento por meio de concurso público.

Do total de vagas para novo concurso, 100 são para a carreira de analista de gestão previdenciária, destinada para candidatos com exigência de nível superior, e 75 para técnico de gestão previdenciária, para quem possui apenas ensino médio. As

remunerações iniciais indicadas no projeto são de R$ 6.274,43 para os analistas e R$ 3.118,89. No caso de analistas, o projeto determina que poderão participar formados em qualquer área ou em áreas específicas, conforme determinação quando da realização do concurso.

Evolução Funcional


A proposta também prevê um plano de carreiras para as duas funções, composto de três níveis (I, II e III), com seis graus no primeiro, cinco no segundo e quatro no terceiro.


Desta forma, para os técnicos, no nível I, a progressão é a seguinte: R$ 3.118,89; R$ 3.516,16; R$ 3.801,55; R$ 4.095,48; R$ 4.397,47; e R$ 4.710,06. No nível II: R$ 5.152,66; R$ 5.460,45; R$ 5.776,47; R$ 6.101,14; e R$ 6.434,90. Por fim, no nível III: R$ 6.977,49; R$ 7.318,78; R$ 7.669; e R$ 8.028,53.


Para os analistas, no nível I: R$ 6.274,43; R$ 6.930,36; R$ 7.360,60; R$ 7.808,08; R$ 8.272,82; e R$ 8.757,94. No nível II:  R$ 9.505; R$ 9.980,74; R$ 10.472,78; R$ 10.982,27; e R$ 11.510,09. Por fim, no nível III: R$ 12.460,19; R$ 13.003,21; R$ 13.564,22; e R$ 14.144,05.


Atribuições 

Caberá ao técnico de gestão previdenciária atender, orientar e informar os beneficiários, dependentes e munícipes, de acordo com diretrizes institucionais; recepcionar, conferir e encaminhar documentos; exercer atividades internas e externas de suporte técnico e operacional relacionadas à gestão de benefícios previdenciários, recursos humanos, administração de bens de consumo e permanente, contabilidade e administração.


Já aos analistas caberá instruir, analisar, calcular, revisar, cadastrar e acompanhar processos previdenciários de concessão, pagamento, manutenção, revisão e extinção de benefícios previdenciários; planejar, implantar, avaliar, atender, orientar e capacitar sobre ações voltadas ao atendimento, orientação e informação aos segurados ativos, inativos e pensionistas; propor, implantar, executar e avaliar políticas públicas e ações voltadas para o aprimoramento e sustentabilidade financeira e atuarial do regime de previdência; desenvolver, implantar, executar e avaliar sistemas, processo e métodos de gestão nas áreas de atendimento ao público, concessão e auditoria dos benefícios previdenciários e administração de materiais; formular, implantar, executar e avaliar atividades especializadas de alta complexidade de planejamento, finanças, controles internos, contabilidade, auditoria, gestão, assistência técnica, administração e logística; desenvolver, acompanhar, executar e avaliar a execução do orçamento do regime próprio de previdência; executar tarefas de natureza acessória, em apoio de atividades de consultoria e assessoramento; e realizar a capacitação e aperfeiçoamento de servidores que atuam na área previdenciária do Iprem, administração direta e indireta, Tribunal de Contas e Câmara Municipal.


A proposta já havia sido apresentada pelo ex-prefeito em 2015 e 2016, sendo posteriormente retirada da Câmara para adequações, em virtude de questionamentos dos sindicatos, mas foi novamente apresentada por Haddad em 28 de dezembro de 2016.

Orgão: Prefeitura São Paulo
Nº vagas: 175
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Técnico, Analista
Áreas de Atuação: Administrativa, Operacional, Fiscal
Escolaridade: Ensino Médio, Ensino Superior
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão
Estados com Vagas: SP
Cidades: São Paulo - SP

Mais Lidas