Publicado: 12/07/2016 - 12:53 | Atualizado: 13/09/2017 - 11:18

Carreira policial: 15.978 vagas previstas em todo o país

Cargos de níveis médio e superior para a área de segurança pública devem ser abertos no decorrer dos próximos meses. Oportunidades para PF, PRF e polícias Civil e Militar

Diversos cargos

Por JCConcursos - Camila Diodato

Pelo menos 15.978 vagas na área de segurança são aguardadas para serem lançadas no decorrer dos próximos meses em todo o país. Tais oportunidades se referem a cargos de níveis médio e superior.
Os órgãos policiais que têm o intuito de abrir concurso são os seguintes: Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar de São Paulo, Polícia Civil de São Paulo, Polícia Civil do Rio de Janeiro, Polícia Militar do Distrito Federal, Polícia Civil de Goiás, Polícia Militar de Goiás, Polícia Militar da Bahia, Polícia Militar do Ceará, Polícia Militar do Ceará, Polícia Militar do Maranhão e Polícia Militar do Tocantins.
Alguns dos concursos já têm data definida para serem publicados, enquanto outros dependem de autorização ou disponibilidade orçamentária. Apesar de muitos órgãos terem anunciado contenção de gastos, a área de segurança será uma das menos afetadas por ser uma das mais importantes e primordiais para o funcionamento do país. Confira mais detalhes abaixo!

Concurso Polícia Federal


A PF aguarda apenas parecer financeiro por parte do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para que possa realizar seleção com o intuito de preencher 558 oportunidades. Vale lembrar que depois da sanção do decreto 8.326 a instituição não precisa necessariamente de autorização do MPOG como a maioria dos órgãos federais, mas apenas do parecer orçamentário.
O órgão se planeja para abrir 491 vagas para delegado e 61 para perito. Ambas as carreiras são destinadas aos candidatos com formação superior completa e possuem remuneração inicial de R$ 17.288,85. Mais informações podem ser conferidas aqui

Concurso Polícia Rodoviária Federal


Um total de 1.500 ofertas são esperadas no processo seletivo da PRF. O órgão aguarda aval do Ministério do Planejamento para que possa iniciar os preparativos do concurso.
Todas as chances solicitadas se destinam à profissão de policial rodoviário. Para concorrer à função é necessário ter curso superior em qualquer área e carteira de habilitação a partir da categoria “B”, sendo que os vencimentos oferecidos correspondem de R$ 6.719,91. Mais informações podem ser conferidas aqui

Concurso Polícia Militar de São Paulo


A Polícia Militar de São Paulo (PM/SP) deve lançar dois editais que, juntos, somarão 2.131 oportunidades. Um dos concursos já teve autorização governamental, enquanto o outro deve receber em breve.
O primeiro concurso terá 131 vagas para aluno oficial, cuja remuneração é de R$ 2.889,27. O certame deve sair logo após a sanção do projeto de lei complementar que reestrutura a carreira. Agora, quem quiser disputar uma das ofertas deverá ter ensino médio completo, idade até 26 anos e altura mínima de 1,60m para homens e 1,55m para mulheres. Mais informações podem ser conferidas aqui
Já as outras 2.000 chances serão para soldado da PM/SP. A autorização para este processo seletivo deve ser concedida pelo governador Geraldo Alckmin logo após a sanção do projeto que reestrutura a carreira. Os requisitos para pleitear a colocação serão os seguintes: nível médio completo; idade entre 18 e 26 anos; e altura mínima de 1,60m para homens e 1,55m para mulheres. Quem ocupar a posição receberá R$ 2.929,27 por mês. Mais informações podem ser conferidas aqui.

Concurso Polícia Civil de São Paulo 


A Polícia Civil do Estado já solicitou ao governo autorização para 3.176 ofertas, sendo 851 para cargos de nível médio e 2.325 com exigência de ensino superior. A expectativa é de que o aval não demore para ser liberado pelo governador de São Paulo.
Para nível médio, as chances serão para agente policial (249 vagas), atendente de necrotério (54), auxiliar de papiloscopista (136), papiloscopista policial (72), agente de telecomunicações (252), auxiliar de necropsia (36), desenhista técnico pericial (11) e fotógrafo técnico pericial (41)
Concursandos graduados poderão disputar as ocupações de escrivão de polícia (922), investigador de polícia (985), médico legista (68), perito criminal (129) e delegado de polícia (221).
Os salários iniciais oferecidos pelo órgão partem de R$ 3.365 e chegam ao valor de R$ 10.079,28, contando com os adicionais. Mais informações podem ser conferidas aqui

Concurso Polícia Civil do Rio de Janeiro

No Estado do Rio de Janeiro, a Polícia Civil tem o objetivo de promover novo concurso público que visará a contratar, no mínimo, 209 servidores.
O órgão já solicitou 209 vagas para carreiras de nível superior, sendo 92 para perito legista e 117 para delegado. Já para ensino médio, a polícia realiza levantamento para verificar o quantitativo necessário para a função de investigador.
As remunerações ficam entre R$ 4.454,93 e R$ 17.033,22, incluindo o vale-alimentação de R$ 264. Mais informações podem ser conferidas aqui

Concurso Polícia Militar do Distrito Federal

Um total de 204 chances para oficial será contemplado no edital da PM/DF. O órgão já em fase de escolha da banca organizadora do certame; estão na disputa as seguintes empresas:  Iades, Idecam, Cebraspe/Cespe, IBFC, Universa, Funcab e AOCP.
A carreira requer diploma de graduação, idade entre 18 e 30 anos, e altura de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres. Para quem exerce a profissão, a PM paga inicial de R$ 4.700. Mais informações podem ser conferidas aqui

Concurso Polícia Civil de Goiás

A corporação deve lançar, no próximo dia 22 de julho, edital com 220 oportunidades, que será organizado pelo Cespe/UnB. Das chances, 280 serão para agente e 220 para escrivão.
Certificado de formação superior será exigido para pleitear as duas funções. A Polícia Civil oferece remuneração de até R$ 3.000 com a gratificações. Mais informações podem ser conferidas aqui

Concurso Polícia Militar de Goiás


Já tem data definida para ser publicado o edital do concurso da PM/GO: 19 de agosto. O próximo passo será a contratação da banca organizadora.
O certame abrirá 2.500 vagas para soldado de 3ª classe, que apresenta vencimento de até R$ 3.000 com as bonificações. A carreira deve exigir apenas ensino médio. Mais informações podem ser conferidas aqui

Concurso Polícia Militar da Bahia 


Segue em pauta o concurso de soldado para a Polícia Militar da Bahia. A seleção depende de melhoria das condições financeiras no Estado, por isso ainda não foi delimitado o número de vagas.
Para concorrer ao cargo é necessário possuir ensino médio; idade de 18 a 30 anos até a data da matrícula para o curso de formação; carteira de habilitação categoria “B” e altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres. A remuneração inicial corresponde a R$ 2.197,78. Mais informações podem ser conferidas aqui

Concurso Polícia Militar do Ceará


O maior número de vagas aguardadas é para a PM do Ceará. A corporação lançará, em breve, concurso com 4.200 chances para soldado, sendo 3.990 para homens e 210 para mulheres.
No último dia 29 de junho, foi publicado documento que atesta a contratação do Instituto AOCP como a empresa organizadora de todas as etapas do certame.
A carreira de soldado tem os seguintes pré-requisitos: ensino médio; idade de 18 a 30 anos até a data de matrícula no curso de formação; e altura mínima de 1,62m para homens e 1,57 para mulheres. É oferecido salário inicial de R$ 3.200. Mais informações podem ser conferidas aqui

Concurso Polícia Militar do Maranhão 


Em maio, o governador do Maranhão, Flávio Dino, anunciou a realização de concurso para a Polícia Militar. O político informou que liberará autorização para o processo seletivo ainda este ano e que, por isso, não foi definido o número de ofertas.
A seleção será para a contratação de soldados, que deve exigir ensino médio completo (se não houver alteração nos requisitos até o lançamento do edital). Mais informações podem ser conferidas aqui.

Concurso Polícia Militar do Tocantins


Exatamente no dia do soldado, em 25 de agosto, será divulgado o edital do concurso da PM/TO. O certame trará 1.000 vagas para soldado.
Com base no último certame, a posição de soldado requer ensino médio completo; idade entre 18 e 30 anos; altura mínima de 1,63m (homens) ou 1,60m (mulheres); além do cumprimento dos deveres militares, civis e eleitorais. Mais informações podem ser conferidas aqui

Vídeos Polícias

Quanto custa se tornar um servidor público?


Mais Lidas

Mais Recentes

níveis médio e superior

níveis médio e superior

Uruçuí PI inscreve para 92 vagas

Atualizado: 08/02/2018 - 11:14

São Joaquim do Monte/PE: concurso encerra prazo hoje

Oportunidades do concurso da Prefeitura de São Joaquim do Monte estão distribuídas entre cargos de todos os níveis escolares e com salários de até R$ 6 mil por mês

Diversos cargos

Por JCConcursos - Leandro Cesaroni

Após prazo prorrogado, chegam ao fim nesta quinta-feira (8) as inscrições para o concurso da Prefeitura de São Joaquim do Monte, em Pernambuco, destinado a selecionar 190 profissionais em diversas funções. 
Com nível fundamental completo será possível se candidatar para as ofertas de operador de máquinas pesadas (2 postos), pintor predial (1), lavadeira hospitalar (2), cozinheiro hospitalar (4), gari (5), motorista B ou C (6), motorista D ou E (6), merendeira (8), coveiro (1), pedreiro (1), vigia (5), zelador predial (8), porteiro (10) e auxiliar de serviços gerais (25).
Os cargos que requerem a conclusão do ensino médio são os seguintes: agente de vigilância sanitária (2), agente de combate às endemias (3), recepcionista plantonista (3), auxiliar administrativo (10), monitor escolar (15), auxiliar de farmácia (1), técnico de imobilização (1), técnico de laboratório (1), técnico em raio-x (1), técnico em edificações (1), guarda municipal (8), agente comunitário de saúde (9), técnico de enfermagem hospitalar plantonista (12) e professor de educação infantil e anos iniciais (15).
Nível superior é exigência para as oportunidades de analista clínico (1), farmacêutico (1), fisioterapeuta (1), médico ortopedista (1), médico veterinário (1), nutricionista (1), professor de educação física (1), psicólogo (1), médico pediatra (1), auditor de controle interno (1), auditor fiscal de tributos municipais (1), médico auditor (1), médico ginecologista (1), enfermeiro (4) e médico clínico geral (7).
Os salários iniciais oferecidos no concurso da Prefeitura de São Joaquim do Monte partem de R$ 937 e chegam a R$ 6.000.
Quem quiser participar do concurso deverá efetuar a inscrição por meio do site www.admtec.org.br. As taxas para se candidatar são de R$ 60 para carreiras de ensino fundamental, R$ 80 para as de nível médio e R$ 95 para as que exigem formação de ensino superior.

Etapas do concurso de São Joaquim do Monte/PE


A aplicação das provas objetivas está marcada para o dia 25 de fevereiro, sendo que os gabaritos serão publicados no dia seguinte. Informações a respeito do horário e dos locais do exame serão divulgadas até 16 de fevereiro.
Entre 2 e 4 de abril serão recebidos os títulos dos candidatos a professor. Já o resultado final do concurso da Prefeitura de São Joaquim do Monte/PE está previsto para sair até 18 de maio.
Continuar lendo

Atualizado: 08/02/2018 - 10:11

Concurso PM/SP: definida a banca para 2.700 vagas

Oportunidades para o concurso da Polícia Militar de São Paulo (PM/SP) aceitam pessoas de ambos os sexos e exigem nível médio completo

Para soldado

Por JCConcursos - Camila Diodato

A Polícia Militar de São Paulo (PM/SP) definiu, por meio de dispensa de licitação, a banca organizadora do seu próximo concurso público, que terá 2.700 oportunidades para o cargo de soldado PM 2ª classe. A empresa escolhida, como de costume, foi a Fundação Vunesp.
Com a dispensa, agora o órgão irá preparar os trâmites para assinar o contrato de prestação de serviços, para poder então lançar o edital, que está previsto ainda para este semestre, conforme divulgou a Divisão de Seleção e Alistamento da Polícia Militar.
A carreira de soldado do concurso da PM/SP 2018 exige ensino médio completo, altura mínima de 1,60m para homens e 1,55m para mulheres, idade entre 17 e 30 anos, além de carteira de habilitação nas categorias “B” a “E”. 
O salário vigente para soldado PM de 2ª classe corresponde a R$ 3.034,05, sendo que as parcelas que o compõem são: R$ 1.178,88 de padrão, R$ 1.178,88 de Regime Especial de Trabalho Policial (RETP) e R$ 676,29 de insalubridade.

Autorização do concurso da PM/SP 2018


Em 27 de dezembro, o governador Geraldo Alckmin autorizou o concurso da PM/SP para o preenchimento de 5.400 vagas. Tais chances serão para dois editais, ambos com 2.700 postos.
Como a primeira turma começará em maio de 2019, os preparativos para o edital já foram iniciados. Com relação ao segundo edital, ainda não foi elaborado o cronograma, pois a outra turma será formada em janeiro de 2020.

Atribuições do cargo de soldado PM de 2ª classe 


O policiamento ostensivo e a preservação da ordem pública, envolvendo a repressão imediata às infrações penais e administrativas e a aplicação da lei, nas diversas modalidades de policiamento, sempre primando pela defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa humana, em conformidade com os princípios doutrinários de polícia comunitária, de direitos humanos e de gestão pela qualidade, por intermédio da conclusão com aproveitamento do curso superior de técnico de polícia ostensiva e preservação da ordem pública, destinado a formar, com solidez teórica e prática, o profissional ocupante do cargo inicial do quadro de praças da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

Último concurso da PM/SP


Em novembro do ano passado, a Polícia Militar de São Paulo encerrou as inscrições do concurso que visa a preencher 2.200 vagas para o posto de soldado. A banca organizadora do processo seletivo é a Fundação Vunesp.
As provas objetivas já ocorreram e apresentaram 50 questões de múltipla escolha, sendo 12 de matemática, dez de conhecimentos gerais, cinco sobre noções básicas de informática e cinco sobre noções de administração pública. Elas foram aplicadas nas cidades de Araçatuba, Bauru, Campinas, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba.
O processo de seleção ainda constou de uma avaliação dissertativa, composta de uma redação, na qual se esperava que o candidato produzisse uma dissertação em prosa na norma-padrão da língua portuguesa, a partir da leitura de textos auxiliares, que serviram como um referencial para ampliar os argumentos produzidos pelo próprio candidato.
As demais etapas são: exame de aptidão física; exames de saúde; exames psicológicos; avaliação da conduta social, da reputação e da idoneidade; e análise de documentos. 
Continuar lendo

Atualizado: 07/02/2018 - 13:04

Concurso Bombeiros/MG: saiu edital para oficial

Novo concurso dos Bombeiros de Minas Gerais receberá as inscrições durante o período de 9 de abril a 9 de maio. Há vagas para homens e mulheres

Nível médio e salário de R$ 5,7 mil

Por JCConcursos - Camila Diodato

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais publicou edital de concurso para o preenchimento de 30 vagas de oficial. Do total de oportunidades, 27 são para o sexo masculino e três para o feminino.
Para concorrer a uma das chances disponibilizadas no edital é preciso atender aos seguintes requisitos: ter ensino médio completo; idade entre 18 e 30 anos; altura mínima de 1,60m; estar quite com as obrigações eleitorais e militares; ter aptidão física; ser aprovado em avaliação psicológica e toxicológica; e ter sanidade física e mental.
Durante o curso de formação de oficiais, o cadete fará jus a uma remuneração inicial de R$ 5.769,42 e ainda terá abono fardamento e assistência médico-hospitalar, psicológica e odontológica. Ao término do curso, o cadete será declarado aspirante a oficial BM e depois será promovido ao posto de 2º tenente.
Os candidatos convocados no concurso dos Bombeiros de MG 2018 serão contratados pelo regime jurídico dos militares estaduais definido pela Constituição da República Federativa do Brasil, Constituição Estadual de Minas Gerais e outras normas complementares.

Atribuições do cargo


Como cadete, o profissional terá o dever de exercer atividade estudantil, em regime de dedicação integral e exclusiva ao CBMMG, e demais atividades internas e externas vinculadas à sua formação, durante o período de duração do curso, conforme o Regulamento de Ensino do CBMMG e outras normas afins.
O aspirante a oficial BM exerce atividades inerentes aos oficiais subalternos (tenentes), com atribuições e deveres semelhantes, respeitadas as restrições previstas em leis, regulamentos e instruções pertinentes.
Já o tenente trabalha em unidades do Corpo de Bombeiros Militar; entre outras atividades, atua em equipes de cooperação, sob supervisão de oficiais com patente superior, pode trabalhar em ambientes fechados, abertos ou em veículos, e em horários irregulares; está sujeito ao trabalho confinado, em locais subterrâneos ou em grandes alturas; trabalha, muitas vezes, sob pressão, em posições desconfortáveis por longos períodos, expostos a produtos químicos e materiais radioativos e tóxicos, ruídos, altas temperaturas, enchentes, inundações.

Inscrições do concurso dos Bombeiros/MG 2018


A participação deverá ser garantida no período de 9 de abril a 9 de maio pelo site da Fundep (www.gestaodeconcursos.com.br), a banca organizadora. Quem tiver dificuldade em fazer a inscrição online, poderá se dirigir aos endereços citados no item 4 do edital em anexo.
O cadastro só será efetivado após o pagamento da taxa que custa R$ 177,49, desde que seja feito dentro da data de vencimento do boleto. O candidato pode requerer a isenção entre 9 e 11 de abril no endereço eletrônico da organizadora se o mesmo estiver desempregado ou tiver hipossuficiência econômica-financeira.

Triagem do concurso do Corpo de Bombeiros de MG 2018


O certame constará de quatro fases: prova objetiva e redação; exames médicos preliminares e complementares e teste psicológico; teste de capacitação física e habilidades natatórias; e exame toxicológico.
A prova objetiva apresentará 50 questões de múltipla escolha distribuídas igualmente entre as disciplinas de língua portuguesa, literatura brasileira, matemática, geografia, história, direitos humanos, química, biologia, física e língua estrangeira (inglês ou espanhol). A avaliação será aplicada no dia 10 de junho, em locais e horários a serem revelados oportunamente pela Fundep.
Continuar lendo

Atualizado: 07/02/2018 - 12:28

Concurso PM/AM: edital deve ser publicado em breve

O edital do concurso da Polícia Militar do Amazonas (PM/AM) deve disponibilizar oportunidades para as carreiras de soldado e oficial. Níveis médio e superior de ensino

5.865 vagas

Por JCConcursos - Camila Diodato

O novo concurso da Polícia Militar do Estado do Amazonas (PM/AM) deve ser publicado em breve. No ano passado, a instituição havia revelado que o edital ficaria para 2018.
Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP/AM), o certame terá um total de 5.865 vagas distribuídas entre as carreiras de soldado e oficial.
O posto de soldado destina-se aos profissionais com ensino médio completo, enquanto a função de oficial poderá exigir de nível médio ou superior, de acordo com a especialidade a ser oferecida. Os salários iniciais oferecidos não foram revelados.
Vale lembrar que tramita na Assembleia Legislativa do Estado um projeto de lei que amplia a idade máxima para ingresso no órgão, que passará dos 28 para os 35 anos de idade. Caso o documento seja aprovado antes do lançamento do novo concurso da PM/AM 2018, esta alteração já estará presente no edital.
Os passos para a realização do certame são a autorização oficial por parte do governador e a escolha da banca organizadora, para que então o edital seja divulgado.

Último concurso da PM/AM


Em 2011, a Polícia Militar lançou concurso com 2.473 vagas, sendo 2.000 para soldado, 29 para praça especialista, 39 para oficial de saúde e 405 para oficial combatente. O processo seletivo foi organizado pela Fundação Instituto Superior de Administração (Isae).
O posto de soldado destinou-se aos candidatos com nível médio e com altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres. A remuneração foi de R$ 1.104,81 durante o curso de formação e de R$ 1.637,33 após a conclusão.
As ofertas para oficial combatente estavam divididas da seguinte maneira: 167 para os que fizeram o curso de formação de oficial PM; 188 para as pessoas com graduação em direito; e 50 para os candidatos com ensino médio. Para esta função também foi exigida carteira de habilitação. Durante o curso de formação os oficiais receberam R$ 3.274,66 e depois que passaram a aspirante começaram a ganhar R$ 3.400,60.
Com exigência de nível médio e vencimento inicial de R$ 1.685,06, a carreira de praça especialista estava distribuída entre as funções de auxiliar de enfermagem (10), auxiliar de odontologia (6), auxiliar veterinário (3) e músico instrumentista com especialidade em clarinete (3), saxofone (1), trombone (2), trompa (2) e corneta (2).
Para oficial de saúde, havia 18 chances para médico em diversas especialidades, oito para dentista, uma para veterinário, uma para farmacêutico-bioquímico, quatro para enfermeiro, cinco para psicólogo e duas para fisioterapeuta. Tais cargos necessitaram de curso superior completo e o salário base inicial correspondia a R$ 3.600,40.
O processo de triagem para todos os participantes do concurso da PM do Amazonas constou de prova objetiva, inspeção de saúde, teste de aptidão física, avaliação psicológica, apresentação de documentos, curso de formação e investigação social, funcional, cível e criminal. Fora essas etapas, alguns cargos de praça especialista passaram por exame prático.
As avaliações aconteceram nos municípios de Barcelos, Boca do Acre, Coari, Eirunepé, Humaitá, Itacoatiara, Lábrea, Manaus, Manacapuru, Parintins, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga e Tefé.
Continuar lendo

Atualizado: 07/02/2018 - 11:52

PC/CE realizará novo concurso público em 2018

De acordo com publicação em diário oficial, corporação conta com R$ 4,5 mi para novos concursos este ano. Cargos e vagas dependem de autorização governamental

Verbas já foram liberadas

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil do Ceará (PC/CE) deve realizar novo concurso público ainda no decorrer de 2018. O primeiro passo ocorreu no último dia 31 de janeiro, quando publicada, em diário oficial, a liberação de verbas complementares para a realização do novo certame. O documento determina um total de R$ 4,5 mi para a nova seleção. Porém, a oferta de vagas, bem como a distribuição pelos respectivos cargos, somente poderá ser confirmada com a autorização formal do concurso, que pode ocorrer nas próximas semanas.

A expectativa é de que a seleção seja para os mesmos cargos do último concurso do órgão, realizado em 2014. Na ocasião, a oferta foi de 763 postos, para os cargos de delegado, escrivão e inspetor. Para todas as carreiras, para concorrer é necessário possuir formação de nível superior, além de carteira de habilitação ‘B” ou superior. As remunerações iniciais, na ocasião, foram de R$ 2.946,19 para inspetor e escrivão e R$ 14.592,39 para delegado, todos com jornada de trabalho de 40horas semanais. A banca organizadora foi a Fundação Vunesp.


Provas

Para inspetor e escrivão, a seleção contou com duas fases, com provas objetivas na primeira e curso de formação profissional na segunda. Somente para delegado, além destas etapas também foram aplicadas questões discursivas e análise de títulos. Na segunda, além do curso de formação, os participantes foram submetidos a sindicância de vida pregressa, prova prática de digitação (para escrivão), teste de capacidade física (para inspetor e delegado), avaliação psicológica, exame toxicológico e avaliação médica.

Para escrivão, a prova objetiva contou com oito questões de noções de informática, 12 de noções de direto constitucional, 14 de noções de direito penal e 12 de legislação penal extravagante.

Para inspetor, dez de língua portuguesa, oito de noções de informática, 12 de noções de direito constitucional, 12 de noções de direito administrativo, 14 de noções de direito penal, 12 de noções de direito processual penal e 12 de legislação penal extravagante.

Por fim, para delegado, dez de língua portuguesa, cinco de noções de administração pública, cinco de noções de informática, cinco de direito constitucional, seis de direito administrativo, seis de direito penal, 14 de direito processual penal, 12 de legislação penal extravagante, oito de medicina legal, cinco de direitos humanos, quatro de direito civil, quatro de direito processual civil, quatro de direito tributário, quatro de legislação ambiental, quatro de criminologia e  cinco de legislação especial, além de uma peça processual e duas questões discursivas.  
Continuar lendo

Atualizado: 07/02/2018 - 09:33

Concurso PM/TO: últimos dias do prazo para 1.040 vagas

Oportunidades no concurso da PM/TO 2018 são para candidatos de níveis médio e superior, com idade entre 18 e 30 anos. Inscrições terminam às 14h de 9 de fevereiro

Para soldado e oficial

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

Encerra-se às 14h de 9 de fevereiro o período de inscrição dos dois editais do concurso público da Polícia Militar do Estado do Tocantins (PM/TO). Ao todo, serão preenchidas 1.040 vagas, sendo 1.000 reservadas ao cargo de soldado (900 para homens e 100 para mulheres) e 40 para oficial (36 para homens e quatro para mulheres). 
Interessados em concorrer a uma das vagas devem possuir ensino médio completo para soldado e nível superior para oficial. Ambas as funções ainda exigem os seguintes requisitos: idade entre 18 e 30 anos; altura mínima de 1,60m para o sexo feminino e 1,63m para o sexo masculino; carteira de habilitação na categoria “B” e Idoneidade moral, comprovada mediante apresentação de certidões policial e judicial. 
Os salários iniciais oferecidos pela PM/TO são de R$ 4.455,46 para o cargo de soldado e R$ 8.382,10 para o aspirante a oficial, para jornada de trabalho em regime de tempo integral, com dedicação exclusiva. 
De acordo com os editais, os atributos exigidos são destinados a selecionar candidatos hábeis para o exercício de subordinação às regras e leis atinentes ao serviço policial militar, no enfrentamento de situações conflitivas e de alto risco, em defesa da sociedade, inclusive portando armas de fogo e outros instrumentos inerentes à atividade policial, sem colocar em risco a comunidade a que irá servir e a si mesmo.

Como participar do concurso da PM/TO 2018


A ficha de inscrição está disponível no endereço eletrônico da banca organizadora do processo seletivo, a AOCP Concursos Públicos (www.aocp.com.br). 
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA PM/TO - OFICIAL PM / SOLDADO

Os valores da taxa de participação do concurso da PM/TO são de R$ 80 para soldado e R$ 120 para oficial. O pagamento do boleto bancário deverá ser efetuado até a data limite do prazo, observado o horário de funcionamento do banco. 

Provas do concurso da PM/TO 2018


Os candidatos serão avaliados por meio de prova objetiva de múltipla escolha, composta por 60 questões sobre as disciplinas de língua portuguesa, raciocínio lógico e matemático, atualidades e conhecimentos regionais, noções de direito, noções de informática e normas pertinentes à PM/TO

Ads

Treino Tático PM-TO

Assista aulão online e gratuito com informações e dicas sobre o concurso da PM-TO. Inscreva-se!

Já a prova dissertativa será realizada por todos os participantes juntamente com a objetiva. Ela será elaborada a partir de um tema proposto, baseado em um ou mais textos ou fragmentos de textos, e a resposta deverá conter entre 20 e 30 linhas. O candidato adotará uma linha de abordagem utilizando a tipologia textual “dissertação” e o seu texto deverá apresentar valores, opiniões, crenças, hipóteses, ideias, em suma, os aspectos axiológicos ou cognitivos para esse tipo de produção textual. 
As provas objetiva e dissertativa serão aplicadas no dia 11 de março nas cidades de Palmas, Araguaína, Gurupi, Arraias e Araguatins. Os locais e horários serão comunicados no edital de convocação, a ser publicado no site da AOCP em momento oportuno. 
O concurso da PM/TO ainda será constituído das seguintes etapas, para todos os cargos: exame de capacidade física; avaliação psicológica; avaliação médica e odontológica; e investigação social. 
Continuar lendo

Atualizado: 06/02/2018 - 16:35

PC/MT: concurso em pauta para 1.200 vagas

Do total de vagas prevista no concurso PC/MT 2018, 600 são para o cargo de escrivão e 600 para investigador, ambos com exigência de nível superior em qualquer área, com iniciais de R$ 5,3 mil

Edital previsto para março

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil do Mato Grosso (PC/MT) pretende realizar um novo concurso público ainda no primeiro semestre de 2018. De acordo com informações do secretário de estado de Segurança Pública do estado, Gustavo Garcia, em declarações à imprensa, a intenção é publicar o edital até março. Porém, para isto ainda depende de autorização formal do governador Pedro Taques, bem como da definição da banca organizadora.

A expectativa é de que o certame conte com uma oferta de 1.200 postos, sendo 600 para o cargo de escrivão e 600 para investigador. Para as duas carreiras, para ingressar é necessário possuir formação de nível superior em qualquer área, com remuneração inicial de R$ 5.310,83, com jornada de trabalho de 40 horas semanais. Para investigador também é necessário possuir carteira de habilitação nas categorias “C” ou “D”.


Atribuições

No caso de escrivão, as atividades estão relacionadas com o recolhimento e análise de dados de interesse da investigação policial, em assessoria e sob designação de autoridade policial, além de cumprir despachos e portarias registradas por escrito pela autoridade, bem como lavrar os seguintes atos procedimentais: certificar atos cartorários e expedir intimações e notificações.
Já ao investigador cabe proceder, na ausência de autoridade policial, os devidos encaminhamentos aos procedimentos policiais nas tarefas que não forem privativas de autoridade policial, realizar intimações e notificações, assessorar estudos para a execução de projetos de organização e reorganização na área policial, efetuar prisões em flagrante e arrecadar instrumentos relacionados à prática de infrações penais, de acordo com as disposições legais.


Último Concurso

O último concurso para estas carreiras ocorreu em 2013 e foi organizado pela Funcab e contou com duas fases. Na primeira os participantes foram submetidos a provas objetivas, prova de digitação para escrivão, exames de saúde, testes de aptidão física, avaliação psicológica e investigação social.  Na segunda, os candidatos foram submetidos a um curso de formação profissional.   A parte objetiva contou com 70 questões, sendo 15 de língua portuguesa, dez de conhecimentos gerais e 45 de conhecimentos específicos. Das dez de conhecimentos gerais foram duas de ética e filosofia, quatro de atualidades e quatro de história e geografia do Mato Grosso. Já das 45 de conhecimentos específicos, cinco de noções de informática, seis de noções de direito administrativo, seis de noções de direito constitucional, seis de organização e estatuto da Polícia Judiciária Civil/MT, dez de noções de direito processual penal e 12 de noções de direito penal.
Continuar lendo

Atualizado: 06/02/2018 - 11:54

Concurso Polícia Civil/MG 2018: sai edital de delegado

Destinada a bachareis em direito, carreira conta com salário de R$ 11,4 mil. Inscrições para o concurso da Polícia Civil de Minas Gerais (PC/MG) abrem em 16 de abril

76 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Foi divulgado nesta terça-feira (6) o edital do concurso para delegado da PC/MG (Polícia Civil de Minas Gerais). A seleção preencherá, ao todo, 76 vagas para atuação em delegacias regionais no interior do Estado.  
Destinada a profissionais com curso superior em direito, a carreira oferece remuneração inicial de R$ 11.475,57 e tem jornada semanal de 40 horas de trabalho. 
Será possível se inscrever no concurso de delegado da PC/MG entre 16 de abril e 15 de maio, por meio do site da Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc), no endereço: www.fumarc.com.br. O valor da taxa é de R$ 212. 

Sobre as provas do concurso da PC/MG 2018


O concurso da Polícia Civil/MG envolverá sete etapas. Na primeira delas, em 17 de junho, na capital, os candidatos farão prova objetiva com 70 questões de múltipla escolha. 
Com duração de quatro horas e meia, o exame abordará conteúdos de criminologia, medicina legal, direitos humanos e conhecimentos em direito administrativo, civil, constitucional, penal e processual penal.  
As demais fases incluem: provas dissertativa e oral, em 12 de agosto e 2 de outubro, respectivamente, além de avaliação psicológica, exames biomédicos/biofísicos, análise de títulos e investigação social, em datas a serem definidas.
CURSO CONCURSO PC/MG 2018 - DELEGADO
De acordo com o edital, o concurso da PC/MG terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão.

Atribuições do delegado no concurso da Polícia Civil de Minas Gerais 2018


a) Presidir a investigação criminal de acordo com seu livre convencimento técnico-jurídico, com isenção e imparcialidade; b) decidir sobre o indiciamento, desde que seja realizado por ato fundamentado, mediante análise técnico-jurídica do fato, que deverá indicar a autoria, materialidade e suas circunstâncias; c) requisitar a realização de exames periciais, informações, cadastros, documentos e dados, bem como colher provas e praticar os demais atos necessários à adequada apuração de infração penal e do ato infracional, observados os limites legais; d) decidir sobre a lavratura do auto de prisão em flagrante; e) representar à autoridade judiciária para a decretação de medidas cautelares reais e pessoais; f) presidir inquéritos policiais, a lavratura de autos de prisão em flagrante delito, de termos circunstanciados de ocorrência, de interrogatórios, de oitivas e demais atos e procedimentos de natureza investigativa, penal ou administrativa; g) formalizar o ato de indiciamento, fundamentando a partir dos elementos de fato e de direito existentes nos autos; h) promover o bem-estar geral, a garantia das liberdades públicas, o aprimoramento dos métodos e procedimentos policiais, a polícia comunitária e a mediação de conflitos; i) dirigir os serviços de trânsito e a identificação civil e criminal no âmbito do Estado.

Conteúdo programático parcial para a prova do concurso da Polícia Civil/MG 2018


Criminologia – 8.1 Criminologia como ciência empírica e interdisciplinar: conceito, objeto, método, sistema e funções da criminologia. 8.2 A escola liberal clássica do direito penal e a criminologia positivista. 8.3 A Moderna Criminologia científica: modelos teóricos explicativos do comportamento criminal. Biologia criminal, Psicologia Criminal e Sociologia Criminal. 8.4 Teoria Estrutural-Funcionalista do desvio e da anomia. 8.5 Teoria das Subculturas Criminais. 8.6 “Labeling Approach”. 8.7 Do “Labeling Approach” a uma criminologia crítica. 8.8 Sistema penal e reprodução da realidade social. 8.9 Cárcere e marginalidade social. 8.10 Modelo consensual de Justiça Criminal. Referência Bibliográfica: BARATTA, Alessandro. Criminologia Crítica e Crítica do Direito Penal. Introdução à sociologia do Direito Penal. Coleção Pensamento Criminológico. 3ª ed., Rio de Janeiro: Revan: Instituto Carioca de Criminologia. MOLINA, Antônio García-Pablos de e GOMES, Luiz Flávio. Criminologia. 6ª ed., reform. atual. e ampl., São Paulo: Revista dos Tribunais.
Medicina legal – 6.1 Perícias e Peritos. 6.1.1 Documentos médico-legais. 6.1.2 Quesitos oficiais. 6.1.3 Perícias médicas. 6.1.4 Ética médica e pericial. 6.1.5 Legislação sobre perícias médico-legais. 6.2 Antropologia Médico-legal. 6.2.1 Identidade e identificação. 6.2.2 Identificação judiciária. 6.3 Traumatologia Médico-legal. 6.3.1 Lesões corporais sob o ponto de vista jurídico. 6.3.2 Energias de Ordem Mecânica. 6.3.3 Energias de Ordem Química, cáusticos e venenos, embriaguez, toxicomanias. 6.3.4 Energias de Ordem Física: Efeitos da temperatura, eletricidade, pressão atmosférica, radiações, luz e som. 6.3.5 Energias de Ordem Físico-Química: Asfixias em geral. Asfixias em espécie: por gases irrespiráveis, por monóxido de carbono, por sufocação direta, por sufocação indireta, por afogamento, por enforcamento, por estrangulamento, por esganadura, por soterramento e por confinamento. 6.3.6 Energias de Ordem Biodinâmica e Mistas. 6.4 Tanatologia Médico-legal. 6.4.1 Tanatognose e cronotanatognose. 6.4.2 Fenômenos cadavéricos. 6.4.3 Necropsia, necroscopia. 6.4.4 Exumação. 6.4.5 "Causa mortis". 6.4.6 Morte natural e morte violenta. 6.4.7 Direitos sobre o cadáver. 6.5 Sexologia Médico-legal. 6.5.1 Crimes contra a dignidade sexual e provas periciais. 6.5.2 Gravidez, parto, puerpério, aborto, infanticídio. 6.5.3 Reprodução assistida. 6.5.4 Transtornos da sexualidade e da identidade sexual. 6.6 Psicopatologia Médico-legal. 6.6.1 Imputabilidade penal e capacidade civil. 6.6.2 Limite e modificadores da responsabilidade penal e capacidade civil. 6.6.3 Repercussões médico-legais dos distúrbios psíquicos. 6.6.4 Simulação, dissimulação e supersimulação. 6.7 Embriaguez alcoólica. 6.7.1 Alcoolismo. 6.7.2 Aspectos jurídicos. 6.8 Toxicofilias. Referência Bibliográfica: FRANÇA, Genival Veloso. Medicina Legal. 11ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan Ltda, 2017.
Confira o conteúdo programático completo do concurso para delegado da PC/MG 2018
Continuar lendo

Atualizado: 02/02/2018 - 11:13

PC/PR: autorizado novo concurso para escrivão

Seleção deverá contar com 100 vagas imediatas, além de servir para formar cadastro reserva de pessoal. Nível superior e inicial de R$ 5,1 mil

Edital em breve

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Apesar da grande expectativa pela realização de um novo concurso público para o cargo de investigador, ao que tudo indica a próxima seleção promovida pela Polícia Civil do Estado do Paraná (PC/PR) será para a carreira de escrivão de polícia. De acordo com comunicado divulgado na última quinta-feira, 1º de fevereiro, pelo Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol), o governador Beto Richa acaba de confirmar a autorização do novo concurso público 2018 para a carreira, que contará com uma oferta inicial de 100 vagas, além de formar cadastro reserva de pessoal.

Para concorrer ao cargo é necessário possuir formação de nível superior, idade mínima de 21 anos e carteira de habilitação a partir da categoria “B”, com remuneração inicial de R$ 5.197. Com a autorização, os próximos passos são definir a comissão responsável e a banca organizadora.
De acordo com nota do sindicato, a falta de escrivães é uma das situações mais graves registradas pela corporação. As últimas nomeações para o cargo, segundo ele, foram realizadas em 2014 e, desde então, um novo certame vem sendo cobrado.

Último Concurso

No último concurso para o cargo, realizado em 2009, foram oferecidas 90 vagas. A banca foi a Coordenadoria de Processos Seletivos da Universidade Estadual de Londrina e a seleção foi composta de cinco fases, contando com provas objetivas de conhecimentos gerais  na primeira, prova de conhecimentos específicos na segunda, prova de higidez física na terceira, testes de aptidão física na quarta e, finalmente, investigação de conduta na última.
A parte de conhecimentos gerais teve 25 questões, sendo dez de língua portuguesa, sete de economia e demografia paranaense, quatro de noções de informática e quatro de raciocínio lógicos.
Em conhecimentos específicos foram mais 25, sendo cinco de noções do estatuto da Polícia Civil, quatro de noções de direito penal, quatro de noções de direito constitucional, quatro de direito administrativo, quatro de direito processual penal e quatro de noções de legislação específica.   
Continuar lendo

Atualizado: 02/02/2018 - 11:08

Concurso Polícia Civil/GO: definida a organizadora

A autorização do concurso para a Polícia Civil de Goiás contempla oportunidades para os cargos de delegado, agente e escrivão. Exigência de nível superior completo

650 vagas

Por JCConcursos - Camila Diodato

Está cada vez mais próxima a realização do novo concurso da Polícia Civil de Goiás, que visará ao preenchimento de 650 oportunidades em seu quadro de pessoal. Acontece que o órgão divulgou, por meio de uma postagem na rede social, que já foi definida a banca organizadora.
Na publicação feita no Instagram, a instituição estadual revelou que a empresa selecionada foi a UEG (Universidade Estadual de Goiás). O próximo passo será a assinatura do contrato de prestação de serviços para que finalmente seja publicado o edital.
Vale lembrar que a autorização deste certame foi liberada no dia 31 de outubro do ano passado pelo governador de Goiás, Marconi Perillo, durante a solenidade de formatura de 400 policiais civis.
No aval concedido pelo governador consta que o concurso da Polícia Civil/GO 2018 terá 100 vagas para a carreira de delegado e 550 distribuídas entre as funções de agente e escrivão. 
Todos os cargos liberados são destinados a profissionais com ensino superior completo em diversas áreas de atuação - vale ressaltar que para delegado será exigido bacharelado em direito.

Atribuições dos cargos do concurso da Polícia Civil/GO 2018


Agente - Efetuar diligências a fim de prender criminosos; apreender objetos furtados e localizar pessoas; fazer investigações, realizar rondas noturnas e diurnas; policiar zonas impróprias para menores; dar plantão; seguir elementos suspeitos da prática de infração penal; fazer coletas de informações; prender infratores em flagrante ou em virtude de mandado da autoridade competente; conduzir pessoas à presença da autoridade de polícia judiciária, quando necessário ao esclarecimento de fatos delituosos; elaborar relatório das investigações realizadas; entre outras atividades.
Escrivão - Reduzir a termos ocorrências, declarações e depoimentos; expedir intimações, citações e notificações; redigir portarias, ofícios, mandados, termos, autos, ordens de serviço, editais, circulares, boletins, etc.; preencher guias para identificação, recolhimento e soltura de presos; protocolar ofícios, requerimentos e representações; catalogar e arquivar em pastas próprias todos os documentos relativos ao serviço; organizar os livros de cargas e descargas de remessa de autos, de conclusões de inquéritos e de ofícios, documentos e demais papeis dos cartórios policiais; entre outras atividades.
Delegado - instaurar e presidir, com exclusividade, inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência e outros procedimentos policiais legais para a apuração de infração penal ou ato infracional; exercer atribuições previstas na legislação processual penal de competência da autoridade policial; dirigir, coordenar, supervisionar e fiscalizar as atividades logísticas e finalísticas da unidade sob sua direção; determinar intimações e, em caso de não comparecimento injustificado, condução coercitiva; requisitar a realização de exames periciais e complementares, destinados a colher e resguardar indícios ou provas da ocorrência de infrações penais ou de quaisquer outros exames que julgar imprescindíveis à elucidação do fato investigado; entre outras atividades.

Último concurso da Polícia Civil/GO


Em 2016, a Polícia Civil de Goiás lançou dois editais de concurso: um com 36 vagas para delegado e o outro 280 chances para agente e 220 para escrivão.
A banca organizadora, na ocasião, foi o Cespe/UnB e a triagem constou de provas objetivas, provas discursivas, avaliação médica, teste de aptidão física, exame psicotécnico, avaliação de vida pregressa e investigação social, curso de formação profissional, análise de títulos e/ou prova prática de digitação, dependendo da função.
Continuar lendo

Atualizado: 01/02/2018 - 11:10

PM/ES: formada comissão para vagas da área de saúde

Seleção contará com 310 postos, sendo 290 para cargos com exigência de ensino médio e 20 para quem possui formação de nível superior. Editais previstos para o primeiro semestre de 2018

Iniciais até R$ 6,9 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves


Após formar a comissão do seu concurso público para soldados, em 18 de dezembro, a  Polícia Militar do Estado  (PM/ES) divulgou, no último dia 29 de janeiro, a comissão responsável pela seleção especificamente para a área da saúde. A publicação do edital de abertura de inscrições  está prevista para ocorrer ainda em fevereiro. Para isto, a corporação depende apenas da confirmação do nome da banca organizadora, o que deve ocorrer nos próximos dias. A seleção é aguardada desde 9 de novembro, quando autorizada pelo governador Paulo Hartung e contará com uma oferta de 310 vagas, sendo 290 para cargos com exigência de ensino médio e 20 para quem possui graduação de nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 6.971,84.

Além da escolaridade, para concorrer aos cargos será necessário possuir idade de 18 a 28 anos, contando até o primeiro dia de inscrição, altura mínima de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres e carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A expectativa é de que o concurso seja realizado no decorrer do primeiro semestre de 2018.

A comissão do concurso para soldados, formada em 18 de dezembro, é presidida por Vinicius Xavier Teixeira e conta, ainda, com os seguintes membros: cel.Altiere de Carlo da Silva Machado, maj. Alexandre Moreto da Silva; cel. Félix Gomes Martins, ten.cor. Rodrigo Nascimento Ribeiro Alves e maj Alexandre Loureiro de Souza.

Já as vagas da área de saúde também terão a comissão presidida por Vinicius Xavier Teixeira, contando, ainda, com o cel Altiere de Carlo da Silva Machado, ten. cel. Adriano Guetti Franco e maj. Alexandre Moreto da Silva. 

Ensino Médio

Das 290 vagas destinadas a quem possui ensino médio, 250 são para a carreira de soldado. Neste caso, os aprovados serão submetidos ao Curso de Formação de Soldados (CFSd), com duração aproximada de dois anos e carga horária mínima de 1.800 horas-aula. Durante este período, o aluno soldado receberá R$ 1.162,19. Após ser promovido a soldado passará a receber R$ 2.646,12, podendo chegar a R$ 3.052,06, caso concorra às escalas de serviço extra.
Ainda para ensino médio haverá dez vagas para soldado músico. Os interessados deverão passar por uma prova de conhecimentos específicos, além de prova prática de música, aplicada por banca designada pelo comandante geral. Durante o curso de formação, também com duração de dois anos e 1.800 horas aula, receberão R$ 1.162,19, passando para R$ 2.646,12 após ser aprovado, com possibilidade de chegar a R$ 3.052,06, em caso de escalas de serviço extra.
Também serão oferecidas 30 vagas para o curso de formação de oficiais combatentes, ainda destinado para quem possui ensino médio. A duração do curso é de três anos, com uma carga horária de 3.700 horas/aula. A remuneração é de R$ 2.461,10 no primeiro ano, chegando a R$ 3.281,48 no terceiro. Após a formação, o aspirante a oficial chega a ganhar R$ 6.396,56.

Nível Superior

Para fim, para nível superior, a seleção terá 20 vagas para o curso de adaptação de oficiais de saúde. Os interessados devem possuir registro no conselho de medicina, certificado de conclusão de residência médica na especialidade pretendida ou título de especialista emitido pela Associação Médica Brasileira (AMB). Neste caso, além de provas específica, haverá curso de adaptação, com mínimo de três meses de duração em regime integral e dedicação exclusiva. O inicial é de R$ 6.971,84.
Continuar lendo

Atualizado: 01/02/2018 - 09:18

Concurso Brigada Militar/RS 2018: inscrições abertas

Com salário de R$ 11,6 mil, carreira de capitão é destinada aos quadros de Polícia Ostensiva e do Corpo de Bombeiros. Prazo para registro de candidaturas vai até 1/3

250 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

 A Brigada Militar do Rio Grande do Sul abriu nesta quinta-feira (1) as inscrições para os dois editais do concurso destinado a preencher 250 vagas de capitão nos quadros de Polícia Ostensiva (200 postos) e do Corpo de Bombeiros (50). O salário inicial é de R$ 11.620,55.
Os candidatos devem possuir bacharelado em ciências jurídicas e sociais, idade máxima de 29 anos (até o último dia de inscrição), altura mínima de 1,60m (mulheres) e 1,65 (homens) e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria "B" ou superior, entre outros requisitos.
As inscrições para o concurso da Brigada Militar/RS e do Corpo de Bombeiros vão até 1º de março, por meio do site www.fundacaolasalle.org.br. O valor da taxa é de R$ 187,77.

Sobre as provas do concurso da Brigada Militar/RS e do Corpo de Bombeiros/RS


O concurso da Brigada Militar/RS e dos Bombeiros/RS envolverá cinco fases. Na primeira delas, os candidatos farão exame intelectual composto por provas objetiva e discursiva, ambas em 15 de abril, na capital, e análise de títulos, cujos documentos serão recebidos pela banca durante o período de inscrição
O conteúdo programático engloba língua portuguesa, legislação aplicada à função e conhecimentos em direito administrativo, civil, constitucional, da criança e do adolescente, internacional e direitos humanos, penal, processual penal, penal militar e processual penal militar. 
Nas demais etapas, haverá exame de saúde, teste físico, avaliação psicológica e prova oral, em datas a serem definidas. Os aprovados em todas as fases realizarão curso de formação com duração de até dois anos, nas academias de Polícia Militar e de Bombeiro Militar, em Porto Alegre.
Durante o treinamento, os alunos-oficiais receberão bolsa auxílio, indenização de fardamento e assistência à saúde, psicológica e odontológica.
O concurso da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da Secretaria de Segurança Pública, de acordo com os editais.

Concurso Brigada Militar/RS 2018: atribuições do capitão de Polícia Ostensiva


1. Exercer a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública, através do planejamento, controle, supervisão, fiscalização, apoio e execução de ações e operações policiais; 2.1.2.2 Exercer a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública, através do planejamento, controle, supervisão, fiscalização, apoio e execução dos mandamentos da Lei Federal nº 9.099, de 26 de setembro de 1995; 2.1.2.3 Exercer a gestão de recursos humanos, logísticos, financeiros e operacionais; 2.1.2.4 Ordenar despesa pública; 2.1.2.5 Exercer a gestão e execução das atividades docentes de ensino, instrução e treinamento nos cursos de formação, habilitação, especialização e de qualificação anual; 2.1.2.6 Exercer a Polícia Judiciária Militar através da presidência de Inquéritos Policiais Militares e de autos de prisão em flagrante delito de crime militar; 2.1.2.7 Exercer a apuração de infrações administrativas através da presidência de inquéritos técnicos, de sindicâncias e de procedimentos administrativos disciplinares; 2.1.2.8 Exercer a presidência de conselhos de justificação e de disciplina; 2.1.2.9 Exercer a magistratura militar na forma da legislação vigente; 2.1.2.10 Realizar a expedição, fiscalização e homologação de documentos públicos de sua competência; 2.1.2.11 Adotar as providências legais e administrativas quando da constatação de atos ilícitos ou de indícios de sua ocorrência;

Principais atribuições do capitão do Corpo de Bombeiros/RS


1. Desenvolver atividades administrativas em nível tático e operacional de Bombeiro Militar; 2.1.2.2 Exercer funções de assessoramento e de comando de companhias de Bombeiro Militar; 2.1.2.3 Exercer Funções de assessoramento e de comando de companhias de bombeiro militar, em espaço geográfico atribuído a um grupamento de bombeiros execução dos mandamentos da Lei Federal nº 9.099, de 26 de setembro de 1995; 2.1.2.4 Administrar recursos humanos, materiais e financeiros; 2.1.2.5 Administrar e coordenar atividades de emergência e de combate a incêndio; 2.1.2.6 Estabelecer parcerias com instituições afins e assessorar o comando em atividades operacionais e administrativas; 2.1.2.7 Exercer as atividades de Polícia Judiciária Militar no âmbito de sua competência; 2.1.2.8 Planejar, estudar, analisar, vistoriar, controlar, fiscalizar, aprovar, notificar e interditar atividades, equipamentos, projetos e planos de proteção e prevenção contra incêndios, Pânicos, Desastres e catástrofes em todas as edificações, instalações, veículos, embarcações e outras atividades que ponham em risco a vida, o meio ambiente e o patrimônio, aplicando a legislação específica, respeitada a competência de outros órgãos; 2.1.2.9 Realizar a investigação de incêndios e de sinistros, respeitadas as competências de outros órgãos; 2.1.2.10 Elaborar, emitir e homologar instruções resoluções relatórios, pareceres e normas técnicas para disciplinar a segurança, a proteção e a prevenção contra incêndios e sinistros e a proteção e defesa civil; 2.1.2.11 Credenciar, fiscalizar e regulamentar o funcionamento dos serviços civis auxiliares de bombeiros; 2.1.2.12 Credenciar e Fiscalizar as Escolas, as Empresas e os cursos de formação de bombeiros civis e aplicar as penalidades previstas em lei; 2.1.2.13 Credenciar e fiscalizar o funcionamento de campos de treinamento de combate a incêndios e fixar o currículo dos cursos de formação dos serviços civis auxiliares de bombeiros; 2.1.2.14 Orientar, coordenar e controlar, mediante supervisão diária das rotinas e tarefas, de modo a assegurar o atingimento das metas operacionais estabelecidas; 2.1.2.15 Estruturar, organizar o funcionamento dos serviços e rotinas de cada um dos subsistemas diretamente subordinados; 2.1.2.16 Executar as diretrizes fixadas pelo escalão imediatamente superior; 2.1.2.17 Orientar o desenvolvimento das políticas de gestão definidas para a aplicação nas atividades desenvolvidas, no âmbito de responsabilidades dos níveis organizacionais subordinados; entre outras atividades. 

Conteúdo programático de língua portuguesa para o concurso da Brigada Militar/RS 2018


Análise global do texto. Ortografia. Relações entre fonemas e grafias. Acentuação gráfica. Morfologia: estrutura e formação de palavras. Classes de palavras e seu emprego. Flexões: gênero, número e grau do substantivo e adjetivo. Sintaxe: processos de coordenação e subordinação. Equivalência e transformação de estruturas. Discurso direto e indireto. Concordância nominal e verbal. Regência verbal e nominal. Crase. Pontuação. Interpretação de textos: variedade de textos e adequação de linguagem. Estruturação do texto e dos parágrafos. Informações literais e inferências. Estruturação do texto: recursos de coesão. Significação contextual de palavras e expressões.Bibliografia Sugerida: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015. CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa - Novo acordo ortográfico. São Paulo: Nacional, 2009. NOUGUÉ, Carlos. Suma gramatical da língua portuguesa: Gramática geral e avançada. São Paulo: É Realizações, 2015. KOCH, I. Villaça; ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender: os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2006.
Continuar lendo

Atualizado: 01/02/2018 - 09:09

Polícia Civil/BA: concurso inscreve para 1.000 vagas

São 880 postos para investigador, 82 para delegado e 38 para escrivão, com salários de até R$ 11,3 mil. Concurso da PC/BA 2018 mantém inscrições disponíveis até 2 de março

Nível superior

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Começam às 10h desta quinta-feira (1) as inscrições do concurso da Polícia Civil da Bahia (PC/BA) com oferta de 1.000 vagas para contratação imediata.
Do total de oportunidades, 880 são para o cargo de investigador (remuneração de R$ 3.915,85), 82 para delegado (R$11.389,96) e 38 para escrivão (R$ 3.915,85). 
Os candidatos a delegado devem possuir curso superior em direito. No caso dos cargos de investigador e escrivão, são admitidos profissionais com graduação em qualquer área.   Para todas as carreiras, os vencimentos informados consideram o regime de trabalho de 40 horas semanais e já incluem o salário-base e a gratificação de atividade.
Será possível se inscrever no concurso da PC/BA até 2 de março, por meio do site da Vunesp (www.vunesp.com.br), banca que organiza a seleção. As taxas custam R$ 140 para investigador e escrivão e R$ 160 para delegado.  

Sobre as provas do concurso da Polícia Civil da Bahia 2018


O processo seletivo envolverá sete fases. Na primeira e segunda, os inscritos no concurso da PC/BA farão provas objetiva (100 perguntas de conhecimentos gerais e específicos) e discursiva. A aplicação está prevista para 22 de abril, em Salvador. O conteúdo programático pode ser conferido ao longo da matéria.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA PC/BA - ESCRIVÃO  E INVESTIGADOR DE POLÍCIA

Nas demais etapas, os candidatos passarão por exame biomédico, em 21 e 22 de julho; teste físico, em 9 de setembro; avaliação psicotécnica, em 21 de outubro; análise de títulos, em 20 de janeiro de 2019; e investigação social e de conduta pessoal.
O resultado final está previsto para ser divulgado em 8 de março de 2019. Segundo o edital, o concurso terá validade de um ano, prorrogável por mais um, a critério da Polícia Civil do Estado da Bahia

Reserva de vagas no concurso da PC/BA 2018


O concurso da Polícia Civil da Bahia reserva a candidatos negros 25 postos no cargo de delegado, 264 no de investigador e 11 no de escrivão, conforme a lei estadual 13.182/2014.
APOSTILAS PC/BA - DELEGADO/ INVESTIGADOR E ESCRIVÃO
A participantes inscritos como pessoa com deficiência, o número de vagas corresponde a quatro para delegado, 44 para investigador e duas para escrivão, de acordo com a lei estadual 12.209/2011. 

Atribuições do investigador no concurso da PC/BA 2018


Proceder à investigação criminal e ao exercício de Polícia Judiciária, exceto quando relacionadas à matéria sob jurisdição militar; participar do planejamento, coordenação, supervisão e fiscalização das atividades operacionais e administrativas do setor sob sua direção; participar de levantamento de local de crime e interagir na execução de atividade investigativa; zelar pela incolumidade de preso; cumprir diligências, mandados e outras determinações de autoridades policiais e/ou judiciárias competentes, sendo responsável pela produção de dados, informações e conhecimentos; participar de estudos, projetos e pesquisas de natureza técnica ou especializada sobre ciências criminais, inteligência policial e estatísticas de crimes; efetuar prisões e busca pessoal, para fins de apuração de infração penal; participar de programas e operações de prevenção, repressão, controle da criminalidade, reconstituição e de ações de inteligência policial; executar tarefas de fiscalização de estabelecimentos de hospedagem, diversões públicas, teatros, cinemas, esportes e produtos controlados pela Polícia Civil, sendo-lhe assegurado o livre acesso aos locais fiscalizados; adotar providências sobre qualquer ocorrência policial de que tiver conhecimento, dando ciência imediata à autoridade competente; elaborar os relatórios de investigação criminal, conforme expedição de ordem de serviço; executar as ações necessárias para segurança das investigações; executar em trabalho de equipe operações de resgate de reféns; exercer assessoramento especializado e superior no âmbito da estrutura da Polícia Civil do Estado da Bahia; participar de estudos e pesquisas de natureza técnico-científica ou especializada sobre administração policial; alimentar e pesquisar, nos arquivos físicos e eletrônicos, dados sobre a identificação de pessoas; dirigir viatura em missão de natureza policial; coordenar e supervisionar a investigação criminal e a atividade de polícia judiciária, exceto quando relacionada à matéria sob jurisdição militar, e desde que no exercício da função de coordenação do setor de investigação.

Concurso Polícia Civil da Bahia: atribuições do escrivão


Lavrar os atos de inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência e outros procedimentos legais, contribuindo na gestão de dados, informações e conhecimentos; expedir, mediante requerimento de interessado e despacho da autoridade policial, certidões e translados; zelar pela guarda de papéis, documentos, procedimentos, armas e munições sob sua responsabilidade e de objetos e instrumentos apreendidos vinculados aos inquéritos policiais, termos circunstanciados e outros procedimentos legais; ter a guarda e responsabilidade, mantendo atualizada a escrituração em livros e/ou banco de dados; emitir guia de recolhimento, quando legalmente autorizado e determinado por autoridade policial; preencher planilhas de controle de inquéritos, processos e boletins; acompanhar a autoridade policial, quando necessário ao exercício funcional; prestar assessoramento especializado e superior no âmbito da estrutura da Polícia Civil do Estado da Bahia; expedir guias para exames periciais; escrever, subscrever e lavrar atos e termos e demais peças de procedimentos penais ou administrativos.

Atribuições do delegado no concurso da PC/Bahia 2018


Instaurar e presidir inquéritos policiais, formalizar o termo circunstanciado de ocorrência e outros procedimentos legais, instrumentos e atos oficiais, no âmbito de sua competência; exercer as atribuições previstas na legislação processual penal da competência da autoridade policial; planejar, dirigir, supervisionar e fiscalizar as atividades de investigação dos servidores policiais civis; planejar, dirigir, supervisionar, fiscalizar e avaliar as atividades operacionais e administrativas do órgão ou unidade policial sob sua direção; no curso de procedimentos, compete-lhe: expedir ordens de serviço, intimações e requisitar condução coercitiva, em caso de descumprimento injustificado; comparecer ao local de crime e requisitar a realização de exames periciais necessários para o esclarecimento do fato; representar pela instauração de incidente de sanidade mental do indiciado; representar à autoridade judiciária pela decretação de medidas cautelares, reais ou pessoais, ou ainda, quaisquer modalidades de prisões provisórias e pela concessão de mandados de busca e apreensão; solicitar, fundamentadamente, informações e documentos a entidades públicas e privadas; requisitar serviços e técnicos especializados de órgãos públicos, de concessionárias e permissionárias de serviço público, para esclarecimento de questões que possam subsidiar a apuração de infrações penais; dirigir e supervisionar operacionalmente, com exclusividade, a atividade de investigação criminal e o exercício da polícia judiciária, exceto quando relacionadas à matéria sob jurisdição militar; assegurar, no âmbito de sua competência, a unidade da investigação policial, bem como a eficácia dos princípios institucionais da Polícia Civil; adotar medidas necessárias ou participar de programas e operações, com vistas à prevenção, repressão e controle da criminalidade; proceder a estudos, levantamentos e análises de ocorrências policiais e criminais, visando à criação e ao desenvolvimento de programas, métodos, técnicas e rotinas do trabalho policial; participar de estudos e pesquisas de natureza técnica ou especializada sobre administração policial; prestar assessoramento em assuntos relacionados com a segurança pública e com a administração policial; zelar pela incolumidade dos presos.

O que vai cair na prova do concurso da PC/BA


O conteúdo programático de conhecimentos gerais para todos os cargos envolvidos no processo seletivo engloba as seguintes disciplinas:
Língua portuguesa – 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. 3.1 Emprego das letras. 3.2 Emprego da acentuação gráfica. 4 Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1 Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e outros elementos de sequenciação textual. 4.2 Emprego/correlação de tempos e modos verbais. 5 Domínio da estrutura morfossintática do período. 5.1 Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.2 Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.3 Emprego dos sinais de pontuação. 5.4 Concordância verbal e nominal. 5.5 Emprego do sinal indicativo de crase. 5.6 Colocação dos pronomes átonos. 6 Reescritura de frases e parágrafos do texto. 6.1 Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.2 Retextualização de diferentes gêneros e níveis de formalidade. 7 Correspondência oficial (conforme Manual de Redação da Presidência da República). 7.1 Adequação da linguagem ao tipo de documento. 7.2 Adequação do formato do texto ao gênero.
Informática – 1 Noções de sistema operacional (ambientes Linux e Windows. 2 Edição de textos, planilhas e apresentações (ambientes Microsoft Office e BrOffice). 3 Redes de computadores. 3.1 Conceitos básicos, ferramentas, aplicativos e procedimentos de Internet e intranet. 3.2 Programas de navegação (Microsoft Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome). 3.3 Programas de correio eletrônico (Outlook Express, Mozilla Thunderbird). 3.4 Sítios de busca e pesquisa na Internet. 3.5 Grupos de discussão. 3.6 Redes sociais. 3.7 Computação na nuvem (cloudcomputing). 4 Conceitos de organização e de gerenciamento de informações, arquivos, pastas e programas. 5 Segurança da informação. 5.1 Procedimentos de segurança. 5.2 Noções de vírus, worms e pragas virtuais. 5.3 Aplicativos para segurança (antivírus, firewall, anti-spyware etc.). 5.4 Procedimentos de backup. 5.5 Armazenamento de dados na nuvem (cloudstorage).
Raciocínio lógico – 1 Estruturas lógicas. 2 Lógica de argumentação: analogias, inferências, deduções e conclusões. 3 Lógica sentencial (ou proposicional). 3.1 Proposições simples e compostas. 3.2 Tabelas-verdade. 3.3 Equivalências. 3.4 Leis de De Morgan. 3.5 Diagramas lógicos.4 Lógica de primeira ordem. 5 Princípios de contagem e probabilidade. 6 Operações com conjuntos. 7 Raciocínio lógico envolvendo problemas aritméticos, geométricos e matriciais.
Atualidades – 1 Tópicos relevantes e atuais de diversas áreas, tais como segurança, transportes, política, economia, sociedade, educação, saúde, cultura, tecnologia, energia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e ecologia, suas inter-relações e suas vinculações históricas.
Promoção da igualdade racial e de gênero – 1 Constituição da República Federativa do Brasil (art. 1º, 3º, 4º e 5º). 2 Constituição do Estado da Bahia (Cap. XXIII “Do Negro”). 3 Lei federal nº 12.288/2010 (Estatuto da Igualdade Racial). 4 Lei federal nº 7.716/1989, alterada pela Lei federal nº 9.459/1997 (Tipificação dos crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor). 5 Decreto federal nº 65.810/1969 (Convenção internacional sobre a eliminação de todas as formas de discriminação racial). 6 Decreto federal nº 4.377/2002 (Convenção sobre eliminação de todas as formas de discriminação contra a mulher). 7 Lei federal nº 11.340/2006 (Lei Maria da Penha). 8 Código Penal Brasileiro (art. 140). 9 Lei federal nº 7.437/1985. 10 Lei estadual nº 10.549/2006 (Cria a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial); alterada pela Lei estadual nº 12.212/2011. 11 Lei federal nº 10.678/2003 (Cria a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República).
Medicina legal – 1 Perícia médico-legal: perícias médico-legais, perícia, peritos. 2 Documentos legais: conteúdo e importância. 3 Traumatologia forense. 3.1 Energia de ordem física. 3.2 Energia de ordem mecânica. 3.3 Lesões corporais: leve, grave e gravíssima e seguida de morte. 4 Tanatologia forense: causas jurídica da morte, diagnóstico de realidade da morte. 5 Sexologia forense. 6 Imputabilidade penal.
Noções de administração – 1. Noções de administração. 1.1 Abordagens clássica, burocrática e sistêmica da administração. 1.2 Evolução da administração pública no Brasil após 1930. 1.3 Reformas administrativas. 2 Noções de Administração Pública. 2.1 Princípios Constitucionais da Administração Pública. 2.2 Princípios Explícitos e Implícitos. 2.3 Ética na Administração Pública. 2.4 Administração Pública. Organização administrativa. Centralização. Descentralização. Desconcentração. 2.5 Órgãos Públicos. Administração Indireta. Autarquias. Fundações Públicas. Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista. 3 A nova gestão pública. 4 Processo administrativo. 4.1 Funções da administração: planejamento, organização, direção e controle. 4.2 Estrutura organizacional. 4.3 Cultura organizacional. 5. Gestão de pessoas. 5.1 Equilíbrio organizacional. 5.2 Objetivos, desafios e características da gestão de pessoas. 5.3 Comportamento organizacional: relações indivíduo/organização, motivação, liderança, desempenho. 6 Gestão da qualidade e modelo de excelência gerencial. 6.1 Principais teóricos e suas contribuições para a gestão da qualidade. 6.2 Ciclo PDCA. 6.3 Ferramentas de gestão da qualidade. 6.4 Modelo do gespublica. 7 Noções de gestão de processos: técnicas de mapeamento, análise e melhoria de processos. 8 Legislação administrativa. 8.1 Administração direta, indireta e fundacional. 8.2 Atos administrativos. 9 Noções de licitação pública: fases, modalidades, dispensa e inexigibilidade. 10 Noções de administração de recursos materiais. 11 Ética no serviço público: comportamento profissional, atitudes no serviço, organização do trabalho, prioridade em serviço. 12 Administração financeira e orçamentária. 12.1 Orçamento público. 12.2 Princípios orçamentários. 12.3 Diretrizes orçamentárias. 12.4 Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças: FIPLAN. 12.5 Receita pública: categorias, fontes, estágios e dívida ativa. 12.6 Despesa pública: categorias e estágios. 12.7 Suprimento defundos. 12.8 Restos a pagar. 12.9 Despesas de exercícios anteriores. 12.10 Conta única do Tesouro.
Leis específicas – 1. Lei estadual nº 6.677, de 26 de setembro de 1994 (Estatuto do Servidor Público Civil do Estado da Bahia, das Autarquias e das Fundações Públicas Estaduais). 2. Lei estadual nº 9.433, de 01 de março de 2005 (Dispõe sobre as licitações e contratos administrativos pertinentes a obras, serviços, compras, alienações e locações no âmbito dos Poderes do Estado da Bahia e dá outras providências). 3. Lei estadual nº 12.209, de 20 de abril de 2011 (Dispõe sobre o processo administrativo, no âmbito da Administração direta e das entidades da Administração indireta, regidas pelo regime de direito público, do Estado da Bahia, e dá outras providências). 4. Lei estadual nº 11.370, de 04 de fevereiro de 2009 (Lei Orgânica da Polícia Civil do Estado da Bahia) e alterações.
Confira o conteúdo programático de conhecimentos específicos para a prova do concurso da PC/BA 2018 
Continuar lendo

Atualizado: 31/01/2018 - 13:45

PM/RN suspende concurso para 1.000 vagas de soldado

Concurso da PM/RN foi suspenso por determinação judicial para republicação do edital. Estavam em disputa 938 postos para homens e 62 para mulheres

Nível médio

Por JCConcursos - Samuel Peressin

O concurso de soldado da PM/RN (Polícia Militar do Rio Grande do Norte) foi suspenso por determinação da Justiça para correção e republicação do edital. O governo do Estado publicou a decisão na edição de 30 de janeiro do Diário Oficial. Não foi informada, porém, a data para retomada do certame.  
As inscrições para a seleção haviam sido iniciadas em 17 de janeiro. O certame disponibilizava 1.000 vagas, sendo 938 para homens e 62 para mulheres.
Com salário de R$ 2.904, a carreira teve como requisitos: ensino médio completo, idade entre 19 e 30 anos e altura mínima de 1,60m (sexo feminino) e 1,65m (sexo masculino). 
Conforme definia o edital, as inscrições para o concurso da PM/RN seriam recebidas até 8 de fevereiro, por meio do site do Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (Ibade), no endereço: www.ibade.org.br. O valor da taxa era de R$ 100. 

Sobre as provas do concurso da PM/RN 2018


O concurso da PM/RN envolveria cinco etapas. Na primeira delas, em 4 de março, os candidatos fariam prova objetiva com 80 questões de múltipla escolha. A aplicação estava marcada para ocorrer em Natal, Mossoró e Caicó. 
O conteúdo programático englobava língua portuguesa, matemática e raciocínio lógico, geografia do Brasil e do Rio grande do Norte, informática e noções de direito constitucional, direito penal, direito penal militar, legislação extravagante e legislação específica da Polícia Militar/RN.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA PM/RN - SOLDADOCURSO ONLINE PM/RN - SOLDADO
Além do exame intelectual, o processo seletivo previa exames de saúde, investigação social, avaliação de condicionamento físico e curso de formação, previstos para ocorrer na capital, em datas a serem definidas.
Válido pela última fase da seleção, o curso de formação de soldados teria duração de seis meses, em tempo integral. Nesta etapa, os participantes receberiam remuneração mensal de R$ 954.  
De acordo com o edital, o concurso da PM/RN 2018 seria válido por dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do governo estadual.  

Concurso PM/RN 2018: atribuições do soldado


1 – Ordinariamente, desempenhar as atribuições da missão constitucional de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública através dos seguintes tipos de policiamento em todo o território do Rio Grande do Norte: a) Ostensivo normal, urbano e rural; b) de Trânsito; c) Florestal e de mananciais; d) Rodoviário, nas rodovias estaduais; e) de Rádio Patrulha terrestre e aérea; f) Segurança externa dos estabelecimentos penais do Estado; e g) Outros definidos por lei. 2 – Extraordinariamente, desempenhar as funções inerentes a atividades administrativas internas da PM/RN: a) Auxiliar de serviços gerais (limpeza das dependências dos quartéis); b) Auxiliar de tesouraria; c) Auxiliar de aprovisionamento; d) Auxiliar de almoxarifado; e) Auxiliar de serviço de manutenção; f) Auxiliar de arquivo; g) Auxiliar de serviço de inteligência; h) Digitador; i) Armeiro; j) Auxiliar de relações públicas; e k) outros serviços inerentes à atividade administrativa que sejam determinados pelos superiores hierárquicos conforme as leis e os regulamentos. 3 – Extraordinariamente exercer funções decorrentes de: a) Missão constitucional de Força Auxiliar do Exército Brasileiro; b) Apoio às ações de defesa civil; c) Segurança pessoal de dignitários; e d) outros definidos em lei.

O que iria cair na prova do concurso da Polícia Militar do Rio Grande do Norte 2018


Língua portuguesa – Compreensão de textos. Denotação e conotação. Ortografia: emprego das letras e acentuação gráfica. Sinais de Pontuação. Classes de palavras e suas flexões. Coletivos. Verbos: conjugação, emprego dos tempos, modos e vozes verbais. Concordâncias: nominal e verbal. Regências: nominal e verbal. Emprego do acento indicativo da crase. Colocação dos pronomes. Semântica: sinonímia, antonímia, homonímia, paronímia, polissemia e figuras de linguagem. Funções sintáticas de termos e de orações. Processos sintáticos: subordinação e coordenação. Reescrita de frases.
Matemática e raciocínio lógico – Conceitos lógicos. Problemas envolvendo correlação entre elementos. Raciocínio lógico envolvendo problemas aritméticos, geométricos, matriciais. Séries e sequências. Progressão aritmética e progressão geométrica. Diagramas lógicos. Teoria dos conjuntos. Análise combinatória. Probabilidade. Lógica argumentativa. Lógica proposicional simples e composta. Álgebras das proposições. Estruturas lógicas: conjunção, disjunção, condicional, bicondicional e negação. Equivalência lógica. Leis de Morgan. Tabela verdade: tautologia, contradição e validações. Silogismo categórico e hipotético. Porcentagem. Regra de três simples e composta, Razão e proporção, e análise de gráficos e tabelas.
Geografia do Brasil e do Rio Grande do Norte – Fuso horário brasileiro. Estados e Regiões do Brasil: localização, limites, território. Principais unidades de relevo do Brasil e do Rio Grande do Norte. Aspectos climáticos do Brasil e do Rio Grande do Norte. Principais Biomas do Brasil e do Rio Grande do Norte. Principais bacias hidrográficas do Brasil e do Rio Grande do Norte. Principais aspectos ambientais do Brasil e do Rio Grande do Norte: territórios indígenas e unidades de conservação. Processo de urbanização do Brasil e do Rio Grande do Norte. Municípios do Rio Grande do Norte (território, limites, localização e processo de formação). Aspectos demográficos do Brasil e do Rio Grande do Norte. Principais aspectos da geografia agrária brasileira e do Rio Grande do Norte: estrutura fundiária e principais lavouras. Geografia Política (governadores do Rio Grande do Norte).
Noções de direito constitucional – Constituição: Conceito. Princípios fundamentais. Classificação. Aplicabilidade e Interpretação das Normas Constitucionais. Poder Constituinte: Conceito. Finalidade. Titularidade e Espécies. Reforma da Constituição. Cláusulas Pétreas. Direitos e garantias fundamentais: direitos e deveres individuais e coletivos, direitos sociais, nacionalidade, direitos políticos. Da Organização do Estado. Da Administração Pública. Disposições Gerais. Dos Servidores Públicos. Da Organização dos Poderes. Defesa do Estado e das instituições democráticas: segurança pública; organização da segurança pública.
Noções de direito penal militar – Aplicação da lei penal militar. Crime. Imputabilidade penal. Concurso de agentes. Penas. Aplicação da pena. Suspensão condicional da pena. Livramento condicional. Penas acessórias. Efeitos da condenação. Medidas de segurança. Ação penal. Extinção da punibilidade. Crimes militares em tempo de paz. Crimes propriamente militares. Crimes impropriamente militares. Estatuto dos Policiais Militares do Estado do Rio Grande do Norte. Código Penal Militar (Arts. 1º ao 9º).
Noções de direito penal – Infração penal: elementos, espécies, classificação doutrinária das infrações penais; princípios penais. Sujeito ativo e sujeito passivo da infração penal. Lei penal no tempo. Concurso aparente de normas. Tipicidade, ilicitude, culpabilidade. Consumação e tentativa. Erros essenciais e erros acidentais. Concurso de pessoas. Crimes contra a pessoa. Crimes contra o patrimônio. Crimes contra o respeito aos mortos. Crimes contra o sentimento religioso. Crimes contra a dignidade sexual. Crimes contra a família. Crimes contra a incolumidade pública. Crimes contra a fé pública. Crimes contra a administração pública.
Noções de legislação extravagante – Abuso de Autoridade (Lei n° 4.898/65). Dos crimes previstos na Lei Antidrogas (Lei n° 11.343/06). Crimes tipificados no Código de Trânsito Brasileiro (Lei n° 9.503/97). Violência doméstica e familiar contra a mulher (Lei n° 11.340 de 2006). Contravenções penais. Dos crimes tipificados na Lei do Estatuto do idoso (Lei n° 10.741 de 2003). Dos crimes tipificados no Estatuto do Desarmamento (Lei n° 10.826/03). Crimes de Tortura (Lei n° 9.455 de 1997). Dos crimes contra a propriedade Intelectual (Lei n° 9.609 de 1998). Dos crimes tipificados nas Leis de preconceito e aos dos deficientes físicos (Lei n° 7.716 de 1989 e Lei n° 7853 de 1989). Artigo 9° (nono) do Código Penal Militar. Crimes hediondos (Lei n° 8.072 de 1990). Organizações Criminosas (Lei n° 9.034, de 1995). Identificação criminal do civilmente identificado (Lei n° 12.037/09). Crimes contra o meio ambiente (Lei n° 9.605/98). Código Brasileiro de Telecomunicações (Lei nº 4.117/1962). Organização dos serviços de telecomunicações (Lei nº 9472/97). Lei de Organizações Criminosas (Lei n. 12.850). Estatuto do Torcedor. Alterações de todas as normativas supracitadas.
Informática – Introdução ao sistema operacional Microsoft Windows. Conceitos básicos e utilização de aplicativos para edição de textos, planilhas eletrônicas e apresentações: pacote Microsoft Office. Principais aplicativos de navegação na Internet (Microsoft Internet Explorer, Mozilla Firefox), ferramentas de pesquisa e compartilhamento de informações. Segurança na Internet.
Legislação específica da Polícia Militar – Lei Complementar nº 515/2014 – dispõe sobre o Regime de Promoção dos Praças. Lei nº 4.533/1975 e suas alterações – dispõe sobre o Regime de Promoção dos Oficiais da PM. Lei nº 4.630/1976 – dispõe sobre o Estatuto da PM/RN. Portaria nº 042/2016 – GCG – dispõe sobre a formalização do Processo Administrativo Disciplinar Sumário. Decreto nº 23.045/2012 – regulamenta uniformes da PM. Decreto nº 8.336/1982 – aprova o Regulamento Disciplinar da PM. Lei Complementar nº 090/1991 – dispõe sobre a Organização básica da PM/RN. Lei Complementar nº 463/2012 – dispõe sobre subsídios dos Militares do Estado RN. Lei Complementar nº 514/2014 – dispõe sobre o Reajuste dos subsídios. Legislações disponíveis no site da PM/RN: http://www.pm.rn.gov.br/.
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA PM/RN - SOLDADO
Continuar lendo

Atualizado: 31/01/2018 - 11:54

Concurso Susipe/PA 2018: inscrições abertas até 5/2

O concurso da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe/PA) conta com cargos de níveis médio, técnico e superior. Salários de até R$ 3,6 mil

969 vagas

Por JCConcursos - Camila Diodato

Serão aceitas até o dia 5 de fevereiro as inscrições do concurso da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe/PA). Ao todo, os dois editais somam um total de 969 oportunidades.
Aqueles que têm o ensino médio e/ou curso técnico estão aptos às carreiras de assistente administrativo (107 vagas), assistente de informática (12), eletricista (5) e técnico em enfermagem (143), cujo salário inicial é de R$ 1.599,20, além de agente prisional (500), com ganho de R$ 2.435,10.
Para nível superior, as chances são para os cargos de administração (4), biblioteconomia (1), ciências contábeis (7), estatística (4), biomedicina (3), enfermagem (23), medicina (19), médico psiquiatra (3), odontologia (10), pedagogo especialista em educação (14), psicologia (44), serviço social (54), arquitetura (3), engenharia civil (4), engenharia elétrica (2), engenharia de segurança do trabalho (2) e técnico em gestão de informática (5). O vencimento é de R$ 3.636,72.

Participação no concurso Susipe/PA 2018


As inscrições do concurso Susipe do Pará devem ser feitas no endereço eletrônico da AOCP Concursos Públicos (www.aocp.com.br), a empresa organizadora do processo seletivo. 
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA SUSIPE/PA - ASSISTENTE ADMINISTRATIVO / AGENTE PRISIONAL / TÉCNICO DE ENFERMAGEM / ENFERMAGEM / OUTROS DE NÍVEIS MÉDIO E SUPERIOR
Será cobrada uma taxa de participação, nos valores de R$ 69 para os cargos de ensino médio e R$ 79 para nível superior, e o seu pagamento deverá ser efetuado até a data limite do prazo, observado o horário de funcionamento da rede bancária. 

Provas do concurso Susipe/PA 2018


Todos os candidatos serão avaliados por meio de provas objetiva e discursiva. A prova objetiva será composta por questões de múltipla escolha que versarão sobre as disciplinas de língua portuguesa, informática, legislação e/ou conhecimentos específicos. 
Já a avaliação discursiva será elaborada a partir de um tema proposto, com base em um ou mais textos ou fragmentos de textos. O candidato adotará uma linha de abordagem utilizando a tipologia textual “dissertação” e o seu texto deverá apresentar valores, opiniões, crenças, hipóteses, ideias, em suma, os aspectos axiológicos ou cognitivos para esse tipo de produção textual.
As provas objetiva e discursiva do concurso Susipe do Pará 2018 serão aplicadas nas cidades de Belém, Castanhal, Marabá, Santarém, Itaituba e Altamira nos dias 11 e 18 de março, em locais e horários a serem comunicados no cartão de informação do candidato, a ser publicado no site da AOCP em momento oportuno. 
O concurso da Susipe/PA ainda contará com as seguintes etapas: avaliação psicológica; exame médico; prova de aptidão física; avaliação de títulos; investigação de antecedentes pessoais; e curso de formação profissional. 
APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA SUSIPE/PA
Continuar lendo

Atualizado: 31/01/2018 - 11:49

PC/ES: governador autoriza concurso para 173 vagas

Do total de oportunidades, 20 são para quem possui ensino médio e 153 para nível superior, com iniciais de até R$ 4,8 mil. Banca organizadora deve ser anunciada nos próximos dias

Edital deve ser publicado ainda em fevereiro

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, anunciou, em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira, 31 de janeiro, no Palácio Anchieta, a realização de novo concurso público 2018 para a Polícia Civil do Estado (PC/ES). A autorização do certame foi assinada durante o evento, garantindo a oferta de 173 vagas para o certame, sendo 20 para cargos com exigência de ensino médio e 153 para nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 4.860,80. Como o processo de escolha da banca já havia sido iniciado desde o final de 2017, a expectativa é de a empresa seja anunciada no decorrer dos próximos dias, para que o edital de abertura de inscrições seja publicado ainda no decorrer de fevereiro.

Ensino Médio

As 20 vagas destinadas para portadores de ensino médio serão para o cargo de auxiliar de perícia médico legal, que conta com remuneração inicial de R$ 3.449,60.

Nível Superior

Já as oportunidades de nível superior serão para os cargos de escrivão de polícia (20 vagas),l perito oficial criminal (50), psicólogo (4), médico legista (15), investigador de polícia (60) e assistente social (4), todos com inicial de R$ 4.860,80. 

Concurso Anterior

O último concurso do órgão ocorreu em 2013, quando foram oferecidas 113 vagas, em diversos cargos de níveis médio e superior. As opções foram para delegado, escrivão, legistas auxiliar de perícia e peritos criminal, criminal especial, em telecomunicações, perito papiloscópico e perito em fotografia criminal.   A banca organizadora, na ocasião, foi o Cespe/UnB.
No caso de auxiliar técnico de perícia, a seleção contou com 120 questões, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos, além de prova discursiva, testes de aptidão física, avaliação psicológica e investigação social e criminal. 
Para perito e legista também foram 50 questões de conhecimentos básicos e 70 de específicos, além de prova discursiva, teste de aptidão física, exames psicopatológicos, análise de títulos e investigação social.
Para escrivão, 50 de conhecimentos básicos e 70 específicos, prova discursiva, teste de aptidão física, exames psicopatológicos, prova prática de digitação, análise de títulos e investigação social.    
Para todos os cargos, a parte de conhecimentos básicos versou sobre língua portuguesa, noções de informática e raciocínio lógico
Continuar lendo

Atualizado: 30/01/2018 - 14:46

PRF: carreira conta com novo reajuste salarial

Além disso, corporação terá novo reajuste em janeiro de 2019, quando o salário passará a ser de R$ 10,3 mil. Pedido de concurso, para 2.778 vagas, aguarda apenas autorização do MPDG

Inicial de R$ 9,9 mil

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

Quem sonha em ingressar no quadro de pessoal da Polícia Rodoviária Federal (PRF) agora tem mais um bom motivo para insistir na preparação antecipada para o novo concurso público da corporação, para o cargo de policial, previsto para ser realizado ainda no decorrer de 2018. Acontece que a partir de janeiro, em decorrência da lei 13.371, sancionada pelo presidente Michel Temer em dezembro de 2016, os servidores contarão com nova remuneração, passando de R$ 9.491,98 para R$ 9.931,57, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.   
Além disso, ainda de acordo com a lei, contarão com mais um reajuste, em janeiro de 2019, quando o salário passará a ser de R$ 10.357,88, também contando com o auxílio-alimentação.
O novo certame para a carreira depende apenas de aprovação, por parte do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), de um pedido de autorização para o preenchimento de nada menos do que 2.778 novos servidores. 
O próprio diretor-geral da PRF, Renato Antônio Borges Dias, em declaração à imprensa, em dezembro, confirmou que a corporação pode entrar em colapso caso o concurso não seja realizado no decorrer de 2018. Segundo ele, a carência de pessoal, que atualmente é de 2.800 policiais, deve chegar a 4.800 até o final de 2018, e decorrência de aposentadorias, o que reforça a necessidade de nova seleção para recompor o efetivo, o quanto antes. Ele ressalta que estão previstas 2.053 aposentadorias no decorrer do ano.
Além de prejudicar as atividades operacionais, a falta de pessoal deve acarretar o fechamento de 124 postos no país, caso o concurso não seja realizado, prejudicando aproximadamente 400 municípios, com a suspensão de policiamento em 18 mil quilômetros de rodovias.Em compensação, o pedido de autorização está parado no MPDG onde, desde 1º de junho, passa por análise na Divisão de Concursos Públicos.  
De acordo com a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais ( FenaPRF) o órgão tem pretensão de formar quatro novas turmas ainda em 2018. A PRF argumentou em seu pedido que nos últimos quatro anos uma grande quantidade de servidores se aposentou o que deixou uma lacuna de quase 3.000 postos e que isso tem prejudicado a segurança nas rodovias.
APOSTILA CONCURSO PRF - POLICIAL RODOVIÁRIO
CURSO ONLINE PRF - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL 

No mesmo memorando encaminhado ao Planejamento, foi sugerido que seja autorizado um concurso público sempre que o número de postos vagos exceder a 5% dos respectivos cargos ou com menor número, de acordo com a necessidade e critério do Ministério da Justiça.

Vale lembrar que, no sentido de agilizar o processo, a PRF já conta com uma minuta do edital pronta, elaborada desde o final de 2016, com o objetivo de permitir que o concurso possa ser iniciado imediatamente após a eventual autorização do MPDG.

Para concorrer ao cargo de policia rodoviário é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A jornada de trabalho dos servidores é de 40 horas semanais.


Ads

Vagas na Polícia Rodoviária Federal

A PRF solicitou 2.778 vagas. Agora só falta a autorização do concurso. Antecipe seus estudos e garanta sua vaga com quem é especialista em aprovação. Passa na Central que você passa. Confira.

Atribuições do policial rodoviário


Cabe ao servidor da área desenvolver atividades de natureza policial, envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

Concurso anterior


O último concurso da PRF para o cargo de policial rodoviário ocorreu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB. Ao todo foram registrados 109.769 inscritos para a oferta de 1.000 vagas. A seleção contou com prova objetiva, exame discursivo, teste de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.

A parte objetiva contou com 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Conhecimentos básicos contou com temas sobre língua portuguesa, matemática, noções de direito constitucional, ética no serviço público e noções de informática. Já em conhecimentos específicos, noções de direito administrativo, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação especial, direitos humanos e cidadania, legislação relativa ao DPRF e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.
Continuar lendo

Atualizado: 26/01/2018 - 14:45

PF: concurso volta a ser confirmado pela corporação

Recentemente, Segóvia já havia antecipado que o concurso da Polícia Federal está praticamente autorizado, com liberação para abertura de 600 vagas

Diversos cargos

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Federal (PF), o novo concurso público da corporação já pode ser dado como certo para ocorrer em 2018. No último dia 18, em entrevista para o programa Miriam Leitão Entrevista, da Globo News, o diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, já havia antecipado que o presidente Michel Temer garantiu o aval para o certame,  durante encontro com ocorrido no último dia 15. Porém, de acordo com as últimas informações da assessoria, é possível que a seleção conte com oportunidades somente para os cargos de agente, delegado e perito, com a exclusão da carreira de escrivão.

Em reunião com a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapref), em dezembro, Segóvia havia adiantado que a seleção já está praticamente autorizada pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), com expectativa de que seja oficializada nas próximas semanas, para o  preenchimento de 600 postos, sendo 50 para a carreira de delegado, 150 para agentes, 100 para peritos e 300 para escrivão. Caso a carreira de escrivão não seja efetivamente oferecida, a expectativa é de que os postos inicialmente destinados para o cargo sejam oferecidos para os agentes, mantendo a oferta inicial de 600 postos, o que ainda deve ser confirmado, com a autorização do certame.

De qualquer forma, por meio de comunicado oficial, nesta sexta-feira, 26 de janeiro, a assessoria de imprensa da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), reforçou que a possibilidade de exclusão das vagas de escrivão se deve a um plano de reestruturação do cargo, que poderá ser unificado à carreira de agente, conforme vem sendo discutido pelas entidades de classe, com o objetivo de alcançar, de forma conjunta, medidas de modernização da estrutura da PF.  Porém, como a unificação das duas carreiras ainda está em fase de discussão entre as entidades que representam as classes, para que isto se concretize ainda será necessária a elaboração de projeto de lei, enviado para o Congresso Nacional, o que ainda não é possível prever se ocorrerá antes da realização do novo concurso.

Portanto, ainda de acordo com a assessoria da Fenapef, a entidade se reunirá com a PF, no sentido de garantir a oferta de vagas para escrivães ainda no concurso 2018, uma vez que há deficiência no quantitativo de vagas, o que submete os atuais servidores em atividade a escalas e sobreavisos exaustivos. Ressaltam que a situação ainda se agrava em virtude do déficit de servidores no Plano Especial de Cargos, que desempenham atividades administrativas;       

Vale lembrar que, de acordo com o decreto presidencial 8.326, de 2014, a PF pode iniciar novo concurso para seus quadros sempre que constatada uma defasagem de pelo menos 5% dos servidores, sem necessidade de autorização prévia do MPDG para realizar o certame. Ainda assim o órgão precisa de confirmação do Planejamento de que dispõe de verbas para as contratações.                     


Ads

Polícia Federal - Acreditamos no seu sonho e temos as ferramentas para você mudar de vida

O material certo, feito por um time de profissionais especializados. Confira.

Para concorrer aos cargos de agente e escrivão basta possuir curso de nível superior em qualquer área de formação. Para perito, nível superior em áreas específicas, e para delegado, superior em direito, com pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial, comprovados na data da posse. Para todos os cargos, os aprovados também deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse.

Normalmente, a lotação é feita preferencialmente nos postos de fronteira e nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de pessoal nestas localidades. Obedecidas estas condições, o preenchimento pode ser feito em todos os estados, de acordo com as necessidades.

A aplicação das provas da PF costuma ser feita em todas as capitais, exceto o exame oral, que ocorre somente em Brasília. 

Para os cargos de agente e escrivão, a remuneração atual é de R$ 12.441, 26, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. Além disso, as duas categorias contarão com reajuste em janeiro de 2019, subindo para R$ 12.980,50.

Para perito e delegado, o inicial atualmente é de R$ 23.130,48, mas contará com reajuste em janeiro de 2019, quando passará para R$ 24.150,74.

Para todos os cargos, a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Videoaulas para Polícia 

Provas Anteriores da Polícia 
APOSTILA CONCURSO POLÍCIA FEDERAL - AGENTE
CURSO ONLINE COM AULÃO PF - AGENTE / DELEGADO / ESCRIVÃO / PERITO

Progressão na PF

Para os agentes e escrivães, na segunda classe, as remunerações, com o benefício, são de R$ 12.940,69 em 2018, indo para R$ 13.502,41 em janeiro de 2019. Para a primeira classe, R$ 15.067,83 em 2018, indo para R$ 15.725,27 em 2019. Na classe especial, R$ 18.306,60 em 2018, mudando para R$ 19.109,79 em 2019.

Para perito e delegado, na segunda categoria, R$ 23.710,07 em 2018, indo para R$ 24.756,42 em 2019. Na primeira, R$ 27.105,60 em 2018, indo para  R$ 28.304,74 em 2019. Finalmente, na classe especial, R$ 30.062,70 em 2018, indo para  R$ 31.394,91 em 2019.

Mudanças na carreira

Além da possibilidade de reestruturação na carreira, já  tramita, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal, a proposta de emenda à constituição 73/2013, que prevê a união das atividades dos cargos de perito, escrivão, papiloscopista e delegado dentro de uma nova carreira, chamada de servidor policial federal. De acordo com a proposta, caso aprovada, os candidatos passarão a prestar concurso público unificado e seriam lotados nas unidades da PF de acordo com suas habilidades e áreas de formação. 

O texto prevê a possibilidade de crescimento dentro da carreira unificada, por meio de promoção e progressão funcional, a serem estabelecidas por lei.

De acordo com o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), relator da matéria, a carreira única é a forma em que estão estruturadas as instituições policiais de referência no mundo, como o Federal Bureau of Investigation (FBI) e a própria Polícia Rodoviária Federal (PRF). Caso aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça, a proposta já poderá ser encaminhada para votação em plenário, em dois turnos.

Carência de servidores na PF


Mesmo com a perspectiva de novos concursos, a carência de pessoal da PF é considerada muito grande que a perspectiva de vagas. De acordo com dados apontados pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Antônio de Araújo Boudens, durante o Fórum Nacional dos Concursos Públicos, realizado em 2017, a corporação conta com uma necessidade de nada menos do que 13.300 servidores. Além disso, segundo ele, caso o concurso para delegados não seja realizado o quanto antes, a carência de pessoal para o cargo pode chegar a 800 servidores nos próximos anos em decorrência de 400 aposentadorias previstas.

Prepare-se para o concurso da Polícia Federal

O presidente do Fenapref reforça que a maior necessidade na PF é para o cargo de agente que, conta com nada menos do que 6.400 postos em aberto, seguido da área administrativa, com necessidade de 5.300 servidores. Além disso, para escrivães são necessárias 1.200 contratações, além de 400 para papiloscopistas.

De acordo com o sindicalista, o governo cobra a proteção das fronteiras, o que se torna impossível sem que haja um quantitativo de pessoal adequado, bem como investimentos em tecnologia, o que considera impossível com um orçamento decrescente. Além disso, ressalta que o órgão não tem como abrir outras unidades de policiamento pela falta de pessoal para ocupar os respectivos postos. Explica que a PF não abre novas unidades há cinco anos, período no qual apenas foram reformados prédios. “Nenhum gestor tem coragem de abrir novas unidades da Polícia Federal em nenhum local do país, pois não temos efetivos, policiais e servidores administrativos para trabalhar nestas unidades”, diz. "As consequências disso são a não proteção da fronteira e o impedimento do órgão de oferecer um serviço com qualidade".             

Além disso, diz que muitas vezes tem sido divulgado que a Polícia Federal tem feito mais do que fazia antes, o que considera uma mentira. “Nós fazemos menos operações do que fazíamos, mas começamos a chamar de operação aquilo que realmente não é”, diz. “Antes havia um conjunto de ações contra o crime organizado que costumávamos chamar de ações, sempre com uma média de 150 a 200. Hoje qualquer intimação já é chamada de operação. Qualquer ação ordinária é chamada de operação para mascarar a realidade e mostrar que fazemos mais operações do que antes”, diz.

Delegado

Boudens aponta que, somente para o cargo de delegado existem, atualmente, 491 vagas em aberto, que a PF tem tentado suprir com a realização do novo concurso. “Isto representa 28% do nosso efetivo, ou seja, um terço do nosso efetivo vago e a consequência é evidente. Como cada delegado poderia fazer umas duas operações por ano, esta realidade representa, no mínimo, 800 operações a menos a cada ano”. Além disso, de acordo com ele, com a reforma da previdência e a possibilidade da extinção do abono de permanência, todo mundo que está com abono de permanência irá se aposentar, bem como aqueles que já possuem condições de pedir aposentadoria. Com isto, de acordo com ele, a perspectiva é de que, em um período de dois ou três anos, mais 400 delegados se aposentem.

A Polícia Federal, de acordo com ele, possui atualmente 180 mil investigações em andamento. “Nem todas as investigações viram ações. Precisamos delimitar as prioridades, mas dentro desta realidade de defasagem de pessoal, nem isto é possível. Por isto, a PF acaba mascarando números e de um total de duas mil por ano, acabamos fazendo aproximadamente 300”.

Dentro de um contexto histórico, diz que em 1978, a PF contava com 500 delegados. Já em 1995, os mesmos 500 delegados. Em 2000, eram 700 delegados no país. “Até então, as principais atividades eram o combate às drogas e garimpo. Mas era uma atividade bastante limitada e uma atuação muito aquém do que poderia ser feito. Em 2001 foi realizado um concurso para 500 delegados, quase dobrando o efetivo. Do concurso até aposse são quase três anos. Isso preocupa, pois como temos quase 400 que podem se aposentar nos próximos anos, se abrir um concurso hoje,ficaríamos com 800 vagas em aberto. Hoje temos 1.717 delegados em atividade. Tivemos concurso em 2001 e 2004 para mais 500 cada, dobrando o efetivo. Mas em 2009, o quadro foi congelado, quando estava com 1.852. Agora estamos em um processo de desmonte”, diz. “Em 2018 devemos voltar ater o efetivo que possuíamos em 2003”, reforça.

Administrativos

Já no quadro administrativo, diz que em 2004 o efetivo foi aumentado. “No FBI, por exemplo, para cada policial existem de seis a sete administrativos. No Brasil é o contrário. Em 2004 o efetivo cresceu, mas depois não foram feitos novos concursos e a PF passou a terceirizar as ações em aeroportos, o que não deu certo. Acabaram as terceirizações,mas não foram repostos os administrativos. Hoje, nosso quadro de administrativos é menor do que o de 2004, ao passo que as atribuições da PF aumentaram”. De acordo com ele, em 2014 aumentou um pouco pela substituição de alguns terceirizados.

Autonomia

O sindicalista ressalta, ainda, que a Polícia Federal conta com decreto de 2014 que permite a realização de concurso sem autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) sempre que a carência de pessoal chegar a 5% do quadro. Porém, diz que, na prática, o decreto não está funcionando, uma vez que para isto é preciso ter orçamento, atestado pelo MPOG. “Não adianta ter autorização para fazer o concurso se não há orçamento para isto”. A solução, segundo ele, seria conquistar a autonomia do órgão. Para isto, já existe, segundo ele, uma campanha neste sentido, desde dezembro de 2015. “Sem a autonomia, não conseguimos avançar. Nós sabemos que, muitas vezes, a Polícia Federal tem por ação investigar atos de desvios praticados por membros do governo. Por isto existe, sim, resistência por parte de grupos no poder, no sentido de controlar as atividades da Polícia Federal e não existe, em nenhum lugar no mundo, uma instituição que tenha por finalidade investigar os atos do governo que não possua autonomia".

Ressalta, ainda, que um avanço foi a lei 13.047, que determina que a direção da Polícia Federal compete aos delegados. “Com isto, conseguimos evitar que alguém de fora da instituição fosse nomeado para a direção geral e das atividades da PF. Até 2014, qualquer pessoa poderia ser nomeada como diretor da corporação. Mas ainda não conseguimos avançar com o fim dos cargos comissionados, que buscamos trocar por funções comissionadas, ou seja,exclusivas para preenchimentos por funcionários concursados de carreira”.

Últimos concursos da Polícia Federal

Com relação aos novos concursos previstos, para agente o último concurso ocorreu em 2014, quando foram registrados 98.101 inscritos para a oferta de 600 vagas. Para escrivão, a última seleção ocorreu em 2012, com 83.619 inscritos para 350 vagas. Para perito e delegado, os últimos certames ocorreram em 2012, com 35.800 inscritos para a oferta de 100 vagas de perito e 46.633 participantes para 150 postos de delegado.Para todos os cargos, a organizadora foi o Cespe/UnB.

Para perito, o concurso da Polícia Federal contou com provas objetivas e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. A parte objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Os aprovados em todas as fases foram submetidos a um curso de formação profissional.

No caso de delegado, o Cespe/UnB formulou provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico,avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso deformação. A parte objetiva contou com 120 questões e a discursiva, com três questões dissertativas e elaboração de peça profissional.
Para perito, as opções foram para áreas de ciências contábeis ou econômicas, engenharia em diversas especialidades, ciências da computação, geologia, química, biomedicina, medicina, odontologia e farmácia.

5 dicas de processo penal para delegado da PF

1. Estude,desde já, para a prova oral. O concurso conta com prova objetiva, prova discursiva e prova oral. É certo que a prova oral é a última delas,porém, para que você esteja bem preparado para uma prova oral, é necessário controle total da matéria. Logo, foque no controle total, lá na prova oral mesmo. Prepare o material, fale sozinho pela casa, ensine tudo sobre tentativa para seu cachorro. Vá por mim: além de estar mirando acima da maçã, você ainda estará fazendo uso de um dos melhores métodos de estudo. 
2. A prova da PF provavelmente será feita pelo Cespe, que merece muitos elogios, pois monta as questões com base nas atribuições do cargo a ser provido – quem dera todas as bancas fizessem assim! Considerando que estamos falando de prova para delegado da Polícia Federal, é óbvio que vão despencar questões sobre inquérito policial, visto que a vida do delegado é tocar inquérito para frente. Para você ter uma ideia, no último concurso para delegado da PF, das 26 questões de processo penal, 15 eram sobre inquérito policial. Essas você não pode errar!
3. Ainda com relação às atribuições do cargo, cuidado com o tema “provas”, principalmente a interceptação telefônica, um meio de prova que é recorrente em concursos públicos
4. A Operação Lava Jato está na mídia há um bom tempo e uma de suas características mais marcantes é a presença de acordos de delação premiada. Estude este tema!
5. Existem duas “polícias” essencialmente judiciárias no Brasil: Polícia Federal e Polícia Civil. Você sabe que as atribuições da Polícia Civil (estadual)são residuais, mas gigantescas, enquanto as atribuições da Polícia Federal são especiais e bem menores. Isto segue o padrão de todos os órgãos que têm paralelos na seara estadual e federal. Tal padrão se reflete no concurso de um modo muito simples: nas provas de órgãos federais, sempre caem questões sobre suas atribuições/competências. No último concurso, foram quatro questões que tangenciaram este tema.
Rodrigo Sengik, professor de processo penal no AlfaCon Concursos Públicos

Atualizado: 26/01/2018 - 11:42

PM e Bombeiros/MS: formadas comissões para 650 vagas

Seleções serão para soldados e oficiais, com oportunidades para quem possui ensino médio e nível superior

Editais devem sair em fevereiro

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Secretaria Estadual de Administração e Desburocratização (SAD) do Mato Grosso do Sul divulgou, na última quinta-feira, por meio de publicação em diário oficial, as comissões que serão responsáveis pela organização dos novos concursos públicos 2018 que serão realizados pela Polícia Militar (PM/MS) e Corpo de Bombeiros. Ao todo serão oferecidas 650 vagas, sendo 450 para a PM e 200 para bombeiros, com opções para níveis médio e superior. Com isto, o próximo passo é a contratação da banca organizadora, para que a publicação dos editais possa ocorrer já em fevereiro, segundo declaração da governadora em exercício Rose Modesto. As remunerações iniciais ainda serão confirmadas
No caso da PM, do total de oportunidades, 388 serão para soldados, 50 para o curso de formação de oficiais e 12 para o quadro de oficiais da saúde.

Já no caso do Corpo de Bombeiros, 153 postos serão para soldados, 23 para o curso de formação de oficiais, 12 para o quadro de oficiais de saúde e 12 para o quadro de oficiais especialistas.
No caso da PM/MS, a comissão será presidida pelo servidor Paulo Victor dos Santos Oliveira e contará, ainda, com o cel. QOPM Edmilson Lopes da Cunha, como vice-presidente, além dos demais membros: Daniele de Araújo Ruiz, Cel. QOPM Renato Tolentino Alves, Isadora Rocha dos Santos, Maria Lucélia Pereira Lima e Tenente Cel. QOPM Paulo Ribeiro dos Santos.
Para o Corpo de Bombeiros, a comissão também será presidida por Paulo Victor dos Santos Oliveira. Como vice-presidente será o Cel.QOBM Sérgio Carlos Barbosa, contando, ainda, com os demais participantes: Maj. QOBM Carla Rouledo Moretti Leite, Leonia Inês da Cruz Pavão, Cel. QOBM Luiz Antônio de Melo, Maria Lucélia Pereira Lima e Solanir Faria Brito Correa.  

 

Exigências

Nos dois casos, para concorrer a soldados será exigido ensino médio, enquanto para oficiais combatentes a necessidade é de formação de nível superior em direito. Para oficiais especialistas, a necessidade é de nível superior em áreas específicas, enquanto para oficiais médicos, superior na respectiva área.
Além disso, para todos os cargos, para soldados, os interessados devem possuir, até a data de encerramento das inscrições, idade de 18 a 30 anos, sendo considerado como limite até 30 anos, 11 meses e 29 dias. Para oficiais de saúde e especialistas, o limite é de 34 anos, também considerando como limite 34 anos, 11 meses e 29 dias.
Para quem já pertence à corporação, tanto PM quanto Bombeiros, não serão exigidas idades mínima ou máxima, mas deverão possuir, no máximo, 20 anos de efetivo na corporação até o último dia de inscrições.

Seleção

Para as duas corporações, o concurso contará com seis fases. Na primeira os participantes serão submetidos a provas de conhecimentos, enquanto na segunda haverá exame de aptidão mental – psicotécnico. Na terceira, exames de saúde. Na quarta, avaliação de capacidade física. Na quinta, investigação social e na sexta, análise de títulos para oficiais de saúde e especialistas.   

Atualizado: 26/01/2018 - 10:23

Concurso PM/DF 2018: saiu edital para 2.024 vagas

Seleção tem postos para soldado combatente, soldado especialista músico e soldado especialista corneteiro. Inscrições para o concurso da PM/DF abrem em 25/2

Nível superior

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Foi divulgado nesta sexta-feira (26) o edital do concurso da PM/DF (Polícia Militar do Distrito Federal) para preenchimento de 2.024 vagas de soldado nos quadros de combatentes (2.000 postos), especialistas músicos (6) e especialistas corneteiros (18). 
Do total de oportunidades para soldado combatente, 500 são para admissão imediata (450 homens e 50 mulheres) e 1.500 para cadastro reserva (CR).
No caso das ofertas para especialistas músicos, elas estão distribuídas entre as seguintes especialidades: clarineta/clarones (1), saxofone (1), trompa (1), trompete (1), trombone tenor/trombone baixo (1) e tuba (1).
Para participar do concurso da PM/DF é necessário possuir curso superior em qualquer área, idade entre 18 e 30 anos e altura mínima de 1,60m (sexo feminino) e 1,65m (sexo masculino). 
Durante o curso de formação, a remuneração é de R$ 4.969,22. Após o ingresso, o salário sobe para R$ 6.095,41. Os valores informados já consideram o auxílio-alimentação mensal de R$ 850.  

Como se inscrever no concurso da PM/DF 2018


As inscrições para o concurso da PM/DF abrem em 25 de fevereiro e vão até 26 de março para especialista músico e corneteiro e 4 de abril para combatente.  
O processo seletivo é organizado pelo Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), que receberá as candidaturas por meio do site www.iades.com.br. O valor da taxa é de R$ 88.
APOSTILAS CONCURSO PM/DF 2018 - SOLDADOCURSO CONCURSO PM/DF 2018 - SOLDADO

Sobre as provas do concurso da PM/DF 2018


Na primeira fase, o concurso da PM/DF terá provas objetiva e discursiva, com aplicação prevista para 29 de abril (músicos e corneteiros) e 6 de maio (combatentes).
O conteúdo programático engloba língua portuguesa, língua inglesa, matemática/raciocínio lógico, atualidades, legislação aplicável à Polícia Militar do Distrito Federal, criminologia e conhecimentos específicos.
Nas demais etapas, os candidatos serão submetidos a testes de aptidão física, exames biométricos, avaliações médica/psicológica e sindicância da vida pregressa/investigação social, além de prova prática instrumental e análise de títulos apenas para especialistas músicos e corneteiros.  
De acordo com o edital, o concurso da PM/DF terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da corporação. 

Atribuições do soldado combatente no concurso da PM/DF 2018


Executar o policiamento ostensivo; atender ocorrências policiais; desempenhar a atividade policial militar visando à preservação da ordem pública; promover a segurança pública por meio de atividades preventivas e repressivas imediatas nos diversos tipos, modalidades, processos e circunstâncias de policiamento previstos, no lugar, forma e tempo em que for designado; auxiliar os Oficiais, Subtenentes e Sargentos no cumprimento das atividades típicas da Polícia Militar do Distrito Federal; auxiliar a execução das operações e ações de natureza policial militar ou de interesse de segurança pública; redigir boletins e ocorrências policiais; realizar as atividades de inteligência policial, quando designado; conduzir veículos automotores em serviços, executar ações e operações policiais militares; realizar manutenção de primeiro escalão no armamento, equipamentos e viaturas; executar tarefas da graduação superior, quando necessário para o serviço policial; e zelar pelo fiel cumprimento da hierarquia e disciplina militar.

Concurso PM/DF: conteúdo programático parcial para soldado combatente


Língua portuguesa – 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. 3.1 Emprego das letras. 3.2 Emprego da acentuação gráfica. 4 Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1 Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e outros elementos de sequenciação textual. 4.2 Emprego/correlação de tempos e modos verbais. 5 Domínio da estrutura morfossintática do período. 5.1 Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.2 Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.3 Emprego dos sinais de pontuação. 5.4 Concordância verbal e nominal. 5.5 Emprego do sinal indicativo de crase. 5.6 Colocação dos pronomes átonos. 6 Reescritura de frases e parágrafos do texto. 6.1 Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.2 Retextualização de diferentes gêneros e níveis de formalidade. 7 Correspondência oficial. 7.1 Adequação da linguagem ao tipo de documento. 7.2 Adequação do formato do texto ao gênero.
APOSTILA CONCURSO PM/DF 2018 - SOLDADO
Língua inglesa – 1 Compreensão de textos escritos em língua inglesa. 2 Itens gramaticais relevantes para compreensão dos conteúdos semânticos.
Matemática e raciocínio lógico – 1 Compreensão de estruturas lógicas. 2 Lógica de argumentação: analogias, inferências, deduções e conclusões. 3 Diagramas lógicos. 4 Princípios de contagem e probabilidade. 5 Arranjos, permutações e combinações. 6 Proporcionalidade e regra de três. 7 Sistema de medidas (áreas e volumes).
Atualidades – 1 Realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultura, política e econômica do Distrito Federal e da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal - RIDE.
Legislação aplicável a Polícia Militar do Distrito Federal – 1 Lei Orgânica do Distrito Federal, de 8/6/1993. 1.1 Título II - Da Organização do Distrito Federal. 1.1.1 Capítulo I - Das Disposições Gerais. 1.1.2 Da Administração Pública: Seção I - Das Disposições Gerais, Seção II - Dos Serviços Públicos. 1.1.2 Capítulo VI – Dos Servidores Públicos. 1.2 Título III - Da Organização dos Poderes. 1.2.1 Capítulo V – Da Segurança Pública. 2 Lei nº 6.450/1977 (dispõe sobre a organização básica da Polícia Militar do Distrito Federal e dá outras providências). 3 Lei nº 7.289/1984 (aprova o Estatuto dos Policiais Militares da Polícia Militar do Distrito Federal e dá outras providências). 4 Lei nº 12.086/2009 (dispõe sobre os militares da Polícia Militar do Distrito Federal e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal e dá outras providências). 5 Decreto nº 88.777/1983 (aprova o regulamento para as policias militares e corpos de bombeiros militares (R-200)). 6 Decreto nº 7.165/2010 (regulamenta o inciso I do art. 48 da Lei nº 6.450/1977, que dispõe sobre a organização básica da Polícia Militar do Distrito Federal).
Criminologia – 1 Criminologia. 1.1 Conceito. 1.2 Métodos: empirismo e interdisciplinaridade. 1.3 Objetos da criminologia: delito, delinquente, vítima, controle social. 2 Funções da criminologia. 2.1 Criminologia e política criminal. 3 Modelos teóricos da criminologia. 3.1 Teorias sociológicas. 3.2 Prevenção da infração penal no Estado democrático de direito. 3.3 Prevenção primária. 3.4 Prevenção secundária. 3.5 Prevenção terciária. 3.6 Modelos de reação ao crime.
Confira o conteúdo programático completo do concurso da PM/DF 2018

Shopping