Servidores comemoram seu dia votando por um país melhor

Este domingo (28) será marcado por dois grandes marcos representantes da democracia em nosso país: o segundo e decisivo turno das Eleições 2018 e o Dia do Servidor Público

Editorial
Publicado em 26/10/2018, às 11h15

Este domingo (28) será marcado por dois grandes marcos representantes da democracia em nosso país: o segundo e decisivo turno das Eleições 2018 e o Dia do Servidor Público


A data, que desta vez e por coincidência juntou os dois acontecimentos, fatalmente nos induz a perceber que, de certa forma, ambos possuem alguma sinergia.


Como o nome já sugere, o Servidor Público é um servidor do povo e da sociedade, sendo assim, sua principal função é atender às solicitações do cidadão sempre que possível, esforçando-se para cumprir seu papel com disposição e desprendimento, profissionalismo, transparência e, principalmente, imparcialidade. 


Diante desta constatação, podemos ser conduzidos a um questionamento que parece já vir acompanhado da resposta: qual seria, então, a diferença entre o papel do Servidor Público e o do político? 

Pois é, nenhuma! Ambos apresentam atribuições decisivas na gestão pública, pois têm a missão de servir o interesse coletivo, demonstrando comportamento inquestionável e sempre baseado na ética. Isso significa que, por mais que nossos governantes realizem pleitos considerados unanimemente excelentes por toda a população, não haverá serviço público de qualidade sem servidores comprometidos com o trabalho e a honestidade.


Esperamos, portanto, que toda a expressão contida neste domingo possa servir para reforçar ainda mais a conduta de nossos servidores, além de evidenciar que a desunião e intolerância do povo com relação às escolhas políticas só tem a prejudicar o país e, consequentemente, o funcionalismo público.


O diálogo é, sim, importante e as divergências ideológicas são perfeitamente naturais em um país democrático, mas somente se estiverem permeadas pelo imprescindível respeito ao próximo. Afinal, embora às vezes pareça que não, estamos todos do mesmo lado e “no mesmo barco”. Este é um raciocínio que deve ser exercitado o tempo todo.


Na posição de veículo de comunicação, o JCConcursos gostaria de salientar a seus leitores que segue totalmente comprometido com a imparcialidade, e espera que, independente do resultado das eleições, o Brasil possa enfim se reerguer, reassumindo seu devido posto de Pátria Mãe Gentil, sem prolongar o clima de confronto que hoje coloca brasileiros uns contra os outros e nem colocar em risco o pleno funcionamento das instituições mantenedoras do serviço público, meio de sustento de nossos estimados servidores.

Comentários

Mais Lidas