Estude melhor utilizando técnicas de memorização

Saiba o que fazer para evitar o branco e se sair bem na hora da prova. Não será necessário esforço, mas sim disciplina e foco com o apoio de algumas técnicas

Camila Diodato
Publicado em 23/06/2017, às 09h58

Para muitas pessoas prestar concurso público é uma grande barreira que parece inalcançável, ainda mais com a imensa lista de conteúdo programático. Se você quer fazer parte do time dos concurseiros mais confiantes e sem medo, nem mesmo da concorrência, basta aplicar algumas técnicas de memorização para evitar aqueles indesejáveis “brancos” na prova. Já aconteceu de você passar horas estudando e chegou no dia decisivo parecia que não tinha visto nenhum dos conteúdos cobrados? Se sim, saiba que você não está sozinho, pois este é um problema que atinge tanto os novatos quanto os mais experientes no mundo dos concursos.
De acordo com o professor de direito constitucional do CERS Cursos Online, Edem Nápoli, apesar de não existir uma fórmula mágica para evitar o branco, as técnicas de memorização são fundamentais na preparação. “Nós podemos treinar o nosso cérebro mas não temos controle absoluto sobre todas as coisas que podem lhes ocorrer. E o branco é uma delas. O ideal é treinar antes para evitá-lo. Mas, se eventualmente ainda assim ele insistir em aparecer na hora da prova, a recomendação é não se desesperar, pular a questão não sabida e depois voltar para ela”, explica.
Como dito pelo especialista, a dica é não ficar “travado” em nenhuma questão e quando isso acontecer pula para a próxima. O segredo é exercitar bastante a mente.
Para Edem Nápoli, uma técnica infalível é a dos processos mnemônicos, que utilizam de iniciais ou sílabas iniciais de palavras, com o intuito de formar outra expressão que faça lembrar à resposta de um pergunta.
Dois exemplos apontados pelo professor são os seguintes:
O clássico processo, formado pelas sílabas iniciais de cada um dos fundamentos que compõem os incisos do art. 1º, da Constituição Federal (CF), é: SO CI DI VA PLU.SO – soberania;CI – cidadania;DI – dignidade da pessoa humana;VA – valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;PLU – pluralismo político
Ou ainda:
Cargos privativos de brasileiros natos – CF, art. 12, § 3º.Segundo o dispositivo supramencionado, são privativos de brasileiros natos os cargos de:MP3.COMM – Ministros do Supremo Tribunal Federal.P – Presidente da República (e Vice-Presidente da República, naturalmente).P – Presidente da Câmara dos Deputados.P – Presidente do Senado Federal.C – Carreira diplomática.O – Oficial das Forças Armadas.M – Ministro de Estado da Defesa.
Fora os processos mnemônicos, existem outras técnicas, como definir palavras-chaves dos conteúdos, repetir várias vezes (abusando dos exercícios e simulados) e fazer resumos. Você pode escolher aquela que se sente melhor para captar os assuntos estudados.
Uma dica dada pelo especialista para se sair bem é que, antes da prova, os concurseiros podem fazer pequenos cálculos matemáticos para aquecer a mente e, assim, evitar o branco.

Por que esquecemos do que estudamos?


Essa é dúvida de grande parte dos concurseiros, até porque são horas e horas de estudos e de repente surge aquela falha na memória.
O professor explica que são vários os motivos para isso acontecer. Primeiro, por conta da má qualidade do estudo, pois não adianta estudar muito, mas sim bem. “Quando se fala em uma boa preparação, quantidade (de horas estudadas, por exemplo) nem sempre é sinônimo de qualidade (de estudo com rendimento)”, diz.
Outra razão é a vasta quantidade de informações que chegam nas nossas mentes todos os dias, sendo que muitas delas não têm tanta utilidade. Elas podem vir por meio das redes sociais, mensagens em aplicativos, programas televisivos e de rádio, filmes, jogos, entre outros meios. É tanta dispersão que muitas vezes nos esquecemos do que é principal.
Por conta disso tudo, Edem Nápoli salienta que “o foco é fundamental. Quando você estabelece prioridades, o resto, por mais que pareça importante, será sempre o resto”.

Comentários

Mais Lidas