Como se tornar um servidor com 3 meses de preparação

O analista do Ministério do Planejamento, Marcelo Rezende, conta como conseguiu a aprovação com apenas três meses de estudos e logo que entrou para o mundo dos concursos

Marcelo Rezende
Publicado em 30/06/2017, às 16h10

Sou Marcelo Rezende e minha aprovação veio no concurso de 2015 do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para o cargo de analista de tecnologia da informação, que conquistei como 7º colocado. 
Minha trajetória nos concursos começou a partir da minha demissão na iniciativa privada, no final de abril de 2015.
Duas semanas depois de ter sido demitido, conversei com um amigo, servidor público, e resolvi entrar para esse mundo. Mirei a seleção do Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG) que estava com o edital prestes a sair.
Estudei aproximadamente por um mês algumas matérias do antigo concurso quando, de fato, o edital foi lançado. Daí, tive mais dois meses e meio para continuar me preparando até a prova, prevista para o final de agosto.
Durante essa caminhada, encontrei algumas dificuldades, como inexperiência, falta de ambiente de estudos tranquilo e falta de renda. Porém, a questão mais complicada foi a pressão interna, ou seja, a crença e o medo do fracasso, de não ter tomado a decisão certa, de imaginar o que os outros vão pensar etc.
Entretanto, ao invés de me abater com tais dificuldades, procurei contorná-las sempre pensando na aprovação, na alegria dos amigos e familiares com a notícia. Assim, sempre que me sentia cansado ou abatido, tirava forças pra estudar pensando na recompensa. Só por curiosidade, cito o dia que estudei à luz de velas quando faltou luz à noite. Ou seja, não procurava desculpas, mas sim, soluções.
Em dezembro de 2015, mais precisamente no dia 10, cinco dias depois do meu aniversário, o Cespe/UnB divulgou a homologação do resultado final do concurso público. Para minha alegria e da família, havia sido aprovado em 7º lugar, de um total de quase 8.000 candidatos inscritos. A nomeação ocorreu no final de dezembro e a posse, na primeira semana de 2016.
Quanto aos pontos importantes, acredito que a força de vontade foi primordial. Quando decidimos entrar para o mundo dos concursos, precisamos acreditar que somos capazes e estudarmos com determinação e foco.
Além disso, é muito importante montar um plano de estudos e ser disciplinado. É preciso entender que o sacrifício de hoje, se tornará a alegria de amanhã. E claro, resolver provas antigas e muitos exercícios. E quanto a isso, o Qconcursos.com foi fundamental na minha preparação e cheguei a resolver mais de 2.000 questões.
No momento, estou feliz com o cargo obtido mas, caso surja alguma grande oportunidade, considerarei voltar a estudar, afinal, estarei mais tranquilo sem a pressão do primeiro concurso.

Comentários

Mais Lidas