Tribunais oferecem grandes oportunidades

O concurso do TRE/SP já está previsto no Orçamento de 2016 e existe uma comissão que iniciará o planejamento da seleção assim que o prazo de validade do último concurso expirar, em julho de 2016

Jaime Kwei
Publicado em 04/03/2016, às 16h21

Recebo diariamente perguntas de alunos que possuem interesse em prestar concursos e fazer carreiras em cargos nos diversos tribunais espalhados pelo país e, normalmente, aconselho que quem está estudando para um concurso deve prestar outros concursos, pois é uma ótima forma de avaliar o aprofundamento da teoria e evolução nos estudos.
Além disso, mesmo quando o aluno tem um objetivo maior, ou seja, um cargo do sonho, ele deve prestar concursos intermediários (técnica do trampolim), o que é muito comum entre os concurseiros. Caso seja aprovado nesse concurso intermediário, o aluno já melhora sua situação profissional e financeira, reduzindo a pressão durante a preparação do seu objetivo maior. 
As perguntas mais comuns são: quando teremos um novo edital e para qual tribunal já existe uma previsão de um novo processo seletivo? E eu respondo: o candidato deve ficar atento e não somente intensificar os estudos quando da publicação do edital e sim criar o hábito de estudar e aproveitar as oportunidades que estão com editais previstos ou autorizados, sendo assim, sem a pressão do tempo que ocorre quando já há uma data de prova, o candidato consegue organizar a rotina de estudos, fazer exercícios e simulações que aumentarão o seu ritmo de resolução de provas.
Para um melhor entendimento acerca do quanto é interessante organizar-se antes da publicação, temos como exemplo o concurso do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE/SP), que já está previsto no Projeto de Lei Orçamentária de 2016 e já existe uma comissão que iniciará o planejamento da nova seleção assim que o prazo de validade do último concurso expirar, o que ocorrerá em julho de 2016. Ou seja, a partir desse momento poderá ser feita a definição do cronograma e a escolha da organizadora.
Em posse desse tipo de informação, o candidato pode organizar seus próximos meses de estudos, pois consegue planejar suas aulas conciliando a nova rotina às suas obrigações diárias.
Outra informação que nunca deixo de passar ao candidato é que, para que a preparação seja de acordo com a realidade da prova, o estudo do edital é fundamental. Além da quantidade de vagas, é importante saber a divisão das vagas dentro das áreas do tribunal, até porque algumas das áreas podem exigir formação específica – apesar de algumas áreas exigirem somente nível superior (em qualquer curso).
Em relação às disciplinas, sempre digo que o candidato deve ficar atento à quantidade de questões de conhecimentos básicos e específicos, ao peso de cada disciplina, às etapas do concurso – que além das provas objetivas podem ter ainda prova discursiva –, aos estudos de casos, à avaliação de títulos, dentre outras, que podem ser ou não solicitadas pelo tribunal.
Temos muitos tribunais espalhados pelo país e as oportunidades devem ser aproveitadas, pois muitas disciplinas são comuns ou equivalentes e o candidato organizado, informado e preparado sai na frente e fica mais próximo da posse no tão sonhado cargo. 
Antecipe-se! Com certeza, se você seguir estas orientações, logo realizará seu sonho.
Jaime Kwei, diretor da Central de Concursos.

Comentários

Mais Lidas