Visita a secretarias e instituições estaduais

Vice-­presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo tem se reunido com os secretários estaduais para se aproximar do executivo e colocar o seu gabinete à disposição das pastas

Duarte Moreira
Publicado em 02/07/2019, às 14h13 - Atualizado às 23h13

None

O 1º vice-­presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), deputado Gilmaci Santos, tem se reunido com os secretários estaduais para se aproximar do executivo e colocar o seu gabinete à disposição das pastas.

 Nas últimas semanas, o parlamentar republicano conversou com o vice ­governador do Estado e secretário de Governo, Rodrigo Garcia, e com os secretários estaduais Henrique Meirelles (Fazenda e Planejamento), Antonio Carlos Rizeque Malufe (Casa Civil) e Julio Serson (Relações Internacionais).

O deputado também se reuniu com o coronel Walter Nyakas Júnior, secretário-­chefe da Casa Militar e coordenador da Defesa Civil do Estado, com o desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, presidente do Tribunal de Justiça, e com o procurador­ geral de Justiça, Gianpaolo Poggio Smanio.

Para Gilmaci Santos, essa aproximação é importante ao trabalho do legislativo estadual. “Conhecer as demandas e as rotinas das secretarias e das instituições facilita colocar o legislativo em sintonia com a realidade desses setores”, disse. Nos próximos dias, o deputado seguirá a sua agenda de reuniões com as secretarias estaduais e outras instituições públicas.

Programasvão levar democracia e transparência à educação

Dois meses após o lançamento do programa Educação em Primeiro Lugar, que busca o fortalecimento da gestão democrática e dos direitos de estudantes e profissionais nas escolas municipais, o deputado Carlos Giannazi e o vereador Celso Giannazi promoveram, em 19/6, novo evento na Câmara Municipal de São Paulo com alunos e professores.

Foi a apresentação do Conselho de Educandos e Educadores da EJA e do Observatório da Demanda Escolar, medidas de resistência à política de fechamento de escolas e salas mediante a superlotação das remanescentes. Segundo os presentes, salas com 45 alunos inviabilizam um ensino de qualidade. Conforme explicou a supervisora de ensino Luciene Cavalcante, o conselho em formação se reunirá mensalmente para se firmar enquanto corpo político de defesa do direito à EJA.

Entre os educadores presentes, foi consenso que o colegiado será pautado na pedagogia crítica de Paulo Freire. O próprio ato já iniciou o diálogo entre educadores e educandos das unidades, uma vez que reuniu dez escolas da capital. Já o Observatório da Demanda Escolar deverá quantificar, da forma mais objetiva possível, as pessoas que deixam de se matricular por falta de divulgação ou por empecilhos criados pelo poder público. Segundo o IBGE, na região Sudeste, 46,4% das pessoas com mais de 25 anos não concluíram o ensino médio.

Fontes: Diário Oficial, Assessoria do Deputado Carlos Gianazzi, Assessoria do Deputado Gilmaci Santos e Duarte Moreira

Comentários

Mais Lidas