Exame será reaplicado hoje, a partir das 13h

Avaliação será realizada pelos estudantes que foram prejudicados com os erros de impressão da prova amarela aplicada no dia 6 de novembro e que registraram o equívoco em ata.

Redação
Publicado em 15/12/2010, às 09h56

Tem início às 13h desta quarta (15) a prova do Enem 2010, que será aplicada para os estudantes que foram prejudicados com os erros de impressão da prova amarela aplicada no dia 6 de novembro e que registraram o equívoco em ata.

As provas de ciências humanas e ciências da natureza serão realizadas das 13h às 17h30.

Para verificar o local de prova basta acessar o endereço eletrônico: http://sistemasenem2.inep.gov.br/localdeprova.

O exame será realizado em 218 cidades de 17 Estados: Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

Entenda o caso - Ao todo se inscreveram para esta edição da avaliação 4,6 milhões de estudantes.  A prova havia sido suspensa no dia 8 de novembro, diante da decisão tomada pela juíza federal da 7ª Vara Federal do Ceará, Karla de Almeida Miranda Maia. O prejuízo causado aos candidatos em razão dos problemas na impressão e encarte da prova amarela doa dia 6 de novembro foi o argumento levado em conta pela magistrada.

No entanto, a Advocacia Geral da União entrou com recurso na mesma semana e assegurou que uma nova prova seria aplicada aos estudantes prejudicados – posição não aprovada pela juíza, que ponderou que a aplicação de uma nova prova apenas para os prejudicados com os erros da avaliação poderia beneficiar um grupo de estudantes

De acordo com o ministro da Educação, Fernando Haddad, o argumento para assegurar que haverá igualdade de condições aos candidatos que tiverem de refazer a prova será o uso da Teoria de Resposta ao Item (TRI) na elaboração das questões do Enem. A partir desse modelo, diferentes exames apresentam o mesmo grau de dificuldade. Testadas antes da prova, as questões ganham um peso que varia de acordo com o desempenho dos estudantes nos pré-testes — quanto mais alunos acertam uma determinada pergunta, menor o peso que ela terá na prova porque o grau de dificuldade é supostamente menor.

Na sexta (12) a prova do Enem foi liberada pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, desembargador Luiz Alberto Gurgel de Faria. O desembargador levou em conta que a suspensão do exame e a alteração do cronograma do Enem “repercutiria na realização dos vestibulares promovidos pelas instituições de ensino superior”. Na decisão ele também ponderou que haveria um prejuízo de cerca de R$ 180 milhões aos cofres públicos, referentes à contratação da logística necessária.

Luana Almeida

Veja também:

Fuvest: medicina é o curso mais concorrido do vestibular

Para os Estados Unidos:Paula Souza tem 600 bolsas de estudo de inglês

Comentários

Mais Lidas