Conheça as carreiras em destaque no vestibular

O curso mais concorrido foi o de engenharia civil em São Carlos, com 52.27 concorrentes por vaga, ultrapassando assim a carreira de medicina - que nesta edição teve 51.18 inscritos por posto.

Redação
Publicado em 25/11/2011, às 14h12

A primeira fase da Fuvest ocorre este final de semana. O curso mais competido foi o de engenharia civil em São Carlos, com 52.27 concorrentes por vaga; ultrapassando assim a carreira de medicina, que nesta edição teve 51.18 inscritos por posto.

O Jornal dos Concursos & Empregos entrevistou o coaching Roberto Recinella para falar sobre as carreiras que se destacaram na Fuvest 2012. Confira:

Jornal dos Concursos & Empregos   - Este ano a carreira mais concorrida na Fuvest foi a de engenharia civil - São Carlos (52,27 candidatos por vaga), a que se deve isto?


Roberto Recinella - Segundo o Confea (Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia), existe um déficit no Brasil de aproximadamente 20 mil engenheiros por ano. Este número só tende á aumentar já que demanda por esses profissionais em um país em franca expansão na área estrutural, com diversos projetos, como o PAC, o Programa Minha Casa, Minha Vida, o pré-sal, hidroelétricas, as Olimpíadas e a Copa do Mundo, absorvendo esta mão de obra; mas cabe lembrar que aquele que está escolhendo sua carreira hoje ainda não estará no mercado em 2014, além disso, este profissional recém-formado estará concorrendo com profissionais já experientes no mercado. É importante não ser levado pela “bolha” de aquecimento das carreiras somente devido à Copa e Olimpíadas, tenha um plano B.

No Brasil a cada 50 pessoas que se formam no nível superior apenas um é engenheiro, com isso temos um “apagão” de mão de obra no setor. Outro fator é a variedade de especializações que surgiram em engenharia nos últimos anos já existem cursos de engenharia aeronáutica, de agrimensura, de alimentos, cartográfica, agrícola, ambiental, florestal dentre outras.

JC&E -   Com isso medicina caiu para segundo lugar, por qual motivo esta é uma carreira tão procurada e está sempre entre as primeiras?

RR - A saúde sempre estará entre as primeiras colocações devido à alta demanda por este profissionais, já que a expectativa de vida aumentou consideravelmente nos últimos anos, alem disso surgiram novas especializações, com isso, novos postos de trabalho para os recém-formados.

Esta carreira talvez seja a única que conheço com taxa zero de desemprego, e apesar do grande numero de médicos ainda estamos com uma defasagem de mais de 150 mil médicos no Brasil.

JC&E - O que esperar dessas carreiras que obtiveram as mais altas relações de candidatos por vaga na Fuvest?

RR - Muito trabalho e dedicação, pois apesar de serem carreiras  aquecidas isto não significa que maus profissionais serão absorvidos pelo mercado. A tendência é este crescimento ser mantido pelos próximos anos desde que o Brasil não perca a sua onda de crescimento dentre os países emergentes.

JC&E - Quais outras carreiras que devem estar em alta em 2012?

Segundo dados da Fuvest deste ano os seguintes cursos também estão em alta: publicidade e propaganda, relações internacionais, ciências médicas, jornalismo, audiovisual, artes cênicas, psicologia e design.

JC&E - O que o candidato deve levar em consideração na hora de escolher uma profissão?

RR - Sua paixão e afinidade. O pior erro que um candidato pode cometer é escolher sua carreira visando ganho financeiro ou garantia de emprego.

O candidato tem que se comprometer de corpo e alma para se tornar um profissional de excelência.

JC&E - Como escolher a carreira certa?

RR - Primeiro é importante dizer que não existe carreira certa ou errada, o que existe é afinidade, além disso, você pode mudar de carreira se não estiver satisfeito com sua escolha.

Recomendo uma auto-avaliação, pergunte-se se você dedicaria seus próximos 40, 50 anos, uma vida inteira, praticando tal profissão. Quais seus objetivos de vida e como sua carreira auxiliará você a atingi-los. 

JC&E – Muitos não se sentem satisfeitos com a carreira escolhida, sempre há tempo para trocar de área? Como começar esse processo?

RR - Sempre tem tempo de mudar. Comece pesquisando a nova carreira e se você poderá ter equivalência de matérias, o que eliminaria refazer parte do novo curso.

É importante avaliar se o problema é a carreira ou a empresa em que a pessoa está atuando, se for mesmo a carreira ela deve avaliar seus objetivos, colocar os prós e contras e elaborar um plano de transição que vai desde “apertar os cintos” e ter uma reserva financeira até fazer uma mudança homeopática, isto é, aos poucos. Em minha opinião a parte mais difícil é redescobrir sua nova identidade profissional.

Carolina Pera

Veja também

Estado/SP: Instituição abre 12 mil vagas em cursos gratuitos

Fatecs: Mais de 51 mil se inscreveram para 11,3 mil vagas

Comentários

Mais Lidas