Aprenda a elaborar um currículo adequado

Há quatro modelos de currículo. Para saber qual o tipo ideal para o seu perfil, leia com atenção a matéria aba

Redação
Publicado em 04/07/2008, às 13h03

Engana-se quem acredita que a primeira coisa a ser feita para conseguir uma colocação no disputado mercado de trabalho é montar o currículo.

De acordo com Regina Silva, diretora da Gyraser, empresa especializada em treinamento, gestão de carreira e coach, antes da elaboração do currículo é preciso definir o objetivo ou a área de atuação, ou seja, saber claramente qual o cargo que pretende exercer na empresa ou a área em que deseja ingressar. “É preciso definir o que você quer, pois se você não sabe exatamente o que quer fazer, todo o currículo é estruturado de forma errada”, explica Silva.

Uma vez identificada qual a área ou objetivo é hora de partir para a próxima etapa: a montagem do currículo.

Segundo Camila Mariano, consultora de RH da Catho Online, o currículo deve cumprir duas funções principais: servir como roteiro para os selecionadores e gerar entrevista. Já para Gutemberg Macedo, presidente da Gutemberg Consultores, o currículo é uma peça publicitária. “Ele deve chamar a atenção de seu empregador em potencial”.

O currículo é a chave de entrada para o mercado de trabalho, ele demonstra o tipo de profissional que você é. Por isso, é preciso apresentar um material convidativo, ou seja, que cada tópico atraia a atenção do selecionador para que ele o leia por completo. E para que isso ocorra, Macedo explica que “o currículo deve ser objetivo, claro, conciso, atraente, descrever os principais pontos pessoais e da carreira e não conter erros gramaticais”.

Hoje é muito comum os recrutadores receberem currículos sem ter o perfil ideal para a vaga, sem objetivo claro, com vários erros e informações desnecessárias. Esses deslizes eliminam imediatamente o profissional da disputa pela vaga.

Principais erros

É importante destacarmos aqui os principais erros cometidos, para que você os evite e monte um currículo que possa garantir uma entrevista. Clique aqui para ver quais são eles.

Modelos de currículos

Como montar o currículo ideal? Segundo Regina Silva, não existe um tipo correto, “o que se tem são modelos específicos para cada tipo de profissional”, explica ela. E qual o melhor tipo de currículo? Para você saber, é preciso levar em conta a sua experiência profissional e saber qual a área em que pretende atuar.

Regina explica que há quatro modelos de currículos: cronológico, funcional, geral e cronológico/funcional. A seguir, saiba como elaborar cada um e veja o exemplo:

Currículo cronológico
É indicado a pessoas que passaram por poucas empresas ou trabalharam em muitos cargos na mesma empresa. Neste, você deve destacar suas experiências profissionais da mais recente às mais antigas. Confira as vantagens e desvantagens desse modelo:

Vantagens

• Quando permaneceu por muito tempo em uma única empresa;

• Quando cresceu profissionalmente na empresa;
• Quando deseja destacar a empresa, por ser reconhecida.

Desvantagens

Quando ocupou o mesmo cargo e teve as mesmas funções na empresa;

• Quando passou por muitas empresas;
• Quando as empresas pelas quais passou não possuem nome reconhecido no mercado.

Currículo funcional
Nele, você deve destacar as funções, as atividades ou as áreas por onde passou na empresa. Este é recomendado para quem trabalhou por um bom tempo em diversos cargos ou áreas de atuação, quem é especialista em uma área ou mais. Neste, nós teremos o que se chama de resumo de qualificações, focando suas competências e habilidades nas funções exercidas.

Vantagens

• Quando destaca o que fez de melhor;

• Quando mostra sua experiência em todas as áreas;
• Quando enfatiza as áreas em que obteve maior destaque.

Desvantagens

• Quando permaneceu por pouco tempo em cada área na empresa;

• Quando ocupou um único cargo em diversas empresas ou em uma única;
• Quando não sabe a área que está buscando.

Currículo geral
É ideal para quem possui pouca experiência, para quem passou por muitas empresas em várias áreas. Ele é usado quando queremos mostrar toda a experiência sem focar as empresas ou o cargo. Quando passamos por muita empresas em um curto prazo de tempo e quando não dominamos uma determinada área.

Vantagens

• Quando pode-se mostrar toda a sua experiência;

• Quando destacam-se as realizações e as experiências independentemente da empresa;

• Destaca na ordem de importância do cargo que busca;

• Quando a experiência é muito longa e pode-se resumi-la em seus principais pontos;
• Quando se tem pouca experiência.

Desvantagens

• Quando se tem experiência em uma empresa grande e conhecida;

• Quando trabalhou em diversas áreas;
• Quando é especialista em uma determinada área.

Currículo cronológico/funcional
Essa mistura é usada quando quer se mostrar ao mesmo tempo o todo e o específico, ou seja, quando o candidato passou por excelentes empresas e atuou em ótimos cargos.


Vantagens

• Quando se tem uma longa experiência. Possibilita destacar a empresa e o cargo.

Desvantagens

• Quando se tem pouca experiência.

De acordo com Regina, o modelo mais usado é o geral. “Nele você destaca o que fez e não destaca a empresa e nem as funções”, afirma ela. Já o menos utilizado é o cronológico/funcional.


Patrícia Magalhães

Comentários

Mais Lidas