Os caçadores de indenizações!

Parece até piada, mas há pessoas que já entram no emprego pensando nos benefícios que terão ao sair

Redação
Publicado em 06/07/2009, às 09h38

(extraído do livro: Como perder o emprego (com competência))

Profº. Edison Andrades


Parece até que estou fazendo piada com esse tópico, mas conheço pessoas que já entram no emprego pensando nos benefícios que terão ao sair. A pessoa se condiciona a agüentar um período que lhe dê direito a usufruir da lei do desempregado. Planeja e suporta esse tempo para que depois disso comece a aprontar e consiga ser demitida.


Geralmente o sujeito começa com um “papinho” de que gostaria que a empresa o ajudasse, pois está “construindo”, ou tem que “ajudar seus avós que o criaram”, e outras “mentirinhas” que julgar necessárias. Mas quando a empresa não cai na conversa, pronto, isto já é motivo para o “figura” começar a espalhar para os colegas que a empresa é desumana e que todos devem se cuidar, pois quando precisarem dela, não terão o seu apoio. (Se torna um poluidor de ambientes!)


Segue um discurso cheio de suas próprias razões, como:


- “Nunca faltei, nunca cheguei atrasado e todas as vezes que a empresa precisou de mim, eu estive lá...” (como se isto fosse louvável!)


O que muitos funcionários não percebem, ou não querem perceber, é que ser assíduo, pontual e estar pronto para quando a empresa precisar é justamente o que acordou em sua admissão, e não é mérito nenhum cumprir um acordo; é como seu eu dissesse ao mundo que mereço ter uma vida melhor que os outros por eu nunca ter roubado ou matado alguém (como se isto não pertencesse aos princípios de qualquer ser humano). 


O que não consigo conceber é o fato de os trabalhadores, de um modo geral, terem a mania de transferir as responsabilidades que são suas à empresa, quando o assunto é desligamento. Vou exemplificar melhor: 


O sujeito está trabalhando há três anos em uma determinada empresa quando, de repente, recebe uma proposta melhor para trabalhar dentro de sua área, ou irá realizar um sonho de estudo através de uma bolsa remunerada, etc. É nesse momento que começa o velho discurso: “Eu não vou perder tudo que construí, a empresa precisa me demitir”. O pior é que recebe o apoio de todos os que estão ao seu redor.


Sei que poderá haver diversos acordos entre você e a empresa, mas pense que a opção de mudança é sua, o sonho é seu. Não obrigue a empresa a patrocinar a sua escolha (ela não tem esta obrigação!), pois é muito mais digno você bancar suas coisas.


Já ouvi casos em que a pessoa não aproveita a oportunidade ofertada por não abrir mão de perder algo que, na realidade, nunca foi seu (“Os tais direitos! *”). A multa que a empresa precisa pagar após desligar um funcionário não lhe pertence. A lei existe com o objetivo de não deixar o empregado desamparado até ingressar em outra empresa. Seja honesto e deixe as portas abertas, pois saber entrar numa empresa não é tão difícil assim, pois para tal basta você estar preparado para a vaga e responder com coerência às perguntas do selecionador; mas para saber sair de uma empresa são necessários dois fatores básicos: transparência e honestidade, já que sua carreira e sucesso dependem também da última empresa que você trabalhou, por causa das boas referências e de tudo que você aprendeu.


Ah! E nunca esqueça de incluir Deus em todos os seus planos.


Envie sua mensagem para nosso blog: blog.jcconcursos.uol.com.br/professoredison,

ou para o e-mail edison.andrades@terra.com.br. Terei imenso prazer em recebê-la.


Grande abraço.

* Profº Edison Andrades é Psicólogo - Especialista em desenvolvimento profissional e aconselhamento de carreira (Counseling); MBA; Escritor (autor do livro: Como Perder o Emprego (com competência)- Giz editorial); ex-Diretor de RH. É professor universitário atuando nas áreas de Administração e Marketing. Como consultor e palestrante atua em algumas das principais empresas nacionais e multinacionais do país. É palestrante e instrutor organizacional há mais de dez anos, onde destaca-se devido sua performance teatral, motivacional e irreverente ao transmitir conhecimentos. Marque uma consulta e conheça sua metodologia. contatos: e-mail: edison.andrades@terra.com.br; site: www.edisonandrades.com.br.

Comentários

Mais Lidas