Na roda dos desocupados

Existem empresas que selecionam apenas não-fumantes, pois a empresa só tem a perder ao contratar um fumante

Redação
Publicado em 20/07/2009, às 09h40

extraído do livro: Como perder o emprego (com competência)

Profº. Edison Andrades


Veja os dados desta pesquisa: 


Estudos feitos na Austrália, Canadá e Alemanha, onde os operários ficaram submetidos a uma total proibição de fumar na empresa (situação A), comparado com uma liberdade total de fumar (situação B). Na situação A comparada com a B, houve uma redução total de pessoas fumando, 3,8%, e de 3,1 que diminuíram o número de cigarros fumados por dia (1,3 cigarros por dia a menos). A soma desses dois dados mostrou que a proibição do fumo nas empresas levou a uma redução de 29% no consumo de cigarros e a uma queda de 4% no número de funcionários fumantes. Estima-se que as milhares de pessoas que fumam expõem um terço de outras milhares que ficam expostas aos malefícios do fumo pelo cigarro de seus colegas de trabalho ("fumantes passivos").

Fonte: C. for Tobacco Control Research, da Univ. da Califórnia.


Já existem empresas que selecionam, para integrar seu quadro funcional, apenas não-fumantes, pois sem dúvida a empresa só tem a perder ao contratar um fumante. Vamos aos fatos:


- Todo fumante é compulsivo; por mais que negue, precisa do cigarro nas horas difíceis, e lhe pergunto: existe algum emprego que não ofereça momentos difíceis? Na hora daquela bronca ou pressão, lá está o “desesperado” para dar uma “fugidinha” e fumar aquele “cigarrinho”, matando serviço e se contaminando com outros semelhantes que estarão lá por motivos bem semelhantes; 


- Todo fumante, após fumar aquele “companheiro” (o cigarro se torna quase um ente querido) fica com um cheiro horrível, o cheiro sai pelos poros, cabelos, hálito e fica impregnado na roupa. E logo após as tragadinhas, o fumante terá que retornar à sua tarefa, que será geralmente com clientes ou colegas. Cheiro é cheiro! Portanto, um belo cheiro de cigarro ou a presença de outros gases (aqueles) no ambiente não têm diferença. Ambos causam desconforto.


- Um fumante se ausenta mais frequentemente de sua tarefa do que seus colegas não-fumantes, pois tem uma desculpa cabível, e com isso ganha o mesmo que o colega que não sai de sua tarefa, causando desconforto aos gestores quando são pressionados, pois todos querem ter os mesmos direitos. 


- É fato que fumar prejudica a saúde, e isso nem as indústrias de tabaco negam; tudo aquilo que prejudica a saúde tende a causar duas coisas ao ser humano: 1) Viver menos 2) Viver doente ou inválido (este comentário é apenas probabilístico).


Obviamente que estou apenas usando um raciocínio lógico; sei que existem as exceções, mas paremos para pensar e nos colocar no lugar de um empregador: você, como empresário, investiria em um funcionário que não se importa nem com sua própria saúde? 

Pois é, meu caro leitor, as empresas estão começando a pensar em todos esses aspectos; se você não consegue parar de fumar, tente ao menos controlar e evitar durante o expediente conforme o estudo acima, e isto poderá ajudá-lo a eliminar o vício. Quem sabe você sobrevive pelo menos no mercado de trabalho!!


Ah! E nunca esqueça de incluir Deus em todos os seus planos.


Envie sua mensagem para nosso blog blog.jcconcursos.uol.com.br/professoredison,

ou para o e-mail: edison.andrades@terra.com.br. Terei imenso prazer em recebê-la.


Grande abraço.


* Profº Edison Andrades é Psicólogo - Especialista em desenvolvimento profissional e aconselhamento de carreira (Counseling); MBA; Escritor (autor do livro: Como Perder o Emprego (com competência)- Giz editorial); ex-Diretor de RH. É professor universitário atuando nas áreas de Administração e Marketing. Como consultor e palestrante atua em algumas das principais empresas nacionais e multinacionais do país. É palestrante e instrutor organizacional há mais de dez anos, onde destaca-se devido sua performance teatral, motivacional e irreverente ao transmitir conhecimentos. Marque uma consulta e conheça sua metodologia. contatos: e-mail: edison.andrades@terra.com.br; site: www.edisonandrades.com.br.

Comentários

Mais Lidas