Distância à educação

Nesta semana, o professor Edison enumera os prós e contras do EaD.

Redação
Publicado em 27/08/2010, às 14h07

O Ensino à distância está em alta no Brasil e no mundo. Fala-se que isso ocorre devido muitos não possuírem tempo para os estudos e, com isso estudariam nas horas vagas. Cuidado!


Para quem acha que essa modalidade é recente, engana-se, pois inicialmente na Grécia antiga, e depois em Roma, já existiam redes de comunicação que permitiam o desenvolvimento significativo da correspondência e, por consequência, a troca de informações.


O fato é que em nossa cultura não contemplamos toda essa prática para a troca de informações. Infelizmente muitas pessos preocupam-se apenas em completar um determinado curso, com um objetivo único: melhorar o currículo. Optam por algo que não atrapalhará sua rotina. Enxergam o EaD (Ensino à Distância) como a solução para todos os seus problemas. Ledo engano!


Saiba que a educação à distância obedece regras mais rígidas, em seu conteúdo aplicado, do que os cursos regulares. Isso ocorre como uma espécie de compensação, para a ausência presencial do professor. No entanto, você deve observar muito, antes de matricular-se nesse tipo de ensino. Deve analisar se seu perfil encaixa-se com a metodologia que lhe será apresentada durante o curso.


Em ensino à distância usa-se como instrumento metodológico o e-Learning. Esse termo (e-Learning) é fruto de uma combinação ocorrida entre o ensino com auxílio da tecnologia e a educação a distância. Ambas modalidades convergiram para a educação online e para o treinamento baseado em Web, que ao final resultou no e-Learning.


Isso nos evidencia, de forma automática, que o aluno deverá possuir mínima noção de informática, para que seu aproveitamento seja maior, mesmo que o manuseio exigido nos programas aplicados, no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), seja simples.


Outro ponto pouco analisado, mas bastante necessário para o bom desenvolvimento em EaD é a leitura. Se você insiste em não gostar de ler, terá grande dificuldade com essa modalidade de ensino. Além da leitura ser a forma predominante no método, é também a mais eficaz.


Devo chamar sua atenção para um último aspecto extremamente relevante, que é a disciplina e administração do tempo. Muitos encaram uma graduação on-line como se não possuísse obrigações. Então, usarão o tempo que seria de descanso, lazer e convivência em família, para realizar as tarefas solicitadas pelo curso. Com isso, o que deveria ser um prazer, um objetivo de vida e um sonho, torna-se um enorme fardo.


Não estou fazendo apologia negativa aos cursos à distância. Até os defendo. Entendo que se trata de uma nova tendência de mercado. Ajudam demais na formação, pois possuem uma metodologia inteligente e atraente ao passar conteúdo. Mas há muita gente que transforma o ensino à distância em distanciamento do ensino. E esse último é, com certeza, um péssimo investimento. 


Ah! E não se esqueça de incluir Deus em todos os seus planos.


Prof. Edison Andrades é palestrante e escritor. Visite-nos e fale conosco em www.edisonandrades.com.br e siga-nos no Twitter@profatendimento.



Veja também:


Promotores: Work Able seleciona 120 profissionais em SP

SP: Rede de farmácias vai gerar cerca de 120 empregos

Até 12 mil: CIET de Guarulhos tem 4.127 vagas abertas

Comentários

Mais Lidas