Verdade, especialidade da casa

Artigo do professor Edison Andrades.

Redação
Publicado em 16/05/2012, às 13h06

Paira, sobre a cabeça dos profissionais ativos do mercado, uma dúvida: “Devo revelar, ao meu chefe, que venho participando de um processo seletivo em outra empresa?”. Saiba que a verdade sempre deve prevalecer em sua vida, ainda que possa colocá-lo em situações de extrema dificuldade, apenas tenha cuidado com seu teor. As verdades que permeiam sua vida são separadas em dois grupos. De um lado, temos aquelas que devem ser proliferadas e, de outro, as que somente interessam a você.

O primeiro grupo é, portanto, formado pelas verdades que precisam ser reveladas, principalmente quando afetam diretamente a ética da questão. São verdades que remetem a seu caráter e honestidade. Devem ficar claras, por exemplo, numa entrevista, quando você for questionado sobre uma experiência anterior, sobre possuir um conhecimento específico.

Precisam estar explícitas também no preenchimento do currículo, e é importante apresentá-las na íntegra, do contrário terá, como consequência, sérios problemas de ordem técnica em seu relacionamento com a empresa.

Já as verdades que pertencem a você compõem o segundo grupo que nos interessa. Caso essas verdades sejam expostas na hora errada ou para pessoas erradas, tornam-se nocivas à sua carreira. Refiro-me aos assuntos que podemos categorizar como particulares e que não devem ser revelados, ainda que questionados. Se você achava seu ex-chefe um “idiota”, não seria saudável falar isso numa entrevista para emprego, ainda que o questionamento sobre o motivo pelo qual se desligou da antiga empresa surja. Achar seu ex-chefe idiota é um ponto de vista particular. Pode até ser uma verdade, mas está sob sua ótica. Falar isso numa entrevista o tornará deselegante. Seu comportamento deve ser o mesmo nas situações em que você participar de um processo seletivo externo que propiciará seu atraso ou ausência na atual organização. Salvo nos casos em que a relação com a chefia seja muitíssimo transparente, você não precisa se sentir na obrigação de revelar o motivo de sua ausência ou justificá-la em detalhes.

Também não é justo que aceite o abono de tal ausência, pois não esqueça que nossos compromissos devem ser bancados por nós. Outro fator importante é a comunicação antecipada, para que o departamento não fique descoberto e possa ter tempo de se programar para o desfalque.

A partir do momento em que você está “sendo descontado”, torna-se isento de explanações detalhadas, podendo apenas informar que se trata de um assunto particular (o que é uma grande verdade).

Desejo deixar claro, caros amigos, que a verdade deve imperar em sua vida, pois a mentira nos torna sujeitos falsos e sem credibilidade onde quer que estejamos. A mentira vicia e se torna um lema na vida das pessoas. Ela é tão embriagante que é capaz de iludir seu próprio agente, fazendo-o crer que todos a sua volta acreditaram em sua história, por mais absurda e contraditória que esta possa se apresentar. Sei que algumas verdades parecem traiçoeiras, mas são puras e devem fazer parte de seu cardápio. Alimente-se delas, e terá uma vida profissional bem mais saudável.

Prof. Edison Andrades é sócio da Reciclare Consultoria & Treinamento. Site: www.reciclareconsultoria.com.br 

E-mail: edison@reciclareconsultoria.com.br

Comentários

Mais Lidas