O processo de seleção começa hoje

Artigo do professor Edison Andrades.

Redação
Publicado em 26/06/2012, às 11h47

Normalmente, as pesquisas indicam que um dos maiores medos do ser humano se encontra no campo da autoexposição, ou seja, o medo surge quando a pessoa precisa apresentar-se, de alguma forma, em público. O fato é que uma entrevista para vaga de emprego ou qualquer modelo de processo seletivo não deixa de ser uma exposição em público, e com um agravante: o candidato está em situação de avaliação. Além de se expor, a pessoa ainda concorre a uma oportunidade que, por vezes, poderá mudar sua vida.

Não pretendo apresentar-lhes uma receita de como se dar bem numa entrevista ou dinâmica de seleção, pois acho que tentar seguir qualquer receita resulta num efeito contrário ao pretendido, pois torna o candidato artificial. Penso que, ao tentarmos delinear o passo a passo do candidato, corremos o risco de o incentivarmos a lançar fora justamente o que poderá ser seu diferencial competitivo: sua personalidade. Avalie, antes de tudo, quem é você e quem é a empresa. Ciente desses dois elementos, terá mais facilidade para encontrar o motivo que o faz estar ali. A partir daí, tudo fica mais tranquilo e, com certeza, a tranquilidade é aliada certa para encarar o processo.

Não existe uma técnica milagrosa que lhe fará, como num passe de mágica, olhar nos olhos do entrevistador e falar de suas experiências anteriores, habilidades e conhecimentos com tanta segurança a ponto de impressioná-lo absurdamente. Mas existe algo que impressiona e que poderá dar-lhe destaque em relação aos demais candidatos: querer. Parece óbvio dizer que o “querer” pode ser sua grande arma, mas saiba: é isso que o entrevistador busca. Segurança e firmeza só são funcionais quando vierem acompanhadas de sinceridade e brilho nos olhos, algo que deve partir de dentro de você e não precisa ser treinado, deve ser natural.

Há entrevistas em que o candidato não demonstra tanta habilidade com as palavras e linha de raciocínio, mas, em contrapartida, consegue mostrar caráter, simpatia e um forte desejo de vencer. As entrevistas modernas não abordam tanto a parte técnica da vaga, pois existem testes e provas que cumprem com muito mais eficácia o papel de avaliar tais competências. As entrevistas caminham para a esfera dos costumes, relacionamentos, gostos musicais, lugares preferidos etc. E, a partir desses pontos, os entrevistadores conduzem a conversa analisando personalidade e convicções do candidato, pois estas deverão ir ao encontro dos fatores culturais da empresa.

Alguns deixam para se preparar somente às vésperas de uma etapa de seleção. Desculpe, mas você não consegue se tornar bem informado, seguro, convincente, articulado e simpático da noite para o dia. Só se alcança essa excelência buscando-a num processo contínuo!

Além disso, garanto que, se estiver diante de uma empresa que se alinha, quase que em sua totalidade, aos seus valores pessoais, terá muita chance de alcançar sucesso no processo. Entrevistas de seleção são como uma lente que lança seu foco sobre um pequeno trecho de uma longa história. Quando a lente focaliza uma parte boa, o candidato entra! Quanto mais partes positivas houver em sua trajetória, maiores serão suas chances de êxito. Falar bem, saber ouvir, olhar nos olhos enquanto realiza sua exposição e possuir um grande equilíbrio psicológico são atributos fundamentais. Mas, para consegui-los, naturalmente, só existe uma forma: começar hoje.

Prof. Edison Andrades é sócio da Reciclare Consultoria & Treinamento. Site: www.reciclareconsultoria.com.br 

E-mail: edison@reciclareconsultoria.com.br

Comentários

Mais Lidas