A fórmula da riqueza

Artigo do professor Edison Andrades.

Douglas Terenciano
Publicado em 02/02/2015, às 14h48

Aprendemos sobre fazer tudo com excelência para termos um futuro brilhante. Mas o que é ter um futuro brilhante? Saiba que o parâmetro é individual, ou seja, cada um de nós tem sua própria régua para aquilo que vislumbra, ainda que estejamos na mesma área de atuação.

Na realidade, o que buscamos para o futuro, ou quem sabe ainda no presente, é algo talvez intangível para muitos: “riqueza”. Crescemos, por vezes, com uma mentalidade de que ser rico é para os sortudos escolhidos por Deus, daí ficamos aguardando uma vida inteira até cairmos na graça de Nosso Senhor, para quem acredita. Cuidado! Pode ser que Ele espere algo diferente de nós.

Descobri e desejo compartilhar com você, meu caro leitor, a fórmula da riqueza. Embora pareça utópico, saiba que a fórmula é simples. Mas você precisa, primeiramente, ajustar seu conceito de riqueza, então saberá: a riqueza é nada menos do que tudo que geramos a partir de algo até então inexistente, e carregado de valor. A fórmula é: Matéria Prima (MP) + Trabalho (T) = Riqueza (R). Simples assim.

Talvez você gere riqueza todos os dias e não perceba, pois a riqueza está presente em tudo que fazemos.

A matéria Prima (MP) está num atendimento a ser realizado, numa costura a ser acabada, numa lição a ser terminada, enfim, numa missão a ser concluída. Mas, por vezes, não a reconhecemos como parte da riqueza devido a não termos muito controle sobre sua existência. Sim, a matéria-prima, sozinha, parece ser, para nós, algo inacabado Devemos então completar a fórmula, unindo-a ao Trabalho(T) para gerar riqueza. O fato é que esse item da fórmula, o “T”, é o único que depende exclusivamente de nós. E talvez seja por isso que muitos não alcançam a tão desejada “R”.

Normalmente, presenciamos pessoas que odeiam seu trabalho. Uma pena, já que estão desperdiçando metade da fórmula. Quanto melhor a “MP”, menor é o “T”. Isso significa que, quando temos a oportunidade de realizar algo de ótima qualidade, teremos um esforço menor ao aplicar o trabalho. O inverso também é verdadeiro e, num exemplo bem simples, podemos dizer que, com uma farinha de baixa qualidade, teremos mais trabalho para fazer um pão.

Todos desejamos encontrar matérias-primas excelentes, já que passamos uma vida inteira “trabalhando” para trabalhar menos na vida. Paradoxo? Por muito tempo, ficamos tentando escolher a melhor matéria-prima para nossas vidas, mudando de emprego, estudando mais, empreendendo e tantas outras atitudes, as quais vejo como positivas, mas no fundo sinto informar que o grande segredo da riqueza, se é que deseja se tornar rico, é a força do trabalho aplicado àquilo que nos é disponibilizado. Quando a matéria-prima se torna demasiadamente difícil, você terá duas opções: mudar de matéria-prima (se puder) ou aumentar a força do trabalho. Você decide.

Prof. Edison Andrades é escritor, palestrante e sócio da Reciclare Treinamento. www.facebook.com/professor.edison.andrades

Comentários

Mais Lidas