O primeiro dia de trabalho! Que dureza!!!

Em nosso primeiro dia de trabalho, possuímos a mesma atitude de sempre, pois fazemos uma “cara de paisagem".

Redação
Publicado em 02/10/2008, às 13h44

* Profº Edison Andrades

Quero abrir nosso primeiro encontro salientando algo que julgo de extrema importância, principalmente  para aqueles que estão ingressando em seu primeiro emprego, ou que estejam apenas chegando em uma nova empresa: O primeiro dia de trabalho. Em uma de minhas primeiras experiências profissionais vivi algo que vale a pena compartilhar:

Em nosso primeiro dia de trabalho, possuímos a mesma atitude de sempre, pois fazemos uma bela “cara de paisagem” sorrindo para todos e simultaneamente sofrendo um imenso medo de não sermos aceitos.

Foi assim comigo! Acabara de chegar e logo fui apresentado a um colega de trabalho, que o intitularam meu “Padrinho” (são aquelas pessoas que ficarão ao seu lado para te ensinarem o trabalho,sabe?). Assim que nosso supervisor se retirou de nossa presença fui interrogado de forma precisa e bastante investigatória por meu “Padrinho”:

- O emprego está difícil lá fora?

Uma pergunta bastante relevante, pensei, feita por alguém que estava usufruindo um emprego, alguém que já se encontrava num patamar mais elevado que tantos, pois fora escolhido para recepcionar novatos, ou seja, exercia um cargo de confiança perante seus superiores. Naquele momento eu esperava uma acolhida de fato. Sabia que ali estava alguém que havia vencido obstáculos. Um herói!!

Respondi então:

- Muito difícil! Sem falar nas humilhações que sofri em filas de agências de emprego...

Na seqüência “Meu herói” rebateu:

- Imagino!!! Pois, para você ter vindo para esta “Espelunca”!!!!

Naquele momento despencara todas as minhas expectativas em relação àquele lugar. Puxa! Já estava até pensando em plano de carreira, mas com a voz trêmula e sem energia repliquei a questão:

- Por que? Aqui é tão ruim assim?

E de imediato veio a resposta:

- Você ainda não viu nada! Prepare-se para o pior!!!

Percebi que sua frase era acompanhada por um sorriso de hiena que se estampava no semblante mórbido de meu parceiro.

Saibam, que com este sujeito aprendi tudo o que não devia fazer na empresa. O melhor desta história é que fiz a escolha de não seguí-lo. Graças a isso que nesta empresa obtive um dos maiores desenvolvimentos em minha carreira.

Portanto deixo duas dicas. A primeira vai para todos os líderes e empregadores que nos acompanham:

Cuidado com quem estão escolhendo para recepcionar os novatos. Vocês podem estar semeando a ruína da empresa.

A segunda é para quem está sendo recepcionado:

Não caia nesta cilada. Saiba que em todo lugar sempre existirão os “corvos”. São pessoas nocivas à empresa, a eles próprios e a qualquer um que ameace seus planos. (Você é um ameaçador, sabia? Sim, pois está cheio de planos, sonhos e vive as práticas do primeiro amor. Você (e  só você) sabe o sacrifício que passou para chegar lá).

Saibam que toda empresa, por menor e menos expressiva que pareça, sempre terá alguém que deu certo. Alguém que foi reconhecido e que aproveitou as oportunidades das quais auferiu.

QUE TAL ESTE SER VOCÊ?

Ah! E nunca se esqueça de incluir Deus em todos os seus planos.

* Profº Edison Andrades é Psicólogo Organizacional (Counseling); Escritor (autor do livro: Como Perder o Emprego (com competência) – Giz Editorial-2007);  Pós-graduado (MBA) em Varejo pela Fundação Instituto de Administração/ USP; Ator profissional; Professor Universitário, ex-Diretor de RH. Como consultor e palestrante atua em algumas das principais empresas nacionais e multinacionais do país, com foco em desenvolvimento de pessoas. Considerado pelo meio empresarial como um dos melhores  palestrantes motivacionais do país, devido sua performance e sua forma irreverente, teatral e bem humorada.

Contatos: www.edisonandrades.com.br ou e-mail: edison.andrades@terra.com.br.

Comentários

Mais Lidas