2012: geração de empregos deve continuar aquecida

Setores como os de shoppings centers, franquias e construção civil divulgam suas estimativas para o Ano Novo.

Redação
Publicado em 30/12/2011, às 11h22

Apesar da ameaça de crise mundial, diversos segmentos da economia, como os de shopping centers, construção civil e franquias, prevêem aumento no número de empregos a serem gerados ao longo de 2012.


Segundo informações da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor de franquias deve fechar 2011 registrando um crescimento de 15% em relação ao ano anterior, com faturamento de R$ 86 bilhões e um aumento de 10% no número de marcas e unidades abertas. A associação estima que o setor cresça novamente 15% em 2012, com uma expansão de 8% no número de novas marcas e de 9 a 10% no de unidades. Atualmente, existem 1.855 marcas no Brasil, com 90 mil lojas franqueadas.


O Sindicato da Indústria da Construção Civil (SindusCon) também acredita em um Ano Novo próspero, com o setor crescendo 5,2% em 2012, para um aumento do PIB estimado em 3,5%. "Se o governo continuar ganhando sua aposta que fez na antecipação do início de queda dos juros, poderemos entrar em 2012 com um forte nível de atividade na construção civil", disse o presidente da entidade em São Paulo, Sergio Watanabe, em evento de confraternização do setor, ocorrido recentemente.


As estimativas são ainda mais otimistas no setor de shopping centers, que parece imune a qualquer crise: de acordo com dados levantados recentemente pela Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), até o final de dezembro de 2011 foram computados 113 novos shoppings em construção no país, que deverão entrar em operação até meados de 2014, gerando milhares de oportunidades de emprego na medida em que forem sendo inaugurados.


No decorrer dos próximos dois anos e meio serão abertas mais 20,3 mil lojas somente por conta desses 113 novos shoppings. E muitos dos atuais centros de compras e entretenimento realizarão expansões, acrescentando mais lojas, apurou a Associação.


Ainda de acordo com a Alshop, a indústria de shopping centers gerou neste ano que se finda 1.150.160 empregos diretos, sendo 1.071.480 contratações efetuadas por lojas e outras 78.680 pela operação dos centros.


Com relação ao período natalino, as lojas em shopping contrataram cerca de 140.000 colaboradores, contra 130.000 admissões em 2010, registrando um aumento de 7% em relação ao ano anterior, resultante do aumento da quantidade de lojas geradas pela abertura dos novos shoppings e pela expansão dos já existentes. A boa notícia é que, segundo a Alshop, nessa massa de contratações temporárias, o mercado varejista acaba absorvendo 25% desses profissionais temporários, ou seja, cerca de 35.000 contratos provisórios passam a ser efetivos, a fim de suprir futuras expansões e substituição de funcionários que tenham apresentado desenvolvimento insatisfatório.


Se você, leitor, almeja uma oportunidade de emprego em uma dessas áreas citadas, pode ficar animado, pois chances não vão faltar...


Cristiane Navarro Vaz/SP

Veja também:



Nordeste: Kimberly-Clark anuncia a geração de 430 empregos


Em todo o país: C&A seleciona portadores de deficiência

Comentários

Mais Lidas