Trabalho autônomo pode ser uma saída para a crise

Cresce o número de pessoas que enxergam oportunidades para conseguir uma renda financeira com o trabalho por conta própria

Douglas Terenciano
Publicado em 08/10/2015, às 13h54

Em tempos de crise econômica, muitos brasileiros se questionam até quando terão seus empregos. Afinal, as demissões estão cada vez mais frequentes. Por outro lado, muitas pessoas estão enxergando oportunidades para conseguir uma renda financeira, com o trabalho por conta própria. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que em agosto, 19,8% da população ocupada se enquadrou nessa modalidade, o maior patamar desde dezembro de 2006, o equivalente a 4,5 milhões de trabalhadores. Um ano antes, essa participação era de 19% e , em agosto de 2013, de 17,9%, dados das seis principais regiões metropolitanas.

Bancar o patrão de si mesmo requer muita atenção ao mercado e conhecimento na área que escolheu. “Mesmo que o negócio seja pequeno, é preciso ter pé no chão, se preparar, ver qual é o ramo que pretende atuar, independente do modelo, produto, forma de venda ou clientela, você precisa estudar e montar todo o modelo de negócio, além de buscar ajuda com especialistas da área. O alerta é dado para que seu negócio sobreviva e traga bons retornos financeiros. O momento é de não 'arriscar', qualquer vacilo pode ser fatal e sua empresa pode fechar as portas a qualquer momento”, aconselha o consultor empresarial da companhia EED, Marcelo de Souza.

As mudanças no mercado de trabalho são expressivas, tanto que grande parte dos desempregados tem entre 25 e 49 anos, sustenta a família e não pode ficar parado em casa esperando uma nova oportunidade com carteira assinada. Marcelo explica que “é preciso maturar seu negócio, ver as possibilidades dele dar certo e pensar no futuro. O ‘oba-oba’ não pode ser seu ponto pé inicial, não é porque está dando certo para alguém que dará certo pra você. Desenvolver um empreendimento é coisa séria, mesmo que seu negócio seja vender café, você precisa analisar seu público, concorrentes, preços, entender do seu produto 100% e para isso o plano de negócios se faz necessário”. 

O ramo de prestação de serviços é um dos mais procurados afirma o especialista. “Para investir nesta área, é preciso entender o mercado, as mudanças sociais, tendências e cenários e se antecipar a tudo isso com uma boa solução”, explica.

Ter o próprio negócio é bastante atraente pelo fato de não ter patrão, mas é preciso se manter em alerta, os clientes são mais exigentes que os patrões. “O empreendedor individual pode não ter dia de folga, férias, ele vai trabalhar aos finais de semana, precisará se planejar para tomar conta do seu negócio, além de se profissionalizar, fazer parcerias, treinamentos entre outras aquisições. O retorno financeiro e as finanças podem ser em pelo menos seis meses de muito trabalho”, observa Marcelo.

Comentários

Mais Lidas