MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Vale-refeição dura em média 12 dias no mês, revela Ticket

Trabalhadores brasileiros precisam complementar o vale-refeição, que cobre 12 dias no mês, de acordo com pesquisa da Ticket. Valor ideal varia por região

Vale-refeição dura em média 12 dias no mês, revela Ticket
Agência Brasil
Victor Meira

Victor Meira

victor@jcconcursos.com.br

Publicado em 01/11/2023, às 23h41

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Segundo uma pesquisa da Ticket, o valor médio do vale-refeição dos trabalhadores brasileiros é suficiente para apenas 12 dias no mês. Isso significa que, em média, os trabalhadores precisam complementar o benefício com o próprio bolso para se alimentar durante o horário de trabalho.

A pesquisa +Valor, realizada pela Ticket em parceria com o Instituto Datafolha, analisou o preço médio de uma refeição completa, que inclui prato principal, sobremesa, bebida e café, em 51 cidades brasileiras. O resultado foi um valor de R$ 46,60 por refeição, que representa 35% da renda média mensal do brasileiro, que é de R$ 2.921, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Se o trabalhador não receber benefício, considerando que gastaria em média R$ 1.025,20 para se alimentar nos 22 dias úteis do mês, comprometeria até 35% do seu salário apenas com alimentação no horário do trabalho. Considerando o preço médio da refeição revelado pelo estudo neste ano, o valor ideal para que o benefício dure o mês todo seria algo em torno de R$ 1 mil”, afirma Natália Ghiotto, diretora de produtos da Ticket.

Mas esse valor ideal varia de acordo com a região do país e o tipo de refeição escolhido pelo trabalhador. Analisando as diferentes regiões do Brasil e o preço médio da refeição completa, observa-se que o valor ideal para o benefício é menor na Região Centro-Oeste, que possui a renda média mais alta entre as regiões. O valor diário mínimo é de R$ 25,43, correspondente a R$ 559,46, o que equivale a 16% da renda média de quem mora na região. 

Por outro lado, na Região Sudeste, que tem a segunda maior renda média, os trabalhadores acabam desembolsando um preço médio mais elevado, necessitando de um valor maior para cobrir suas despesas com alimentação. 

Considerando as diversas regiões e o preço médio da refeição mínima (prato comercial + bebida), a Região Centro-Oeste novamente demanda um valor menor para o benefício, enquanto o Nordeste, com a renda média mais baixa, necessita de um valor maior, principalmente devido ao preço dos pratos.

A Pesquisa +Valor busca fornecer insights sobre o setor de alimentação, auxiliando as empresas na definição dos benefícios concedidos aos seus funcionários. Além disso, destaca a importância desses valores para garantir o acesso à alimentação de qualidade para os trabalhadores brasileiros.

+++Acompanhe as principais informações sobre o mercado de trabalho no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google Newsempregosvagas de emprego

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.