Adeus ano velho, feliz ano novo!

Estudantes já podem se preparar para conquistar sua vaga de estágio logo no início de janeiro.

Redação
Publicado em 31/12/2009, às 10h14

Passadas as festividades natalinas, é comum que, com a proximidade do novo ano, nos surpreendamos fazendo um balanço do que fizemos de bom e de ruim no ano que passou e traçando metas pessoais e profissionais para o futuro próximo. Ok, a maioria das pessoas está mais preocupada, na verdade, em decidir onde vão passar as festas, como se livrar do trânsito pavoroso do dia 31, que cor de roupa íntima vão usar, enfim... mas para você que já está interessado em começar 2010 com o estágio garantido, as expectativas não poderiam ser melhores: está prevista a abertura de 60 mil novas vagas para estudantes até o fim do mês de janeiro.

Esse número de oportunidades, estimado pelo superintendente operacional do CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), Eduardo de Oliveira, deve-se às vagas abertas pelos alunos que se formam nessa época do ano ou pelos que são efetivados.

O estudante de engenharia química Diego dos Santos de Oliveira integra a leva dos que conseguiram vaga nessa temporada de estágios (que começou em novembro e segue até janeiro). Contratado no começo de dezembro pela multinacional Firmenich, empresa especializada na produção de sabores e aromas químicos, atua como assistente de laboratório, com a criação de aromas. Diego é também um dos 900 mil estagiários que existem no país – entre os quais 250 mil cursam o ensino médio e 650 mil o superior (dados da Associação Brasileira de Estágios - Abres).

O estudante paulista de 22 anos também tem realidade socioeconômica similar a da maioria dos estudantes de graduação do país. De acordo com informações cedidas pelo Censo 2008, realizado pelo Inep/MEC, do total de 5 milhões de estudantes matriculados no nível superior no Brasil, 62,6% estudam no período noturno. Isso indica que a maioria trabalha durante o dia para conseguir bancar os estudos, ou seja: o estágio contribui para esse financiamento. Outro dado apontado é que 74,9% dos universitários estão em instituições privadas. Diego também cursa graduação em uma instituição de ensino superior e conta com o subsídio do Programa de Financiamento Estudantil (Fies) – por meio do qual paga apenas 25% do valor mensal do curso. “Se optasse pelo curso diurno não poderia fazer faculdade, pois preciso trabalhar para mantê-lo”, explica o universitário que acabou de passar para o segundo ano do curso (quem tem duração de cinco anos).

A trajetória do aspirante a engenheiro não começou agora na empresa. Funcionário da Firmenich desde o início de 2008, quando trabalhava na área de produção (especificamente com a transformação de aroma líquido em pó), só agora o universitário conseguiu a chance que tanto esperava.

E ao passar da condição de funcionário para estagiário, Diego sente a diferença no dia a dia de atividades. “Antes trabalhava por volta de sete horas por dia, de segunda a sábado; hoje são seis horas diárias, de segunda a sexta. Também estou desenvolvendo noção total do processo de produção do aroma e aprimorando, gradativamente, a criação de uma memória olfativa. Nós trabalhamos aproximadamente com três mil matérias-primas”, orgulha-se.

Agora o estudante complementa o conhecimento adquirido na sala de aula com a realização de diversas atividades, como: dar entrada e saída de materiais do estoque; realizar pesagem de matéria- prima; auxiliar no projeto de criação de aroma; avaliar e degustar o aroma produzido na fábrica, para checar se foi produzido da forma como foi planejado no laboratório; enviar amostras para o exterior; interpretar laudo técnico, verificando se o produto enviado para fora do país é inflamável ou não; e ajudar no planejamento do projeto de criação.

Diego reconhece a guinada que o estágio trouxe à sua vida e constata que todas essas novas atividades contribuíram para a formação de seu conhecimento na área. “Na faculdade, você tem visão geral da área; já no estágio, sabe como é na prática. Acredito que sem estágio, o profissional não sai da faculdade capacitado”, avalia.

Diversificação - De acordo com o CIEE, dessas 60 mil vagas previstas, 60 a 65% delas serão destinadas a estudantes do ensino superior, 35 a 40% para o médio regular e 5 a 10% para médio técnico.

A maior parte das vagas, segundo o presidente do Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube), Carlos Henrique Mencaci, será voltada para as áreas administrativas, de comunicação social e direito. “Uma característica interessante é que, em algumas áreas, como engenharia, ciências, contábeis, ciências econômicas, ciência da informação e matemática, há volume bom de vagas, mas número de estagiários é insuficiente”, destaca, acrescentado, que, para essas graduações sempre sobram vagas durante todo o ano.

Esquenta para 2010 – Para não errar na hora de conquistar a tão sonhada oportunidade de estágio, confira as dicas de dois experts do mercado de estágios, o Nube e o CIEE.

? Cadastre-se no site da empresa que tiver preferência;

? Faça pesquisa no site da companhia: isso demonstra que candidato é pessoa interessada e proativa;

? Não chegue atrasado, apresente-se, no mínimo, com 15 minutos de antecedência;

? Preste atençãoao vestuário que irá utilizar: opte por roupas discretas;

? Não vápara a entrevista ou dinâmica com chiclete na boca;

? Não interrompa a fala de outros concorrentes;

? Usetom de voz alto, mas não grite; é aconselhável utilizar ritmo baixo para que todos entendam o que você fala;

? Domínio de segunda língua e conhecimento do pacote Office é necessário;

? Leia muito:esse hábito ajuda a formar repertório e desenvolver a escrita.

Perspectivas e bolsa - Para além desse período do começo do ano, o presidente do Nube prevê ainda o aumento de 20% de vagas de estágio para todo o ano que vem. Mencaci atribui o aumento da oferta em relação ao ano passado devido ao crescimento da economia mais o fato de 2010 ser um ano eleitoral: “Há uma preocupação forte para manter a economia aquecida”, explica.

Em relação aos subsídios, o Nube realizou em abril desse ano a pesquisa "Valores pagos aos estagiários do Brasil". O estudo revela a média de bolsa-auxílio oferecida por empresas de pequeno, médio e grande porte. O levantamento foi feito com 12.140 estagiários de diferentes níveis em todo o país.

A média geral paga por um estagiário brasileiro é de R$ 705. Para o ensino médio, R$ 421; para médio técnico, R$ 467; superior, R$ 805; e superior tecnólogo, R$ 707.
É uma média. Diego ganha por volta de R$ 1.100 mais benefícios como seguro de vida, cartão farmácia, convênio médico, vale transporte e almoço na empresa. Se for efetivado, a previsão é de que passe a ganhar o quádruplo do que recebe hoje. Diego já começou o ano com o pé direito. E você, como quer começar o seu?

Top Five

Confira as melhores bolsas oferecidas pelo mercado para cada nível de escolaridade

? Superior
1- Engenharia - R$ 933
2- Direito - R$ 870
3- Arquitetura e Urbanismo - R$ 864
4- Economia - R$ 854
5- Relações Públicas - R$ 853

? Superior tecnólogo
1- Tecnologia Mecânica (Processos de Produção) - R$ 890
2- Gestão da Produção Industrial - R$ 815
3- Tec. em Análise e Desenv. de Sistemas - R$ 772
4- Tecnólogo em Logística - R$ 763
5- Tecnologia em Marketing - R$ 757

? Médio técnico
1- Edificações - R$ 641
2- Química - R$ 595
3- Mecânica - R$ 571
4- Segurança do Trabalho - R$ 568
5- Mecatrônica - R$ 539

(Fonte: Núcleo Brasileiro de Estágios – Nube)

Luana Almeida


Veja também:

White Martins: empresa tem 40 vagas para RJ, ES, MG, CE, PE e BA


Prefeitura/SP: inscrições abertas para 147 vagas de estágio


DuPont/SP: empresa oferece 57 vagas de estágio


Estágio: IBM abre 150 vagas para SP, RJ, RS, DF e MG

Comentários

Mais Lidas