MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | saúde | Sociedade | youtube jc

Casos de violência política no Brasil cresceu mais de 300% desde 2019

Estudo revela também que a principal violência política aplicada contra as vítimas é a ameaça e agressão física

Victor Meira | victor@jcconcursos.com.br
Publicado em 13/07/2022, às 10h15

Mulher brigando
Mulher brigando - Freepik
WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmail

Desde o assassinato do tesoureiro do PT Marcelo Arruda, em Foz do Iguaçu, durante a sua festa de aniversário, pelo policial penal federal Jorge José da Rocha Guaranho, que é apoiador do presidente Jair Bolsonaro, o tema da violência política é um dos assuntos mais discutidos atualmente.

Um levantamento produzido pelo Observatório da Violência Política e Eleitoral da UniRio mostra que este tipo de violência subiu 335% em apenas três anos. 

Em 2022, o estudo informa que foram registrados 214 casos de violência política. Este número é quase cinco vezes mais alto que os casos registrados em 2019, que foi de 47. 

+Mega-Sena pode pagar R$ 27 milhões no sorteio desta quarta (13)

Segundo a UniRio, os dados sobre a violência política são coletados junto ao Observatório da Violência Polícia e Eleitoral, que reúne informações a partir de mapeamento de ameaças, homicídios, atentados, homicídios de familiares, sequestros e sequestro de familiares. 

Além disso, os dados também são pegos e acompanhamento de  veículos de comunicação nacionais, incluindo noticiário de rádio e televisão, jornais e revistas impressos, blogs jornalísticos e alertas do Google com a utilização das palavras-chave. 

O levantamento aponta que as ameaças são as principais formas de violência política aplicadas contra as vítimas. Entre abril e junho de 2022, 37 lideranças (36,6%) sofreram algum tipo de intimidação. Após isso, surgem as agressões, com 27 casos (26,7%), os homicídios com 19 casos (18,8%), nove atendados (8,9%), cinco homicídios de familiares (5%), dois sequestros (2%) e também dois sequestros de familiares (2%). 

+Estoque de diesel do Brasil pode durar apenas 50 dias; Ministro diz que país está preparado

Confira algumas informações adicionais publicadas pelo último boletim sobre violência política:

  • O estado de São Paulo lidera os casos de violência política, com 17, seguido por Bahia e Rio de Janeiro com 10 casos cada;
  • 22 partidos foram atingidos pela violência. PSD foi a sigla mais atingida, seguido do PL, PSDB, Republicanos, PT e PSOL;
  • Ao todo, foram contabilizadas 24 mortes em 14 estados, sendo que o Paraná lidera com quatro casos.

O Boletim do Observatório da Violência Política e Eleitoral é uma publicação realizada pelo Grupo de Investigação Eleitoral da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (GIEL/UNIRIO). 

+++Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google News e acompanhe nossos destaquesSociedadeBrasil
Voltar ao topo

+Mais Lidas

JC Concursos, o seu Jornal dos Concursos de sempre. Imparcial, independente, completo.